Unione Calcio Sampdoria

(Redirecionado de U.C. Sampdoria)

A Unione Calcio Sampdoria é um clube de futebol situado em Gênova, Itália. O clube foi fundado em 1946 pela fusão de dois clubes de esportes, Associazione Calcio Sampierdarenese e Società Ginnastica Andrea Doria.

Sampdoria
UC Sampdoria.png
Nome Unione Calcio Sampdoria
Alcunhas I Blucerchiati (O Círculo Azul)
La Samp
Il Doria
Mascote Baciccia (marinheiro)
Principal rival Genoa
Fundação 12 de agosto de 1946 (76 anos)
Estádio Luigi Ferraris
Capacidade 36 599
Localização Gênova, Ligúria, Itália
Presidente Marco Lanna
Treinador(a) Dejan Stanković
Patrocinador(a) Banca Ifis
La Mia Liguria
Material (d)esportivo Macron
Competição Serie A
Website www.sampdoria.it
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

Ambos tem o nome grafado no novo clube criado e também os uniformes refletem isso, o primeiro sendo uma fusão dos nomes dos dois antigos clubes, o segundo incorporando as cores das antigas equipes (azul-branco e vermelho-preto) em um único uniforme. Suas cores então são azul com branco, com listras vermelhas e pretas, daí o apelido Blucerchiati.

A Sampdoria manda seus jogos no Estádio Luigi Ferraris, o qual compartilha com outro clube de Gênova, o Genoa Cricket and Football Club. O clássico entre os dois times é comumente conhecido como Derby della Lanterna.

Campeã da Serie A na temporada 1990–91,[1] o clube também já venceu a Copa da Itália em quatro ocasiões: 1984–85, 1987–88, 1988–89 e 1993–94. O seu maior sucesso europeu veio quando a Samp venceu a Copa dos Vencedores de Copas da UEFA, em 1989–90.[2] também alcançou a final da Liga dos Campeões da UEFA em 1991–92, perdendo para o Barcelona por 1 a 0.[3]

A Sampdoria voltou a competir na Serie A em 2012, depois de ter sido rebaixada para a Serie B em 2011. No playoff final para a subida, ultrapassou o Sassuolo e o Varese, tendo alcançado assim a sua promoção na última vaga restante.[4]

HistóriaEditar

Após a Segunda Guerra Mundial, os clubes Sampierdarenese e Andrea Doria estavam competindo no Campeonato Italiano. No entanto, em 12 de agosto de 1946, por meio de uma fusão, formaram juntos a Unione Calcio Sampdoria. O primeiro presidente do novo clube foi Piero Sanguineti, mas o empresário ambicioso Amedeo Rissotto logo o substituiu, enquanto o primeiro treinador da equipe durante este período foi um homem de Florença chamado Giuseppe Galluzzi.

No mesmo mês da fusão, o novo clube exigiu a partilha do Estádio Luigi Ferraris, com o Gênoa. O acordo foi levado sem problemas. Consequentemente, o estádio foi preparado para acomodar os jogos das duas equipas.

Como se mostrava que a fusão era em partes iguais de ambos os clubes anteriores, um novo kit de futebol foi projetado, que implementou as camisas azuis de Andrea Doria com o meião branco, vermelho e preto de Sampierdarenese.

Façanhas europeias e nacionaisEditar

Em 1979, foi adquirida pelo empresário Paolo Mantovani, que investiu na equipe, a fim de trazer a Samp ao topo do futebol europeu.

Em 1985 ganhou a sua primeira Copa da Itália.

No ano de 1988, sob o comando de Vujadin Boškov, o clube faturou sua segunda Coppa Italia.

Um segundo triunfo consecutivo na Copa da Itália rendeu à Sampdoria uma vaga na extinta Taça dos Clubes Vencedores de Taças (atual Liga dos Campeões da UEFA), onde derrotou o Anderlecht, da Bélgica, após a prorrogação.

Isto foi seguido, um ano depois, pelo seu primeiro Scudetto como campeão da Serie A, com uma vantagem de cinco pontos para o segundo colocado, a Internazionale.[5] A equipe vencedora contou com vários jogadores notáveis, como Gianluca Pagliuca, Gianluca Vialli, Roberto Mancini, Toninho Cerezo, Pietro Vierchowod e Attilio Lombardo.[6]

Na temporada seguinte, a Sampdoria chegou à final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, mas acabou sendo derrotada por 1 a 0 pelo Barcelona, em jogo realizado no Estádio de Wembley.[1]

Em sua participação na Copa da UEFA de 1997–98, a equipe foi derrotada, nas oitavas de final, pelo Athletic Bilbao da Espanha.

Declínio e ressurreiçãoEditar

Em 14 de outubro de 1993, Paolo Mantovani morreu repentinamente, sendo substituído por seu filho Enrico.[7] Durante a primeira temporada de Enrico Mantovani (1993–94), a Sampdoria venceu mais uma Copa da Itália e terminou em 3º na Serie A.

Durante as quatro temporadas seguintes, muitos jogadores da equipe de seu pai deixaram o clube , mas outras importantes aquisições foram feitas, as quais mantiveram a Sampdoria na parte superior da Serie A.

