Abrir menu principal

O turismo na cidade de Manaus oferece diversas atrações históricas, naturais e culturais.

O Teatro Amazonas é o principal cartão-postal da cidade de Manaus.

A capital do Amazonas é internacionalmente conhecida, sendo o maior destino de turistas da Amazônia e oferece uma ampla rede hoteleira, incluindo hotéis de selva em sua Região Metropolitana.[1] Um dos principais pontos turísticos de Manaus é o Teatro Amazonas, inaugurado em 1896, sendo a obra mais significativa da época áurea da borracha e tombado como Patrimônio Histórico Nacional.[2]

A cidade foi uma das primeiras cidades brasileiras a possuir o AmazonBus, veículo oferecido aos turistas que visitam à cidade, aos moldes de veículos turísticos que já operam em cerca de setenta cidades turísticas do exterior.[3] O AmazonBus percorre 40 pontos turísticos da cidade. Dentre os incluídos no roteiro, estão o Teatro Amazonas e a Praia da Ponta Negra.[4] Manaus recebeu o prêmio de melhor destino verde da América Latina, prêmio este concedido em votação feita pelo mercado mundial de turismo, durante a World Travel Market, ocorrido em Londres em 2009.[5]

Um estudo realizado em 2010 pelo FECOMERCIO - Federação de Pesquisas Empresarias do Amazonas - revelou que aproximadamente 39,7% dos turistas nacionais que visitam Manaus desaprovam o transporte público oferecido na cidade[6]. Além do transporte público, outros problemas também foram apontados pelos turistas nacionais, como asfaltamento (38,7%) e telecomunicações (23,9%).[6] O turismo estrangeiro apontou como principal fator negativo na cidade o asfaltamento, com 30,7%.[6] De maneira geral, o turismo em geral foi avaliado como satisfatório, com 92,4% entre os turistas nacionais e 94% entre os turistas estrangeiros.[6]

Patrimônio históricoEditar

 
Um dos maiores espetáculos da natureza, o Encontro das Águas representa a confluência dos rios Negro, de águas escuras, e Solimões, de águas barrentas.

O Teatro Amazonas, principal cartão-postal da cidade, é um dos mais importantes teatros brasileiros.[7] Foi construído com recursos provenientes do ciclo da borracha e inaugurado em 31 de dezembro de 1896. Trata-se de uma destacada obra arquitetônica.[8] A Alfândega da cidade, outro ponto turístico, é um conjunto arquitetônico tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional.[9] Há ainda outros prédios, construções e lugares históricos em Manaus que são pontos turísticos, como o Mercado Municipal Adolpho Lisboa, que foi construído de frente para o Rio Negro, no período áureo da borracha, em estilo art noveau[10] e a Ponte de Ferro Benjamin Constant, localizada na Avenida Sete de Setembro, um dos marcos históricos da cidade, fazendo a ligação do Centro da cidade com o bairro da Cachoeirinha. A ponte foi construída no período de 1892 a 1895 com peças importadas da Inglaterra, no governo de Eduardo Ribeiro e contou com supervisão do engenheiro Frank Hirst Hebblethwait.[11] Destacam-se também o Palácio da Justiça do Amazonas[12] e o Palácio Rio Negro. Com traços da arquitetura francesa, o Palácio da Justiça do Amazonas foi inaugurado em 1900, tendo sido erguido sobre uma área elevada, e protegido por um espesso muro com balaustradas. Este prédio fez parte do plano de monumentalização da cidade, traçado pelo governador Eduardo Ribeiro que, em 1893, desapropriou o terreno e no ano seguinte assinou o contrato de construção com a firma Moers & Morton.[12] Já o Palácio Rio Negro foi construído no início do século XX, em estilo eclético, para ser residência particular do comerciante da borracha, o alemão Waldemar Scholz. Em 1917, foi adquirido pelo governo para tornar-se sede do Poder Executivo e residência do governador, permanente como palácio de despachos até abril de 1995.[13]

Entre prédios e lugares que destacam-se por algum acontecimento histórico ocorrido neste, há a Biblioteca Pública Estadual, o Colégio Amazonense Dom Pedro II, que surgiu com a designação de Lyceu Provincial Amazonense, através do Regulamento nº 18, de 14 de março de 1869, do presidente da Província, João Wilkens de Mattos, sendo instalado nas dependências do Seminário Episcopal de São José, que a época localizava-se onde hoje se ergue uma das agências do Banco do Brasil, na antiga praça 15 de Novembro,[14] a Catedral Metropolitana de Manaus, uma obra dos missionários carmelitas,[15] o Monumento Abertura dos Portos, feito de mármore, simboliza a abertura dos portos, o Relógio Municipal, o Teatro Chaminé, que possui uma forma arquitetônica antiga preservada,[16] Museu do Índio[17] e a Igreja de São Sebastião, construída em 1888, sob a direção de Gesualdo Marchetti de Lucas. A igreja tem estilo neoclássico, com alguns elementos medievalistas. Seu interior é marcado por painéis e vitrais europeus, bem ao estilo da época.[18]

 
A Praia da Ponta Negra é um dos principais cartões-postais da cidade e foi palco da FIFA Fan Fest em Manaus durante a Copa do Mundo de 2014.

