Abrir menu principal

Vasco Almeida e Costa

Vasco Almeida e Costa
Vasco Almeida e Costa
Primeiro-ministro de Portugal (interino)
Período 23 de Junho de 1976 a 23 de Julho de 1976
Antecessor José Pinheiro de Azevedo
Sucessor Mário Soares
Dados pessoais
Nascimento 26 de julho de 1932
Lisboa
Morte 25 de julho de 2010 (77 anos)
Lisboa
Partido independente;
Profissão Almirante

Vasco Fernando Leote de Almeida e Costa ,em chinês tradicional:高斯達, GCIHGCL (Lisboa, São Sebastião da Pedreira, 26 de Julho de 1932 — Lisboa, 25 de Julho de 2010) foi um oficial naval e político português que desempenhou vários cargos públicos, tais como Ministro da Administração Interna (1975-1976), Primeiro-Ministro interino (1976) e Governador de Macau (1981-1986).

BiografiaEditar

Era filho de Américo de Almeida e Costa e da sua esposa Julieta da Conceição Leote. Frequentou o Colégio Militar entre 1943 e 1950. Almeida e Costa casou em Viana do Castelo, Meadela, na Capela de São Vicente, a 11 de Janeiro de 1959 com Maria Claudiana da Costa de Faria Araújo.

Após a Revolução dos Cravos de 25 de Abril de 1974, participou activamente na política portuguesa, tendo desempenhado um papel importante durante o período da descolonização portuguesa. Serviu como Ministro da Administração Interna durante o governo de José Pinheiro de Azevedo, entre 19 de Setembro de 1975 e 23 de Julho de 1976. Em 23 de Junho de 1976, tornou-se 149.º Primeiro-Ministro interino após Pinheiro de Azevedo ter sofrido um ataque cardíaco durante a sua campanha presidencial, tendo-se mantido em funções até ao fim do mandato de Pinheiro de Azevedo, quando foi substituído por Mário Soares, o Primeiro-Ministro eleito democraticamente, no dia 23 de Julho de 1976.

Almeida e Costa foi ainda o 134.º Governador de Macau, de 16 de Junho de 1981 a 15 de Maio de 1986. Durante o seu governo, ocorreu a primeira e única dissolução da Assembleia Legislativa de Macau (AL), em 1984. Esta dissolução polémica, aconselhada por ele e aprovada pelo Presidente português Ramalho Eanes, foi consequência dum conflito político entre ele e Carlos d'Assumpção, que na altura era o presidente da AL. Este invulgar conflito causou uma situação de grande desconforto entre a comunidade macaense e portuguesa. O Governador salientou que a origem do conflito foram "um problema de natureza técnica respeitante à interpretação de uma disposição do Estatuto Orgânico em matéria de ratificação dos diplomas e liberdades do Governador" e a "tentativa da Assembleia, legítima (…) de alterar parte do diploma do Governador".[1][2]

CondecoraçõesEditar

Referências

  1. «Poderia ter havido outras soluções». Jornal Tribuna de Macau. Jtm.com.mo. 27 de Julho de 2010 [ligação inativa]
  2. «Suplemento II do Boletim Oficial, n. 9 de 25 de fevereiro de 1984». Bo.io.gov.mo 
  3. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Estrangeiras». Resultado da busca de "Vasco Fernando Leote de Almeida e Costa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 5 de janeiro de 2013 
  4. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Vasco Fernando Leote de Almeida e Costa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 5 de janeiro de 2013 
Precedido por
José Pinheiro de Azevedo
Primeiro-ministro de Portugal
1976
(interino)
Sucedido por
Mário Soares
Precedido por
Nuno Viriato Tavares de Melo Egídio
Governador de Macau
19811986
Sucedido por
Joaquim Pinto Machado
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.