Abrir menu principal

Transtornos do desenvolvimento psicológico

Transtornos do desenvolvimento psicológico
Só os transtornos globais de desenvolvimento, como autismo, aspenger e rett, atingem entre 60 a 70 crianças para cada 10.000 nascidos vivos.[1]
Especialidade psiquiatria, psicologia
Classificação e recursos externos
CID-10 F80
CID-9 299, 315
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Transtornos do desenvolvimento psicológico (CID-10 F80 a 89) é a classificação médica e psicológica para os comprometimentos ou atrasos no desenvolvimento estreitamente ligadas à maturação biológica do sistema nervoso central na infância. São de evolução contínua, ou seja sem intervalos entre os sintomas.[2]

A discalculia, dificuldade persistente em aprender matemática relacionada ao desenvolvimento, é um dos transtornos mais comuns afetando entre 3 e 6% das crianças em idade escolar.[3]

CaracterísticasEditar

As funções cognitivas atingidas podem se referir ao desenvolvimento de:

Habitualmente o retardo ou a deficiência já estava presente mesmo antes de poder ser posta em evidência com certeza, diminuirá progressivamente com a idade; déficits mais leves podem, contudo, persistir na idade adulta.

ClassificaçõesEditar

 
Atualmente já existem diversos materiais específicos para atender as demandas de cada dificuldade.[4]

Segundo a Classificação Internacional de Doenças usada atualmente pela OMS, CID-10 Capítulo V: Transtornos mentais e comportamentais, os transtornos do desenvolvimento psicológico podem ser classificados em:

TratamentoEditar

Recomenda-se que as crianças com transtorno do desenvolvimento psicológico tenham acompanhamento pedagógico, pediátrico e psicológico especial para atenderem a suas necessidades particulares. As demandas específicas dependem do transtorno e de cada caso: algumas crianças se adaptam a escolas inclusivas com algum apoio pedagógico enquanto outras exigem escolas com turmas menores com instruções e acompanhamento individual.[5] Habilidades verbais podem ser desenvolvidas com acompanhamento de um fonoaudiólogo.

As terapias devem incluir os cuidadores da criança. O psicólogo e pedagogo vão esclarecer sobre as necessidades especiais da educação da criança para um desenvolvimento saudável. Terapia em grupo com os pais de crianças pode ser útil para lidar com as dificuldades em educar crianças especiais.

Referências

  1. http://www.autismoerealidade.com.br/2011/10/artigo-de-revisao-epidemiologia-dos-transtornos-globais-desenvolvimento/
  2. [CID-10 http://www.datasus.gov.br/cid10/V2008/cid10.htm]
  3. Butterworth B. (2010). "Foundational numerical capacities and the origins of dyscalculia". Trends in Cognitive Sciences 14 (12): 534–541. doi:10.1016/j.tics.2010.09.007. PMID 20971676.
  4. http://revistaescola.abril.com.br/inclusao/educacao-especial/aprendizado-mais-facil-424764.shtml
  5. «Cópia arquivada». Consultado em 30 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 27 de janeiro de 2013