Abrir menu principal

Universidade Federal da Bahia

universidade pública federal em Salvador, Bahia
(Redirecionado de UFBA)
Universidade Federal da Bahia
UFBA
Lema Virtute spiritus (do latim, "Pela força do espírito")
Fundação
Tipo de instituição universidade pública federal
Mantenedora Ministério da Educação
Localização Salvador (reitoria), Bahia
Funcionários técnico-administrativos 3 200
Reitor(a) João Carlos Salles Pires da Silva[1]
Vice-reitor(a) Paulo Miguez
Docentes 2 300
Total de estudantes 40 000
Campus
Cores da escola
Afiliações CRUB, RENEX
Índice Geral de Cursos nota 4[2]
Orçamento anual R$ 1 314 749 911
Página oficial www.ufba.br

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) é uma instituição de ensino superior pública brasileira considerada a maior e mais influente universidade do estado da Bahia e uma das mais importantes no país.[3] É uma instituição pública mantida pelo Governo Federal do Brasil, vinculada ao Ministério da Educação, possui regime jurídico de autarquia. Possui sede na cidade de Salvador e dois campi localizados em Vitória da Conquista e Camaçari.

A universidade integra a lista das melhores instituições de ensino superior do Brasil de acordo com o Ministério da Educação.[4] Em 2019, foi classificada pelo QS World University Rankings e pelo Center for World University Rankings como a terceira melhor universidade do Norte-Nordeste do país.[5][6]

Atualmente possui 112 opções de curso, sendo 94 cursos de graduação nos campi da capital, doze no antigo campi de Barreiras e seis em Vitória da Conquista.[7]

Índice

HistóriaEditar

A UFBA guarda um dos primeiros cursos universitários do país: a Escola de Cirurgia da Bahia (atualmente Faculdade de Medicina da Bahia), fundada por Dom João VI logo após a família real portuguesa desembarcar em Salvador. Suas atividades iniciaram em 18 de fevereiro de 1808 e simbolizaram o início da independência científica e cultural do Brasil. Foi constituída formalmente à universidade em 8 de abril de 1946 através do Decreto-Lei 9155[8] e se instala em 2 de julho do mesmo ano,[3] sendo composta inicialmente pelos seguintes estabelecimentos de ensino superior: Faculdade de Medicina da Bahia e suas escolas anexas (Odontologia e Farmácia), Faculdade de Direito da Bahia, Escola Politécnica da Bahia, Faculdade de Filosofia da Bahia e Faculdade de Ciências Econômicas.

 
Faculdade de Medicina da UFBA no início do século XX.

Teve como primeiro reitor o médico e professor Edgard Santos que, em regência situada no período imediato ao pós Segunda Guerra Mundial, foi o principal articulador do convite para que artistas e intelectuais da vanguarda europeia, então em dificuldades para encontrar trabalho por lá, ensinassem na UFBA.

Esta iniciativa foi decisiva para a formação de uma nova geração artístico-cultural na Bahia, que promoveria posteriormente as sublevações do Cinema Novo e da Tropicália com relevantes contribuições para a cultura nacional.[9] A sua gestão ainda foi marcada pelas grandes estruturas físicas implementadas como os campi atuais e o Hospital Universitário.

A instituição foi denominada Universidade da Bahia desde sua fundação em 1946 até 1950, nesse ano adotou a nomenclatura atual quando da federalização das unidades isoladas que compunham.[3][10] Em 1952, o brasão da Universidade foi criado pelo beneditino Paulo Lachenmayer, porém desenhado originalmente por Vitor Hugo Carneiro Lopes.[11]

Expansão universitáriaEditar

 
Mapa da Bahia com os municípios com campi existentes (amarelo escuro) e futuros (amarelo claro)

O antigo campus de Agronomia, em Cruz das Almas, foi cedido para a criação da então Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, já o antigo campus (Reitor Edgard Santos) de Barreiras serviu de criação para a Universidade Federal do Oeste da Bahia. Em agosto de 2011, foi anunciada a implementação de mais um campus da UFBA em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador e também está previsto a criação da Universidade Federal do Sudoeste da Bahia, a partir da estrutura já existente no campus Anísio Teixeira em Vitória da Conquista e a criação de um campus da UFBA no Subúrbio Ferroviário de Salvador e outro na Chapada Diamantina.[7]

ReconhecimentoEditar

A UFBA foi classificada no primeiro semestre de 2010, pelo Webometrics Ranking of World Universities, órgão da Espanha, bancado pela União Europeia e que avalia o volume do conteúdo da instituição na web e o impacto dessas publicações, como sendo a 16.ª universidade da América Latina, a 11.ª do Brasil, a sétima entre as universidades federais brasileiras e a 133.ª no quesito do volume de pesquisadores da universidade citados no Google Scholar.[12][13]

