Abrir menu principal

União Geral de Trabalhadores

(Redirecionado de UGT)
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Disambig grey.svg Nota: Se procura a central sindical espanhola União Geral dos Trabalhadores, veja Unión General de Trabajadores.

A União Geral de Trabalhadores (UGT) MHIHMHM é uma Central Sindical de Portugal, foi fundada a 28 de outubro de 1978, em Lisboa.[1] A direção da UGT é tradicionalmente influenciada pelo PS e pelo PSD.[2]

A UGT representa Portugal, função partilhada com a CGTP, na Organização Internacional do Trabalho e na Confederação Europeia de Sindicatos (European Trade Union Confederation).[3]

Declaração de PrincípiosEditar

Na sua Declaração de Princípios, a UGT defende:

  • "a liberdade de constituição de organizações sindicais e a sua autonomia e independência em relação ao Estado, ao patronato, às confissões religiosas e aos partidos políticos ou a quaisquer outras associações de natureza política;
  • a participação activa dos trabalhadores em todos os conjuntos da actividade sindical, nomeadamente através da democratização das estruturas internas e da eleição dos órgãos estatutários das suas organizações sindicais, periodicamente e por voto secreto;
  • o exercício do direito de tendência enquanto meio de expressão politico-sindical".[4]

DirigentesEditar

PresidentesEditar

  • Miguel Pacheco (1979 a 1984)[1][5]
  • José Pereira Lopes[1]
  • Manuel António[1]
  • Manuela Teixeira (2000 a 2004)[1][6]
  • João Dias da Silva (2004 a 2009)[1][7]
  • João de Deus (2009 a 2013)
  • Lucinda Dâmaso (desde 2013)[8]

Secretários-geraisEditar

DistinçõesEditar

  • A 8 de junho de 2009, a União Geral de Trabalhadores foi agraciada com o grau de Membro-Honorário da Ordem do Mérito e a 27 de outubro de 2018, por ocasião do 40.º aniversário da sua fundação, foi agraciada com o grau de Membro-Honorário da Ordem do Infante D. Henrique.[11][12]

Referências

  1. a b c d e f g h Agência Lusa (25 de outubro de 2008). «UGT assina 30º aniversário com seminário internacional sobre desafios do movimento sindical». RTP. Consultado em 1 de novembro de 2018 
  2. Jair Rattner (24 de novembro de 2010). «Greve geral contra cortes paralisa principais serviços de Portugal». Lisboa: BBC Brasil. Consultado em 1 de novembro de 2018 
  3. Cristina Crisóstomo (1998). «Ligações internacionais das centrais sindicais». OBSERVARE - JANUS. Universidade Autónoma de Lisboa. p. 3. ISBN 972-8179-22-7. Consultado em 1 de novembro de 2018 
  4. «UGT». UGT. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  5. Agência Lusa (22 de fevereiro de 2017). «Sociedade : Morreu Miguel Pacheco, primeiro presidente da UGT». Semanário Expresso. Consultado em 2 de março de 2017 
  6. LUSA, Agência. «Manuela Teixeira deixa presidência da UGT e sindicalismo». RTP, Rádio e Televisão de Portugal. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  7. «João Dias da Silva vai deixar presidência da UGT». tvi24. 16 de março de 2009. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  8. Group, Global Media (5 de março de 2013). «UGT vai ter de novo uma mulher na presidência». DN. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  9. Martins, Raquel. «João Proença deixa UGT em clima de alta tensão com o Governo». PÚBLICO. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  10. Group, Global Media (21 de abril de 2013). «Carlos Silva eleito secretário-geral da UGT com 89% dos votos». JN. Consultado em 17 de agosto de 2018 
  11. «Entidades Nacionais Agraciadas com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "União Geral de Trabalhadores". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 23 de janeiro de 2019 
  12. «Destaques». Presidência da República Portuguesa. Consultado em 7 de novembro de 2018 

Ligações externasEditar