Vultee Aircraft

A Vultee Aircraft tornou-se uma empresa independente em 1939 no Condado de Los Angeles. Tinha um sucesso limitado antes de se fundir com a Consolidated Aircraft Corporation em 1943 para formar a Consolidated Vultee Aircraft Corporation - Convair.[1]

Vultee Aircraft Corporation
Nome(s) anterior(es) Airplane Development Corporation
(1932–1934)

AVCO Aviation Manufacturing Corporation
(1934–1939)
Pública
Atividade Aeroespacial
Fundação 1939 (84 anos)
Fundador(es) Vance Breese
Gerard Vultee
Destino Fundiu-se com a Consolidated Aircraft para formar a Consolidated Vultee Aircraft Corporation
Encerramento 1943 (80 anos)
Sede Downey (Califórnia)
 Estados Unidos
Sucessora(s) Convair

HistóriaEditar

Gerard "Jerry" Freebairn Vultee (1900–1938) e Vance Breese (1904–1973) iniciaram a Airplane Development Corporation no início de 1932 após a American Airlines ter demonstrado grande interesse no projeto de avião comercial V-1. Pouco tempo depois, Errett Lobban Cord compraria todas as 500 partes de ação da empresa e se tornaria uma subsidiária da Cord.

Subsidiária da AVCOEditar

 
Um Vultee V-1 de 1936,
exibido no "Virginia Aviation Museum".

Devido ao Air Mail scandal de 1934, a AVCO estabeleceu a Aviation Manufacturing Corporation (AMC) em 30 de novembro de 1934 através da aquisição das ações de Cord, incluindo a Airplane Development Corporation de Vultee. A AMC foi liquidada em 1 de janeiro de 1936 e a Divisão de Aeronaves da Vultee foi formada como uma subsidiária autônoma da AVCO.

Jerry Vultee foi nomeado vice-presidente e engenheiro chefe.[2] Vultee adquiriu os ativos da encerrada AMC, incluindo a Lycoming e a Stinson Aircraft Company.

Enquanto isso, Vultee e Breese haviam redesenhado o V-1 para cumprir com as necessidades da American Airlines e criaram o V-1A, com uma capacidade para oito passageiros. A American comprou 11 V-1A, mas a aeronave falhou em obter sucesso devido a preocupações de segurança por ser um avião monomotor, além do advento dos bimotores DC-2 e DC-3. Vultee então redesenhou o V-1 em uma aeronave de ataque, criando o V-11 para o Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos, mas com poucas aeronaves sendo produzidas.

Em 1937, Jerry estava liderando sua própria fábrica em Downey (Califórnia), com mais de um milhão de dólares em pedidos das aeronaves V-1, V-1A e V-11.[2]

Em 1938, antes de ver a Vultee se tornar uma empresa independente, Jerry Vultee e sua esposa Sylvia Parker, filha do diretor cinematográfico da Twentieth Century Fox, Max Parker,[2] morreram quando o avião que estava pilotando se acidentou em uma tempestade de neve próximo a Sedona, Arizona. Uma placa de bronze em memória dos Vultee foi colocada no final de uma trilha em Coconino.[3] Donald P. Smith, amigo de Vultee e vice-presidente da Vultee Aircraft, escreveu uma carta à revista "TIME" acerca da morte de Vultee:

Senhores:

''Gerard F. Vultee ("Jerry"), não Gerald, meu grande amigo e parceiro de negócios por muitos anos, foi morto quando o monoplano que estava voando com a Sra. Vultee se acidentou no topo da Montanha Wilson [TIME, 7 de Fev.]. ... Surpreendido por uma tempestade de neve local nevasca, sem qualquer treinamento em voo cego ou por instrumentos, foi incapaz de encontrar uma saída. O fogo ocorreu após o acidente, não antes.
DON P. SMITH Vice-Presidente
Vultee Aircraft Los Angeles, Calif.[4]

 
Instalação de um motor em um treinador BT-13 Valiant na fábrica da Vultee em Downey, Califórnia durante a Segunda Guerra Mundial.[5]

A AVCO contratou então Dick Palmer, da Howard Hughes, para assumir o lugar de Vultee e a Divisão de Aeronaves da Vultee começou a desenvolver projetos militares. Dick Palmer criou os treinadores BT-13, BT-15 e SNV Valiant[2] e supervisionou outros grandes programas de produção como o V-72 Vengeance, servindo no USAAC como A-31 e A-35.

Empresa independenteEditar

A Vultee Aircraft foi criada em novembro de 1939, quando a Divisão de Aeronaves Vultee da AVCO foi transformada em uma empresa independente.[6][2]

O P-66 Vanguard foi um programa de produção de caça em 1941 para a Suécia, que acabou sendo herdada pelo USAAC, Grã-Bretanha e por último, China. O P-66 tinha um registro de combate medíocre na China e foi aposentado em 1943. O projeto de caça XP-54 foi o último projeto da Vultee Aircraft, com apenas dois protótipos construídos.[6][7][8]

A Vultee foi a primeira empresa a construir aeronaves em uma linha de montagem motorizada e a primeira a usar mulheres em posições da linha de produção.