Em 2013, o QS World University Rankings classificou a UFBA como a 11.ª melhor universidade federal brasileira, bem como a 18.ª melhor universidade do país, tendo ocupado a 58.ª entre as instituições da América Latina.[14][15][16] Já em 2014, a UFBA caiu 15 posições no ranking das instituições da América Latina, ocupando o 73.º lugar.[17] Nesse mesmo ano, em novo estudo, foi classificada pela Center for World University Rankings como a 17.ª no ranking nacional — entre 18 universidades brasileiras — e na 967.ª posição mundial, dentre as mil relatadas.[18]

No ano de 2015, o QS World University Rankings classificou a UFBA em 62.º lugar entre as melhores da América Latina, elevando sua posição de 73.ª, em relação ao levantamento anterior e a décima entre as Universidades federais.[19]

Em 2016, o Center for World University Rankings, avaliando mil universidades a partir de indicadores como a qualidade de ensino, qualidade do corpo acadêmico, empregabilidade de ex-alunos, citações de pesquisas e patentes, colocaram a UFBA como a melhor universidade do Norte-Nordeste e em 962.º lugar na lista mundial, assim como na 15.º posição no ranking nacional entre as 17 entidades melhor avaliadas no país.[20][21] Na edição de 2018-2019, as posições foram a terceira melhor universidade do Norte-Nordeste, 20.ª nacionalmente e 985.ª no mundo.[6]

Quadro-síntese de posições da UFBA em classificações internacionais de universidades
Classificador Ano Mundo América Latina Brasil Nordeste
Webometrics Ranking of World Universities 2008[13] 751.ª 18.ª
2009[13] 555.ª 16.ª
QS World University Rankings 2013[22] 58.ª 18.ª 2.ª
2014[23] 73.ª 18.ª 2.ª
2015[24] 62.ª 18.ª 2.ª
2016[25] 69.ª 18.ª 2.ª
2018[26] 66.ª 19.ª 3.ª
Center for World University Rankings 2016[20][21] 962.ª 15.ª 1.ª
2018-2019[6] 985.ª 20.ª 3.ª

EstruturaEditar

 
Salão Nobre da Reitoria da Universidade Federal da Bahia em Salvador

Estrutura administrativaEditar

 
Atual reitor da UFBA Dr. João Carlos Salles (esquerda) com Jaques Wagner, ex-governador da Bahia.

A UFBA é administrada pelos seguintes setores os quais têm por objetivo gerir a política universitária da instituição, a saber:[27]

Conselhos superiores
  • Conselho Universitário
  • Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão
  • Conselho Acadêmico de Ensino
  • Conselho Acadêmico de Pesquisa e Extensão
  • Assembleia Universitária
  • Conselho de Curadores
Administração central
  • Reitoria
  • Gabinete do Reitor
  • Vice-Reitoria
  • Pró-Reitoria de Ensino de Graduação
  • Pró-Reitoria de Pesquisa, Criação e Inovação (PROPCI)
  • Pró-Reitoria de Ensino de Pós Graduação (PROPG)
  • Pró-Reitoria de Extensão
  • Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento
  • Pró-Reitoria de Administração
  • Pró-Reitoria de Desenvolvimento de Pessoas
  • Pró-Reitoria de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil
  • Superintendência de Administração Acadêmica (SUPAC)
  • Superintendência de Meio Ambiente e Infraestrutura (SUMAI)
  • Superintendência de Educação a Distância
  • Superintendência de Avaliação e Desenvolvimento Institucional (SUPAD)
  • Superintendência de Tecnologia da Informação (STI)
  • Assessoria de Tecnologia da Informação
  • Assessoria para Assuntos Internacionais
  • Assessoria de Comunicação Institucional
  • Ouvidoria Geral da UFBA
  • Serviço de Informação ao Cidadão (SIC)

Estrutura físicaEditar

A UFBA possui atualmente quatro campi: o campus Federação, o campus Ondina, o campus Canela (onde fica a reitoria), em Salvador; o campus Anísio Teixeira, em Vitória da Conquista, o campus Camaçari, além de unidades dispersas.

Já as unidades universitárias totalizam 31,[28] e estão divididas em escolas, faculdades e institutos universitários.[29] Abaixo estão listadas as unidades.

Escolas
 
Núcleo de Atendimento ao Aluno da Faculdade de Direito da UFBA
Faculdades
 
Fachada do prédio histórico da Faculdade de Medicina da Bahia, fundada em 1808, localizado no Terreiro de Jesus.
 
