Vivi o, preferibilmente, morti

Vivi o, preferibilmente, morti (br Vivo ou Preferivelmente Morto) é um longa-metragem ítalo-espanhol de 1969, dos gêneros faroeste e comédia, dirigido por Duccio Tessari e estrelado por Giuliano Gemma.

Vivi o, preferibilmente, morti
Vivo ou Preferivelmente Morto[1] (BRA)
 Itália
Flag of Spain (1945–1977).svg Espanha
1969 •  cor •  103 min 
Direção Duccio Tessari
Roteiro Ennio Flaiano
Elenco Giuliano Gemma
Nino Benvenuti
Sydne Rome
Género bangue-bangue
comédia
Idioma italiano

Sendo uma produção ítalo-espanhola e em língua italiana, o filme segue a tendência dos anos de 1960 com a mesma estratégia dos Western spaghetti, quando estes são ambientados em territórios norte-americanos e os nomes dos personagens em língua inglesa com o propósito de tornar-se atrativo ao mercado estadunidense. Inclusive a atriz Sydne Rome foi anunciada, nos Estados Unidos, como Karen Blake (mesmo sendo estadunidense de Ohio).[carece de fontes?]

SinopseEditar

O filme mostra as peripécias dos irmãos Mulligan (Giuliano Gemma é Monty Mulligan e Nino Benvenuti é Ted Mulligan) no velho oeste, quando estes tem que morar juntos por seis meses para ganhar uma herança, sendo que ambos não toleram um ao outro e também têm problemas financeiros. Sem dinheiro, juntam-se ao sr. Barnds (Antonio Casas) para virarem bandidos em assaltos a bancos e sequestros frustrados. Ao assaltarem uma diligência, conhecem Rossella Scott (Sydne Rome/Karen Blake), filha de um banqueiro e ela mesmo estabelece o valor do seu resgate e assim junta-se a trupe de "trambiqueiros".

ElencoEditar

  A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. «Programa de cinema: "Vivo ou Preferencialmente Morto"». Rio de Janeiro: Diário de Notícias. 5 de julho de 1970. p. 3 (2º caderno). Consultado em 4 de junho de 2018 
  Este artigo sobre um filme do cinema italiano é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.