Todavia é uma editora brasileira fundada em julho de 2016 por Flávio Moura, André Conti, Ana Paula Hisayama, Leandro Sarmatz e Marcelo Levy, todos ex-funcionários da Companhia das Letras que se juntaram para criar uma nova editora voltada a literatura. A editora ainda teve o apoio direto de três investidores: Alfredo Setúbal (presidente da holding Itaúsa), Guilherme Affonso Ferreira (presidente do fundo de investimentos Teorema) e Luiz Henrique Guerra (presidente do fundo Indie), todos participando com investimentos pessoais.[1][2]

Um de seus primeiros lançamentos foi o livro O vendido, de Paul Beatty, vencedor do Man Booker Prize de 2016. O título permitiu à Todavia ter uma mesa de destaque no FLIP com a presença do autor, fato pouco comum para editoras recém-criadas.[3]

Em 2017, a Todavia lançou o livro Baiacu, organizado pelos cartunistas Angeli e Laerte Coutinho com a proposta de ser uma publicação experimental unindo quadrinhos, poesia, prosa e fotografia. O livro ganhou o Troféu HQ Mix no ano seguinte na categoria "melhor publicação mix", empatado com Marcatti 40, da editora Ugra Press.[4][5][6]

Em 2018, a Todavia também ganhou o Prêmio APCA na categoria "Infantil/Juvenil/Quadrinhos" com o romance gráfico Eles estão por aí, de Bianca Pinheiro e Greg Stella.[7]

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma editora é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.