Via XIX

Via romana entre Braga e Astorga

A Via XIX era uma estrada romana do tempo de Augusto, descrita no Itinerario de Antonino, que unia as cidades de Bracara Augusta (Braga), Ponte de Lima, Tude (Tui), Turoqua (Pontevedra), Aquis Celenis (Caldas de Reis), Iria (Iria Flávia), Lucus Augusti (Lugo) e Asturica Augusta (Astorga) numa extensão de 299 milhas romanas[1].

Via XIX
Nomes alternativos Via romana de Braga a Tui
Função inicial Via militar
Função atual Trilho, caminho de Santiago
Património Nacional
Classificação Monumento Nacional (14 Marcos)
Ano 1910
DGPC 70579
SIPA 3549
Geografia
País Portugal/Espanha
Cidade Braga até Astorga


PercursoEditar

 
Mapa da Via XIX (em roxo)

No itinerário de Antonino são citadas as seguintes etapas (mansões) [nota 1] para a Via XIX:

Mansio Milhas romanas entre cada

(1 milha de 1480 m a 1850 m)

Povoações actuais [1]
  1   Bracara Augusta Braga (Portugal)
  2   Limia XIX Castro de Santa Maria Madalena, Fornelos,Ponte de Lima
  3   Tude XXIII Tui
  4   Burbida XVI Capela de Santiaguiño das Antas, Saxamonde, Redondela
  5   Turoqua XVI Pontevedra
  6   Aquis Celenis XXIV Caldas de Reis
  7   Iria XII Iria Flávia
  8   Assegoia XIII Ledesma ou Sergude, Boqueixón
  9   Brevis XXII
  10   Marcie XX Por volta de Santiago de Entrambasaugas, Guntín
  11   Lucus Augusti XIII Lugo
  12   Timalino XXII
  12   Ponte Neviae XXII As Pontes de Gatín, Liber, Becerreá
  12   Uttaris XXII Castro das Coroas, Vega de Valcarce, comarca do Bierzo
  11   Bérgido XVI Castro Ventosa Cacabelos, (Leão)
  12   Interâmnio Flávio XX Nos arredores de Bembibre, San Román de Bembibre, (Leão)
  13   Astúrica Augusta XXX Astorga, (Leão)

ClassificaçãoEditar

A via em si, não está classificada, o decreto do 23/06/1910 só abrange 14 miliários:

Marcos Milliarios (Serie Capella) Districto de Vianna - Valença, Coura e Ponte de Lima - Braga a Tuy (14 Marcos)
 
Decreto Nº136 du 23/06/1910[2]..

FotografiasEditar

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Via XIX

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

Notas

  1. As mansões eram paragens com estalagens e instalações para viajantes do serviço dos correios romanos (Curso público)

Referências

  1. a b Rodríguez Colmenero, Antonio; Ferrer Sierra, Santiago; Álvarez Asorey, Rubén (2004). Consello da Cultura Galega, ed. Miliarios e outras inscricións viarias romanas do Noroeste hispánico (conventos bracarense, lucense e asturicense) (em galego). Santiago de Compostela: [s.n.] ISBN 84-95415-87-9 
  2. «Decreto Nº136 du 23/06/1910» (PDF). Consultado em 5 de outubro de 2021