Vítor Nogueira

Vítor Nogueira (Vila Real, 1966[1]) é um gestor cultural e escritor português.

Vítor Nogueira
Nascimento 1966 (54 anos)
Vila Real
Nacionalidade português

Vive e trabalha em Vila Real. Entre outros equipamentos daquela cidade, dirigiu durante uma década o Teatro Municipal[2] e atualmente dirige a Biblioteca Pública. Tem cerca de duas dezenas de livros publicados, nos domínios da poesia, da ficção e do ensaio.[3] Paralelamente, tem vindo a publicar em obras coletivas e em diversas revistas literárias portuguesas e estrangeiras, como a Granta,[4][5] a Colóquio/Letras, a Telhados de Vidro,[6] a Grisu,[7] a Suroeste[8] (Espanha), a Gratuita[9] (Brasil), a Poezija (Croácia), a Luvina (México) ou a antologia de poesia portuguesa contemporânea V tazhnite dni ne govorim za ptitsi[10] (Bulgária). Poemas seus foram traduzidos para inglês (por Ana Hudson),[1] para russo (por Andrei Sen-Senkov),[11] para croata (por Tanja Tarbuk),[12] para búlgaro por Maria Georgieva e Tsocho Boyadzhiev[13] e para alemão por Bernhard Inderst. Um conto seu foi traduzido para castelhano (por Renato Sandoval Bacigalupo), por ocasião da Feria Internacional del Libro de Guadalajara de 2018.

Livros publicadosEditar

  • Diário de uma escola de província (crónica), Plátano, Lisboa, 1998.
  • A volta ao mundo em 50 poemas (poesia), Editorial Minerva, Lisboa, 1999. ISBN 972-591-386-8
  • Ecologia e democracia: potenciais conflitos de uma difícil relação (ensaio), Universidade do Minho, Braga, 2000 (fora do mercado).
  • Introdução ao pensamento ecológico (ensaio), Plátano, Lisboa, 2000.
  • Memória de Avelino Patena (ensaio), Arquivo Distrital de Vila Real, Vila Real, 2000.
  • Águas públicas de Vila Real: do século XIII ao século XX (ensaio), SMAS, Vila Real, 2001.
  • Senhor Gouveia (poesia), Averno, Lisboa, 2006.[1]
  • O ciclone de 1941 (ensaio, com Elísio Amaral Neves), Cruz Vermelha Portuguesa, Vila Real, 2007.
  • Bagagem de mão (poesia), & etc., Lisboa, 2007. ISBN 978-972-8539-96-2[1]
  • A Central do Biel: um enquadramento para a musealização da primeira central hidroeléctrica portuguesa (ensaio), Fundação Museu do Douro, Peso da Régua, 2008. ISBN 978-989-95183-5-3
  • Comércio tradicional (poesia), Averno, Lisboa, 2008.[1]
  • Mar largo (poesia), & etc., Lisboa, 2009.[1]
  • Quem diremos nós que viva? (poesia), Averno, Lisboa, 2010.[1]
  • Modo fácil de copiar uma cidade (poesia), & etc., Lisboa, 2011. ISBN 978-989-8150-34-9
  • Coração (poesia, plaquette), O Homem do Saco, Lisboa, 2013.
  • Segunda voz (poesia), Averno, Lisboa, 2014.[14]
  • Nos 175 anos da Biblioteca Pública Municipal de Vila Real (ensaio), Biblioteca Municipal de Vila Real, Vila Real, 2014. ISBN 978-989-8653-28-4.
  • Amanhã logo se vê (romance), Averno, Lisboa, 2015.[15]
  • Cantochão (poesia), Averno, Lisboa, 2017.[16]
  • Falésia (romance), Assírio & Alvim, Lisboa, 2019. ISBN 978-972-37-2091-4.

Referências

  1. a b c d e f g «Poems from the Portuguese : Vítor Nogueira» (em inglês). CNC - Centro Nacional de Cultura. Consultado em 9 de março de 2017 
  2. Agência Lusa (19 de março de 2005). «Vila Real - Primeira edição do Festival Internacional de Teatro começa dia 27». Semanário Expresso. Consultado em 9 de março de 2017 
  3. «Autores : Vítor Nogueira». Revista Granta / Tinta-da-China. Consultado em 9 de março de 2017 
  4. Cipriano, Rita (1 de março de 2017). «"O mundo é um palco". A nova "Granta" é inspirada em Shakespeare». Observador. Consultado em 1 de março de 2017 
  5. Marques, Carlos Vaz (dir.) (Maio de 2016). Granta. 7. [S.l.]: Tinta-da-China. Consultado em 9 de março de 2017 
  6. Queirós, Luís Miguel (25 de Setembro de 2015). «Uma revista com qualidades». Público. Consultado em 1 de março de 2017. Cópia arquivada em 9 de março de 2017 
  7. Queirós, Luís Miguel (30 de novembro de 2012). «Revista Grisu abre com elenco de luxo». Público. Consultado em 9 de março de 2017. Cópia arquivada em 9 de março de 2017 
  8. Redacción DEx (10 de junho de 2015). «El nuevo número de la revista "Suroeste" se presenta en Lisboa» (em espanhol). Digital Extremadura. Consultado em 9 de março de 2017 
  9. Hansen, Júlia de Carvalho; Fenati, Maria Carolina (edit.) (2015). Atlas. Gratuita. 2. [S.l.]: Edições Chão da Feira. Consultado em 9 de março de 2017 
  10. http://knigabg.com/index.php?page=book&id=50122
  11. «Черно-белые португальские стихи». post(non)fiction. 28 de junho de 2014 
  12. «VELIK CIRKUS MONTEKARL - izbor iz portugalske poezije | OKF». OKF (em inglês). 16 de janeiro de 2017 
  13. https://seen.bg/article/5-kakvo/2560-knigi-nashite-5
  14. Grémio Literário Vila-Realense (5 de maio de 2014). «Vila Real : Novo livro de Vítor Nogueira». Revista MaisNorte. Consultado em 9 de março de 2017 
  15. Recensão a Amanhã logo se vê, no programa O Livro do Dia, da TSF (14/9/2015)
  16. Recensão a Cantochão, no programa O Livro do Dia, da TSF (TSF, 16/1/2018)

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.