Abrir menu principal
Tokugawa Hidetada
Nascimento 2 de maio de 1579
Hamamatsu
Morte 14 de março de 1632 (52 anos)
Castelo Edo
Cidadania Xogunato Tokugawa, Japão
Progenitores Mãe:Saigō
Pai:Tokugawa Ieyasu
Filho(s) Tokugawa Iemitsu, Tokugawa Tadanaga, Hoshina Masayuki
Irmão(s) Matsudaira Nobuyasu, Yūki Hideyasu, Tokugawa Yorinobu, Tokugawa Yorifusa
Ocupação político

Tokugawa Hidetada (徳川 秀忠? ,2 de maio de 1579 - 14 de março de 1632) foi o segundo xogum Tokugawa, que governou de 1605 até sua abdicação en 1623. Terceiro filho de Tokugawa Ieyasu. Foi o vencedor da junto com seu pai na Batalha de Sekigahara.

Juventude (1579-1593)Editar

Tokugawa Hidetada foi filho de Tokugawa Ieyasu e uma de suas consortes, em 1579. A data exata de seu nascimento é desconhecida. Pouco depois de seu nascimento sua madrasta (a esposa oficial de Ieyasu) e seu meio-irmão Tokugawa Nobuyasu foram executados sob suspeita de tramar com Takeda Shingen para assassinar Ieyasu. [1] Ao matar sua esposa e seu suposto co-conspirador, Ieyasu declarou sua posição no conflito entre o clã Oda -- sob a direção de Oda Nobunaga -- e o clã Takeda sob o comando de Takeda Shingen, apoiando os Oda. [2]

O poder tradicional base do clã Tokugawa era Mikawa. Em 1590, o novo Tenkaji (governante do pais) do Japão, Toyotomi Hideyoshi obrigou Ieyasu, a atacar o domínio dos Go-Hojo na batalha que se que se tornou conhecida como o Cerco de Odawara. [3] Hideyoshi alistou Ieyasu para esta campanha com a promessa de trocar as cinco províncias sob controle de Ieyasu por oito províncias em Kanto, incluindo a cidade de Edo. A fim de evitar que Ieyasu se bandeasse para o lado dos Hojo (uma vez que anteriormente os Hojo e os Tokugawa tinham relações amigáveis), Hideyoshi raptou o filho de Ieyasu, Takechiyo, de apenas onze anos de idade e o tomou como refém. Em 1592 Hideyoshi presidiu a cerimônia de maioridade de Takechiyo, que passou a se chamar Hidetada. [4] Nesta época Hidetada foi nomeado herdeiro do Clã Tokugawa, pois o filho mais velho de Ieyasu havia sido executado anteriormente, e seu segundo filho foi adotado por Hideyoshi quando ainda era um bebê. Em 1593, Hidetada retornou ao convivio seu pai.

Suas Realizações Militares (1593-1605)Editar

Em 1595, Hidetada casou com Oeyo do clã Oda e eles tiveram dois filhos, Iemitsu e Tadanaga. [5] Eles também tiveram duas filhas, uma das quais, Senhime, se casou duas vezes. A outra filha, Kazuko-hime, casou-se com o Imperador Go-Mizunooe mais tarde passou a utilizar o nome budista de Tōfukumon-in. [6]

Sabendo que sua morte viria antes que seu filho Hideyori se tornasse adulto, Hideyoshi nomeou cinco Regentes - um dos quais era o pai de Hidetada, Ieyasu - para governar no lugar de seu filho. Hideyoshi esperava que a grande rivalidade entre os Regentes impediria que um deles tomasse o poder. Mas, depois que Hideyoshi morreu em 1598, Hideyori teve um governo apenas nominal, os Regentes esqueceram todos os seus votos de fidelidade eterna e logo passaram a disputar o controle da nação. Ieyasu era um dos mais fortes dos cinco Regentes, e arregimentou a seu lado a chamada Facção Oriental. Em contraposição reuniu-se uma Facção Ocidental em torno de Ishida Mitsunari. As duas facções entraram em conflito na famosa Batalha de Sekigahara, que estabeleceu o início da Era Tokugawa. [7]

Em 1600 Hidetada levou 16.000 homens de seu pai em uma campanha para conter o clã Uesugi da Facção Ocidental em Shinano. [8] Ieyasu então ordenou a Hidetada que marchasse para Sekigahara em antecipação a batalha decisiva contra a Facção Ocidental. Mas o clã Sanada conseguiu retardar as forças de Hidetada, que acabaram chegando tarde demais para ajudar na vitória apertada, mas decisiva, do pai. [9] A partir dai relacionamento entre Hidetada e Ieyasu ficou estremecido. Em 3 de dezembro de 1601, o primeiro filho de Hidetada, Nagamaru (長 丸), nasceu de uma jovem solteira de Kyoto chamada Onatsu. Em setembro de 1602, Chōmaru adoeceu e morreu; seu funeral foi realizado no templo Zōjō-ji em Shibe. [10]

Em 1603, o Imperador Go-Yōzei concedeu a Ieyasu o título de xogum e desta forma Hidetada se tornou o herdeiro do xogunato.

