Abrir menu principal

Universidade Estadual de Londrina

universidade pública estadual em Londrina, Paraná
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Universidade Estadual de Londrina
UEL
Lema Avaliando o ontem, trabalhando hoje, planejando o amanhã
Fundação 28 de janeiro de 1970 (49 anos)
Tipo de instituição Pública estadual
Localização Londrina, Paraná, Brasil
Funcionários técnico-administrativos 5.680[1]
Reitor(a) Sérgio Carlos de Carvalho[2]
Vice-reitor(a) Décio Sabbatini Barbosa
Docentes 1.680
Total de estudantes 19.898
Graduação 15.875
Pós-graduação 5.315
Afiliações CRUB, RENEX e ABRUEM
Orçamento anual 700 mi[3]
Página oficial http://www.uel.br

A Universidade Estadual de Londrina (UEL) é uma instituição de ensino superior pública, localizada na cidade de Londrina, estado do Paraná, no Brasil. Famosa pela sua qualidade de ensino, é uma das maiores e principais universidades estaduais do Brasil, trazendo estudantes de todo o país.

Com mais de 40 anos de atuação plena, que soma sua tradição a uma reconhecida trajetória de excelência em ensino, pesquisa e extensão. Formada por uma comunidade universitária que reúne atualmente perto de 25 mil pessoas, entre docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos, a UEL coloca à disposição dos acadêmicos uma estrutura física localizada em Campus Universitário com área total de mais de 235 hectares e diversos órgãos de apoio e de serviços.

A UEL está divida atualmente em 9 Centros que oferecem 68 cursos de graduação, com cerca de 16 mil estudantes. Na pós-graduação são outros 213 cursos, com 4.900 estudantes. Em uma área construída com mais de 210 mil metros quadrados, estão salas de aulas, laboratórios, bibliotecas, restaurante, cantinas, área para esportes e lazer, e outras estruturas de ensino para proporcionar aos milhares de estudantes um ambiente acadêmico produtivo, confortável, crítico e prazeroso, que possibilite a formação de futuros profissionais de sucesso e cidadãos competentes e éticos.

Em 2013, foi classificada pelo ranking Webometrics Ranking of World Universities entre as 30 melhores universidades do país, entre as 50 da América Latina, e entre as 1000 melhores do mundo. Considerando as publicações científicas recentes, a universidade está na 158º posição mundial.[4] O QS World University Rankings, publicado pela revista britânica Times Higher Education (THE), classificou a UEL como a 5ª melhor instituição estadual do Brasil, e a melhor do Paraná.

Índice

HistóriaEditar

Criada pelo Decreto nº 18.110, de 28 de janeiro de 1970, a UEL foi organizada a partir da junção de cinco faculdades:

  • Faculdade Estadual de Direito de Londrina – Criada em 1956, passou a funcionar em 1958.
  • Faculdade Estadual de Filosofia, Letras de Londrina – Criada em 1956, passou a funcionar em 1958.
  • Faculdade Estadual de Odontologia de Londrina – Criada em 1962.
  • Faculdade de Medicina do Paraná – Criada em 1967, passou a funcionar em 1968. Abrigava o curso de Medicina, criando logo depois os cursos de Ciências Biomédicas e Farmácia e Bioquímica.
  • Faculdade Estadual de Ciências Econômicas e Contábeis de Londrina – Criada em 1966, passou a funcionar em 1968.

Iniciou suas atividades com um total de 13 cursos de graduação: História, Geografia, Letras Anglo-Portuguesas e Letras Franco-Portuguesas, Pedagogia, Ciências (1º Grau), Direito, Odontologia, Medicina, Farmácia e Bioquímica, Ciências Biomédicas, Ciências Econômicas e Administração.

A Universidade foi reconhecida em 6 de outubro de 1975 pelo Decreto Federal 69.224/75. Somente em 1984 foi instaurada a gratuidade dos cursos da instituição e, em 1991, a UEL se transformou em autarquia estadual.

Desde a sua fundação, a Universidade já teve 12 reitores: Ascêncio Garcia Lopes (1973–1974); Oscar Alves (1974–1978); José Carlos Pinotti (1978–1982); Marco Antonio Fiori (1982–1986); Jorge Bounassar Filho (1986–1990); João Carlos Thomson (1990–1994); Jackson Proença Testa (1994–1998/1998–2001); Pedro Alejandro Gordan (2001–2002); Lygia Lumina Pupatto (2002–2006), Wilmar Sachetin Marçal (2006–2010), Nádina Aparecida Moreno (2010–2014) e Berenice Quinzani Jordão (2014-2018).

Em 2004 a Universidade Estadual de Londrina, por reivindicação do Movimento Negro local, adota o sistema de cotas raciais e sociais.

Referências

  1. «PROPLAN - PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO - Portal PROPLAN». uel.br. Consultado em 24 dezembro 2016 
  2. Gabinete UEL
  3. «ACIL - Associação Comercial e Industrial de Londrina». acil.com.br. Consultado em 24 dezembro 2016 
  4. «Ranking Web Universities». Consultado em 02 de fevereiro de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar