Abrir menu principal
Vinhedos ao redor de Barolo.

Os vinhos italianos são conhecidos mundialmente por sua ampla variedade. Na Itália estão algumas das regiões produtoras de vinho mais antigas do mundo e o país, seguido de perto pela Espanha e pela França, é o maior produtor de vinho do mundo em volume. Sua contribuição é de cerca de 45 a 50 milhões de hectolitros por ano e representa cerca de ⅓ da produção global.[1] O vinho italiano é exportado para todo o mundo e também é extremamente popular na Itália: os italianos ocupam o quinto lugar na lista mundial de consumo de vinho em volume, com 42 litros de consumo per capita. As uvas são cultivadas em quase todas as regiões do país e há mais de um milhão de vinhas em cultivo.

Etruscos e colonizadores gregos produziram vinho na Itália antes que os romanos começassem seus próprios vinhedos no século II a.C.. A viticultura e a vinificação romanas eram prolíficas e bem organizadas, sendo pioneiras em larga escala em técnicas de produção e armazenamento, como o fabrico de barris e o engarrafamento.[2]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Wine - Agriculture and rural development» (PDF). Ec.europa.eu. Consultado em 2 de junho de 2016 
  2. «Wine». Unrv.com. Consultado em 2 de junho de 2016 
  Este artigo sobre bebidas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.