Tolui Khan

(Redirecionado de Tolui Cã)

Tolui (em mongol: Толуй; 1191 – 1232) foi o filho mais novo de Gengis Cã e sua esposa Borte. Com a morte de Gêngis em 1227, foi designado temporariamente como do Império Mongol até 1229, quando seu irmão Oguedai o sucedeu.

Tolui
Tolui segundo iluminura de Raxidadim de Hamadã
do Império Mongol
Reinado 1227-1229
Antecessor(a) Gêngis Cã
Sucessor(a) Oguedai Cã
 
Cônjuge Sorcaquetani
Descendência
Nascimento 1191 (?)
Morte 1232
Pai Gêngis Cã
Mãe Borte

VidaEditar

Tolui provavelmente nasceu em 1191 e era o filho mais novo de Gêngis Cã (r. 1206–1227) e sua esposa Borte. Aos cinco anos, quase foi morto por um tártaro. Em 1203, Gêngis lhe deu Sorcaquetani, sobrinha de Ongue Cã, como esposa;[1] o casal gerou Mangu (1209), Cublai (1215), Hulagu (1217) e Arigue.[2] Seu pai o via como o melhor guerreiro entre seus filhos, chamando-o para participar de suas campanhas. Em 1213, lutou no norte da China contra o Império Jim, quando escalou os muros de Dexingue com seu cunhado Chigu. Em 1221, foi enviado ao Coração, no planalto Iraniano, para debelar o motim de cidades locais, dentre as quais Merve e Nixapur, cuja população foi evacuada e massacrada nas planícies próximas.[1][3]

Esteve presente na última campanha de Gêngis contra o Império Tangute (Xia) e após a morte dele em 1227, supervisionou o Império Mongol até a eleição de seu irmão Oguedai (r. 1229–1241) em 1229. Como filho mais novo, herdou como seu apanágio a porção não distribuída do patrimônio de seu pai no centro do planalto da Mongólia. Esteve nas campanhas de Oguedai e Mangu contra o Império Jim, servindo como estrategista e comandante de campo. Em 1232, com as defesas dos Jins rompidas, a campanha retornou ao norte e Tolui faleceu pouco depois.[4] Ata Malique Juveini diz que a causa da morte foi alcoolismo, enquanto a História Secreta dos Mongóis aponta que se sacrificou para curar Oguedai, que adoeceu durante a campanha na China.[1]

Os xamãs determinaram que a origem da doença eram os espíritos terrestres e aquáticos da China, que estavam furiosos pela expulsão de seus súditos e devastação de suas terras. Apesar da oferta de terras, animais e até outras pessoas a doença de Oguedai Cã só piorava, porém quando este ouviu que havia sido decidido oferecer o sacrifício de um próprio membro da família, imediatamente melhorou; Tolui se ofereceu e morreu logo em seguida, após ingerir uma bebida enfeitiçada.[5] Seja como for, postumamente, em 1252, Mangu lhe concedeu o título de grão-cã.[6]

Referências

  1. a b c Atwood 2004, p. 542.
  2. Atwood 2004, p. 511-512.
  3. Botle 1968, p. 313.
  4. Mote 2003, p. 447.
  5. Kahn 1984, p. xxvi.
  6. Weatherford 2004, p. 169.

BibliografiaEditar

  • Atwood, Christopher P. (2004). Encyclopedia of Mongolia and the Mongol Empire. Nova Iorque: Facts On File, Inc. 
  • Botle, J. A. (1968). «Dynastic and Political History of the Il-Khans». In: Fisher, William Bayne; Boyle, John Andrew; Frye, Richard Nelson. The Cambridge History of Iran. Vol. 5 - The Saljuq and Mongol Periods. Cambrígia: Imprensa da Universidade de Cambrígia 
  • Kahn, Paul; Cleaves, Francis Woodman (1984). The Secret History of the Mongols: The Origin of Chinghis Khan. Nova Iorque: North Point 
  • Mote, Frederick W. (2003). Imperial China 900-1800. Cambrígia, Massachussetes: Imprensa da Universidade de Harvard 
  • Weatherford, Jack (2004). Genghis Khan and the Making of the Modern World. Nova Iorque: Imprensa Three Rivers. ISBN 978-0-609-61062-6