Voo Inex-Adria Aviopromet 1308

acidente aéreo

O voo Inex-Adria Aviopromet 1308 foi um voo de um DC-9-81 da empresa iugoslava Inex-Adria Aviopromet, que caiu na manhã de 1 de dezembro de 1981 contra o Monte San Petru, na Córsega, matando todos os seus 180 ocupantes.

Voo Inex-Adria Aviopromet 1308
O avião acidentado, em setembro de 1981
Sumário
Data 1 de dezembro de 1981
Causa Colisão com o solo em voo controlado devido a um erro do piloto e um erro do controle de tráfego aéreo
Local Monte San Petru, perto de Ajaccio, Córsega, França
Coordenadas 41° 45′ 15″ N, 8° 58′ 40″ L
Origem Aeroporto de Brnik
Destino Aeroporto de Ajaccio-Napoleão Bonaparte
Passageiros 173
Tripulantes 7
Mortos 180 (todos)
Feridos 0
Sobreviventes 0
Aeronave
Modelo McDonnell Douglas MD-81
Operador Inex-Adria Aviopromet
Prefixo YU-ANA

Foi o acidente aéreo com mais mortes em 1981, bem como o primeiro e pior acidente fatal envolvendo uma aeronave da família MD-80.

Histórico do vooEditar

O DC-9-81, prefixado YU-ANA, operando um voo não programado, partiu do aeroporto de Liubliana no dia 1 dezembro e estava programado para pousar em Ajaccio. Ao sobrevoar a Córsega, a aeronave voou para o Monte San Petru às 8:53 da manhã e caiu violentamente, deixando os ocupantes sem chance de sobrevivência.

InvestigaçãoEditar

A investigação revelou que a aeronave iugoslava havia caído muito baixo devido a problemas de comunicação com a torre de controle de Ajaccio, cujo aeroporto também não estava equipado com radar. Havia alguma distração na cabine e nas manobras da tripulação para evitar o terreno quando o aviso de uma colisão iminente soou tarde demais.

Balanço do acidenteEditar

Este acidente aéreo é o maior que já ocorreu na Córsega e o segundo em termos de vítimas em território francês depois do voo Turkish Airlines 981 (346 mortos).

Pessoas a bordoEditar

Havia 173 passageiros e sete tripulantes. Entre os passageiros, 130 turistas eslovenos, mas também 43 pessoas pertencentes ao pessoal da empresa e à agência que fretou o avião ou fez parte de sua família. Assim, o relatório oficial menciona entre os passageiros um marítimo da empresa que viajava como passageiro único, mas também o filho do co-piloto que chegou a entrar na cabine alguns momentos antes do desastre. O avião estava cheio.

NotasEditar

Ligações externasEditar