Abrir menu principal

Wikipédia:Esplanada/geral/Descalabro em solicitação para votar em EAD (6set2012)

O fenómeno da solicitação não é de agora, mas ultimamente tem havido uma vaga de artigos de qualidade muito questionável que, à conta da solicitação têm votos que nunca mais acaba. O cúmulo é este, com 27(!) votos a favor, grande parte deles, senão a maioria, de gente que nunca aparece nas EAD.

Seria muito positivo haver uma maior participação nas EAD, mas estas tornarem-se mais um local onde acorre quem para tal é solicitado é a descredibilização completa do processo, dando razão aos mais pessimistas para quem as EAD são um clube de amiguinhos, onde os votos são por simpatia e não baseados na qualidade dos artigos. --Stegop (discussão) 11h38min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Concordo em pleno com o Stegop. Os artigos em destaque seriam a única maneira de distinguir o trigo do joio, mas já se viu que o formato de votação não o permite e são mais um sintoma do efeito do arrefecimento por evaporação. GoEThe (discussão) 11h46min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Segundo o texto no blog que mencionei, as pessoas com mais interesse em ter o seu artigo na página principal, serão as pessoas que escreverão artigos que menos pessoas acharão de qualidade. Diminuindo a qualidade dos artigos na página principal fará com que as pessoas capazes de escrever um artigo de qualidade dêem valor a ter o seu artigo na página principal. Da mesma forma, se não há uma verdadeira avaliação de artigos nas EADs, pessoas com a capacidade de avaliar um artigo terão também menos interesse em fazer esse serviço, uma vez que as suas avaliações não servirão para nada, face à torrente de votos de pessoas que mal leram o artigo. Isto cria uma espiral que favorece a mediocridade em vez de favorecer a excelência. Mudando a aprovação para um sistema mais editorial de avaliação, ao invés da votação, estaremos a criar uma pressão de selecção mais favorável à excelência. GoEThe (discussão) 11h55min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
(conflito) Verdade, está ridículo isso. Um dia dessas apareceram na minha PDU pedindo voto para EADs que na epóca já estavam com 16 e 8 votos a favor respectivamente, sendo essa última, já estando atualmente com 28 votos de pessoas que nem sequer devem ter lido (em sua grande maioria) a introdução do artigo. Só fizeram passar o olho.
É um absurdo. EADs deveriam ser por consenso, assim como fazem com os anexos. Se uma pessoa chegar e apontar que tem um problema na página (e se esse problema for válido), automáticamente o artigo não poderá ser eleito ao que foi proposto enquanto o problema não for solucionado. !Silent (discussão) 11h55min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Dos 27 contei 14 que considero "conhecidos" e acho que tido como "bons editores", o dobro dos "contra", além de solicitação ser aceita então não sei qual é o problema.--Arthemius x (discussão) 11h59min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

A selecção de AD é feito por uma percentagem de 75%. Se fossem só os "conhecidos" "bons editores" o artigo não seria destacado, mas com os "desconhecidos" já o será, enquanto que a qualidade dos artigos se mantém igual com ou sem votos. GoEThe (discussão) 12h08min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Ah, sim, então é só vetar o voto dos desconhecidos que o problema está resolvido.--Arthemius x (discussão) 12h11min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Para quê criar barreiras à participação? GoEThe (discussão) 12h12min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Não ter mais o problema de tanta gente votando.--Arthemius x (discussão) 12h13min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
O problema não é ter muita gente a votar, é essa gente votar sem ler o artigo. GoEThe (discussão) 12h19min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Creio que os contra também não leem, hehe.--Arthemius x (discussão) 12h20min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
É, infelizmente também acontece. GoEThe (discussão) 12h22min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
  • E quantos dos conhecidos costumam participar em EAD's? --Stegop (discussão) 12h34min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Tá, a solicitação nas EADs está acabando com a qualidade do processo. Ok, todos sabemos, e agora sabemos o quão grave está. E aí, o q faremos? Propor proibir as solicitações? Votamos isso a seis meses )14x19), votamos de novo? Transformamos a EAD em consenso? Quais as opções? Rjclaudio msg 12h38min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Não sei responder... Não sei mesmo qual é a solução. Mas, precisamente pelo efeito (muito bem observado!) apontado pelo Goethe, do "do arrefecimento por evaporação", a continuar assim, acho que há um risco elevado que nas EAD's se acentue ainda mais aquilo que se vem a verificar e que já tomou completamente conta da escolha dos anexos: atualmente a maioria dos artigos já é de uns quantos temas que a gente sabe (TV, música teen, etc.); no futuro vão ser quase todos... Resta-nos esperar que, como é típico da juventude, seja uma moda passageira. --Stegop (discussão) 12h52min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Se mudássemos para consenso, não resolveria o problema? BelanidiaMsg 13h13min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

