Vladislav Vančura

Vladislav Vančura (Háj, pequena aldeia da Morávia, 23 de junho de 1891 – Praga, 1 de junho de 1942) foi um destacado escritor, diretor de cinema, dramaturgo, roteirista e poeta do século XX de nacionalidade checa, que foi um dos fundadores do grupo de arte de vanguarda Devětsil. Atuando nos escombros do Império Austro-húngaro, foi membro do Partido Comunista da Tchecoslováquia, embora tenha sido expulso oito anos depois. Engajado na luta anti-fascista durante a II Guerra Mundial, foi executado pela Gestapo [1], tendo sido levado de sua casa invadida. O conjunto de sua obra passaria a ser considerado o mais importante do período entre-guerras.

Vladislav Vančura
Nascimento 23 de junho de 1891
Háj ve Slezsku (Áustria-Hungria)
Morte 1 de junho de 1942 (50 anos)
Kobylisy
Cidadania Checoslováquia, Áustria-Hungria
Etnia Checos
Cônjuge Ludmila Vančurová
Filho(s) Alena Santarová
Alma mater
Ocupação poeta, escritor, diretor de cinema, médico escritor, dramaturgo, roteirista, crítico, médico
Prêmios
Causa da morte Perfuração por arma de fogo

Referências

FontesEditar

  • Alena Škodová. Rádio Praga. 13-11-2002
  • JAVANOVIC, Aleksandar. Céu vazio – 63 poetas eslavos. Hucitec. Brasil. São Paulo. 1996.