Torre (Serra da Estrela)

ponto mais alto de Portugal Continental

A Torre é o ponto de maior altitude da Serra da Estrela e também de Portugal Continental, e o segundo mais elevado de Portugal (apenas a Montanha do Pico, nos Açores, tem maior altitude, com 2351 metros). Este ponto não é um cume característico de montanha, mas sim o ponto mais alto de uma serra. A Torre tem a característica incomum de ser um topo acessível por uma estrada pavimentada, no fim da qual há uma rotunda com um monumento simbólico da Torre, existindo também um marco geodésico.[2] Diz-se, embora tal não seja confirmado, que o rei D. João VI teria no início do século XIX mandado erigir aqui um monumento em pedra, de modo a completar a altitude até chegar aos 2000 metros.[2]

Torre
—  acidente geográfico  —
A Torre assinala o ponto mais elevado da Serra da Estrela.
Localização
Localização em mapa dinâmico.
Coordenadas 40° 19' 18.72" N 7° 36' 46.68" O
País Portugal Portugal
Localização Manteigas, Seia, Covilhã
Características gerais
Tipo
Cordilheira Cordilheira Montejunto-Estrela (parte da Cordilheira Central da Península Ibérica)
Dimensões
Altitude 1993 m (6539 pés)
Proeminência 1204 m
Cume-pai: Pico Almanzor[1]
Isolamento 159,17 km
Montanhismo
Rota mais fácil Por estrada pavimentada

O ponto situa-se no limite das freguesias de Unhais da Serra (Covilhã), São Pedro (Manteigas), Loriga (Seia) e Alvoco da Serra (Seia), sendo, por isso, pertença de três municípios: Covilhã, Manteigas e Seia. A Torre também dá o nome à localidade onde está situada, a parte mais elevada da serra.[3]

A altitude da Torre é de 1993 m, conforme acertos introduzidos por medições realizadas pelo Instituto Geográfico do Exército. Precisamente no ponto mais elevado foi construída um marco geodésico homónimo, que assinala o ponto mais elevado da Serra da Estrela. A sua proeminência topográfica é de 1204 m (o cume-pai é o Pico Almanzor, em Espanha) e o isolamento topográfico é de 159,17 km[4]

No local há um grande miradouro do qual se observa uma vista desobstruída sobre a paisagem de vales encaixados numa zona de contacto entre xisto e granito, recortados por diversos cursos de água.[2] As temperaturas mais baixas de Portugal são registadas no cume da Serra da Estrela, chegando mesmo a atingir -20 °C no inverno.[2]

Interesse turísticoEditar

 
Telecadeiras da estância de esqui próxima da Torre, em janeiro de 2007

A Torre é famosa pela queda de neve durante os meses de inverno, atraindo um grande número de turistas. Durante o verão, em dias claros, a vista pode abranger até ao mar, vendo-se ao longe a zona da Figueira da Foz.[2]

No local há um restaurante e lojas com produtos típicos da região, como o queijo da Serra da Estrela, a Estância de Esqui Vodafone e um monumento gravado na rocha em homenagem a Nossa Senhora da Boa Estrela, padroeira dos pastores.[5]

A área urbana mais próxima deste local é a cidade da Covilhã, distante cerca de 20 km, e os alojamentos mais próximos da Torre estão situados na localidade das Penhas da Saúde, a cerca de 10 minutos de distância.

Em setembro de 2016, a Turistrela, empresa concessionária do Turismo na Serra da Estrela, anunciou que quer construir uma rede de teleféricos de acesso à Torre para permitir a subida de turistas até ao ponto mais alto da montanha, mesmo quando as estradas estão fechadas.

Loja oficial Serra da EstrelaEditar

Em 26 de junho de 2022 vai ser inaugurado, um novo espaço dedicado aos pastores e ao produto do seu trabalho: a lã e o leite das ovelhas Bordaleiras.

Diariamente, um total de 236 pastores asseguram diariamente a continuidade da Ovelha Bordaleira da Serra da Estrela, a principal raça ovina leiteira de Portugal e também a primeira a ter livro genealógico.

No espaço, serão colocadas à venda almofadas feitas de 100% de Lã Bordaleira, aproveitando a lã das ovelhas, que não tinha escoamento por falta de valor económico; Queijo Serra da Estrela DOP, produzido com o seu leite; e o pastel de bacalhau com Queijo Serra da Estrela DOP, forma encontrada para o escoamento do queijo.

Este projeto constitui uma forma de “apoiar o trabalho dos pastores da Serra da Estrela e assegurar a continuidade da profissão e da raça da ovelha Bordaleira, contribuindo para o desenvolvimento da economia local e para a sustentabilidade social do território”.

De referir que, “de 275.000 ovelhas desta raça existentes nos anos 80 do séc. XX, há atualmente pouco mais de 23.000”. A diminuição deste número é “uma consequência do abandono progressivo da profissão de pastor.

O exterior do novo espaço é inspirado nos bardos, as cercas que normalmente acolhem as ovelhas no campo. O interior é compartimentando em três, evidenciando dois dos ciclos que protagoniza a raça Bordaleira da Serra da Estrela: o da lã, com almofadas 100% lã de ovelha Bordaleira, e o do queijo, com a comercialização de queijo Serra da Estrela DOP e do pastel de bacalhau[6].

ClimaEditar

Dados climáticos para Torre, 1971-2000
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Média alta °C (°F) 2.5
(36.5)
3.0
(37.4)
4.0
(39.2)
7.5
(45.5)
10.5
(50.9)
13.5
(56.3)
17.5
(63.5)
17.5
(63.5)
14.0
(57.2)
8.5
(47.3)
4.5
(40.1)
3.0
(37.4)
8.83
(47.9)
Média diária °C (°F) 0.8
(33.4)
1.2
(34.2)
2.3
(36.1)
4.3
(39.7)
7.2
(45)
10.5
(50.9)
14.3
(57.7)
14.3
(57.7)
11.7
(53.1)
6.5
(43.7)
3.2
(37.8)
1.5
(34.7)
6.48
(43.67)
Média baixa °C (°F) −1.0
(30.2)
−0.5
(31.1)
0.5
(32.9)
1.0
(33.8)
4.0
(39.2)
7.5
(45.5)
11.0
(51.8)
11.0
(51.8)
9.5
(49.1)
4.5
(40.1)
2.0
(35.6)
0.0
(32)
4.13
(39.43)
Precipitação média mm (pol.) 350
(13.78)
300
(11.81)
180
(7.09)
240
(9.45)
200
(7.87)
100
(3.94)
30
(1.18)
30
(1.18)
120
(4.72)
220
(8.66)
270
(10.63)
400
(15.75)
2 440
(96,06)
Fonte: IPMA[7]

GaleriaEditar

Ligações de interesseEditar

Referências

  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre Geografia de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Torre (Serra da Estrela)