Abrir menu principal

Vargem Grande Paulista

município do estado de São Paulo

Vargem Grande Paulista é um município do estado de São Paulo, na Microrregião de Itapecerica da Serra, Zona Sudoeste da Região Metropolitana de São Paulo, em conformidade com a lei estadual nº 1.139, de 16 de junho de 2011[8] e, consequentemente, com o Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana de São Paulo (PDUI).[9]

Município de Vargem Grande Paulista
"VGP"
Bandeira de Vargem Grande Paulista
Brasão de Vargem Grande Paulista
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 23 de dezembro de 1981
Gentílico vargem-grandense
Lema Liberdade, fé e trabalho
CEP 06730-000
Prefeito(a) Josué Silveira Ramos (PR)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Vargem Grande Paulista
Localização de Vargem Grande Paulista em São Paulo
Vargem Grande Paulista está localizado em: Brasil
Vargem Grande Paulista
Localização de Vargem Grande Paulista no Brasil
23° 36' 10" S 47° 01' 33" O23° 36' 10" S 47° 01' 33" O
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária

São Paulo IBGE/2017 [1]

Região imediata

São Paulo IBGE/2017

Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes Cotia, Itapevi e São Roque.[2]
Distância até a capital 45 km[3]
Características geográficas
Área 33,512 km² [4]
População 42 946 hab. Censo IBGE/2010[5]
Densidade 1 281,51 hab./km²
Clima Subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,770 alto PNUD/2010 [6]
PIB R$ 658 278,861 mil IBGE/2008[7]
PIB per capita R$ 15 076,01 IBGE/2008[7]

A cidade vêm se desenvolvendo rapidamente, apesar de sua juventude. A região de Vargem Grande Paulista - que foi Bairro do Ribeirão da Vargem Grande e Distrito Raposo Tavares sob administração municipal e paroquial de Cotia - ocupa hoje uma área de 38 km², entre os quilômetro 39 e 47 da Rodovia Raposo Tavares e abriga uma população estimada em 47.013 habitantes, segundo IBGE 2013.

Por decisão popular, em plebiscito realizado em 27 de novembro de 1981 (com 96% dos Votos válidos), Vargem Grande Paulista tornou-se mais um município da Região Metropolitana de São Paulo - e, em 15 de novembro de 1982, foi eleito o primeiro prefeito vargengrandense: Elias Alves da Costa.

Teve o primeiro prefeito da história do Brasil cassado por uma câmara de vereadores, na época presidida por José Geraldo Rocha de Jesus.

Índice

HistóriaEditar

 
Vargem Grande na Karte von Ostbrasilien de Eschwege, Martius e Schwarzmann (Munique, 1831).

Vargem Grande (ou seja, "várzea grande") é nome português antigo aplicado à várzea de vários rios por todo o Brasil. Na Freguesia de Cotia (fundada em 1723) e depois município de Cotia (fundado em 1856), Vargem Grande era o nome da região que ficava na confluência entre a várzea do atualmente denominado Ribeirão da Vargem Grande e a rota bandeirante no século XVII e rota de tropeiros que traziam muares do Paraguai nos séculos XVIII e XIX (tronco principal do antigo Caminho do Peabiru), que deu origem à Estrada São Paulo-Paraná em 1922 e à Rodovia Raposo Tavares (SP-270) em 1954. O bairro cotiano (ainda rural) de Vargem Grande, bem como o caminho dos tropeiros que, da cidade de São Paulo, passava por Cotia, São Roque e Sorocaba, rumo a Itapetininga (e, daí, ao norte do Paraná e ao Paraguai), já figuram em vários mapas do século XIX, como o de Eschwege, Martius e Schwarzmann, publicado em Munique em 1831,[10] entre a localidade de Marandatuba (a atual região da Estrada Municipal do Maracanduva) e a Serra de São Roque.

Do ponto de vista político, o município de Vargem Grande Paulista teve origem no distrito de Raposo Tavares, constituído com esse nome no antigo bairro do Ribeirão da Vargem Grande, do município de Cotia, pela Lei Estadual n.º 8.092, de 28 de fevereiro de 1964. Desde 1929, o distrito de Raposo Tavares era uma das regiões agrícolas do município de Cotia, abrigando parte da colônia japonesa responsável pela origem da sua fase agrícola do distrito e que até o ano de 1994 reuniu-se em torno da Cooperativa Agrícola de Cotia e depois da Cooperativa Agrícola de Vargem Grande Paulista (Coopervag).[11] Por decisão popular, em plebiscito realizado a 27 de novembro de 1981, foi deliberado o desmembramento do antigo distrito de Raposo Tavares do município de Cotia, para a constituição do novo município de Vargem Grande Paulista, oficializada pela Lei Estadual n.º 3.198, de 23 de dezembro de 1981 e recuperando o antigo nome do bairro, com provável origem no século XVIII ou mesmo XVII.[12][13]