Faculdade de Odontologia
Institutos
 
Instituto das Ciências da Informação da UFBA

Além desses órgãos, há os órgãos suplementares, listados abaixo.

 
Museu de Arqueologia e Etnologia da UFBA
  • Sistema Universitário de Bibliotecas
  • Sistema Universitário de Saúde
  • Sistema Universitário de Museus
  • Sistema Universitário Editorial
  • Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO)
  • Centro de Estudos Baianos (CEB)
  • Centro de Estudos e Terapia de Abuso de Drogas (CETAD)
  • Centro de Pesquisa em Geofísica e Geologia
  • Centro de Recursos Humanos (CRH)
  • Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD)
  • Coordenadoria de Controle Interno
  • Escola Oficina de Salvador
  • Memorial de Medicina
  • Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (NEIM)
  • Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (NIMA)
  • Procuradoria Federal Junto à UFBA
  • Secretaria dos Conselhos Superiores

Como equipamentos culturais há o Teatro Martim Gonçalves e a Sala de Arte da UFBA. Esta é uma sala de cinema localizada no câmpus Canela, próximo a faculdade de Educação da UFBA. Possui uma sala de cinema aberta ao público geral e com descontos para alunos e professores da UFBA.

Política de permanênciaEditar

A Universidade Federal da Bahia possui vários programas voltados para o melhoramento da vida estudantil nas instalações da universidade e programas de permanência estudantil para alunos de baixa renda. Dentre estes programas podemos citar o BUZUFBA, o programa de bolsa permanência em parceria com o governo federal, complexos de residências universitárias estudantis para alunos oriundos de outras cidades.

BUZUFBAEditar

O BUZUFBA atualmente possui 5 linhas totalmente gratuitas que circulam desde 2012, entre as unidades universitárias principais em torno dos campus Ondina, Canela, Federação além do Hospital Universitário Professor Edgard Santos, assim atendendo a necessidade de vários estudantes que cursam período integral e precisam circular entre as unidades de ensino durante as aulas.[30]

Porém o programa vem recebendo inúmeras críticas dos alunos, devido á falta de fiscalização da entrada de usuários não qualificados como estudantes da UFBA, assim ocasionando a insegurança em relação a assaltos e a superlotação.[31]

Unidades de moradias universitáriasEditar

A UFBA possui em Salvador, quatro complexos de moradias localizas ao redor dos câmpus da universidade. São elas a Residência Universitária n.º 01, no Corredor da Vitória; a Residência Universitária n.º 02, no bairro da Vitória; a Residência Universitária n.º 03, no bairro da Graça; e a Residência Universitária Estudante Frederico Perez Rodrigues Lima, na Avenida Anita Garibaldi.

O tempo de permanência nas unidades de moradia universitárias é equivalente até ao tempo máximo do curso indicado pelo respectivo código do Projeto Político-Pedagógico definido pela Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD) da UFBA.

Durante o tempo de permanência, o(a) residente é assistido pelo auxílio café da manhã, serviço de alimentação (almoço e jantar no restaurante universitário), disponibilidade itinerário nas proximidades das Residências do fornecimento de ônibus gratuito através do Buzufba, bem como o atendimento psicossocial, a gestão de saúde e orientação pedagógica aos residentes.[32]

Forma de ingressoEditar

A partir do primeiro semestre de 2014, os novos alunos que desejem ingressar nos os cursos de graduação da Universidade Federal da Bahia serão selecionados pelo Sistema de Seleção Unificada (SISU), após realizarem a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). A decisão para a entrada da UFBA no sistema unificado do Ministério da Educação e Cultura (MEC) foi tomada em votação que aconteceu durante a reunião do Conselho Acadêmico de Ensino (CAE), realizada 19 de junho de 2013 na Sala dos Conselhos, na Reitoria da Universidade.[33]

Os cursos que requerem comprovação de habilidade específica podem ter uma avaliação adicional, o que ainda está será analisado pelas respectivas unidades de ensino. Desde 2009, a UFBA já adotava o ENEM como única prova de seleção aos Bacharelados Interdisciplinares (BI) e no vestibular 2013, já tinha adotado para a primeira fase dos Cursos de Progressão Linear (CPL), mas manteve seu processo seletivo para a segunda etapa.[34]

Em 2014 a UFBA recebeu 129 mil inscritos para concorrer a 5.938 vagas disponíveis no primeiro semestre de 2014, ficando entre as cinco primeiras universidades com maior número de inscrições. Em 2015 outro recorde na universidade: quase 200 mil inscritos concorrendo por 4564 vagas (número menor de vagas em relação a 2014).[35]

