Abrir menu principal
Trot
Origens estilísticas
Contexto cultural Por volta de 1900, durante o período de domínio japonês sobre a Coreia
Instrumentos típicos Vocais
Popularidade Coreia do Sul, 1900–1990
Formas derivadas K-Pop

Trot (coreano: 트로트; romanização revisada: teuroteu) é um gênero da música pop coreana, reconhecida como sendo a forma mais antiga de música pop no país. Sua existência é datada do inicio dos anos 1900, durante o domínio japonês, onde o gênero foi influenciado por elementos musicais japoneses, ocidentais e coreanos. Além disso, tem adotado nomes diferentes como yuhaengga, ppongjjak, e mais recentemente teuroteu (pronuncia coreana da palavra Trot). Apesar de sua popularidade ter declinado durante a década de 1990, o gênero tem sido objeto de novas gravações através de artistas do pop contemporâneo como Jang Yoon-jeong, Super Junior-T, Daesung membro do BIGBANG e Joy membro do Red Velvet.

Seu nome deriva do encurtamento da palavra foxtrot, que é um tipo de dança de salão e que influenciou as batidas simples de dois elementos do gênero. A música Trot é descrita como sendo um ritmo de duas batidas ou de ritmo duplo, com os tradicionais sete-cinco estrofes silábicas e um estilo vocal chamado Gagok.

1900: OrigemEditar

Trot de 1938 escrito por Kim Song Kyu e Park Yeong Ho. Interpretado por Park Hyang Rim.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

O gênero Trot teve início durante o domínio colonial do Japão a Coreia, que ocorreu durante os anos de 1910 a 1945. Em sua forma inicial, o gênero trazia as traduções de canções ocidentais ou japonesas populares na época, e era chamado de yuhaeng changga[1] (유행창가 Hanja: 流行唱歌; lit., "canções populares"). A gravação de "In Praise of Death", canção de Yun Sim-deok de 1926, é considerada como o primeiro yuhaeng changga. Posteriormente na década de 1930, o yuhaeng changga passou a ser produzido por letristas e compositores coreanos. Estas novas canções populares compostas no país, tornaram-se conhecidas pelo nome de yuhaengga (유행가; 流行歌; "música moderna"). No entanto adquiriram o novo nome de daejung gayo (대중가요; 大衆歌謠; "música popular"), em referência a música popular em geral.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial e do domínio colonial japonês sobre a Coreia, o trot começou a tornar-se mais ocidental. O trio feminino The Kim Sisters tornou-se popular durante este período e suas apresentações chamaram a atenção tanto dos soldados estadunidenses na Coreia quanto do público dos Estados Unidos, quando apresentaram-se no programa The Ed Sullivan Show, durante a década de 1960.[2]Este período também introduziu um número de músicos sul-coreanos notáveis como Lee Mi-ja, Patti Kim, Tae Jin Ah, Na Hoon-a dentre outros.

1980-1990: Declínio na popularidadeEditar

O Trot perdeu gradualmente sua posição dominante na década de 1980, com a popularização do gênero dance music. Contudo, a invenção dos cassetes produziram um enorme impacto sobre a produção do Trot, o que possibilitou a invenção do som medley trot, tornando-se atualmente a música Trot contemporânea.

Debate de 1984 sobre ppongjjakEditar

A origem do gênero tornou-se alvo de uma disputa. Em 1984, a disputa entrou no discurso nacional do país.[3] O debate iniciou-se em um artigo publicado no The Eumak Dong-a: A Monthly Journal of Music (음악동아 Eum-ak Dong-a) em novembro de 1984, centrada sobre se o trote originou-se ou não a partir da música coreana ou japonesa. Devido o gênero ser originário no período colonial da Coreia, bem como ter influências de canções japonesas, o Trot foi sujeito a questionamentos sobre sua identidade coreana. Uma vez que nenhuma prova concreta surgiu para validar um dos lados, o debate ainda continua a existir, quando se discute as origens do Trot.[4]

Uso político contemporâneo da música trotEditar

Um artigo publicado no Chosun Ilbo em 2010 relatou o uso governamental da música trot como ferramenta de propaganda contra a Coreia do Norte.[5] Mais de 184 músicas de artistas como Na Hoon-a, Jang Yun-jeong e Park Hyun-bin foram transmitidas através de programas de rádio FM destinados aos soldados norte-coreanos.

Referências

  1. Son, Min-Jung. "Regulating and Negotiating in T'ûrot'û, a Korean Popular Song Style." Asian Music 37, no. 1 (Spring 2006): 51-74.
  2. Ben Cosgrove (9 de novembro de 2014). «K-Pop Pioneers: The Kim Sisters Take America». Time 
  3. Pak, Gloria L. "On the Mimetic Faculty: A Critical Study of the 1984 Ppongtchak Debate and Post-Colonial Mimesis." In Korean Pop Music: Riding the Wave, edited by Keith Howard, 62-71. Folkestone, Kent: Global Oriental, 2006.
  4. Lee, Gang-Im (2008). Directing Koreanness: Directors and playwrights under the national flag, 1970--2000. [S.l.]: ProQuest. ISBN 1-109-05526-9. Despite the considerable popularity of trot song in South Korea, due to the origin of trot song in Japanese enka, this genre is still debated among (pop) critics. 
  5. The Chosunilbo. "Trot Music Is S.Korea's Best Propaganda Weapon". December 30, 2010.