Abrir menu principal

Wellington Roberto

Wellington Roberto
Wellington Roberto
Deputado federal da Paraíba
Período 1º de fevereiro de 2003 até
Atualidade
Senador pela Paraíba
Período 1998-2003
Antecessor Humberto Lucena
Sucessor José Maranhão
Dados pessoais
Nascimento 19 de maio de 1959 (60 anos)
São José de Piranhas, PB
Partido PR
Profissão Politico e Empresario

José Wellington Roberto (São José de Piranhas, 19 de maio de 1959) é um empresário e político brasileiro com atuação na Paraíba, estado pelo qual já foi senador e atualmente representa como deputado federal.

BiografiaEditar

Filho de Epitácio Roberto Dantas e Maria Roberto Sobrinho, ingressou na Universidade Federal da Paraíba em Campina Grande aos vinte anos sem, contudo, concluir o curso de Engenharia Civil. Empresário do ramo sucroalcoleiro e de corretagem de veículos, filiou-se ao PMDB e foi eleito suplente do senador Humberto Lucena em 1994 sendo efetivado após a morte do titular em abril de 1998. Eleito deputado federal em 2002 (pelo PTB) e em 2006 (pelo PL). Atualmente está filiado ao Partido da República.

Em 17 de abril de 2016, Wellington Roberto votou contra a abertura do processo de impeachment de Dilma Rousseff.[1]

Em 14 de junho de 2016, apoiou o Deputado Eduardo Cunha votando contra a sua cassação no comitê de ética da Câmara dos Deputados.[2]

Operação SanguessugaEditar

Wellington Roberto foi acusado pelo empresário Darci Vedoin de envolvimento no que foi chamado de Escândalo dos sanguessugas[3]. Segundo Vedoin, Wellington Roberto teria recebido 10% de comissão de cada emenda de sua autoria que resultasse em licitação ganha em prefeituras ou entidades não governamentais. Ainda pesa contra o político, transcrição de ligação telefônica com o então assessor do Ministério da Saúde Jairo Lanogni de Carvalho[3].

O esquema foi conhecido pela mídia como Operação Sanguessuga, nome da ação deflagrada pela Polícia Federal em parceria com o Ministério Público do Mato Grosso do Sul[4]. O esquema consistia em desviar dinheiro público destinado a compra de ambulâncias e equipamento hospitalar, somando quantia milionária. As fraudes em licitações ocorreram em todos os estados brasileiros, à exceção do Amazonas[4].

Por ter foro privilegiado, a ação contra Wellington Roberto corre em segredo de justiça no Supremo Tribunal Federal[5].

Tropa do CunhaEditar

Wellington Roberto é conhecido por fazer parte da chamada "Tropa de Choque de Cunha", grupo composto por 9 (nove) Deputados Federais que teve como objetivo obstar no Conselho de Ética todas as tentativas de investigação e punição do Presidente da Câmara Eduardo Cunha, o qual tem contas em seu nome na Suíça. Trabalhou ativamente na campanha do colega de partido à presidência da Câmara. No Conselho de Ética, é um dos deputados mais atuantes na defesa de Cunha. O deputado costuma apresentar reiterados questionamentos nas sessões do Conselho de Ética, como uma manobra para adiar ao máximo o andamento do processo.[6] Votou contra a admissibilidade do processo que pede a cassação do mandato do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, juntamente com outros 8 deputados. Teve seu voto vencido, pois outros 11 deputados votaram pela abertura do processo.[7]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Deputados autorizam impeachment de Dilma, saiba quem votou a favor e contra». EBC. 17 de abril de 2016. Consultado em 5 de maio de 2016 
  2. «Por 11 a 9, Conselho de Ética aprova parecer pela cassação de Cunha». Política. 14 de junho de 2016. Consultado em 14 de junho de 2016 
  3. a b Conheça a acusação contra Wellington Roberto e sua defesa
  4. a b Sanguessugas: Conselho de Ética ouve hoje Edir Oliveira[ligação inativa]
  5. «Veja». Consultado em 8 de maio de 2013. Arquivado do original em 17 de março de 2013 
  6. «'Tropa de choque' de Cunha reúne deputados de cinco partidos». Política. Consultado em 16 de dezembro de 2015 
  7. [1], Conselho de Ética aceita parecer pela abertura de processo contra Cunha, 15 de dezembro de 2015

Ligações externasEditar

Precedido por
Humberto Lucena
Senador da Paraíba
1998 — 2003
Sucedido por
José Maranhão
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.