Abrir menu principal
Via Labicana em vermelho. Em azul, a Via Latina e em roxo, a Via Prenestina.

A Via Labicana era uma antiga estrada romana na Itália, na direção leste-sudeste a partir de Roma. É possível que a estrada tenha a princípio levado a Túsculo e que tenha sido estendida até Labicos. Ela pode até ter superado o tráfego da Via Latina como uma rota para o sudeste pois, enquanto a distância da junção principal em Ad Bivium (ou até outra junção em Compitum Anagninum) é praticamente idêntica, o nível máximo da primeira é 22 metros menor que a última, um pouco mais a oeste do passo de monte Algido. Após a junção, é provável que a estrada tenha sido conhecida por Via Latina ao invés de Via Labicana. O caminho da estrada após os primeiros dez quilômetros de Roma não coincide com nenhuma outra estrada moderna, mas é claramente visível pelos restos de pavimentação e pelas edificações à beira da rota.

A Via Labicana entrava em Roma pela muralha aureliana pelo antigo portão monumental chamado de Porta Prenestina e alcançava, após um trecho interior, a muralha serviana, entrando ali pela Porta Esquilina, decorada com o Arco de Galiano. O trecho da estrada perto de Roma é hoje conhecido como Via Casilina. Uma estátua de Augusto como pontífice máximo (pontifex maximus), encontrada numa vila de Lívia nesta estrada, é conhecida como "tipo de Via Labicana" e está hoje preservada no Museu Nacional Romano. O imperador romano Dídio Juliano foi enterrado na região da quinta marca na Via Labicana, após ter sido executado em 193.

Pontes romanasEditar

Há restos de pelo menos uma ponte romana ao longo da estrada, que cruza o Fosso del Giardinetto onze quilômetros a leste de Roma.

Ligações externasEditar

  • «Via Labicana» (em inglês). Encyclopædia Britannica (11ª edição). Consultado em 16 de março de 2011 

BibliografiaEditar

  • T. Ashby in Papers of the British School at Rome, i.215 ff. (em inglês)