Historicamente os cursos mais concorridos com as maiores notas de corte via SISU: medicina, engenharia mecânica, engenharia elétrica, engenharia civil, engenharia de computação, direito e engenharia química.[36]

Ver tambémEditar

Referências

  1. [1]
  2. [2]
  3. a b c «Um Breve Histórico da Criação da UFBA». Consultado em 24 de julho de 2016. Arquivado do original em 24 de julho de 2016 
  4. «As melhores universidades brasileiras, segundo o MEC». EXAME.com. 18 de dezembro de 2015. Consultado em 1 de fevereiro de 2016 
  5. «QS Latin American University Rankings 2019» (em inglês). Quacquarelli Symonds. Consultado em 16 de fevereiro de 2019 
  6. a b c «Top Universities in the World 2018-2019» (em inglês). CWUR. Consultado em 16 de fevereiro de 2019 
  7. a b Plano de Desenvolvimento Institucional 2012-2016
  8. «Decreto-lei 9155: Cria a Universidade da Bahia e dá outras providências». Consultado em 8 de outubro de 2010 
  9. - AVANT-GARDE NA BAHIA: Dissertação de mestrado apresentada por Antônio Risério Leite Lopes Filho em 1995. Orientador: Antônio Albino Canelas Rubin.
  10. «Decreto-lei 1254: Dispõe sobre o sistema federal de ensino superior.» 
  11. «Manual de Identidade Visual». Consultado em 27 de agosto de 2010 
  12. «Cópia arquivada». Consultado em 5 de maio de 2010. Arquivado do original em 21 de julho de 2011 
  13. a b c «UFBA está na lista 600 melhores universidades». Fundação de Apoio à Pesquisa e à Extensão. 23 de fevereiro de 2010. Consultado em 28 de fevereiro de 2010. Arquivado do original em 11 de outubro de 2010 
  14. «QS Latin University Rankings 2013». Consultado em 28 de maio de 2013 
  15. «Pela 3ª vez, USP lidera ranking das melhores universidades da América Latina». Consultado em 28 de maio de 2013 
  16. «USP lidera pelo 3º ano o ranking das universidades 'top' da América Latina». Consultado em 28 de maio de 2013 
  17. «Universidade Federal da Bahia Rankings». Top Universities (em inglês) 
  18. «UFBA está entre as melhores universidades do Brasil em 2014; confira ranking». Consultado em 30 de julho de 2014 
  19. «Melhores universidades da América Latina». Bahia Econômica. 16 de junho de 2015. Consultado em 16 de junho de 2015 
  20. a b Redação iBahia (12 de julho de 2016). «Ranking mundial coloca Ufba como melhor universidade do Nordeste». Correio. Consultado em 17 de julho de 2016 
  21. a b «Ranking mundial coloca UFBA como a melhor universidade do Nordeste brasileiro». Ufba Em Pauta. Universidade Federal da Bahia. 12 de julho de 2016. Consultado em 17 de julho de 2016 
  22. «QS Latin University Rankings 2013». Consultado em 28 de maio de 2013 
  23. «QS University Rankings: Latin America 2014». Top Universities (em inglês). 22 de maio de 2014 
  24. «QS University Rankings: Latin America 2015». Top Universities (em inglês). 28 de maio de 2015 
  25. «QS Latin American University Rankings 2016». Top Universities (em inglês). 5 de novembro de 2015 
  26. «QS Latin American University Rankings 2018». Top Universities (em inglês). 12 de outubro de 2017 
  27. Organograma da UFBA, com dados complementares no [3]
  28. «UFBA em Números» (PDF). Ano Base 2015. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  29. «Unidades Universitárias». www.ufba.br. Consultado em 28 de dezembro de 2016. Arquivado do original em 4 de novembro de 2014 
  30. «buzufba funcionamento em 2012» 
  31. «Estudantes da UFBA são assaltados em micro-ônibus da universidade». Bahia. Consultado em 3 de janeiro de 2016 
  32. «Residências Universítárias». Pró-Reitoria de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil. Consultado em 3 de janeiro de 2016 
  33. «UFBA SISU» 
  34. «UFBA vai adotar Sisu a partir de 2014». 19 de junho de 2013. Consultado em 17 de julho de 2016 
  35. «Sisu: apenas na Ufba, 129 mil inscritos disputam 6 mil vagas». www.ibahia.com. Consultado em 17 de julho de 2016 
  36. «UFBA SISU 2014 NOTAS DE CORTE» 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar