Abrir menu principal
Virus
Vírus[1] (PRT)
Vírus[2] (BRA)
 Estados Unidos
1999 •  cor •  99[3] min 
Direção John Bruno
Produção Gale Anne Hurd
Coprodução Dennis E. Jones
Todd Moyer
Bud S. Smith
Produção executiva Mark Gordon
Gary Levinsohn
Chuck Pfarrer
Mike Richardson
Roteiro Dennis Feldman
Chuck Pfarrer
Baseado em Virus de Chuck Pfarrer
Elenco Jamie Lee Curtis
Donald Sutherland
William Baldwin
Joanna Pacuła
Marshall Bell
Gênero ficção científica
terror
Música Joel McNeely
Cinematografia David Eggby
Figurino Deborah Everton
Edição Scott Smith
Companhia(s) produtora(s) Dark Horse Entertainment
Mutual Film Company
Valhalla Motion Pictures
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 15 de janeiro de 1999
Idioma inglês
Orçamento US$ 75 milhões[4]
Receita US$ 30,652,005 milhões[4]

Virus é um filme estadunidense de 1999, dos gêneros ficção científica e terror dirigido pelo artista de efeitos visuais John Bruno e estrelado por Jamie Lee Curtis, William Baldwin e Donald Sutherland. Baseado na história em quadrinhos com o mesmo nome de Chuck Pfarrer, conta a história de um navio assolado por uma entidade extraterrestre malévola que busca transformar a humanidade em escravos ciborgues.

O navio usado como o Akademik Vladislav Volkov foi o navio aposentado USNS General Hoyt S. Vandenberg (T-AGM-10).[5] Uma das antenas parabólicas do navio foi danificada intencionalmente para a cena final do filme, onde o navio foi destruído. Algumas das letras cirílicas aplicadas ao filme ainda eram visíveis no casco antes de ser afundado em 27 de maio de 2009. Várias falas de diálogos em Virus foram improvisadas.[6] Por exemplo, o comentário enfático de Richie de que o Volkov tem uma antena "fodida" resultou da surpresa do ator diante da condição do Vandenberg.

Virus foi um fracasso crítico e comercial, arrecadando US$30,652,005 que foi menos da metade de seu orçamento de US$75 milhões e ganhando críticas negativas. Com base em 48 avaliações, o filme detém uma taxa de aprovação de 10% no Rotten Tomatoes.[7] A maioria dos críticos achou o filme derivado e não original.[8][9][10] Revisores apontaram semelhanças com o filme de 1998 Deep Rising.[11][12] Roger Ebert deu para Virus uma classificação ainda mais baixa do que Deep Rising, que ele considerou um dos piores filmes de 1998 e colocou em sua lista dos mais detestados filmes.[13] As audiências pesquisadas pelo CinemaScore deram ao filme uma nota média de "C" em uma escala A+ a F.[14] Muitos ecoaram sua queixa sobre a cinematografia insuficientemente iluminada. Jamie Lee Curtis não gostou muito do filme. Em uma entrevista ao IGN.com, Curtis tinha o seguinte a dizer sobre Virus: "Essa seria a merda de todos os tempos...É apenas terrível... Essa é a única boa razão para estar em filmes ruins. Então, quando seus amigos tiverem [filmes ruins], você poderá dizer 'Ahhhh, eu tenho o melhor. Estou trazendo Virus".[15]

Apesar do insucesso, com o tempo ganhou status de clássico cult. O filme também foi promovido com uma linha de bonecos de ação, a Virus Collector Series, foi desenvolvida pela ReSaurus para promover o filme. A linha incluía figuras de Foster, Baker, Richie, Capitão Everton, Capitão Alexi, Squeaky e Goliath Machine (o conjunto Golias também incluía uma figura de Nadia). Os capitães e Squeaky foram construídos com seus implantes cyborg, com partes incluídas para restaurar sua aparência humana. Todos os conjuntos, excluindo Goliath e Nadia, incluíam uma ou mais armas para sua figura. Golias também contou com três clipes de som de suas falas do filme. Um videogame lançado na Europa, Virus: It is Aware, também foi desenvolvido e publicado pela Cryo Interactive para o Sony PlayStation. O jogo é um título de terror de sobrevivência semelhante ao conceito dos jogos populares do PlayStation, Resident Evil e Tomb Raider. O jogo teve pouco a ver com o filme, além da introdução e finalização das cinemáticas, que apresentam criaturas infestando um navio e uma estação espacial, respectivamente. O jogo atual segue uma policial feminina, Joan, presa em um hotel infestado junto com seu parceiro Sutter. Os quadrinhos originais foram relançados em formato de graphic novel com capas de álbuns alternadas baseadas no clímax do filme.

SinopseEditar

Uma estação espacial russa Mir é atingida por uma violenta descarga elétrica que é repassada para um navio também russo no Pacífico. Dias depois, durante uma tempestade, a tripulação de uma embarcação americana localiza o navio e resolvem abrigar-se neste. No navio eles são atacados pela oficial russa Nadia Vinogradova (Joanna Pacula), que após o susto lhes conta que alguma coisa estranha tomou conta do navio. Descobre-se então que uma força alienígena está agindo e criando formas de vida com partes humanas e robóticas. Os invasores querem que a raça humana seja destruída, pois para eles todos somos vírus.

ElencoEditar

  A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. Vírus (em português) no Sapo (Portugal)
  2. Vírus (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  3. «Virus (18)». British Board of Film Classification. 29 de janeiro de 1999. Consultado em 24 de setembro de 2016 
  4. a b http://www.boxofficemojo.com/movies/?id=virus.htm
  5. «NavSource Naval History». NavSource Naval History. Consultado em 27 de março de 2011 
  6. John Bruno, Marhsell Bell, Sherman Augustus (1999). Director and cast commentary. Universal Studios (DVD) 
  7. «Virus (1999) critic reviews». Rotten Tomatoes 
  8. Van, Lawrence (16 de janeiro de 1999). «Celluloid Comic Book About Aliens». The New York Times. Consultado em 27 de março de 2011 
  9. Schwarzbaum, Lisa (5 de fevereiro de 1999). «Virus». Entertainment Weekly. Your average winter cold follows a less predictable course. 
  10. Leydon, Joe (17 de janeiro de 1999). «Review: Virus». Variety 
  11. Berardinelli, James. «Review:Virus». Reelviews Movie Reviews 
  12. McDonagh, Maitland (1999). «Virus». TV Guide 
  13. Ebert, Roger (17 de janeiro de 1999). «Virus». Chicago Sun-Times 
  14. «CinemaScore». cinemascore.com 
  15. Otto, Jeff (8 de maio de 2003). «An Interview with Jamie Lee Curtis». IGN