O desmembramento de Vargem Grande Paulista foi motivado pela perspectiva de crescimento industrial na região, principal responsável pelo aumento populacional e residencial do município até o presente, em uma taxa de cerca de 2,5% ao ano, tendo saltado do 264º município mais populoso do Brasil em 1985, com com uma estimativa de 12.544 habitantes, com população de 42.997 pessoas e densidade demográfica de 1.012,10 hab/km² registradas no último censo (2010), para o 135º município mais populoso do Brasil em 2018, com uma estimativa de 51.702 habitantes.[14]

A região de Vargem Grande Paulista ocupa hoje, de acordo com o IBGE, uma área territorial de 42,489 km². A cidade está situada entre os km 39 e 47 (dos dois lados) da Rodovia Raposo Tavares (entre a Estrada de Caucaia do Alto e a Rodovia Bunjiro Nakao, SP-250), fazendo divisa com os municípios de Cotia, Itapevi e São Roque, sendo uma das duas principais conexões (juntamente com a Rodovia Castelo Branco) entre os municípios da Região Metropolitana de São Paulo e os municípios do Centro-Oeste Paulista, a partir de São Roque e Sorocaba.

DemografiaEditar

População de Vargem Grande Paulista
Ano Método Categoria População total Posição no Brasil
1970 Censo Distrito de Cotia 5.082 -
1980 Censo Distrito de Cotia 9.777 -
1985 Estimativa Município 12.544 264º
1991 Censo Município 15.870 243º
1996 Contagem Município 26.689 173º
2000 Censo Município 32.683 161º
2007 Contagem Município 40.200 143º
2010 Censo Município 42.997 145º
2018 Estimativa Município 51.702 135º

EconomiaEditar

Foram abertos recentemente condomínios empresariais, que por conta de incentivos da Administração Municipal, está viabilizando a chegada de novas empresas, de todos os segmentos.

ComunicaçõesEditar

A cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[15], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[16], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[17] para suas operações de telefonia fixa.

SaúdeEditar

Vargem Grande conta no setor público com uma UBS (Unidade básica de saúde) denominada "central" no bairro Bela Vista, onde também existe um Centro de Especialidades. No bairro também existe um Pronto Atendimento 24 horas. Existem ainda sete UPSF localizadas nos bairros Jardim Margarida, Jardim Portão Vermelho, Jardim São Judas, Jardim São Lucas, Parque do Agreste, Ruth Maria e Tijuco Preto.

ComércioEditar

O comercial vargengrandense possui lojas da rede varejista, como a Lojas Cem, recentemente inaugurada na Av. Presidente Tancredo Neves. O Supermercado DIA da rede Carrefour.

Condomínios horizontaisEditar

 
Área verde protegida do Parque Santo Afonso I, um dos condomínios horizontais de Vargem Grande Paulista.

Desde a década de 1960, Vargem Grande Paulista começou a constituir condomínios horizontais (dos dois lados da Rodovia Raposo Tavares), recebendo a mesma expansão residencial que já havia chegado em Cotia, porém a primeira lei do município destinada a regulamentar a constituição de condomínios horizontais foi a Lei Ordinária nº 24, de 08 de setembro de 1988,[18] seguida, entre outras, pela Lei Complementar nº 2, de 11 de novembro de 1999, que dispõe sobre o uso e ocupação do solo do município de Vargem Grande Paulista,[19] e da Lei complementar nº 14 de 12 de dezembro de 2003, que dispõe sobre a instituição do plano diretor do município de Vargem Grande Paulista. Entre os maiores condomínios horizontais do município estão o Haras Bela Vista, o Monte Catini, o Residencial San Diego (Paysage Noble) e outros.

A criação dos condomínios horizontais (ao lado da grande industrialização do município a partir da década de 1980) está entre as principais razões do desmatamento e da expansão populacional de Vargem Grande Paulista, o que a fez saltar de 5.082 habitantes em 1970 para 51.702 habitantes em 2018, e da 264º posição em 1985 para a 135º posiçao entre os municípios mais populados do Brasil em 2018.[14][20] Ainda que os grandes condomínios mantenham áreas verdes protegidas e o município disponha da Lei Complementar nº 2, de 11 de novembro de 1999, sobre o uso e ocupação do solo,[19] Vargem Grande Paulista perdeu boa parte dos bosques e áreas florestais que possuía quando de seu desmembramento do município de Cotia em 1981.

