USS Wichita (CA-45)

O USS Wichita foi um cruzador pesado operado pela Marinha dos Estados Unidos. Ele originalmente seria um membro da Classe New Orleans, porém seu projeto foi muito alterado antes do início da construção.[1] Suas obras começaram em outubro de 1935 no Estaleiro Naval da Filadélfia e foi lançado ao mar em novembro de 1937, sendo comissionado na frota norte-americana em fevereiro de 1939. Era armado com uma bateria principal composta por nove canhões de 203 milímetros montados em três torres de artilharia triplas,[2] tinha um deslocamento carregado de pouco mais de treze mil toneladas e conseguia alcançar uma velocidade máxima de 33 nós (61 quilômetros por hora).[3]

USS Wichita
USS Wichita CA-45.jpg
 Estados Unidos
Operador Marinha dos Estados Unidos
Fabricante Estaleiro Naval da Filadélfia
Homônimo Wichita
Batimento de quilha 28 de outubro de 1935
Lançamento 16 de novembro de 1937
Comissionamento 16 de fevereiro de 1939
Descomissionamento 3 de fevereiro de 1947
Número de registro CA-45
Destino Desmontado
Características gerais
Tipo de navio Cruzador pesado
Deslocamento 13 224 t (carregado)
Maquinário 4 turbinas a vapor
8 caldeiras
Comprimento 185,42 m
Boca 18,82 m
Calado 7,24 m
Propulsão 4 hélices
- 100 000 cv (73 600 kW)
Velocidade 33 nós (61 km/h)
Autonomia 10 000 milhas náuticas a 15 nós
(19 000 km a 28 km/h)
Armamento 9 canhões de 203 mm
8 canhões de 127 mm
25 canhões de 40 mm
18 canhões de 20 mm
Blindagem Cinturão: 160 mm
Convés: 57 mm
Torres de artilharia: 203 mm
Torre de comando: 150 mm
Aeronaves 4 hidroaviões
Tripulação 929

O Wichita patrulhou o Oceano Atlântico antes dos Estados Unidos entrarem na Segunda Guerra Mundial, com ele sendo inicialmente designado para escoltar comboios para a União Soviética no início de 1942 e depois para apoiar a invasão Aliada do Norte da África no final do ano. O cruzador foi transferido para a Guerra do Pacífico no ano seguinte, onde permaneceu até o fim do conflito. O Wichita fez parte da escolta de uma força tarefa de porta-aviões, frequentemente proporcionando defesa antiaérea, também tendo participado da Batalha do Mar das Filipinas e da Batalha do Golfo de Leyte, ambas em 1944. Nesta última, o Wichita ajudou a afundar o porta-aviões japonês Chiyoda.[4]

A embarcação esteve muito envolvida na Batalha de Okinawa em 1945, proporcionando grande apoio de artilharia para as tropas norte-americanas em terra. O Japão se rendeu em agosto e o Wichita foi um dos primeiros navios de guerra que chegaram no Japão como parte da força de ocupação. Em seguida foi designado para transportar soldados norte-americanos de volta para casa, realizando duas viagens desse tipo até fevereiro de 1946. O cruzador foi colocado na reserva em julho e depois descomissionado em fevereiro de 1947. O Wichita permaneceu na Frota de Reserva do Atlântico até março de 1959, quando foi removido do registro naval e vendido para desmontagem.[4]

Referências

  1. Terzibaschitsch 1984, p. 129
  2. Campbell 1985, p. 129
  3. Gardiner & Chesneau 1980, p. 117
  4. a b «Wichita I (CA-45)». Dictionary of American Naval Fighting Ships. Naval History and Heritage Command. Consultado em 15 de fevereiro de 2021 

BibliografiaEditar

  • Campbell, John (1985). Naval Weapons of World War II. Londres: Conway Maritime Press. ISBN 0-87021-459-4 
  • Gardiner, Robert; Chesneau, Roger (1980). Conway's All the World's Fighting Ships, 1922–1946. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0-87021-913-9 
  • Terzibaschitsch, Stefan (1984). Cruisers of the US Navy 1922–1962. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-974-X 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.