Tride Songtsen

Tridé Songtsen (em tibetano: ཁྲི་ལྡེ་སྲོང་བཙན, Wylie:Khri-lde-srong-btsan, também conhecido como Sadnalegs (em tibetano: སད་ན་ལེགས, foi imperador do Império Tibetano e reinou reinou aproximadamente entre 800 e 815, embora vários relatos afirmem que o início de seu reinado ocorreu em 797 ou 804.[1][2]

Tridé Songtsen
སད་ན་ལེགས
Tibetan snow leopard.svg
7º Monarca do Império Tibetano
40º Tsanpo de Bod
Reinado C. 800 - 815
Antecessor(a) Muné Tsenpo
Sucessor(a) Tritsuk Detsen
Esposa bro-bza' lha-rgyal-mang-mo-rje
Descendência
Tsangma
Tritsuk Detsen
Ü Dumtsen
Lhajé
Lhündrup
Nascimento 761
Morte 815 (54 anos)
Sepultado em Qonggyai
Pai Trisong Detsen
Mãe Magyal Dongkar
Religião Budismo Tibetano

AntecedentesEditar

Tridé Songtsen era o filho mais novo do rei Trisong Detsen. Em 797 Trisong se aposentou para morar em Zungkar e entregou o poder a seu segundo filho, Muné Tsenpo.[2] A partir desse ponto, há muita confusão nas várias fontes históricas. Parece que houve uma luta pela sucessão após a morte de Trisong. Não está claro quando Trisong morreu ou por quanto tempo Muné Tsenpo reinou.[3] Algumas fontes afirmam que Muné foi envenenado por sua mãe, que tinha ciúmes de sua bela esposa.[4]

Seja qual for o caso, tanto o Antigo Livro dos Tang quanto as fontes tibetanas concordam que, como Muné Tsenpo não tinha herdeiros e o trono passou para seu irmão mais novo, Tridé Songtsen que de qualquer forma já estava no trono em 804.[2][5]

Seu outro irmão, Mutik Tsenpo, aparentemente não foi considerado para o cargo porque ele havia anteriormente assassinado um ministro sênior e havia sido banido para Lhodak Kharchu, perto da fronteira com o Butão. Apesar que a fontes que acreditam que ele tenha ascendido ao trono depois de Muné.[6]

ReinadoEditar

Como ele era muito jovem quando subiu ao trono, Tridé foi assistido por quatro ministros experientes: Drenka Pelgyi Yönten, Nyang Tingdzin Zhangpo, Zhangdo Trisher e Ngenlam Trigyel dos quais os dois primeiros eram também Bandré (monges budistas).[7] Eles seguiram as políticas dos reis anteriores.[8] Tridé tinha quatro esposas de diferentes clãs tibetanos.

Tride Songtsen se dedicou ao desenvolvimento do budismo e manteve um bom relacionamento com os Tang. Seu reinado durou 16 anos.[9]

Atividades políticas e militaresEditar

Embora as forças tibetanas tenham lutado contra os chineses entre 799 e 803, com batalhas em Yanzhou (na atual Ningxia), Lingzhou (na atual condado de Zoigê, Sujuão), Weizhou (no atual condado de Li, Sujuão), Yazhou (atual Ya'an, Sujuão) e Suizhou (Xichang, Sujuão), enviados começaram a viajar regularmente a partir de 804 entre Lassa e Changan, embora nenhum tratado formal tenha sido assinado. Quando o imperador Dezong morreu em 805, Tride Songtsen enviou presentes de ouro, prata, tecido, bois e cavalos para seu funeral.[10]

O exército tibetano continuou a atacar os árabes a oeste e, de acordo com Iacubi, eles sitiaram Samarcanda, a capital da Transoxiana na época. Finalmente, o governador tibetano do Turquestão apresentou uma estátua feita de ouro e pedras preciosas ao califa árabe Almamune (r. 813–833). Esta estátua foi posteriormente enviada para a Caaba em Meca.[10]

Morte e sucessãoEditar

Tride Songtsen provavelmente morreu em 815, embora os Anais Azuis (deb ther sngon po) afirme que foi em 814. Teve cinco filhos, o primeiro tornou-se monge, os dois últimos morreram na infância. Quando Tride Songtsen morreu, o próximo da linha sucessória era Ü Dumtsen (U'i dum btsan, também conhecido como Langdarma) foi afastado por ser anti-budista,[10] e o poder real foi dado a Tritsuk Detsen, também conhecido como Ralpacan (806-841), seu o terceiro filho e sucessor.[9]

Um impressionante pilar de pedra com uma inscrição em homenagem a Tride Songtsen que está localizado no cemitério dos reis tibetanos perto de 'Phyong-rgas. Está parcialmente ilegível, mas confirma uma série de eventos históricos. É importante para datar o reinado de Tride Songtsen, uma vez que indica que a guerra com a China começou quando assumiu o poder. Os Annais Tang relatam que os chineses e tibetanos lutaram continuamente entre 799 e 803, então parece provável que Tride Songtsen tenha ascendido ao trono em torno de 800–804.[11][12]

Precedido por
Muné Tsenpo
  40º Tsanpo do Tibete
800 - 815
Sucedido por
Tritsuk Detsen


Referências

  1. Macedo, Emiliano Unzer (2017). História do Tibete. [S.l.]: Amazon Independent, p. 24 
  2. a b c Kazi, Jigme N. (2020). Sons of Sikkim:. The Rise and Fall of the Namgyal Dynasty of Sikkim (em inglês). [S.l.]: Notion Press, pp. 36-37 
  3. Macedo, Emiliano Unzer (2017). História do Tibete. [S.l.]: Amazon Independent, p. 35 
  4. Shakabpa, Tsepon Wangchuk Deden (2010). One Hundred Thousand Moons:. An Advanced Political History of Tibet (em inglês). [S.l.]: BRILL, p. 144 
  5. Macedo, Emiliano Unzer (2017). História do Tibete. [S.l.]: Amazon Independent, p. 24 
  6. Shakabpa (2010). One Hundred Thousand Moons: (em inglês). [S.l.]: , p. 145 
  7. Shakabpa (2010). One Hundred Thousand Moons: (em inglês). [S.l.]: , p. 146 
  8. China Tibetology. Edições 6-11 (em inglês). [S.l.]: Office for the Journal China Tibetology, p. 11-14. 2006 
  9. a b Li, Qing (2017). The Evolution and Preservation of the Old City of Lhasa (em inglês). [S.l.]: Springer, p. 242 
  10. a b c Blondeau, Anne-Marie; Buffetrille, Katia (2008). Authenticating Tibet:. Answers to China’s 100 Questions (em inglês). [S.l.]: Univ of California Press, pp. 9-10 
  11. Richardson, H. E. (2013). A Corpus of Early Tibetan Inscriptions (em inglês). [S.l.]: Routledge. pp. 84-91 
  12. Central Asiatic Journal,. Volume 8 (em inglês). [S.l.]: O. Harrassowitz, p. 78. 1963