Universidade Federal do Oeste do Pará

universidade pública federal em Santarem, Pará

Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) é uma instituição de ensino superior pública federal brasileira, sediada na cidade de Santarém, Pará, com campus nas cidades de Juruti, Oriximiná, Itaituba, Monte Alegre, Óbidos e Alenquer. Criada em 5 de novembro de 2009, através da lei Nº. 12.085/2009, a UFOPA, nasceu a partir do desmembramento do campus Santarém da Universidade Federal do Pará (UFPA), e da unidade descentralizada do Tapajós da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).

Universidade Federal do Oeste do Pará
Universidade Federal do Oeste do Pará
UFOPA
Lema Natura Homo et Progressio
Fundação Como NES: 14 de outubro de 1970 (53 anos);
como UFOPA: 5 de novembro de 2009 (14 anos)
Tipo de instituição Pública e Federal
Localização Santarém, Pará Pará
Funcionários técnico-administrativos 609
Reitor(a) Aldenize Ruela Xavier
Vice-reitor(a) Aldenize Ruela Xavier
Docentes 511
Total de estudantes 10.700 (previsão)
Campi Santarém
Itaituba
Monte Alegre
Alenquer
Oriximiná
Óbidos
Juruti
Orçamento anual 133 213 565,57 (Exercício de 2015)[1]
Página oficial www.ufopa.edu.br

A UFOPA possui duas unidades na cidade de Santarém, sendo a principal o Campus Tapajós, localizado na Rua Vera Paz, s/n, bairro Salé, onde fica a reitoria da universidade, e é onde se concentra grande parte das turmas de graduação e pós graduação. Além do campus Tapajós, a universidade tem o campus Rondon (antigo campus da UFPA Santarém), localizado na Avenida Marechal Rondon, bairro de Aparecida. O antigo campus Amazônia, situado em logradouro alugado localizado na Avenida Mendonça Furtado, bairro de Fátima, foi desocupado pela Universidade com a conclusão de novos prédios nos campi Tapajós e Rondon.

Histórico editar

Precedeu a formação da UFOPA a instalação em 14 de outubro de 1970 do "Núcleo de Educação em Santarém" (NES), sob responsabilidade da Universidade do Pará (atual UFPA). Em 1971 passou a ser ofertado o curso de licenciatura de curta duração, prosseguindo até 1973. A principio o NES funcionou na Escola Estadual Álvaro Adolfo da Silveira.

No ano de 1980, o NES foi reativado ofertando a complementação dos estudos existentes anteriormente e iniciando novas turmas de licenciatura curta entre 1980 e 1983.[2]

Posteriormente a prefeitura de Santarém cedeu à UFPA o prédio da escola municipal “Everaldo de Souza Martins”. A Universidade, a partir de então, iniciou novas turmas de licenciatura curta que se estendeu até 1983. A partir deste ano, por meio de um convênio com a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia, deu-se início ao curso de Licenciatura Plena em Pedagogia em caráter permanente.[3] Em 1994 converteu-se o NES em "Campus da UFPA em Santarém", recebendo novos cursos.[2]

A segunda unidade acadêmica precursora da UFOPA, a "Unidade Descentralizada/Pólo Tapajós", foi uma iniciativa da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). Implantada em 2003 no município de Santarém, começou ofertando uma turma do curso de Engenharia Florestal; passou a ofertar logo depois também Zootecnia e Agronomia.[4]

A UFOPA foi criada oficialmente no dia 5 de novembro de 2009, a partir da sanção da lei Nº. 12.085, pelo então vice-presidente José Alencar.[5] Quando da data de criação, a universidade era a primeira instituição pública de ensino superior fora da capital do estado (Belém), sendo a primeira do interior da Amazônia, na cidade de Santarém.[6]

Por determinação do Ministério da Educação foi por quatro anos, após sua criação, tutorada por sua instituição-mãe, a UFPA; no ano de 2013 passou a ter autonomia plena.

A Universidade faz parte da proposta de expansão da rede federal de ensino superior, e faz parte de um acordo de cooperação técnica firmado entre o Ministério da Educação (MEC) e a Universidade Federal do Pará, na qual prevê a ampliação do ensino superior na Amazônia, descentralizando a educação superior das capitais.

Curso de Formação Interdisciplinar (CFI) editar

O vestibular da Universidade Federal do Oeste do Pará é realizado através da seleção de notas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), onde o candidato necessita efetuar inscrição no ENEM, no ano do atual ou certame ou no ano anterior. A classificação é feita a partir das notas e das opções de cotas pelos candidatos, sendo selecionadas as maiores notas de cada opção de cota, levando em relação o ano atual e o anterior dos inscritos.

Após aprovado na universidade, todos os estudantes novos passam por um ciclo de nivelamento, chamado Curso de Formação Interdisciplinar I;[6] o CFI I, é a formação comum que todos os estudantes passam ao entrar na universidade, sendo obrigatório mesmo para aqueles que entram por mobilidade acadêmica (vestibulinho). O CFI é constituído de 8 disciplinas/módulos (2013), e corresponde ao primeiro semestre do graduando.

Institutos e Programas editar

Após o fim do primeiro semestre é realizado um exame, para avaliar o grau de aprendizado dos estudantes, e a partir disso os estudantes optam por um dos cinco institutos da universidade, não sendo vaga garantida no instituto de escolha, a classificação para um dos institutos depende do desempenho do estudante no CFI, a partir da média das disciplinas realizadas, chamada IDA (Índice de Desempenho Acadêmico).

A universidade é composta por 5 institutos, que podem ser escolhidos pelos estudantes após cursado o primeiro semestre, correspondente ao CFI I, após passado esse semestre de acordo com a nota obtida no IDA, o aluno poderá optar pelos seguintes institutos e cursos:

Centro de Formação Interdisciplinar (CFI)[7] editar

  • Formação Interdisciplinar I
  • Formação Interdisciplinar II

Instituto de Biodiversidade e Florestas (IBEF) editar

Instituto de Ciências da Educação (ICED) editar

Instituto de Ciências da Sociedade (ICS) editar

Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA) editar

Instituto de Engenharia e Geociências (IEG) editar

Instituto de Saúde Coletiva (ISCO) editar

Programa de Arqueologia e Antropologia (PAA) editar

Programa de Biodiversidade e Florestas (PBF) editar

Programa de Computação (PC) editar

Programa de Ciências Agrárias (PCA) editar

Programa de Ciências da Terra (PCdT) editar

Programa de Ciências Econômicas e Desenvolvimento Regional (PCEDR) editar

Programa de Ciências Exatas (PCE) editar

Programa de Ciências Humanas (PCH) editar

Programa de Ciências Jurídicas editar

Programa de Ciências Naturais editar

Programa de Ciência e Tecnologia editar

Programa de Educação editar

Programa de Letras editar

Referências

  1. «Gastos Diretos por Órgão Executor em 2015: UFOPA». Portal da Transparência. Consultado em 13 de junho de 2016 
  2. a b FURTADO, Maria Marlene Escher. (coord.). Plano de Gestão 2007 – 2010 - Campus Universitário de Santarém/UFPA
  3. Histórico do Campus de Santarém - Portal UFPA Campus Santarém
  4. GOMES, Izabel Cristina Colares. O processo de criação de uma universidade para a Amazônia: os bastidores da construção da UFOPA. 2011. 152 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Belém, 2011. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido.
  5. [1]
  6. a b Histórico da UFOPA - Portal UFOPA
  7. «SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas». sigaa.ufopa.edu.br. Consultado em 24 de abril de 2016 

Ligações externas editar