Abrir menu principal

Vidas privadas

filme de 2001 dirigido por Fito Páez
Disambig grey.svg Nota: ""Vidas Privadas"" redireciona para este artigo. Para o filme com Sissy Spacek, veja In the Bedroom.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Vidas privadas
País Espanha, Argentina
Lançamento 2001
Diretor(a) Fito Páez
Gênero filme dramático
Duração 97 minutos

Vidas privadas (br Vidas Privadas[1]) é um filme argentino-espanhol de 2001, roteirizado e dirigido por Fito Páez.

O filme foi exibido na mostra Première Latina, no Festival do Rio 2002.[2]

RoteiroEditar

O roteiro do filme, escrito por Fito Páez, passa-se sobre a última ditadura militar da Argentina. O filme envolve o mito de Édipo com o roubo de um menor, desaparecimentos e torturas durante a ditadura militar, em uma história que oscila entre tragédia e melodrama. O filme teve uma pequena receita pouco e críticas geralmente desfavoráveis.[3]


ElencoEditar

Prêmios e IndicaçõesEditar

Ano Filme Prêmio Categoria Indicado Resultado Ref.
2002 '''Vidas Privadas''' Verona Love Screens Film Festival Best Film Fito Páez Indicado
2003 Argentinean Film Critics Association Awards - Silver Condor Melhor atriz coadjuvante Chunchuna Villafañe Indicado
  A Wikipédia tem os portais:

Referências

  Este artigo sobre um filme do cinema argentino é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


 
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.