Vickers-Armstrongs

Vickers-Armstrongs Limited foi um conglomerado de empresas de engenharia britânica formada pela fusão dos ativos da Vickers Limited e Armstrong Whitworth em 1927.[1] A empresa foi nacionalizada entre as décadas de 1960 e 1970 e deixou de existir em 1977, quando as áreas de produtivas foram adquiridas pela Vickers plc, British Aircraft Corporation, British Shipbuilders e British Steel.[2]

Vickers-Armstrongs Limited
Vickers-Armstrongs text only.png
Sociedade limitada
Atividade Metalúrgica, naval, aeronáutica e bélica
Fundação 1927; há 96 anos
Destino Ativos divididos e majoritariamente nacionalizados
Encerramento 1977 (1977)
Sede Westminster, Londres
Área(s) servida(s) Mundo
Pessoas-chave George Edwards
Produtos Navios e estruturas flutuantes, ligas metálicas, veículos militares, aviões
Empresa-mãe
Antecessora(s) Vickers
Sucessora(s)

AtuaçãoEditar

Atuando principalmente na área de equipamentos de militares, teve como foco a produção de armamentos, construção naval, fabricação de veículos militares e aeronaves militares, mísseis e outras armas, aeronaves comerciais, equipamentos industriais pesados e motores marítimos.[2]

HistóricoEditar

A Vickers se fundiu com a empresa de engenharia Armstrong Whitworth, com sede em Tyneside, fundada por William Armstrong, para se tornar a Vickers-Armstrongs. Armstrong Whitworth e Vickers desenvolveram-se ao longo de linhas semelhantes, expandindo-se para vários setores militares e produzindo todo um conjunto de produtos militares. Armstrong Whitworth era notável por sua manufatura de artilharia em Elswick e construção de navios em um estaleiro em High Walker no rio Tyne.

1929 viu a fusão do negócio ferroviário adquirido com os da Cammell Laird para formar a Metropolitan Cammell Carriage and Wagon (MCCW); Metro Cammell.

Em 1935, antes do início do rearmamento, a Vickers-Armstrongs era a terceira maior empregadora de manufatura na Grã-Bretanha, atrás da Unilever e da ICI.[3]

Em 1956, Dorothy Hatfield se tornou a primeira mulher aprendiz de engenharia na Vickers-Armstrongs (Aeronaves), Brooklands,[4] seguida em 1958 por Janet Gulland, que foi a primeira mulher aprendiz graduada na empresa.[5]

RupturaEditar

Em 1960, os interesses das aeronaves foram fundidos com os da Bristol, English Electric e Hunting Aircraft para formar a British Aircraft Corporation (BAC). Esta era detida pela Vickers, English Electric e Bristol (com 40%, 40% e 20%, respetivamente). A BAC, por sua vez, detinha 70% da Hunting. A operação do Supermarine foi encerrada em 1963 e a marca Vickers para aeronaves foi abandonada pela BAC em 1965. De acordo com os termos do Aircraft and Shipbuilding Industries Act 1977, a BAC foi nacionalizada para se tornar parte da British Aerospace (posteriormente BAE Systems).

A Lei das Indústrias de Construção Naval e Aeronáutica também levou à nacionalização da divisão de construção naval da Vickers como parte da British Shipbuilders. Esta divisão foi privatizada como Vickers Shipbuilding & Engineering em 1986, passando posteriormente para a GEC como parte da Marconi Marine e sobrevive até hoje como parte da BAE Systems Submarines.

A Vickers Container and Packaging Machinery Division, incluindo os negócios Vickers Stitcher e Vickers Hardness Machine, foi comprada pela Fords Industrial Products, parte da Barry Wehmiller em 1986. Em 1991, o negócio Vickers Hardness Machinery foi comprado pelos engenheiros de campo da época e continua até hoje como UK Calibrations Limited com sede em Kidderminster. O Vickers Stitcher ainda estava sendo fabricado na Índia em 2005.

A divisão siderúrgica tornou-se parte da British Steel Corporation e os interesses restantes foram alienados como a empresa pública Vickers plc, cujos vários componentes foram posteriormente divididos. O nome Vickers deixou de existir em 2003, quando a Rolls-Royce renomeou suas aquisições para Vickers plc.