FusãoEditar

Em 17 de março de 1943, a Consolidated e a Vultee fundiram, criando a Consolidated Vultee Aircraft Corporation, popularmente conhecida como Convair.[9] A gerência da Vultee pediu demissão.[7][10]

Linha do tempoEditar

  • 1929 Aviation Corporation (AVCO) formada por múltiplos participantes
  • 1932 Airplane Development Corporation formada por Gerard F. "Jerry" Vultee; Errett Lobban Cord logo assumiria
  • 1934 AVCO adquire a Airplane Development Corporation de Cord e forma a Aviation Manufacturing Corporation (AMC)[11]
  • 1936 AMC liquidada para formar a Vultee Aircraft Division, uma subsidiária autônoma da AVCO
  • 1939 Vultee Aircraft Division da AVCO transformada em uma empresa independente, conhecida como Vultee Aircraft, Inc.
  • 1941 Consolidated Aircraft Corporation vendida para a AVCO
  • 1942 Vultee adquire a Intercontinent Aircraft Corporation[12]
  • 1943 Consolidated Vultee Aircraft Corporation, conhecida popularmente como Convair, formada pela fusão entre a Consolidated Aircraft e a Vultee Aircraft; ainda controlada pela AVCO
  • 1947 Convair adquirida pela Atlas Corporation
  • 1953 (ou 1954) Convair adquirida pela General Dynamics
  • 1985 General Dynamics formou a "Space Systems Division" do Programa Espacial Convair
  • 1993 Lockheed Corporation adquire a divisão de aeronaves de Fort Worth da General Dynamics, construtora do F-16 Fighting Falcon.
  • 1994 Space Systems Division vendida para a Martin Marietta
  • 1994 Convair Aircraft Structures vendida para a McDonnell Douglas
  • 1997 McDonnell Douglas vendida para a Boeing

AeronavesEditar

Nome de modelo, nome de serviço Primeiro voo Quantidade produzida Tipo
Vultee V-1 1933 25 Avião comercial monomotor
Vultee V-11 1935 175-224 Aeronave de combate monomotor, testado pelo USAAC como YA-19
Vultee V-12 1939 Desenvolvimento do V-11
V-54, Vultee BT-13 Valiant 1939 9.525 Avião de treinamento básico monomotor
V-48, Vultee P-66 Vanguard 1939 146 Caça monomotor
Vultee V-72 Vengeance 1941 1.931 Caça-bombardeiro monomotor
Vultee V-84 1943 2 Protótipo de caça com motor por impulsão
V-90, Vultee XA-41 1944 1 Protótipo de caça-bombardeiro monomotor
Consolidated TBY Sea Wolf 1944 180 Vought TBU produzido sob licença
Vultee XP-68 Tornado n/a 0 Desenvolvimento do V-84 não construído

ReferênciasEditar

Notas
  1. «Consolidated Vultee Aircraft Corporation» (em inglês). 2003. Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  2. a b c d e Yenne 2009, p. 17.
  3. «Coconino National Forest» (em inglês). USDA Forest Service 
  4. «Davis-Monthan Field Register». Arquivado do original em 27 de setembro de 2007 
  5. Parker 2013, p. 107, 110–13
  6. a b Parker 2013, p. 107–120
  7. a b Borth 1945, p. 251.
  8. Herman 2012, p. 140, 203, 262–3.
  9. Yenne 2009, p. 18.
  10. Parker 2013, p. 114
  11. Thompson, John (8 de agosto de 1940). «Vultee Buys Stinson Airplane Factory for Big Expansion Here». p. 6 
  12. «Vultee Aircraft Buys Intercontinent». Evening Sun. AP. 18 de julho de 1942. p. 11 
Bibliografia
  • McKillop, Jack. «Vultee SNV Valiant». Brown-Shoe Navy: U.S. Naval Aviation 
  • Parker, Dana T. (2013). Building Victory: Aircraft Manufacturing in the Los Angeles Area in World War II. Cypress, CA: [s.n.] ISBN 978-0-9897906-0-4 
  • Rumerman, Joel (2003). «Consolidated Vultee Aircraft Corporation». US Centennial of Flight Commission 
  • Thompson, Jonathan (1992). Vultee Aircraft 1932–1947. Santa Ana, CA: Narkiewicz/Thompson. ISBN 0-913322-02-4 
  • «The Vultee V-1A». Golden Age of Aviation E-column 
  • Yenne, Bill (2009). Convair Deltas from Sea Dart to Hustler. North Branch, MN: Specialty Press. ISBN 978-1-58007-118-5 
  • Borth, Christy (1945). Masters of Mass Production. Indianapolis, IN: Bobbs-Merrill Co. 
  • Herman, Arthur (2012). Freedom's Forge: How American Business Produced Victory in World War II. Nova Iorque, NY: Random House. p. 140, 203, 262–3