Abrir menu principal
Mahatma Gandhi e outros residentes da fazenda de Tolstoy, 1910

Tolstoísmo é um movimento social baseado nas visões filosóficas e religiosas do romancista russo Leo Tolstoy (1828-1910). Os pontos de vista de Tolstoy foram fundamentados por meio de estudos minusciosos do ministério de Jesus, sobretudo na passagem bíblica O Sermão da Montanha.[1]

Tolstoy expressou "grande alegria" diante da grande adesão, não só na Rússia, mas em várias partes da Europa, ao seu seu movimento. No entanto, o autor admitiu que era um erro criar um uma doutrina específica depois de sua morte. Tolstoy advertia que cada indivíduo deveria seguir sua consciência individual. Ele escreveu uma carta a um adepto, com os seguintes dizeres:[2]

“Usar o ‘Tolstoyismo’ como um guia para perguntar a minha solução para as mais diversas questões é um erro grosseiro. Não houve, nem há ‘ensinamentos’ meus. Existe apenas o único ensinamento universal eterno da Verdade, que para mim, para nós, é claramente expresso nos Evangelhos. Eu aconselhei essa jovem a não viver pela minha consciência, mas por ela própria.”[2]

Credos e práticasEditar

Os “tolstoinianos” (língua russa: Толстовцы , Tolstovtsy) se identificam como cristãos, mas geralmente não pertencem oficialmente a uma Igreja. Tolstoi foi um severo crítico da Igreja Ortodoxa Russa, fato que levou a sua excomunhão em 1901.[3] Tolstoinianos tendem se concentram em seguir os ensinamentos de Jesus e não se importam com milagres ou divindades. Eles tendem a um modo de vida vida ascético e simples. Tolstoinianos são considerados pacifistas cristãos e defendem a não resistência em todas as circunstâncias. A compreensão de Tolstoi sobre o que significa ser cristão foi fundamentada pelo Sermão da Montanha e resumida em cinco proposições simples:

  • 1. Ame seus inimigos
  • 2. Não seja tomado pela ira
  • 3. Não lute contra o mal fazendo o mal, mas combata o mal com o bem (uma interpretação de ofereça a outra face)
  • 4. Não deseje
  • 5. Não faça juramentos[4]

Tolstoinianos não participam do governo, que consideram imoral, violento e corrupto. Tolstoi rejeitou o Estado e todas as instituições que dele derivam - a polícia, os tribunais e o exército. Assim, muitos os consideram como anarquistas cristãos. Historicamente, as ideias de Tolstoy influenciaram o pensamento anarquista.[5]

VegetarianismoEditar

O movimento vegetariano começou na Europa no século XIX. A primeira sociedade vegetariana foi fundada em Manchester em 1847. Tolstoi tornou-se uma grande influência para o movimento. Ele se tornou vegetariano em 1885. Seu ensaio The First Step (1892) e outros foram promovidos internacionalmente pelas sociedades vegetarianas.[6]

O vegetarianismo fazia parte da filosofia tolstoiniana cristã de não-violência. Naquela época, os restaurantes vegetarianos eram poucos, e eles freqüentemente serviam como espaços de reunião para os tolstoinianos e outros reformadores sociais. O movimento era, sobretudo, ovo lacto-vegetariano.

Do ponto de vista da medicina da época o vegetarianismo era visto como insalubre.[7]

LegadoEditar

Referências

  1. Charlotte Alston (2010). «Tolstoy's Guiding Light». History Today 
  2. a b Tolstoy, Leo (1878). What Is Religion? And Other New Articles and Letters. [S.l.: s.n.] pp. 170–172 
  3. Church and State. L Tolstoy — On Life and Essays on Religion, 1934
  4. Gerard Bane (2011). «Tolstoyan Nonresistance». A Pinch of Salt (Issue 23). p. 2 
  5. Christoyannopoulos, Alexandre (2010). Christian Anarchism: A Political Commentary on the Gospel. Exeter: Imprint Academic. pp. 17–20. Leo Tolstoy 
  6. Tolstoy, Leo (1892). «The First Step». Consultado em 21 de maio de 2016. ... if [a man] be really and seriously seeking to live a good life, the first thing from which he will abstain will always be the use of animal food, because ... its use is simply immoral, as it involves the performance of an act which is contrary to the moral feeling -- killing . Preface to the Russian translation of Howard William's The Ethics of Diet
  7. CHARLOTTE ALSTON, Tolstoy and Vegetarianism.
  8. Tolstoy and his Disciples: The History of a Radical International Movement, em inglês, acesso em 1º de novembro de 2015.
  9. A Brief History of Peasant Tolstoyans Arquivado em 1 de janeiro de 2016, no Wayback Machine., em inglês, acesso em 1º de novembro de 2015.