Atrativos naturaisEditar

O ecoturismo, também chamado de turismo de natureza, todos os anos atrai milhares de turistas à cidade de Manaus.[19] Entre as atrações naturais da cidade, destacam-se: O Encontro das Águas, um fenômeno natural causado pelo encontro das águas barrentas do rio Solimões com as águas escuras do Rio Negro, as quais percorrem cerca de seis quilômetros sem se misturarem. Esse fenômeno acontece em decorrência da temperatura e densidade das águas, e, ainda a velocidade de suas correntezas. A Praia da Ponta Negra, localizada à margem esquerda do rio Negro, a aproximadamente a 13 km do centro de Manaus, é um dos principais cartões-postais da cidade. Possui orla urbanizada, quadras para prática de esporte e um anfiteatro onde são realizadas apresentações musicais, espetáculos teatrais e outras atrações, tornando-a um dos principais pontos turísticos de Manaus.[20] A Praia da Lua, pertencente ao município de Iranduba (região metropolitana de Manaus), localizada à margem esquerda do rio Negro, distante 23 quilômetros de Manaus, por via fluvial. Tem o formato de uma lua em quarto crescente e uma vegetação de rara beleza natural com uma extensão de areia branca e banhada pelas águas negras do rio Negro, límpidas.[21] O acesso ao lugar é feito por barcos regionais que saem de alguns portos da cidade, lanchas fretadas localizadas no pier ao lado do hotel Park Suites, na Ponta Negra.[21] Praia do Tupé.[22] Praia Dourada, uma praia da zona rural de Manaus, distante 20 quilômetros do centro da cidade, sendo banhada pelo igarapé do Tarumã e o rio Negro.[23] Cachoeira do Paricatuba, situada na margem direita do rio Negro, num pequeno afluente[24]. A cachoeira é formada por rochas sedimentares e cercada por vegetação abundante e o acesso é feito por via fluvial.[24]

É notório ainda, o Parque do Mindu, que possui uma miríade de espécies florísticas e faunísticas e outros elementos do ecossistema amazônico;[25] o Jardim Botânico de Manaus, maior floresta em área urbana do país é opção para turismo ecológico,[26] o Parque dos Bilhares, um parque ambiental localizado na zona centro-sul da cidade, sendo um dos parques mais frequentados, com diversas opções de lazer e cultura;[27] O Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva, a Central de Artesanato Branco e Silva, no qual se podem encontrar diversos elementos do artesanato amazonense[28] e Vila Olímpica de Manaus.[29]

Referências

  1. «Onde Ficar | Viva Manaus». Viva Manaus 
  2. «Teatro Amazonas - IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional». portal.iphan.gov.br. 20 de dezembro de 1966. Consultado em 21 de julho de 2018 
  3. " «AmazonBus mostrará capital amazonense». O Estado do Paraná. 2009 [ligação inativa]
  4. «Serviço de city tour pela cidade de Manaus no ônibus inglês passa a ser gratuito - ACA». ACA. 2 de maio de 2018 
  5. «Manaus - AM - Guia do Turismo Brasil». Guia do Turismo Brasil. Consultado em 27 de julho de 2018 
  6. a b c d «39,7% dos turistas desaprovam transporte público de Manaus». Portal Amazonia. 6 de maio de 2010 [ligação inativa]
  7. Redação. «Conheça principais teatros do Brasil». O Concierge (em inglês) 
  8. " «Teatro Amazonas, em Manaus». Os lugares do mundo. 24 de Dezembro de 2008 
  9. «Alfândega do porto de Manaus - 200 anos». Ministério da Fazenda. 14 de setembro de 2010 
  10. «O que ver e fazer no Mercado Adolpho Lisboa em Manaus». vida sem paredes. 23 de maio de 2017 
  11. «Ponte metálica Benjamim Constant». Portal Amazonia. 14 de setembro de 2010 [ligação inativa]
  12. a b «Palácio da Justiça do Amazonas». Portal Amazonia. 13 de setembro de 2010 [ligação inativa]
  13. «Centro Cultural Palácio Rio Negro». Portal Amazonia. 13 de setembro de 2010 
  14. «Colégio Amazonense Dom Pedro II». Portal Amazonia. 14 de setembro de 2010 
  15. «Catedral Metropolitana de Manaus, Igreja da Matriz». Portal Amazonia. 14 de setembro de 2010 
  16. «Usina Chaminé». Portal Oficial do Governo do Amazonas. 13 de setembro de 2010 
  17. «Museu do Índio». Portal Amazonia. 13 de setembro de 2010 
  18. «Igreja de São Sebastião, Manaus». Portal Amazonia. 14 de setembro de 2010 
  19. «Manaus: um passeio pela capital econômica e cultural do Amazonas - Ministério do Turismo». www.turismo.gov.br. Consultado em 27 de julho de 2018 
  20. «Portal GuiaTur». guiatur.manaus.am.gov.br. Consultado em 27 de julho de 2018 
  21. a b «Praia da Lua, Manaus». Portal Amazonia. 13 de setembro de 2010 [ligação inativa]
  22. «Praia do Tupé, Manaus». Portal Amazonia. 13 de setembro de 2010 [ligação inativa]
  23. «Praia Dourada, Manaus». Portal Amazonia. 13 de setembro de 2010 [ligação inativa]
  24. a b «Cachoeira do Paricatuba». Portal Amazonia. 13 de setembro de 2010 [ligação inativa]
  25. «Parque Municipal do Mindu». Portal Amazonia. 14 de setembro de 2010 
  26. «Maior floresta em área urbana do país é opção para turismo ecológico no AM». Amazonas. 28 de junho de 2012 
  27. «Parque dos Bilhares em Manaus». Portal Amazonia. 14 de setembro de 2010 
  28. «Central de Artesanato Branco e Silva». Portal Amazonia. 14 de setembro de 2010 
  29. «Vila Olímpica, Manaus». Portal Amazonia. 13 de setembro de 2010