Abrir menu principal
Tu-70
(OTAN: Cart)
Avião
Descrição
Tipo / Missão Avião comercial
País de origem  União Soviética
Fabricante Tupolev
Quantidade produzida 1
Desenvolvido de Tupolev Tu-4
Primeiro voo em 27 de novembro de 1946 (72 anos)
Variantes Tupolev Tu-75
Tripulação 6
Passageiros 72
Especificações
Dimensões
Comprimento 35,4 m (116 ft)
Envergadura 44,25 m (145 ft)
Área das asas 166,1  (1 790 ft²)
Alongamento 11.8
Peso(s)
Peso vazio 38 290 kg (84 400 lb)
Peso carregado 51 400 kg (113 000 lb)
Peso máx. de decolagem 60 000 kg (132 000 lb)
Propulsão
Motor(es) 4x Shvetsov ASh-73TK
Potência (por motor) 2 400 hp (1 790 kW)
Performance
Velocidade máxima 568 km/h (306 kn)
Alcance (MTOW) 4 900 km (3 040 mi)
Teto máximo 11 000 m (36 100 ft)
Notas
Referência[1]

O Tupolev Tu-70 (Designação NATO: Cart) foi uma versão de passageiros do bombardeiro soviético Tu-4 (que por sua vez era uma cópia de engenharia reversa do norte-americano Boeing B-29 Superfortress) projetado imediatamente após o fim da Segunda Guerra Mundial. Ele utilizava vários componentes dos Boeing B-29 que haviam feito pouso de emergência na União Soviética após ficar sem combustível após bombardear o Japão. Esta aeronave inaugurou a fuselagem pressurizada na União Soviética e voou pela primeira vez em 27 de Novembro de 1946.[2] A aeronave foi testada com sucesso e recomendada para produção em série, mas não acabou sendo produzido por ordens militares e pelo fato da Aeroflot não ter interesse em tal aeronave.

Projeto e desenvolvimentoEditar

Após o projeto básico do bombardeiro Tu-4 ter sido finalizado, a Tupolev decidiu projetar uma versão de passageiros com uma cabine pressurizada. Esta versão utilizaria tantos componentes quanto possível em comum com o Tu-4 para reduzir o custo e reduzir o tempo de projeto. Era uma aeronave de asa baixa, cantilever monoplano com trem de pouso triciclo, motorizado com quatro motores radiais Shvetsov ASh-73TK. Os trabalhos de projeto de um protótipo se iniciaram em Fevereiro de 1946 e o Conselho de Ministros da União Soviética confirmou o pedido de um único protótipo no mês seguinte. [2]

Para acelerar a construção do protótipo, uma quantia de componentes utilizados foram de dois B-29. Estes componentes incluíam os painéis externos da asa, as tampas dos motores, os flaps, o trem de pouso, a cauda e alguns equipamentos internos. A seção central da asa foi modificada para uma configuração mais convencional. Três configurações diferentes foram propostas para a cabine: uma versão VIP para o governo, uma versão de classe mista para 40 a 48 passageiros e outra versão com 72 assentos. É provável que o protótipo tenha sido construído na configuração de classe mista, mas isso não pode ser confirmado.[3]

O Tu-70 foi finalizado em Outubro de 1946, mas não realizou seu primeiro voo até o dia 27 de Novembro. Iniciou os testes do fabricante em Outubro, mas um fogo no motor durante o quarto voo fez com que a aeronave sofresse um incidente. O motivo do fogo foi uma falha no projeto do sistema de controle do supercompressor americano, mas identificar e corrigir o problema atrasou o projeto e os testes de voo foram realizados até Outubro de 1947. A aeronave foi redesignada como Tu-70 quando passou pelos testes do estado, que foram concluídos em 14 de Dezembro. Ele cumpria todas as especificações do projeto, mas não foi aceito para produção pois todas as fábricas estavam produzindo outras aeronaves com maior prioridade e pelo fato de a Aeroflot não ter interesse neste tipo de aeronave, estando satisfeita com os aviões comerciais Lisunov Li-2 e Ilyushin Il-12.[4]

A aeronave foi enviada para o NII VVS (em russo: Научно-Исследовательский Институт Военно-Воздушних Сил – Instituto de Pesquisa Científica da Força Aérea) para avaliação como uma aeronave para transporte militar em Dezembro de 1951. Foi utilizada na sequência para uma variedade de testes antes de ser destruída em 1954. Seu projeto foi modificado para uma aeronave de transporte militar, conhecida como Tupolev Tu-75, mas esta por sua vez também não entrou em produção.[5]

Veja tambémEditar

ReferênciasEditar

NotasEditar

  1. Gunston, Bill (1995). Tupolev Aircraft since 1922. Annapolis, MD: Naval Institute Press. ISBN 1-55750-882-8 
  2. a b Gordon, p. 105
  3. Gordon, pp. 105–06
  4. Gordon, pp. 106–07
  5. Gordon, p. 107

BibliografiaEditar

  • Gordon, Yefim; Rigamant, Vladimir (2005). OKB Tupolev: A History of the Design Bureau and its Aircraft (em inglês). Hinckley, Inglaterra: Midland Publishing. ISBN 1-85780-214-4 
  • Gunston, Bill (1995). Tupolev Aircraft since 1922 (em inglês). Annapolis, MD: Naval Institute Press. ISBN 1-55750-882-8 
  • Nemecek, Vaclav (1986). The History of Soviet Aircraft from 1918 (em inglês). Londres: Willow Books. ISBN 0-00-218033-2