Valeri Kubasov

Valeri Kubasov
Nome completo Valeri Nikolayevich Kubasov
Вале́рий Никола́евич Куба́сов
Nascimento 7 de janeiro de 1935
Vyazniki, Vladimir, Rússia,
União Soviética
Morte 19 de fevereiro de 2014 (79 anos)
Moscou, Rússia
Cônjuge Lyudmila Kurovskaya
Filho(s)
  • Ekaterina
  • Dmitri
Alma mater Instituto de Aviação de Moscou
Ocupação Engenheiro aeroespacial
Carreira espacial
Cosmonauta da União Soviética
Tempo no espaço 18 dias, 17 horas, 59 minutos
Seleção Grupo de Especialista Civis 1966
Missões
Prêmios Herói da União Soviética (2)
Ordem de Lenin (3)
e outras
Assinatura
Valeri Kubasov signature.svg

Valeri Nikolayevich Kubasov (em russo: Валерий Николаевич Кубасов; Vyazniki, 7 de janeiro de 1935Moscou, 19 de fevereiro de 2014[1]) foi um cosmonauta soviético, veterano de três missões ao espaço.

Participou das missões Soyuz 6 e Soyuz 19, a missão conjunta Apollo–Soyuz, como engenheiro de voo e comandou a Soyuz 36, no programa Intercosmos. Ele também esteve envolvido no desenvolvimento da estação espacial Mir.

Aparentemente enganou a morte duas vezes em sua carreira espacial. Ele era parte do grupo que estava marcado para voar na Soyuz 2, na qual foi encontrado o mesmo defeito no sensor do paraquedas que causou a morte de Vladimir Komarov na Soyuz 1. A nave foi posteriormente lançada sem tripulação.

Em junho de 1971, ele ficou em terra por razões médicas, antes da trágica missão Soyuz 11, para a qual estava escalado como tripulante. O cosmonauta reserva que o substituiu nesta missão, foi morto quando a cápsula foi acidentalmente despressurizada por uma válvula defeituosa, durante a reentrada na atmosfera.

Posteriormente, foi diretor do RKK Energia, a empresa estatal soviética responsável pela construção de espaçonaves e de componentes de estações espaciais.

Depois de trabalhar no projeto da estação Mir, retirou-se do programa espacial soviético em março de 1993.

Referências

Ligações externasEditar