Abrir menu principal
Tomb Raider II
Desenvolvedora(s) Core Design
Publicadora(s) Eidos Interactive
Diretor(es) Troy Horton
Projetista(s) Gavin Rummery
Neil Boyd
Heather Gibson
Escritor(es) Vicky Arnold
Programador(es) Gavin Rummery
Artista(s) Stewart Atkinson
Joss Charmet
Compositor(es) Nathan McCree
Plataforma(s) Microsoft Windows
PlayStation
Série Tomb Raider
Conversões/
relançamentos
Android
iOS
Mac OS
Data(s) de lançamento
  • AN 31 de outubro de 1997
  • EU 21 de novembro de 1997
Gênero(s) Ação-aventura
Plataforma
Modos de jogo Um jogador
Tomb Raider
Tomb Raider III:
Adventures of Lara Croft

Tomb Raider II é o segundo jogo de computador e videogames da série Tomb Raider. Foi desenvolvido pela Core Design e publicado pela Eidos Interactive, e originalmente lançado para PC e Playstation em 1997. [1]

Índice

JogabilidadeEditar

A jogabilidade de Tomb Raider II baseia-se no jogo original. Inovações incluem novas armas, movimentos extras, um pequeno conjunto de veículos, fases maiores e muitos inimigos.

Em termos de movimentos, Lara pode agora escalar parede e rolar no ar para o solo na direção oposta que o jogador tenha que enfrentar. As armas foram expandidas para arma de arpões, um lançador de granadas, e um rifle M16. O inventário inclui flares (sinalizadores), que são utilizados para iluminar cantos escuros e tirar partido da melhor modelagem tridimensional executada pelos desenvolvedores. Os dois veículos no jogo são uma lancha (em Veneza) e uma moto de neve (no Tibet). Ambos são usados para percorrer longas distâncias em todo mapa e podem acelerar em rampas ou atropelar inimigos.

Em Tomb Raider II, a aparência de Lara foi dada a cargo do designer Staurt Atkinson, dando ao cabelo dela um rabo de cavalo, uma aparência mais agradável e novas roupas. Na China e em Veneza, ela veste sua familiar roupa Tomb Raider de blusa e shorts, nas fases de água uma roupa de mergulho, uma jaqueta de vôo no Tibet e um roupão de banho na Mansão Croft.

O objetivo do jogo mantem-se inalterado ao jogo anterior: cada fase deve ser terminada com vários quebra-cabeças resolvidos, colecionando itens chave, e realizando difíceis saltos. No entanto, desta vez há uma ênfase no combate com armas e matando oponentes humanos também. Segredos deixaram imediatamente de recompensar o jogador com armas ou medicamentos. Em vez disso, cada segredo é marcado por um dragão ornamental colorido (secrets): prata (ou pedra), jade e ouro, e de acordo com a dificuldade de sua localização. Só quando Lara tiver coletado cada um dos dragões em uma fase ela receberá um bônus, geralmente constituído por uma nova arma e/ou muita munição.

HistóriaEditar

EnredoEditar

A história de Tomb Raider II fala sobre a mística Adaga de Xian, uma arma que nos tempos antigos era usada pelo Imperador da China para comandar seu exército. Ao mergulhar a Adaga no coração de uma pessoa, a arma tem o poder de transformá-la em um dragão. Um flashback revela que a última batalha que foi travada pela Adaga terminou em derrota, quando os monges guerreiros do Tibet conseguiram remover a faca do coração do Imperador. A Adaga voltou para seu lugar na Grande Muralha e foi guardada por séculos.

Lara Croft tem a missão de achar a Adaga de Xian, uma adaga com poderes misticos cujo poder é se transformar num terrível dragão. Em contra mão, Marco Bartoli, um milionário italiano, também está a procura de tal artefato, nessas condições se inicia uma corrida emocionante em que o destino da Terra está em jogo.

O jogo se inicia na Muralha da China, onde Lara Croft está investigando a verdade por trás da lenda da Adaga. Quando ela descobre a entrada para a câmara do artefato, percebe-se que a chave para destrancar a porta está faltando, e de repente ela é atacada por um italiano que alega que trabalha para um homem chamado Marco Bartoli.

Após as pistas colhidas na China, Lara descobre que Marco Bartoli é um líder da Máfia veneziana e fundou um culto obcecado com a antiga Adaga. Ela descobre que seu esconderijo fica na romântica Veneza. Ela viaja pra lá e então segue Bartoli a bordo de seu avião, que segue para uma estação petroleira no mar Adriático. No lugar, o culto está realizando escavações em um navio naufragado chamado Maria Doria, que uma vez pertenceu a Gianni Bartoli, pai de Marco. Lara sabe a partir de um monge tibetano detido, irmão Chan, que o naufrágio tem um antigo artefato tibetano chamado Seraph. Por gerações, os monges do mosteiro Barkhang dedicaram-se à preservação do Talion, a chave para a porta que tranca a Adaga de Xian, mesmo que tenha sido afundado com Maria Doria.

O Seraph, por sua vez, é a pedra-chave para a câmara que guarda o Talion. Antes de irmão Chan revelar mais coisas, ele é morto por Bartoli. Lara mergulha para os destroços do navio e recupera com sucesso o Seraph, depois disso ela vai ao mosteiro Barkhang no Tibet. Com a ajuda dos monges guerreiros, ela abre a tumba para o Talion e recupera o artefato para o local de origem.

Um jipe em alta velocidade com Bartoli em perseguição termina de volta na China, onde Lara abre a porta para a câmara que guarda a Adaga. Antes que ela alcance o artefato, porém, Lara mergulha nas catacumbas abaixo da Grande Muralha. Entretanto, Bartoli crava o punhal em seu coração, transformando-se assim em um dragão. No confronto final, Lara aproveita a criatura inconsciente temporariamente e puxa o punhal do coração de Bartoli. No epílogo, o restante dos homens de Bartoli segue Lara na Inglaterra e invadem a mansão dela.

Referências

  1. «All Time Top 20 Best Selling Games». 21 de maio de 2003. Consultado em 1 de dezembro de 2006. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2006 

Ver TambémEditar

Ligações ExternasEditar