Abrir menu principal

A Suíça é dividida em treze regiões turísticas. A principal atração da Suíça são as paisagens dos Alpes suíços.

Até ao século XVIII, o país não é um destino, mas uma passagem obrigatória no centro da Europa. Na altura, as cidades que atraiam turistas eram apenas Basileia e Genebra devido às suas universidades, movimentos religiosos, as fontes de água e as curas que as termas proporcionavam.

Vale Engadina, o turismo traz importantes recursos para a região dos Alpes suíços.

O início do turismo no país é provocado pelos trabalhos de escritores e pintores naturalistas do fim do século XVIII e do início do século XIX que suscitam interesse aos viajantes pelas descrições das paisagens e das montanhas. As regiões mais expostas foram as Oberland e sobretudo Zermatt, no cantão do Valais desde 1850.

As primeiras viagens organizadas foram lançadas pela agência inglesa Thomas Cook antes mesmo da indústria do Turismo Local se ter começado a desenvolver. No entanto, as tarifas elevadas atraiam apenas os suíços mais afortunados até que a crise de 1870-1890 forçam os profissionais a oferecerem preços mais baixos e estadias maiores, sobretudo na época do Inverno. A partir daí, novas estâncias são criadas, como em Davos e no Tessino.

No início do século XX, a Suíça gastava 3% do seu PIB anual para a hotelaria e as receitas daquele sector chegavam aos 320 milhões de francos suíços. O desenvolvimento pós-guerra de 1914-18 e o pagamento de férias pagas fazem com que existe um grande aumento da procura por parte das classes mais baixas que vêm a ser a maioria no fim da década de 1950.[1]

Atualmente a procura de turismo na Suíça parte sobretudo da Alemanha, que corresponde a 14,4% das estadias feitas do país, seguida da França com 5,3%, o Reino Unido com 4,8% e Itália, com 3,8 %. Dos países não europeus, os Estados Unidos representam 3,3% do total das noitadas, seguidos da Austrália e da Nova Zelândia que representam 3,3%. O Japão representa apenas 0,6% das noitadas feitas na Suíça.[2]

O Turismo da Suíça possui um escritório no Brasil, na cidade de São Paulo, para atender todo o trade turístico brasileiro com negociações, sugestões de roteiros e treinamentos. O escritório também é responsável pelo marketing do destino em todo o país.

Referências

  1. «Histoire du Toursime en Suisse» (PDF). Arquivado do original (PDF) em 17 de dezembro de 2007 
  2. «Tabela de procura turística na Suíça». Arquivado do original em 17 de novembro de 2010 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre o turismo na Suíça é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.