Abrir menu principal

Tratado de Nevarsaque

Baanes

O Tratado de Nevarsaque foi assinado entre o general armênio Baanes I Mamicônio e os representantes do Balas (r. 484–488) em Nevarsaque em 484.[1] Este tratado assegurou liberdade religiosa e autonomia aos armênios.[2] Após o tratado, Baanes foi nomeado o governador (marzobam) da província da Armênia.[3]

As condições do tratado foram:[4]

  1. Todos os altares de fogo na Armênia deveriam ser destruídos e nenhum outro novo deveria ser construído.
  2. Os cristãos na Armênia deveriam ter liberdade de culto e conversões ao zoroastrismo deveriam ser paradas.
  3. As propriedades do país não deve ser loteadas a pessoas que se converteram ao zoroastrismo.
  4. O rei persa deveria, em pessoa, administrar a Armênia com a ajuda de governadores e representantes.

Referências

  1. Hacikyan 2000, p. 259.
  2. Panossian 2006, p. 48.
  3. Dédéyan 2007, p. 194.
  4. Frye 1983, p. 149.

BibliografiaEditar

  • Frye, R. N. (1983). «The Political History of Iran under the Sasanians». In: E. Yarshater. The Cambridge History of Iran Vol. III - The Seleucid, Parthian and Sasanid Periods. Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 9780521200929 
  • Hacikyan, Agop Jack (2000). The Heritage of Armenian Literature. From the Oral Tradition to the Golden Age. 1. Detroit: Wayne State University. ISBN 978-0-8143-2815-6 
  • Panossian, Razmik (2006). The Armenians: From Kings And Priests to Merchants And Commissars. Nova Iorque: Columbia University Press