Abrir menu principal

Valério Arcary é professor titular aposentado do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia) onde trabalhou entre 1988 e 2014. É historiador marxista e ex-militante do PSTU e agora membro e fundador do MAIS- MOVIMENTO POR UMA ALTERNATIVA INDEPENDENTE E SOCIALISTA, uma ruptura nacional do PSTU. Estudou Sociologia em Paris X Nanterre em 1974, e história na Universidade Clássica de Lisboa entre 1975/78. Graduação e licenciatura em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 1988 e doutor em História Social pela Universidade de São Paulo em 2000. Foi militante estudantil durante a Revolução Portuguesa, eleito para a executiva nacional pró-UNEP por Lisboa. Voltando ao Brasil em agosto 1978, uniu-se à Convergência Socialista e participou da greve dos metalúrgicos de Osasco. Participou do Congresso de Reconstrução da UNE de Salvador em 1979. Esteve presente na fundação do PT em 1980 e da CUT em 1983. Foi secretário-geral da CUT regional São Paulo em 1985, eleito para o DN do Partido dos Trabalhadores em 1987 e para a Executiva Nacional em 1989. Trabalhou como professor na rede estadual de ensino do Estado de São Paulo entre 1983 e 1989. Foi fundador e presidente nacional do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado entre 1994 e 1998. Foi reconhecido como anistiado político em 2013.

É autor do livro As esquinas perigosas da História - Situações revolucionárias em perspectiva marxista (2004, prefácio de César Benjamin), uma adaptação do último capítulo de sua tese de doutorado. Valério Arcary é autor, também, de O encontro da revolução com a História (2007), Um reformismo quase sem reformas (2011), e O martelo da história (2016). Colaborou com capítulos em trinta livros coletivos, escreveu prefácios em outros sete, e publicou cinquenta e cinco artigos em revistas especializadas.

Livros publicadosEditar

  • As esquinas perigosas da História - Situações revolucionárias em perspectiva marxista. Ed. Xamã, São Paulo, 2004.
  • O encontro da revolução com a História. Editora Sundermann e Xamã, São Paulo, 2006.
  • Um reformismo quase sem reformas. Editora Sundermann. São Paulo 2011.
  • O martelo da história, Editora Sundermann. São Paulo, 2016.

Ligações externasEditar