proibir a solicitação para voto seria uma boa solução. e o consenso, por favor.... é uma utopia, com o material humano que temos. se mesmo com regras relativamente claras que temos agora as violações são sistemáticas e dificílimas de controlar - como se sabe, na wikipédia não existe a figura do juiz supremo - , imaginem com a fluidez do consenso, onde tudo é vago, fumaça politicamente correta, com a promessa de que todos a participar serão seres iluminados e oniscientes e todos ficarão felizes no "the end" açucarado. acordem! kkkkk Tetraktys (discussão) 13h23min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

A solução para o Tetratkys é proibir, proibir, proibir... GoEThe (discussão) 13h30min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Proibir solicitação para voto resolveria o problema? Como assim? Isso sim, é utópico. Recebo semanalmente imensa solicitação por e-mail ... como pretende controlar esse tipo de solicitação? Se proibir a solicitação, simplesmente conseguirá que quem pratica isso mude de tática, e passe a efetuar a solicitação off-wiki e continuará tudo na mesma. Além disso, onde é que a solicitação resolve o facto de as pessoas votarem ser ler os artigos? Não consigo ver solução alguma para nenhum dos problemas aqui apresentados por simplesmente proibir a solicitação. BelanidiaMsg 13h37min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
  • Proibir solicitação não adianta e somente incentiva a utilização de outros meios de comunicação para realizar pedidos. Se o problema de solicitação veio à tona é porque foi transparente do contrário levaria mais tempo para ser observado. O problema é a avaliação que está deficiente e sempre tivemos dificuldades de fazer valer o básico: as regras. Pelo rigor frio, a votação indicada pelo Stegop deveria ter todos, eu disse todos, os votos a favor devidamente anulados pois foi indicado claramente que o artigo foi construído com fontes que não são fiáveis mas o problema foi solenemente ignorado pelos votantes e pelo proponente.OTAVIO1981 (discussão) 14h06min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
  • Eu sou dos que acho que as votações EAD giram num círculo, óbvio, de favores: "voto no teu, votas depois no meu!" e etc. Por isso, não participo nessas votações, nem como votante, nem com artigos candidatos. Agora, isto tem solução? Não sei. Sendo uma votação... A proibição das solicitações não é a solução em si, mas eu não sou a favor delas e em qualquer votação votarei para as proibir. Por fim, OTAVIO1981, estamos no direito de anular votos válidos? Se não são válidos, há regra que diga isso? -- L'Éclipse [msg] 14h14min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Ver o item 4. (Qualificação do voto) em WP:EAD. OTAVIO1981 (discussão) 14h33min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Então é cumprir o procedimento para anulação de votos: Para que haja a anulação, o interessado deverá avisar o votante para que reavalie o artigo depois de feitos os ajustes, ou apontados os defeitos que contrariem seu voto. Então, se em dois dias (48 horas) o proponente da anulação não obtiver uma resposta, o voto poderá ser anulado. Isso já foi feito? Se tem regra, é para cumprir. BelanidiaMsg 14h39min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
A regra só e aplicada para votos contra. Votos a favor não têm que ter justificação, portanto nunca se pode afirmar que está contra as regras, por mais óbvio que isso seja e que o votante votou sem sequer abrir o artigo.
O problema de fundo é este: as discussões só deveriam servir para debater e analisar o artigo do ponto de vista de conteúdo; isto é, apontar omissões de factos, sugerir a introdução de novos dados ou a actualização de outros, ou apontar matérias que entretanto tenham sido revistas. Na quase totalidade dos casos não é nada disto que acontece, uma vez que os artigos chegam de tal forma deficientes que a discussão perde-se num sem rol de ninharias que já deviam estar resolvidas antes de qualquer proposta. A maior parte dos artigos propostos tem uma redacção extremamente deficiente, cheia de erros gramaticais, as fontes não estão formatadas ou são de fiabilidade duvidosa, a wikificação não segue o livro de estilo, têm erros de tradução grosseiros, conceitos errados, etc. E já para não falar em casos ainda mais graves com metade do artigo sem referências. Isto já devia estar tudo mais que sanado.
A partir do momento em que alguém detectasse e demonstrasse problemas deste género, a candidatura devia ser imediatamente interrompida, o artigo enviado para revisão, só podendo ser apresentada uma nova candidatura depois de sanados os problemas básicos para, aí sim, a discussão poder ser centrada no conteúdo. A partir do momento em que o artigo tem, ou tem condições para ter, uma tag de manutenção já há qualquer coisa de muito errado no processo. Algumas pessoas ficam chocadas e escandalizadas com essa burocracia de "revisões". São os mesmos que amanham, e mal, um texto medíocre do tradutor do google em meia hora e acham que está feito um destaque, partindo daí para o recurso a solicitação em massa. Na en.wiki, por exemplo, nunca pode ser feita uma candidatura a destaque sem passar por um processo de revisão. Polyethylen (discussão) 14h55min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Onde fala que a regra apenas deve ser aplicada nos votos contra? Não consigo encontrar isso em lado algum. BelanidiaMsg 14h57min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Não fala. Mas os votos contra são os únicos que têm uma justificação que pode ser contrariada individualmente. Note-se: eu concordo perfeitamente que após estar demonstrado que determinado artigo não cumpre políticas ou recomendações do livro de estilo, essa candidatura deva ser suspensa. Mas atente-se: é a candidatura que é suspensa e não a anulação individual de votos em massa. Isso é ultra burocratizar uma coisa simples. Polyethylen (discussão) 15h01min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Eu não discordo do que vc disse, mas o certo é que as regras dizem que Todos os votos devem ser justificados. Ou se aplica isso, ou então altera-se essa frase. Todos são todos. Concordo com a lógica que apresentaste ... mas as regras dizem outra cosia! E será que aplicar esse método de revisão resolveria o problema? BelanidiaMsg 15h10min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Eu já ando rouco de advogar a obrigatoriedade do WP:Processo de revisão. GoEThe (discussão) 15h11min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Então avancemos com isso. Porque não é feito ainda? Precisa de ser votado ... há alguma coisa que impeça? BelanidiaMsg 15h14min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

