O sítio arqueológico de Tsodilo[1], no noroeste do Botswana, em pleno deserto do Kalahari, exibe uma das mais importantes colecções de arte rupestre do mundo e já foi chamado o “Louvre do Deserto”. Mais de 4500 pinturas bem conservadas numa área de apenas 10 km2 e outros achados arqueológicos fornecem um retrato cronológico das actividades humanas e das mudanças ambientais ao longo de cerca de cem mil anos. As comunidades locais respeitam este local, que acreditam frequentado pelos espíritos dos antepassados.

Pix.gif Tsodilo *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Tsodilo rock paintings 1.jpg
Pinturas rupestres, Tsodilo
País Botswana
Critérios C (i) (iii) (vi)
Referência 1021 en fr es
Coordenadas 18º 47' S 21º 44' E
Histórico de inscrição
Inscrição 2001  (25.ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

As colinas tem um significado religioso para o povo San, que acreditam que as várias cavernas na Colina de Female são o local do descanso eterno dos falecidos deuses que governaram o mundo desde este local. O local mais sagrado é na Colina de Male, onde o primeiro espírito se ajoelhou e rezou após ter criado o mundo. Os San acreditam que as marcas dos joelhos do primeiro espírito ainda são visíveis hoje.

Veja tambémEditar

Referências

Ligações ExternasEditar