Venezuelanos

cidadãos ou residentes da Venezuela
(Redirecionado de Venezuelano)

Os venezuelanos são os cidadãos da República Bolivariana da Venezuela, país localizado na parte norte da América do Sul (país de tamanho semelhante à Região Sudeste do Brasil[10], 916.445 km² e 924.511,3 km²[11]), tendo como capital a cidade de Caracas.[12] Com uma população de cerca de 31,7 milhões de habitantes (se fosse parte do Brasil seria o estado mais populoso depois do São paulo), a Venezuela é o quinto país mais populoso no subcontinente da América do Sul, a maioria dos quais professam o cristianismo como religião (sendo a maioria a fé católica) e têm o espanhol como língua materna. Como outros países da região, a maioria dos venezuelanos é o resultado de uma mistura de grupos étnicos, principalmente europeus, ameríndios e africanos.

Venezuelanos
Flag of Venezuela.svg
Bandeira da Venezuela
Map of the Venezuelan Diaspora in the World.svg
Mapa da diáspora venezuelana ao redor do mundo.
População total

c. 31 703 499 venezuelanos (2018)[1]

Regiões com população significativa
 Colômbia 1.032.016[2]
 Peru 550.000[3]
Equador 547.000[4]
 Estados Unidos 418.336[5]
 Brasil 400.000[6]
Flag of Spain.svg Espanha 165.893[7]
 Chile 134.390[8]
 Argentina 130.000[9]
Línguas
Espanhol (com destaque para o espanhol venezuelano)
Religiões
Predominantemente cristianismo
Grupos étnicos relacionados
Descendentes principalmente de colonizadores espanhóis, imigrantes europeus, povos ameríndios e africanos

Aproximadamente 51,6% da população são caboclos e mulatos de descendência mista europeia e ameríndia, com uma menor contribuição africana e 43,6% dos venezuelanos se identificam como europeus ou do Oriente Médio. Outros 3,6% se identificam como descendentes total ou parcialmente negros / africanos, enquanto 2,7% se identificam como totalmente ameríndios[13]. De acordo com um estudo genético de DNA autossômico realizado em 2008 pela Universidade de Brasília (UnB), a composição da população da Venezuela é de 60,60% de contribuição europeia, 23,00% de contribuição ameríndia e 16,30% de contribuição africana.[14]

Conforme dados das Nações Unidas, entre 2,3 a 3,1 milhões de venezuelanos vivem fora da Venezuela. Colômbia, Peru, Equador e Brasil tem sido os principais destinos de imigrantes venezuelanos nos últimos anos, mas também se registra uma notável comunidade venezuelana na Europa, especialmente na Espanha, Portugal e Itália.

Europeu Amerindio Africano estudo ano fonte
60,6% 23,0% 16,3% (Oliveira, 2008):

O impacto das migrações na constituição genética de populações latino-americanas

2008 Universidade de Brasília[15]
54,0% 32,0% 14,0% (Castro de Guerra et al, 2011):

Gender Differences in Ancestral Contribution and Admixture in Venezuelan Populations

2011 Research Gate[16]
71,9% 18.6 9,5% (Salazar-Flores et al, 2015):

Admixture and genetic relationships of Mexican Mestizos regarding Latin American and Caribbean populations based on 13 CODIS-STRs

2015 ScienceDirect[17]
56,6% 25,0% 19,0% (Fuerst & Kirkegaard, 2016):

Admixture in the Americas: Regional and National Differences

2016 Research Gate[18]
Média genética de venezuelanos por região.

(Castro de Guerra et al, 2011) após compilar dados de pesquisas genéticas anteriores, a composição genética das regiões venezuelanas termina da seguinte forma:

região Contribuição europeia Contribuição amerindia Contribuição africana
Central norte 60% 24% 16%
Leste 54% 31% 15%
Andes 70% 27% 3%
zulia 53% 41% 6%
guayana 42% 33% 25%

