Abrir menu principal

Wikipédia β

Tresminas

freguesia de Vila Pouca de Aguiar

Tresminas é uma freguesia portuguesa do concelho de Vila Pouca de Aguiar, com 55,85 km² de área e 415 habitantes (2011) (densidade populacional: 7,4 hab/km²), situada na Serra da Padrela, 15 km a leste da sede do concelho.

 Portugal Tresminas  
—  Freguesia  —
Tresminas está localizado em: Portugal Continental
Tresminas
Localização de Tresminas em Portugal
Coordenadas 41° 29' 34" N 7° 30' 25" O
País  Portugal
Concelho VPA.png Vila Pouca de Aguiar
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente António César dos Santos Teixeira (PPD/PSD)
Área
 - Total 55,85 km²
População (2011)
 - Total 415
    • Densidade 7,4 hab./km²
Orago São Miguel

Inclui no seu território os seguintes lugares: Covas, Filhagosa, Granja, Revel, Ribeirinha, Cevivas, Tresminas, Vales e Vilarelho.

O padroeiro da freguesia é São Miguel. A festa em sua honra festeja-se no dia 29 de Setembro.

Lugares a visitar: Igreja Romana de Tresminas e Minas Romanas da Ribeirinha e Covas.

Índice

PopulaçãoEditar

Número de habitantes [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1.014 926 902 828 928 831 938 1.053 1.256 1.419 1.222 946 685 528 415

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Distribuição da População por Grupos Etários em 2001 e 2011
Idade 0-14 15-24 25-64 > 65 0-14 15-24 25-64 > 65
2001 68 57 265 138 12,9% 10,8% 50,2% 26,1%
2011 37 30 195 153 8,9% 7,2% 47,0% 36,9%

HistóriaEditar

Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde março de 2012).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

A exploração Romana de Tresminas foi iniciada durante o reinado de Augusto (27a.C. - 14d.C.), prolongando-se até à segunda metade do séc. II, tendo a sua exploração regular cessado na época de Sétimo Severo. A exploração terá sido feita pelo sistema de cortas a céu aberto, originando as crateras de grandes dimensões que, até hoje, testemunham na paisagem o esforço humano ali empreendido. Segundo Alarcão (1988), «tais desmontes só podem ter sido feitos por grandes grupos de operários, cuja contratação e vigilância ultrapassava a capacidade administrativa e financeira de um particular ou de uma pequena sociedade empresarial (…) e parecem ter exigido uma média de 2000 trabalhadores trabalhando diariamente durante 200 anos». Existem três cortas de exploração: a Corta de Covas, a Corta de Ribeirinha e a Corta de Lagoinhos, sendo as duas primeiras de dimensões consideravelmente superiores, atingindo profundidades da ordem dos 100 m. Transversalmente à orientação do filão, foram abertas as várias galerias, entre as quais: Galeria do Pilar, Galeria do Texugo, Galeria dos Alargamentos, Galeria dos Morcegos e Galeria do Buraco Seco. Este complexo sistema de galerias permanece, na maioria dos casos, passível de ser visitada. Destinava-se ao transporte de materiais e ao escoamento das águas para drenagem das cortas, razão pela qual se verifica sempre declive em relação à abertura, à superfície. Crê-se que parte do trabalho de tratamento de minérios decorresse igualmente no interior das galerias. O abastecimento de água era canalizado por meio de aquedutos, a partir do Rio Tinhela e da Ribeira da Fraga, localizados a montante. Foram, já, identificadas duas barragens romanas na área envolvente à povoação de Tinhela de Baixo. A antiguidade da presença humana naquela zona é reforçada pela existência de pontes e estradas caracteristicamente romanas, bem como pela existência de castros mineiros (destacando-se, como exemplo, o Castro de Cidadelha de Jales, recentemente incluído numa candidatura galaico-portuguesa a Património da Humanidade).

A Associação Desportiva Cultural Recreativa e Social da Freguesia de Tresminas divulga os produtos, as tradições, o património e está ao serviço de toda a população da Freguesia.

Obras modernasEditar

Nesta Freguesia é de destacar o lugar de Vilarelho, não pela sua história, mas pelas obras mais recentes. Esta pequena aldeia, apesar de possuir um número diminuto de habitantes (inferior a 50), dispõe de rede de saneamento básico, rede de gás canalizado, uma associação humanitária de auxilio à terceira idade (Associação de Santa Senhorinha) e um clube desportivo — Grupo Desportivo e Cultural de Vilarelho (GDCV) — com várias modalidades desportivas (das quais se destaca o futebol nas camadas jovens e o montanhismo). Entre 1998 e 2001, o GDCV publicou a revista Eito Fora (de cariz regional) e, entre 2002 e 2006, a revista cultural Periférica, que teve distribuição nacional.

Tresminas pertenceu ao extinto concelho de Alfarela de Jales até 1853.

PatrimónioEditar

Referências

  1. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.