ClimaEditar

O clima da cidade, como em toda a Região Metropolitana de SP, é o Subtropical, mas especialmente VGP encontra-se em uma região de serra,a cidade encontra-se praticamente a uma altitude de 880 m na sede do município podendo variar para mais de 1000m nas redondezas como também nos bairros ou distritos mais elevados. É a cidade mais fria da Região metropolitana de São Paulo. No inverno as temperaturas chegam muitas vezes abaixo de 5° Celsius, provocando geadas ao amanhecer. Os dias de verão costumam ser bem quentes e chuvosos, diferente do inverno que o frio encaixa-se na categoria sub-seco, o mês mais quente é fevereiro, com média de 22 °C e o mês mais frio é julho, com média de 13 °C.

O clima é úmido o ano inteiro e têm verões temperados(variando dias quentes com dias amenos e noites frescas) e mais úmidos e invernos mais secos sem interrupção substancial da precipitação, como acontece com vários municípios da Grande São Paulo como a própria capital.

O Mês mais quente(fevereiro) tem temperatura média inferior a 22°C(21,5°C) e o mês mais frio tem temperatura média de 12°C. O mês mais seco é Agosto com 41mm de chuva e o mês mais chuvoso é janeiro com 255mm de chuva. Têm 1474mm de chuvas anuais.

De acordo com o gráfico do Meteoblue, Vargem Grande Paulista possui precipitações contantes durante o ano sem intermitência das chuvas e a média do mês mais quente é inferior a 22°C (21,5°C), portanto é a única cidade da Região Metropolitana de São Paulo com Clima Temperado Oceânico Cfb.

TransporteEditar

O único transporte público em vigor é o ônibus. A EMTU, empresa que administra o segmento dispõe de viagens até o metrô Butantã na capital paulista pela Rodovia Raposo Tavares, além de linhas que têm como ponto final o Centro de Cotia e de Itapevi. O município recentemente inaugurou uma frota de ônibus regionais, que atendem aos bairros mais distantes. O município também dispõe de viagens para o município de São Roque, estas operadas pela empresa Piracicabana.

TurismoEditar

O turismo na cidade não possui índices elevados, mas pontos turísticos isolados são comuns.

Hotéis e PousadasEditar

Vargem Grande possui 2 hotéis.

Turismo ReligiosoEditar

  • Salão de Assembleias das Testemunhas de Jeová. Localizado no bairro Nara Garden, é um dos 10 complexos de assembleia das Testemunhas de Jeová no estado de São Paulo e recebe congressistas da região metropolitana e interior do estado nos fins de semana.

Referências

  1. «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. p. 20–34. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 23 de setembro de 2009. Arquivado do original em 1 de agosto de 2012 
  3. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011 
  4. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  5. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de agosto de 2013 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  8. «Lei Complementar nº 1.139, de 16 de junho de 2011». Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  9. «Região Metropolitana de São Paulo». Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana de São Paulo. Consultado em 1 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2017 
  10. ESCHWEGE, Guill. de; MARTIUS, Ch. Fr. Ph. de; SCHWARZMANN, I. Karte von Ostbrasilien: carte géographique de la partie orientale de l’empire du Brésil en quatre feuilles contenant les provinces maritimes de Pernambuco jusqu’à Rio de Janeiro, celle de Minas Geraës, et une partie des provinces limitrophes, redigée d’après leurs propres observations et les cartes les plus exactes, et dediée a S. M. Don Pedro Empereur du Brésil par […]. Munich, 1831. Mapa 4 (canto inferior esquerdo).
  11. «História – Prefeitura de Vargem Grande Paulista». www.vargemgrandepta.sp.gov.br. Consultado em 18 de agosto de 2018 
  12. CARDIM, Fernando Pereira. Cotia. Coleção de Monografias - Stérie B, N.50, da Diretoria de Documentação e Divulgação do CNE. Desenho de Q. Campofiorito.
  13. «Brasil - São Paulo - Cotia: histórico». cidades.ibge.gov.br. IBGE. Consultado em 18 de agosto de 2018 
  14. a b «Brasil - São Paulo - Vargem Grande Paulista: panorama». cidades.ibge.gov.br. IBGE. Consultado em 18 de agosto de 2018 
  15. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  16. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  17. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  18. «Leis Municipais». leismunicipais.com.br. Consultado em 27 de março de 2019 
  19. a b «Leis Municipais». leismunicipais.com.br. Consultado em 27 de março de 2019 
  20. «Expansão imobiliária constrói periferia desigual, revela pesquisa da FFLCH – USP – Universidade de São Paulo». Consultado em 27 de março de 2019 

Ligações externasEditar