Abrir menu principal

Venceslau de Morais

escritor e militar português
(Redirecionado de Venceslau de Moraes)
Venceslau de Morais
Monumento de Venceslau de Morais em Kobe, Japão.
Nome completo Venceslau José de Sousa de Morais
Nascimento 30 de maio de 1854
Lisboa, Portugal
Morte 1 de julho de 1929 (75 anos)
Tokushima, Japão
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Escritor e militar da Marinha Portuguesa
Magnum opus A vida japonesa: terceira série de cartas do Japão (1905)
O azulejo colocado sobre a casa natal de Venceslau Morais em Lisboa, Portugal.

Venceslau José de Sousa de Morais[1] (Lisboa, 30 de Maio de 1854 - Tokushima, 1 de Julho de 1929) foi um escritor e militar da Marinha Portuguesa.

BiografiaEditar

Era filho de Venceslau José de Sousa de Morais, neto materno dum francês, e de sua mulher Maria Amélia de Figueiredo. Oficial da Marinha, completou o curso Escola Naval em 1875, tendo prestado serviço em Moçambique, Macau, Timor Português e no Japão.

Após ter frequentado a Escola Naval, serviu a bordo de diversos navios da Marinha de Guerra Portuguesa. Em 1885 viaja pela primeira vez até Macau, onde se estabelece. Foi imediato da capitania do Porto de Macau e professor do Liceu de Macau desde a sua fundação em 1894. Durante a sua estadia em Macau casou com Vong-Io-Chan (Atchan), mulher chinesa, de quem teve dois filhos, e estabeleceu laços de amizade com Camilo Pessanha.

Entretanto, em 1889, viajara até ao Japão, país que o encanta, e onde regressará várias vezes nos anos que se seguem no exercício das suas funções. Em 1897 visita o Japão, na companhia do Governador de Macau, José Maria de Sousa Horta e Costa, sendo recebido pelo Imperador Meiji. No ano seguinte abandona Atchan e os seus dois filhos, e muda-se definitivamente para o Japão, como cônsul em Kobe.

Aí a sua vida é marcada pela sua actividade literária e jornalística, pelas suas relações amorosas com duas japonesas (Ó-Yoné Fukumoto e Ko-Haru) e pela sua crescente "japonização".

Durante os trinta anos que se seguiram, Venceslau de Morais tornou-se a grande fonte de informação portuguesa sobre o Oriente, partilhando as suas experiências íntimas do quotidiano japonês com os seus leitores portugueses, numa actividade paralela à de Lafcádio Hearn, o grande divulgador da cultura nipónica no mundo anglo-saxão, de quem foi contemporâneo.

Amargurado com a morte, por doença, de Ó-Yoné, Venceslau de Morais renunciou ao seu cargo consular em 1913 quando já era graduado em Tenente-coronel/Capitão de fragata, mudou-se para Tokushima, terra natal daquela. Aí viveu com Ko-Haru, sobrinha de Ó-Yoné, que viria também a falecer por doença.

Aí o seu quotidiano tornou-se crescentemente idêntico ao dos japoneses, embora tendo como pano de fundo uma crescente hostilidade destes. Cada vez mais solitário, e com a saúde minada, Venceslau de Morais viria a falecer em Tokushima em 1 de Julho de 1929.

Venceslau de Morais foi autor de vários livros sobre assuntos ligados ao Oriente, em especial o Japão. Também se encontra colaboração literária da sua autoria no semanário Branco e Negro [2] (1896-1898) e nas revistas Brasil-Portugal[3] (1899-1914), Serões [4] (1901-1911) e Tiro e Sport [5] (1904-1913).

Foi impressa uma nota de 500 patacas de Macau com a sua imagem.

A TAP Portugal homenageou-o ao atribuir o seu nome a uma das suas aeronaves.

Primo-irmão de Sebastião Teles.

ObrasEditar

 
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Venceslau de Morais
  • 1895 - Traços do Extremo Oriente
  • 1897 - Dai-Nippon
  • 1904 - Cartas do Japão (com várias séries e volumes publicados após esta data)
  • 1905 - O culto do chá (eBook)
  • 1906 - Paisagens da China e do Japão (eBook) (reeditado em 2014 pela editora portuguesa Livros de Bordo)
  • 1907 - Cartas do Japão, A vida japonesa : 3.ª Série (1905-1906) Lulu.com
  • 1916 - O "Bon-Odori" em Tokushima
  • 1917 - Ko-Haru
  • 1920 - Fernão Mendes Pinto no Japão
  • 1923 - Ó-Yoné e Ko-Haru
  • 1924 - Relance da história do Japão
  • 1926 - Os serões no Japão
  • 1928 - Relance da alma japonesa
  • 1933 - Osoroshi

Ver tambémEditar

Pesquisa bibliográficaEditar

FontesEditar

Referências

  1. Na grafia original, Wenceslau Joze de Souza de Moraes.
  2. Rita Correia (01 de Fevereiro de 2012). «Ficha histórica: Branco e Negro : semanario illustrado (1896-1898)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 21 de Janeiro de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. Rita Correia (29 de Abril de 2009). «Ficha histórica: Brasil-Portugal : revista quinzenal illustrada (1899-1914).» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 26 de Junho de 2014 
  4. Rita Correia (24 de Abril de 2012). «Ficha histórica: Serões, Revista Mensal Ilustrada (1901-1911).» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 23 de Setembro de 2014 
  5. Rita Correia (22 de abril de 2014). «Ficha histórica:Tiro e sport : revista de educação physica e actualidades (1904-1913)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.