Xogum (1605-1623)Editar

Para evitar o mesmo destino de seu antecessor, Ieyasu estabeleceu um padrão dinástico logo depois de se tornar xogum, abdicando em favor de Hidetada em 1605. Ieyasu continuou a ter um poder significativo até sua morte em 1616; mas Hidetada, passa a assumiu o papel de chefe formal da burocracia do Bakufu. [11]

Para grande consternação de Ieyasu, em 1612, Hidetada arquitetou um casamento entre Sen, a neta favorita de Ieyasu, e Toyotomi Hideyori, que estava morando como plebeu no Castelo de Osaka com sua mãe. Quando isso não conseguiu sufocar as intrigas de Hideyori, o Ogoxo Ieyasu e o xogum Hidetada trouxeram um exército para Osaka. [12] Pai e filho mais uma vez discordaram sobre como conduzir esta campanha contra as forças recalcitrantes de Toyotomi em Osaka. No cerco que se seguiu Hideyori e sua mãe foram obrigados a cometer suicídio. Mesmo o filho pequeno de Hideyori, Kunimatsu, que ele teve com uma concubina, não foi poupado. [13] Só Sen foi poupada; mais tarde ela se casou novamente e teve uma nova família.

Após a morte de Ieyasu em 1616, Hidetada assumiu o controle total do Bakufu. [12] Hidetada fortaleceu os Tokugawa no poder, melhorando as relações com a corte imperial. Para este fim, ele casou com sua filha Kazuko para o Imperador Go-Mizunoo. [12] Fruto desse casamento nasceu uma menina,que sucedera ao pai no trono do Japão para se tornar a Imperatriz Meishō. [14] A cidade de Edo também foi fortemente desenvolvida em seu governo.

Ogoxo (1623–1632)Editar

Em 1623, Hidetada renunciou de seu governo em favor de seu filho mais velho e herdeiro, Iemitsu. [15] Como seu pai antes dele, Hidetada se tornou Ogoxo (xogum aposentado), e reteve o poder efetivo. Ele promulgou medidas anti-cristãs draconianas, que Ieyasu já havia anteriormente considerado: baniu livros cristãos, forçou os daimiōs cristãos a cometer suicídio, ordenou que todos os outros cristãos que renunciassem a sua crença, mandando em 1628, em Nagasaki, executar cinquenta e cinco cristãos (japoneses e estrangeiros) que se recusaram a renunciar o cristianismo ou deixar o pais . [13]

Ogoxo Hidetada morreu 14 de março de 1632. [15] Seu nome póstumo budista é Daitoku-in (台 徳 院). Suas cinzas foram assentadas cerimoniosamente no Mausoléu de Taitoku em Edo.



Precedido por
Tokugawa Ieyasu
  - 2º Xogum Tokugawa
1605–1623
Sucedido por
Tokugawa Iemitsu



Referências

  1. Ōta, Gyūichi (2011). The Chronicle of Lord Nobunaga (em inglês). [S.l.]: BRILL, p. 38. ISBN 9789004204560 
  2. Unzer, Emiliano (2019). História da Ásia. [S.l.]: Amazon, p.337. ISBN 9781521900208 
  3. Turnbull, Stephen (2011). Samurai:. The World of the Warrior (em inglês). [S.l.]: Bloomsbury Publishing, p. 61. ISBN 9781849089968 
  4. Sadler, A. L. (2009). Shogun:. The Life of Tokugawa Ieyasu (em inglês). [S.l.]: Tuttle Publishing, p. 107. ISBN 9781462916542 
  5. Wilson, Richard L. (1985). Ogata Kenzan (1663-1743) (em inglês). [S.l.]: University of Kansas, History of Art, p. 40 
  6. Graham, Patricia Jane (2007). Faith and Power in Japanese Buddhist Art, 1600-2005 (em inglês). [S.l.]: University of Hawaii Press, 46. ISBN 9780824831912 
  7. Grant, R. G. (2017). 1001 Battles That Changed the Course of History (em inglês). [S.l.]: Book Sales, p. 310. ISBN 9780785835530 
  8. Turnbull, Stephen (2012). Tokugawa Ieyasu (em inglês). [S.l.]: Bloomsbury Publishing, p. 34. ISBN 9781849085755 
  9. Turnbull. Tokugawa Ieyasu. [S.l.]: p. 79 
  10. Seigle, Cecilia Segawa; Chance, Linda H. (2014). Ooku, the Secret World of the Shogun's Women (em inglês). [S.l.]: Cambria Press, p. 312. ISBN 9781604978728 
  11. Klaproth, Julius von (1834). Nipon o daï itsi ran: ou Annales des empereurs du Japon (em francês). [S.l.]: Oriental Translation Fund, p. 409 
  12. a b c Klaproth. Nipon o daï itsi ran. [S.l.]: p. 410 
  13. a b Henshall, Kenneth (2013). Historical Dictionary of Japan to 1945 (em inglês). [S.l.]: Scarecrow Press, p. 22. ISBN 9780810878723 
  14. Klaproth. Nipon o daï itsi ran. [S.l.]: p. 411 
  15. a b Titsingh, Isaac (2006). Secret Memoirs of the Shoguns: Isaac Titsingh and Japan, 1779-1822 (em inglês). [S.l.]: Routledge, seção 17. ISBN 9781135787370