Grupos étnicosEditar

grupos etnicos en venezuela (Latinobarometro)
caboclos 33%
brancos 32%
mulatos 21%
pretos 8%
indigenas 4%

Ver tambémEditar

Referências

  1. «População da Venezuela 2015». countrymeters.info. Consultado em 12 de novembro de 2015 
  2. Estadão, ed. (13 de junho de 2018). «Colômbia recebeu mais de 1 milhão de pessoas da Venezuela». Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  3. «Perú acoge unos 550,000 venezolanos al finalizar plazo para permiso especial» (em espanhol). Gestion. 2 de novembro de 2018. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  4. «Equador abre corredor humanitário para venezuelanos que imigram para o Peru». G1. 24 de agosto de 2018. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  5. «HISPANIC OR LATINO ORIGIN BY SPECIFIC ORIGIN» (em inglês). United States Census Bureau. 2017. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  6. Site do Senado Federal Brasileiro. «Debatedores-pedem-continuidade-da-operacao-acolhida-de-apoio-a-venezuelanos». Consultado em 23 de Novembro de 2022 
  7. «Estadística del Padrón Continuo a 1 de enero de 2015. Datos a nivel nacional, comunidad autónoma y provincia» (em espanhol). Instituto Nacional de Estadística (INE). 2015. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  8. «Extranjeros en Chile superan el millón 110 mil y el 72% se concentra en dos regiones: Antofagasta y Metropolitana» (em espanhol). Emol. 9 de abril de 2018. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  9. «Macri: "La Argentina ya ha recibido 130 mil venezolanos"» (em espanhol). Chequeado. 2 de outubro de 2018. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  10. «Superficie de Venezuela | Venezuela | Aguas territoriales». Scribd. Consultado em 14 de julho de 2020 
  11. «Região Sudeste - Geografia». InfoEscola. Consultado em 14 de julho de 2020 
  12. «Constitución de la República Bolivariana de Venezuela» (PDF) (em espanhol). Ministerio del Poder Popular para la Educación. 15 de dezembro de 1999. Consultado em 19 de março de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 1 de outubro de 2013 
  13. INE, Censo 2011, INE (Resultados Basicos del XIV Censo nacional de población y vivienda 2011). «instituto nacional de estadistica» (PDF). Instituto Nacional de Estadística (Venezuela). Consultado em INE. gov. ve  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  14. Neide Maria de Oliveira Godinho (2008). «O impacto das migrações na constituição genética de populaçőes latino-americanas» (PDF). Universidade de Brasília. Cópia arquivada em 16 de janeiro de 2013 
  15. Godinho, Neide Maria de Oliveira (2008). «O impacto das migrações na constituição genética de populações latino-americanas» 
  16. Guerra, D. Castro De; Pérez, C. Figuera; Izaguirre, M. H.; Barahona, E. Arroyo; Larralde, A. Rodríguez; Lugo, M. Vívenes De (junho de 2011). «Gender differences in ancestral contribution and admixture in Venezuelan populations». Human Biology. 83 (3): 345–361. ISSN 1534-6617. PMID 21740152. doi:10.3378/027.083.0302 
  17. Salazar-Flores, J.; Zuñiga-Chiquette, F.; Rubi-Castellanos, R.; Álvarez-Miranda, J. L.; Zetina-Hérnandez, A.; Martínez-Sevilla, V. M.; González-Andrade, F.; Corach, D.; Vullo, C. (1 de fevereiro de 2015). «Admixture and genetic relationships of Mexican Mestizos regarding Latin American and Caribbean populations based on 13 CODIS-STRs». HOMO (em inglês). 66 (1): 44–59. ISSN 0018-442X. doi:10.1016/j.jchb.2014.08.005 
  18. «(PDF) Admixture in the Americas: Regional and National Differences». ResearchGate (em inglês). Consultado em 13 de julho de 2020