Os argentinos Juan Sebastián Verón e Ariel Ortega, o empréstimo de Vincenzo Montella e dos meias Clarence Seedorf[8] e Christian Karembeu, trouxeram sobrevida a equipe. Apesar disso, em maio de 1999, a Sampdoria foi rebaixada para a Serie B, e não retornou à primeira divisão até 2002.

Em torno deste tempo, o clube foi adquirido por Riccardo Garrone, um homem de negócios de petróleo italiano. Dois dos mais importantes movimentos iniciais de Garrone foram injetar dinheiro novo no clube e nomear Walter Novellino como novo treinador.

A Sampdoria retornou à Serie A em 2003, liderada pelo talismã Francesco Flachi, e terminou sua primeira temporada em oitavo lugar.[9]

Na Serie A de 2004–05, por pouco a Sampdoria não se classificou para a Liga dos Campeões da UEFA. E equipe perdeu a vaga para a Udinese, nas rodadas finais da temporada, e terminou em quinto lugar. Já na temporada seguinte, 2005–06, o clube foi eliminado na fase de grupos da Copa da UEFA. Mesmo assim, Novellino foi confirmado para mais uma temporada, e a Sampdoria terminou a Serie A 2006–07 com uma campanha de nono lugar.

O clube participou ativamente no mercado de transferências para a temporada 2007–08, persuadindo Vincenzo Montella a fazer um retorno à Samp e assinando com o atacante Antonio Cassano, do Real Madrid, que chegou por empréstimo. Tendo experimentado um tal período de empréstimos bem sucedidos, a Sampdoria realizou uma mudança radical durante a janela de transferências de inverno: o atacante Giampaolo Pazzini foi contratado e formou uma das parcerias mais eficazes do Campeonato Italiano. O time terminou a temporada em sexto lugar na Serie A e se classificou para a Copa da UEFA de 2008–09.

Com a saída do diretor de esporte Giuseppe Marotta, do treinador Luigi Delneri e dos jogadores Cassano e Pazzini – responsáveis pelos sucessos recentes da Samp – o clube embarcou em uma jornada infeliz de resultados e acabou sendo rebaixado para a Serie B em maio de 2011, após uma derrota por 2 a 1 em casa contra o Palermo.[10]

Na temporada seguinte, a Sampdoria venceu os playoffs, batendo a Associazione Sportiva Varese 1910 por 1 a 0 no retorno final do playoff, após o 3 a 2 da primeira partida, confirmando seu retorno à primeira divisão. O clube foi o primeiro time fora do terceiro lugar a ganhar o playoff, bem como o primeiro sexto colocado a fazê-lo.

Cores e apelidosEditar

O escudo do clube dispõe de um marinheiro em perfil, conhecido pelo nome genovês de Baciccia, que é traduzido para "Giovanni Battista" em italiano, ou "João Batista", em português.

A imagem de um marinheiro é apropriada devido a Sampdoria ter sua sede na cidade portuária de Gênova.

As cores branco, azul, vermelho e preto dentro do escudo representam a fusão dos clubes que deram origem ao novo clube.

TítulosEditar

Continentais
Competição Títulos Anos
  Recopa Europeia da UEFA 1 1989–90
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Italiano 1 1990–91
  Copa da Itália 4 1984–85, 1987–88, 1988–89 e 1993–94
  Supercopa da Itália 1 1991
  Campeonato Italiano - Serie B 1 1966–67

Campanhas de destaqueEditar

Recordes individuaisEditar

Mais partidasEditar

# País Nome Período Jogos
1   Roberto Mancini 1982–1997 566
2   Pietro Vierchowod 1983–1995 493
3   Angelo Palombo 2002–2011
2012–2017
459
4   Moreno Mannini 1984–1999 417
5   Gaudenzio Bernasconi 1954–1965 362
6   Luca Pellegrini 1980–1991 362
7   Guido Vincenzi 1958–1969 360
8   Giancarlo Salvi 1963–1964
1965–1976
327
9   Gianluca Vialli 1984–1992 321
10   Attilio Lombardo 1989–1995
2001–2002
306

Maiores artilheirosEditar

# País Nome Período Gols
1   Roberto Mancini 1982–1997 173
2   Gianluca Vialli 1984–1992 141
3   Francesco Flachi 1999–2007 109
4   Fabio Quagliarella 2006–2007
2015–
105
5   Adriano Bassetto 1946–1953 93
6   Giuseppe Baldini 1946–1950 73
7   Vincenzo Montella 1996–1999
2007–2008
66
8   Attilio Lombardo 1989–1995
2001–2002
60
9   Sergio Brighenti 1960–1963 50
10    Eder 2012–2016 49

