Abrir menu principal

Wikipédia β

Uma torneira da década de 1960.

A torneira é uma válvula mecânica simples que se destina a regular (ou deter ou liberar) o fluxo de um fluido numa tubagem.

Índice

UsoEditar

Nas habitações a torneira ou libera ou impede a saída da água em banheiros, cozinhas, área de serviço, etc.

Diferencia-se do registo de água por permitir a saída de água para fora do dispositivo, e não apenas controlar o fluxo e pressão desta para dentro de um imóvel.

 
Funcionamento de uma torneira.

FuncionamentoEditar

 
Animação de uma torneira pingando.

A torneira tem um corpo unido à tubagem de água ou do fluido a controlar, por onde se efectua a alimentação. No interior há um dispositivo de obturação que consiste num eixo roscado que, accionado por um manípulo acessível do exterior, permite abri-la ou fechá-la, tendo como consequência o afastamento ou a aproximação de um disco de borracha, mais recentemente de cerâmica por sofrer muito menor desgaste, que obstrui ou permite a passagem do fluido para o tubo de saída.

Torneira termostáticaEditar

É uma torneira em que é possível regular a temperatura de saída da água rodando um manípulo. O tubo de saída é único não havendo separação entre água quente e fria. É uma torneira usada especialmente nas banheiras e nas cozinhas.

Torneiras automáticas / com sensor / eletrônicasEditar

Torneiras que podem ter apenas o fechamento, ou a abertura e o fechamento automatizados. No primeiro caso existem dois sistemas que fazem a temporização da torneira, o sistema mecânico onde o usuário pressiona um botão liberando o fluxo da água e uma mola retorna este botão à posição inicial interrompendo o fluxo. O sistema eletrônico que reconhece o toque do usuário e aciona uma eletro-válvula que libera o fluxo de água por tempo pré-definido. Já as torneiras totalmente automatizadas são apenas eletrônicas. Através de um sensor de presença que reconhece a proximidade das mãos do usuário, sem a necessidade de contato, o que é higiênico, a eletro-válvula é acionada e libera o fluxo de água. Estas porém não são temporizadas mantendo o fluxo durante a presença do usuário e interrompendo imediatamente após sua ausência. As torneiras com sensor já são utilizadas há muitos anos em locais onde é imperativo manter a higiene, como Lavatórios Médicos e Barreiras Sanitárias, porém com o imperativo da economia de água, sua utilização tornou-se obrigatória em instalações sanitárias de alto tráfego de pessoas.

A primeira torneira eletrônica de que se tem conhecimento foi mostrada ao público em 1985, em uma feira de Ciências na cidade de Umuarama (PR). O aluno Anisio Rodrigues dos Santos, juntamente com sua equipe de sala de aula, recebeu o troféu de 1º colocado geral, em um evento onde participavam escolas de 19 municípios da região.


Torneiras elétricasEditar

Existem também as chamadas "torneiras elétricas", que, para além do dispositivo da torneira propriamente dito, têm um aquecedor de água ligado à rede elétrica, proporcionando água quente, sendo utilizadas nomeadamente em locais de muito frio, e onde lavar louça com água fria pode se tornar uma atividade penosa. A utilização desses dispositivos como forma de aquecimento de água resultam em um elevado custo de energia elétrica, pelo que muitas residências estão adotando os painéis movidos a energia solar, como alternativa.

Referências geraisEditar

  • Diversos, Lexicoteca-Moderna Enciclopédia Universal, Círculo de leitores, Tomo XVII, Lisboa: 1985
  • Como consertar torneiras (em português)
  • HOUAISS, Antônio, Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa Tomo VI, Lisboa:Círculo dos Leitores, 2003, ISBN 972-42-3022-8