Underground comix

Underground comix foi um movimento artístico norte-americano da década de 60 na área das histórias em quadrinhos. O movimento foi uma reação à censura promovida pela Comics Code Authority,[1][2] a qual fornecia um selo de admissibilidade apenas aos quadrinhos com temática própria para crianças, isto é, não contendo, entre outros temas, violência e erotismo. O Underground comix foi, portanto, um movimento de quadrinhos para adultos, quadrinhos que abordavam precisamente os temas proibidos pela Comics Code Authority.[3]

OZ London, No.33, fevereiro de 1971; arte de Norman Lindsay

Robert Crumb, Gilbert Shelton, Barbara "Willy" Mendes, Trina Robbins e vários outros cartunistas criaram títulos underground populares entre os leitores da contracultura. O punk tinha seus próprios quadrinhos, como Gary Panter. Muito depois de seu apogeu, o underground comix ganhou destaque com filmes e programas de televisão influenciados pelo movimento e com os quadrinhos populares, mas seu legado é mais óbvio com os quadrinhos alternativos.[3]

Referências

  1. Reed, Patrick A. «61 Years Ago Today: The Adoption of the Comics Code Authority». ComicsAlliance (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2021 
  2. Wolk, Douglas (24 de janeiro de 2011). «R.I.P.: The Comics Code Authority». Time (em inglês). ISSN 0040-781X. Consultado em 27 de setembro de 2021 
  3. a b «Underground Comix and Alternative Comics at Comixjoint.com». comixjoint.com. Consultado em 27 de setembro de 2021 

BibliografiaEditar

  • ESTREN, Mark James. A History of Underground Comics. Ronin Publishing. 1993. ISBN-13: 978-0914171645
  • ROSENKRANZ, Patrick. Rebel Visions: The Underground Comix Revolution. 2008. ISBN-13: 978-1560977063

Links externosEditar


  Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.