Ramos de atividadeEditar

ArmamentosEditar

A Vickers-Armstrongs herdou a metralhadora Vickers de 1912 usada na Primeira Guerra Mundial da Vickers Limited. Havia outras metralhadoras Vickers além do modelo regular refrigerado a água (conhecido universalmente como "Vickers"): a metralhadora Vickers-Berthier (VB) usada pelo exército indiano, a metralhadora Vickers "K" .303 desenvolvida dele, e o canhão da aeronave Vickers "S" 40 mm. Uma metralhadora incomum também feita foi a Vickers Higson.[6]

A Vickers produziu armas maiores, como o canhão Ordnance QF de 2 libras usado em tanques. Em 1948, Vickers comprou o negócio australiano de Charles Ruwolt Ltd por £ 750.000 após a morte de Ruwolt em 1946. Durante a Segunda Guerra Mundial, a empresa de Ruwolt produziu armamentos para o governo australiano, incluindo artilharia de campo, como morteiros e canhões de morteiro.[7]

Construção navalEditar

Após a fusão de 1927, a empresa possuía um grande estaleiro em cada costa da Grã-Bretanha; o Estaleiro Naval de Vickers em Barrow-in-Furness em Cumbria e o Estaleiro Naval de Armstrong Whitworth em High Walker no rio Tyne. A Vickers-Armstrongs foi um dos fabricantes de navios de guerra mais importantes do mundo. Esses interesses foram renomeados como Vickers-Armstrongs Shipbuilders em 1955, mudando novamente para Vickers Limited Shipbuilding Group em 1968. O estaleiro Barrow foi nacionalizado e tornou-se parte da British Shipbuilders em 1977, foi privatizado como VSEL em 1986 e permanece em operação até hoje como BAE Systems Submarines. Enquanto isso, o estaleiro naval em High Walker no rio Tyne passou para Swan Hunter em 1968,[8] foi nacionalizado e tornou-se parte da British Shipbuilders em 1977, foi privatizado ainda como Swan Hunter em 1986, mas fechou durante os anos 1980.[9]

A Vickers-Armstrong também construiu o hovercraft VA-3.

Veículos militaresEditar

A empresa também era conhecida por seus designs de tanques, começando com o amplamente utilizado Vickers 6-Ton. Ela também produziu o muito influente, sem nunca ter sido produzido em escala, tanque Vickers A1E1 Independent. Um dos projetos mais importantes da empresa foi o tanque de infantaria Valentine, produzido aos milhares na Segunda Guerra Mundial. Os interesses de fabricação de veículos militares foram transferidos para a Vickers plc, e mais tarde passariam para Alvis Vickers, agora parte da BAE Systems Land and Armaments.

Os veículos militares Vickers-Armstrongs notáveis incluem:

AviaçãoEditar

A Vickers formou seu Departamento de Aviação em 1911. As participações em aeronaves da Armstrong Whitworth não foram adquiridas na fusão e posteriormente transferidas para o grupo Hawker Aircraft. Em 1928, o Departamento de Aviação tornou-se Vickers (Aviation) Ltd e logo depois adquiriu a Supermarine Aviation Works, que se tornou a Supermarine Aviation Works (Vickers) Ltd e foi responsável pela produção do revolucionário caça Spitfire. Em 1938, ambas as empresas foram reorganizadas como Vickers-Armstrongs (Aircraft) Ltd, e uma nova sede 'art déco' projetada pelo arquiteto C. Howard Crane foi construída em sua fábrica de Brooklands em Surrey, embora as antigas obras de Supermarine e Vickers continuassem a marcar seus produtos com seus nomes anteriores. Em 1960, as participações em aeronaves foram uma das empresas fundadoras que se fundiram para formar a BAC. As atividades de hovercraft da Vickers-Armstrongs foram fundidas com as da Westland Aircraft Company (incluindo as da Saunders-Roe) para formar a British Hovercraft Corporation em 1966, com a Vickers detendo 25% da nova empresa. Westland comprou a participação da Vickers junto com outros sócios em 1970.

A Vickers formou uma subsidiária, a Airship Guarantee Company, sob a direção do Cdr Dennis Burney, exclusivamente com o propósito de produzir o dirigível R100 para o governo.