Histórico de treinadoresEditar

 
Nome Anos
  Giuseppe Galluzzi 1946–1947
  Adolfo Baloncieri 1947–1950
  Giuseppe Galluzzi 1950
  Matteo Poggi
  Alfredo Foni
1950–1951
  Alfredo Foni 1951–1952
  Matteo Poggi 1952
  Ivo Fiorentini 1952–1953
  Paolo Tabanelli 1953–1955
  Lajos Czeizler 1955–1956
  Pietro Rava 1956–1957
  Ugo Amoretti 1957
  William Dodgin 1957–1958
  Adolfo Baloncieri 1958
  Eraldo Monzeglio 1958–1961
  Roberto Lerici 1961–1963
  Ernst Ocwirk 1963–1965
  Giuseppe Baldini 1965–1966
  Fulvio Bernardini 1966–1971
  Heriberto Herrera 1971–1973
  Guido Vincenzi 1973–1974
  Giulio Corsini 1974–1975
  Eugenio Bersellini 1975–1977
  Giorgio Canali 1977–1978
  Lamberto Giorgis 1978–1979
  Lauro Toneatto 1979–1980
  Enzo Riccomini 1980–1981
  Renzo Ulivieri 1981–1984
  Eugenio Bersellini 1984–1986
  Vujadin Boškov 1986–1992
  Sven-Göran Eriksson 1992–1997
  César Luis Menotti 1997
  Vujadin Boškov 1997–1998
  Luciano Spalletti 1998
  David Platt
  Giorgio Veneri
1998–1999
  Luciano Spalletti 1999
  Giampiero Ventura 1999–2000
 
Nome Anos
  Luigi Cagni 2000–2001
  Gianfranco Bellotto 2001–2002
  Walter Novellino 2002–2007
  Walter Mazzarri 2007–2009
  Luigi Del Neri 2009–2010
  Domenico Di Carlo 2010–2011
  Alberto Cavasin 2011
  Gianluca Atzori 2011
  Giuseppe Iachini 2011–2012
  Ciro Ferrara 2012
  Delio Rossi 2013
  Siniša Mihajlović 2013–2015
  Walter Zenga 2015
  Vincenzo Montella 2015–2016
  Marco Giampaolo 2016–2019
  Eusebio Di Francesco 2019
  Claudio Ranieri 2019–2021
  Roberto D'Aversa 2021–2022
  Marco Giampaolo 2022
  Dejan Stanković 2022–

Referências

  1. a b Leandro Stein (19 de maio de 2021). «Em 1991 a Sampdoria conquistou a Serie A em sua era de ouro – e depois quase faturou também a Champions». Trivela. Consultado em 1 de novembro de 2022 
  2. «Conheça o lendário time que desbancou gigantes e hoje inspira Itália a 'mudar de cara' e tentar título após 15 anos». ESPN.com. 11 de julho de 2021. Consultado em 1 de novembro de 2022 
  3. Crisan Ramos. «Wembley, 1992: o drama da Sampdoria contra o Barcelona». Calciopédia. Consultado em 29 de outubro de 2022 
  4. «Sampdoria vence o Varese por 1 a 0 e está de volta à Série A do Italiano». GloboEsporte.com. 10 de junho de 2012. Consultado em 29 de outubro de 2022 
  5. «Times de que Gostamos: Sampdoria 1990-1991». O Futebólogo. 30 de outubro de 2013. Consultado em 29 de outubro de 2022 
  6. Guilherme Diniz. «Times históricos: Sampdoria 1986-1992». Calciopédia. Consultado em 29 de outubro de 2022 
  7. Thiéres Rabelo. «Paolo Mantovani, o presidente que fez a Sampdoria subir de patamar». Calciopédia. Consultado em 29 de outubro de 2022 
  8. «Seedorf: histórico de títulos pelos clubes que passou». Extra. 30 de junho de 2012. Consultado em 29 de outubro de 2022 
  9. Nelson Oliveira. «Ídolo da Sampdoria, Francesco Flachi desperdiçou parte de seu talento com vício em cocaína». Calciopédia. Consultado em 29 de outubro de 2022 
  10. «Udinese vence e volta ao quarto lugar; Sampdoria é rebaixada». Trivela. 15 de maio de 2011. Consultado em 29 de outubro de 2022 

Ligações externasEditar

  Última atualização: 23 de janeiro de 2023.

Elenco atual do Unione Calcio Sampdoria[1]
N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome N.º Pos. Nome
1 G   Emil Audero 14 M   Ronaldo Vieira 29 LE   Nicola Murru
2 Z   Bruno Amione 15 Z   Omar Colley 30 G   Nicola Ravaglia
3 Z   Tommaso Augello 17 Z   Bram Nuytinck 31 M   Lorenzo Malagrida
5 M   Valerio Verre 18 A   Ignacio Pussetto 34 A   Daniele Montevago
7 M   Filip Djuricic 20 V   Harry Winks 37 M   Mehdi Léris
8 V   Tomás Rincón 21 Z   Jeison Murillo 59 LD   Alessandro Zanoli
9 A   Manuel de Luca 22 G   Martin Turk 70 M   Simone Trimboli
10 A   Sam Lammers 23 A   Manolo Gabbiadini
11 M   Abdelhamid Sabiri 27 A   Fabio Quagliarella
13 LD   Andrea Conti 28 M   Gerard Yepes

Técnico:   Dejan Stanković

  1. «Prima squadra» (em italiano). Unione Calcio Sampdoria. Consultado em 23 de janeiro de 2023