USS New Jersey (BB-62)

O USS New Jersey (BB-62) é um couraçado da Classe Iowa e o segundo navio da Marinha dos Estados Unidos a ser nomeado em homenagem ao estado de Nova Jérsei. O New Jersey ganhou mais estrelas de serviço por suas ações em combate do que os outros três navios completados de sua classe, sendo também o único couraçado norte-americano a fornecer apoio de fogo durante a Guerra do Vietnã.

USS New Jersey
New Jersey Sails.jpg
 Estados Unidos
Operador Marinha dos Estados Unidos
Fabricante Estaleiro Naval da Filadélfia
Homônimo Nova Jérsei
Batimento de quilha 16 de setembro de 1940
Lançamento 7 de dezembro de 1942
Comissionamento 23 de maio de 1943
Descomissionamento 30 de junho de 1948
Recomissionamento 21 de novembro de 1950
Descomissionamento 21 de agosto de 1957
Recomissionamento 6 de abril de 1968
Descomissionamento 17 de dezembro de 1969
Recomissionamento 28 de dezembro de 1982
Descomissionamento 8 de fevereiro de 1991
Número de registro BB-62
Estado Navio-museu
Emblema do navio
USS New Jersey COA.png
Características gerais (como construído)
Tipo de navio Couraçado
Classe Iowa
Deslocamento 59 065 t (carregado)
Maquinário 4 turbinas a vapor
8 caldeiras
Comprimento 270,54 m
Boca 32,95 m
Calado 11,51 m
Propulsão 4 hélices
- 212 000 cv (156 000 kW)
Velocidade 33 nós (61 km/h)
Autonomia 14 890 milhas náuticas a 15 nós
(27 580 km a 28 km/h)
Armamento 9 canhões de 406 mm
20 canhões de 127 mm
80 canhões de 40 mm
49 canhões de 20 mm
Blindagem Cinturão: 307 mm
Convés: 152 mm
Torres de artilharia: 495 mm
Barbetas: 295 a 439 mm
Anteparas: 287 mm
Aeronaves 3 hidroaviões
Tripulação 1 921
Características gerais (após modernização)
Armamento 9 canhões de 406 mm
12 canhões de 127 mm
32 BGM-109 Tomahawk
16 AGM-84 Harpoon
4 Phalanx CIWS de 20 mm
Aeronaves 5 veículos aéreos não tripulados
Tripulação c. 1 800

O New Jersey alvejou alvos em Guam e Okinawa durante a Segunda Guerra Mundial, também protegendo porta-aviões enquanto realizavam ataques contra as Ilhas Marshall. Ele foi envolvido durante a Guerra da Coreia em ataques por toda a costa da Coreia do Norte, posteriormente sendo descomissionado para a reserva naval da marinha, mais conhecida como a "frota naftalina". O navio foi brevemente reativado em 1968 e enviado para o Vietnã para apoiar as tropas norte-americanas, porém voltou para a reserva naval no ano seguinte. O New Jersey foi reativado novamente na década de 1980 como parte de um programa do governo para a marinha, sendo modernizado para carregar mísseis e recomissionado no serviço. A embarcação participou das operações americanas na Guerra Civil Libanesa em 1983.

Ele foi descomissionado pela última vez em 1991 após 21 anos de serviço ativo, tendo recebido uma Comenda de Unidade da Marinha pelo serviço no Vietnã e dezenove estrelas de batalha e campanha por suas ações de combate na Segunda Guerra, Guerra da Coreia, Guerra do Vietnã, Guerra Civil Libanesa e na Guerra do Golfo. Depois de mais um breve período na frota naftalina, o New Jersey foi doado para o Home Port Alliance em Camden, Nova Jérsei, e começou em 2001 sua carreira como navio-museu.

ConstruçãoEditar

New Jersey foi um dos navios de batalha rápidos classe Iowa planejado em 1983 pelo Preliminary Design Branch no Campo de Construção e Reparos. Ele foi lançado em 12 de dezembro de 1942 e comissionado em 23 de maio de 1943. O barco foi o segundo da classe Iowa a ser comissionado pela Marinha dos Estados Unidos.[1] O barco foi batizado em seu lançamento por Carolyn Edison, esposa do governador Charles Edison (1890-1969) da Nova Jersey, ela própria sendo secretária da Marinha; e comissionado na Filadélfia em 23 de maio de 194, com o capitão Carl F. Holden no comando.[2]

A bateria principal do New Jersey consistia em três torres de canhões triplos, que disparavam projécteis de calibre 16"/50 Mark 7, que podiam atirar projécteis perfuradoras de blindagem de 1.225 kg até 37 km de distância. Sua bateria secundária consistia de vinte canhões duplos de calibre 5"/38 em para uso contra objetos aéreos, terrestres e marinhos, que podia acertar alvos a 14 km de distância. Com o avanço do poder aéreo e a necessidade de ganhar e manter superioridade aérea e a proteção de navios e porta-aviões aliados, o New Jersey foi equipado com canhões antiaéreos Oerlikon 20 mm e Bofors 40 mm. Quando reativado em 1968, o New Jersey teve seus canhões de 20 mm e 40 mm removidos e adaptados para uso de navios de bombardeio pesado. Quando reativado em 1982, o Nova Jersey teve quatro peças duplas de calibres 5"/38 uso removidos. Ele foi equipado com quatro montagens Phalanx CIWS para proteção contra mísseis e aviões, e oito Caixas de Lançamento Blindadas e oito lançadores de foguetes quádruplos feitos para lançar mísseis Tomahawk e mísseis Harpoon, respectivamente.[3]

Diferente dos outros navios classe Iowa, o New Jersey foi nomeado pelo presidente dos Estados Unidos Franklin D. Roosevelt para pagar um debto político, para o então governador da Nova Jérsei Charles Edison. Durante seu tempo no departamento da Marinha, Edison empurrou a construção dos Iowas, e para construir um no Philadelphia Naval Shipyard, que arrumou votos para Roosevelt na Pensilvânia e Nova Jérsei na eleição presidencial de 1940.[4]

Referências

  1. «Naval Vessel Register» (em inglês). Marinha dos Estados Unidos. Consultado em 16 de março de 2007. Arquivado do original em 14 de junho de 2016 
  2. «História do USS New Jersey (BB 62)». Dictionary of American Naval Fighting Ships (em inglês). Marinha dos Estados Unidos. Consultado em 16 de março de 2007 
  3. Johnston, Ian & McAuley, Rob (2002). The Battleships (em inglês). Lonres: Channel 4 Books (an imprint of Pan Macmillan, LTD). p. 120. ISBN 0752261886 
  4. Comegno, Carol. "Historian details the role politics played in battleship's creation" Arquivado 2013-01-02 na Archive.today, Courier-Post, 6 de janeiro de 2000. Visitado em 27 de maio de 2007.

Ligações externasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre USS New Jersey (BB-62)