Entre 1911 e 1970, pouco mais de 16.000 aeronaves foram construídas com o nome Vickers; juntas, as 11.462 aeronaves Wellington e 846 Warwick (que eram estruturalmente semelhantes) representam mais de 75% desse total. [10]

Aeronaves militaresEditar

A Vickers tornou-se conhecida como fabricante de aeronaves de grande porte em sua fábrica principal em Brooklands, Surrey. No período entre guerras, a empresa produziu o Wellesley, projetado por Rex Pierson usando o princípio da estrutura geodésica do engenheiro estrutural Barnes Wallis. Posteriormente, isso evoluiu para o famoso bombardeiro Wellington, um dos pilares do Comando de Bombardeiros da RAF e do Comando Costeiro da RAF durante a Segunda Guerra Mundial. O bombardeiro Valiant V da era da Guerra Fria foi outro produto da Vickers.

Aeronaves militares com a marca Vickers:

A Vickers também competiu por contratos com os seguintes projetos:

Vickers CanadaEditar

Mísseis e outras armasEditar

Aviões civisEditar

A Vickers foi pioneira na produção de aviões comerciais, os primeiros exemplos sendo convertidos dos bombardeiros Vimy. Pós-Segunda Guerra Mundial, a Vickers passou a fabricar o avião Vickers VC.1 com motor a pistão, os aviões turboélice Viscount e Vanguard e (como parte do BAC) o avião a jato VC10, que foi usado no serviço RAF como um tanque de reabastecimento aéreo até 2013

Motores marítimosEditar

A Vickers-Armstrongs foi um dos poucos fabricantes britânicos de motores marítimos a diesel, principalmente para os submarinos da Royal Navy S, T e da Estônia Kalev durante a Segunda Guerra Mundial.

Rifles civis esportivos e de tiro ao alvoEditar

Após a Grande Guerra, a Vickers precisou diversificar quando os contratos militares terminaram. Entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial, eles introduziram vários rifles e espingardas de tiro ao alvo e tiro esportivo, sendo que os mais bem-sucedidos foram seus rifles de tiro ao alvo de fogo circular calibre 22 de pequeno porte. Esses eram competidores sérios para os produtos equivalentes da Birmingham Small Arms, e os rifles de alvo Vickers .22 estavam no topo dos resultados das principais competições por mais de uma década. Inicialmente, esses rifles foram nomeados exclusivamente para Vickers, mas, após a fusão de 1927 com Armstrongs, eles se tornaram produtos Vickers Armstrongs.

Ver tambémEditar

Referências

  1. (em inglês)Tolliday, Steven (1987). Business, banking, and politics: the case of British Steel, 1918-1939. [S.l.]: Harvard studies. pp. 193-195. ISBN 0-674-08725-9 
  2. a b «Vickers House, Westminster, London» (em inglês). Grace's Guide. Consultado em 14 de fevereiro de 2015 
  3. David Edgerton (8 de dezembro de 2005). Warfare State: Britain, 1920–1970. [S.l.]: Cambridge University Press. p. 37. ISBN 978-1-139-44874-1 
  4. «Dorothy Hatfield | Women's Engineering Society». wes.org.uk. Consultado em 26 de março de 2021 
  5. «Brooklands Museum :: LGBTQ at Brooklands: Janet Gulland». brooklandsmuseum.com. Consultado em 26 de março de 2021 
  6. Double-barreled automatic gun – VICKERS ARMSTRONGS LTD. Freepatentsonline.com (30 May 1950). Retrieved on 7 September 2013.
  7. G. Hayes. Australian Dictionary of Biography. [S.l.]: Adb.online.anu.edu.au. Consultado em 2 de junho de 2014 
  8. «Tyne & Wear Archives» (PDF). Consultado em 2 de junho de 2014 
  9. 3.30 pm (12 de maio de 1993). «Hansard 1993». Hansard.millbanksystems.com. Consultado em 2 de junho de 2014 
  10. Iain Murray (2012). Vickers Wellington Manual. [S.l.]: Haynes. p. 39. ISBN 978-0-85733-230-1 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Vickers-Armstrongs