Abrir menu principal

Universidade Federal do Oeste do Pará

universidade pública federal em Santarem, Pará
Universidade Federal do Oeste do Pará
UFOPA
Lema Natura Hominis et Progressio
Fundação Como NES: 14 de outubro de 1970 (48 anos);
como UFOPA: 5 de novembro de 2009 (9 anos)
Tipo de instituição Pública e Federal
Localização Santarém, Pará Pará
Funcionários técnico-administrativos 332 (previsão)
Reitor(a) Hugo Alex Carneiro Diniz
Vice-reitor(a) Aldenize Ruela Xavier
Docentes 432 (previsão)
Total de estudantes 10.700 (previsão)
Campus Santarém
Itaituba
Monte Alegre
Alenquer
Oriximiná
Óbidos
Juruti
Orçamento anual 133 213 565,57 (Exercício de 2015)[1]
Página oficial www.ufopa.edu.br

Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) é uma instituição de ensino superior pública federal brasileira, sediada na cidade de Santarém, Pará, com campus nas cidades de Juruti, Oriximiná, Itaituba, Monte Alegre, Óbidos e Alenquer. Criada em 5 de novembro de 2009, através da lei Nº. 12.085/2009, a UFOPA, nasceu a partir do desmembramento do campus Santarém da Universidade Federal do Pará (UFPA), e da unidade descentralizada do Tapajós da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).

A UFOPA possui três unidades na cidade de Santarém, sendo a principal o Campus Tapajós, localizado na Rua Vera Paz, s/n, bairro Salé, onde fica a reitoria da universidade, e é onde se concentra grande parte das turmas de graduação e pós graduação. Além do campus Tapajós, a universidade tem o campus Rondon (antigo campus da UFPA Santarém), localizado na Avenida Marechal Rondon, bairro de Aparecida, e o campus Amazônia, localizado na Avenida Mendonça Furtado, bairro de Fátima, onde funciona a Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (PROEN).

Índice

HistóricoEditar

Precedeu a formação da UFOPA a instalação em 14 de outubro de 1970 do "Núcleo de Educação em Santarém" (NES), sob responsabilidade da Universidade do Pará (atual UFPA). Em 1971 passou a ser ofertado o curso de licenciatura de curta duração, prosseguindo até 1973. A principio o NES funcionou na Escola Estadual Álvaro Adolfo da Silveira.

No ano de 1980, o NES foi reativado ofertando a complementação dos estudos existentes anteriormente e iniciando novas turmas de licenciatura curta entre 1980 e 1983.[2]

Posteriormente a prefeitura de Santarém cedeu à UFPA o prédio da escola municipal “Everaldo de Souza Martins”. A Universidade, a partir de então, iniciou novas turmas de licenciatura curta que se estendeu até 1983. A partir deste ano, por meio de um convênio com a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia, deu-se início ao curso de Licenciatura Plena em Pedagogia em caráter permanente.[3] Em 1994 converteu-se o NES em "Campus da UFPA em Santarém", recebendo novos cursos.[2]

A segunda unidade acadêmica precursora da UFOPA, a "Unidade Descentralizada/Pólo Tapajós", foi uma iniciativa da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA). Implantada em 2003 no município de Santarém, começou ofertando uma turma do curso de Engenharia Florestal; passou a ofertar logo depois também Zootecnia e Agronomia.[4]

A UFOPA foi criada oficialmente no dia 5 de novembro de 2009, a partir da sanção da lei Nº. 12.085, pelo então vice-presidente José Alencar.[5] Quando da data de criação, a universidade era a primeira instituição pública de ensino superior fora da capital do estado (Belém), sendo a primeira do interior da Amazônia, na cidade de Santarém.[6]

Por determinação do Ministério da Educação foi por quatro anos, após sua criação, tutorada por sua instituição-mãe, a UFPA; no ano de 2013 passou a ter autonomia plena.

A Universidade faz parte da proposta de expansão da rede federal de ensino superior, e faz parte de um acordo de cooperação técnica firmado entre o Ministério da Educação (MEC) e a Universidade Federal do Pará, na qual prevê a ampliação do ensino superior na Amazônia, descentralizando a educação superior das capitais.

Curso de Formação Interdisciplinar (CFI)Editar

O vestibular da Universidade Federal do Oeste do Pará é realizado através da seleção de notas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), onde o candidato necessita efetuar inscrição no ENEM, no ano do atual ou certame ou no ano anterior. A classificação é feita a partir das notas e das opções de cotas pelos candidatos, sendo selecionadas as maiores notas de cada opção de cota, levando em relação o ano atual e o anterior dos inscritos. Após aprovado na universidade, todos os estudantes novos passam por um ciclo de nivelamento, chamado Curso de Formação Interdisciplinar I;[6] o CFI I, é a formação comum que todos os estudantes passam ao entrar na universidade, sendo obrigatório mesmo para aqueles que entram por mobilidade acadêmica (vestibulinho). O CFI é constituído de 8 disciplinas/módulos (2013), e corresponde ao primeiro semestre do graduando.

Institutos e ProgramasEditar

Após o fim do primeiro semestre é realizado um exame, para avaliar o grau de aprendizado dos estudantes, e a partir disso os estudantes optam por um dos cinco institutos da universidade, não sendo vaga garantida no instituto de escolha, a classificação para um dos institutos depende do desempenho do estudante no CFI, a partir da média das disciplinas realizadas, chamada IDA (Índice de Desempenho Acadêmico). A universidade é composta por 5 institutos, que podem ser escolhidos pelos estudantes após cursado o primeiro semestre, correspondente ao CFI I, após passado esse semestre de acordo com a nota obtida no IDA, o aluno poderá optar pelos seguintes institutos e cursos:

Centro de Formação Interdisciplinar (CFI)[7]Editar

  • Formação Interdisciplinar I
  • Formação Interdisciplinar II

Instituto de Biodiversidade e Florestas (IBEF)Editar

Instituto de Ciências da Educação (ICED)Editar

Instituto de Ciências da Sociedade (ICS)Editar

Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA)Editar

Instituto de Engenharia e Geociências (IEG)Editar

Instituto de Saúde Coletiva (ISCO)Editar

Programa de Arqueologia e Antropologia (PAA)Editar

Programa de Biodiversidade e Florestas (PBF)Editar

Programa de Computação (PC)Editar

Programa de Ciências Agrárias (PCA)Editar

Programa de Ciências da Terra (PCdT)Editar

Programa de Ciências Econômicas e Desenvolvimento Regional (PCEDR)Editar

Programa de Ciências Exatas (PCE)Editar

Programa de Ciências Humanas (PCH)Editar

Programa de Ciências JurídicasEditar

Programa de Ciências NaturaisEditar

Programa de Ciência e TecnologiaEditar

Programa de EducaçãoEditar

Programa de LetrasEditar

Referências

  1. «Gastos Diretos por Órgão Executor em 2015: UFOPA». Portal da Transparência. Consultado em 13 de junho de 2016 
  2. a b FURTADO, Maria Marlene Escher. (coord.). Plano de Gestão 2007 – 2010 - Campus Universitário de Santarém/UFPA
  3. Histórico do Campus de Santarém - Portal UFPA Campus Santarém
  4. GOMES, Izabel Cristina Colares. O processo de criação de uma universidade para a Amazônia: os bastidores da construção da UFOPA. 2011. 152 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Belém, 2011. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido.
  5. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L12085.htm
  6. a b Histórico da UFOPA - Portal UFOPA
  7. «SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas». sigaa.ufopa.edu.br. Consultado em 24 de abril de 2016 

Ligações externasEditar