eu não vejo problema nenhum em proibir a solicitação. se violar a regra, terá sua votação imediatamente suspensa, acho que logo todos cessarão de incomodar. as provas serão fáceis de recolher: um email, uma mensagem na página pessoal, etc. mais simples impossível Tetraktys (discussão) 15h18min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

(conflito
Tetraktys, desculpa a frontalidade, mas neste caso acredito que proibir solicitação é uma tentativa de tapar o sol com a peneira. Além de que não respondeste às perguntas levantadas acima, acerca deste mesmo assunto. BelanidiaMsg 15h22min de 6 de setembro de 2012 (UTC))
pode ser que não resolva tudo, mas uma boa parte sim. nós nunca vamos ter soluções perfeitas, totais e absolutas. sobre o fato de as pessoas votarem sem ler, duvido que haja solução. como se pode provar que a pessoa não leu? e como podemos reforçar mais a necessidade de seguir os critérios se isso já está reforçado nos quatro cantos da wikipédia e mesmo assim o pessoal faz ouvidos de mercador? é o que eu disse antes: com esse material humano os altos ideais da wikipédia precisam ser acomodados à realidade. não dizemos em altos brados que a-do-ra-mos ter a colaboração leiga? pois então! agora tá feita a lambança e nada vai mudar enquanto o amadorismo for política oficial. o jeito é ir empurrando com a barriga mesmo, e ir ajeitando um pouquinho aqui, um pouquinho ali, onde der. Tetraktys (discussão) 15h32min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Controlar a solicitação diminui a solicitação, mas ela continua a existir às escondidas, e não resolve o problema dos votos por favor sem ler os artigos. E tem outra consequência: impede que se possa pedir revisões sérias a alguém que sabemos que vai ler o artigo e apontar/corrigir problemas. Não é a solicitação o problema. O problema é a situação ridícula de dar protagonismo e validade a gente que vota em massa sem ler, ou que lê mas não tem a mínima capacidade de análise.
Depois deste debate, a solução mais óbvia para mim é mesmo a escolha em duas fases. Uma de revisão e outra de escolha propriamente dita. Na primeira são só apontados os problemas técnicos: redacção, formatação, referenciação, fiabilidade de fontes. Qualquer um pode rever, mas os problemas listados devem ser corrigidos. Só podem passar para a fase de escolha os artigos já revistos por um número mínimo de revisores e aprovados; isto é, em que os problemas tenham sido sanados. Depois na votação pode-se debater o conteúdo em falta ou não.
Isto teria uma dupla vantagem: por um lado, tornava as solicitações inócuas na fase de revisão. Não interessaria o número de "solicitados" porque enquanto os problemas apontados não fossem corrigidos, o artigo não poderia passar à fase seguinte. Por outro lado, não via até problemas em continuar com a votação na fase de escolha, uma vez que o mais grave tinha já sido sanado. Polyethylen (discussão) 15h42min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Poly, diminuir já ajuda! mas é bem diferente pedir uma revisão do que pedir um voto. uma coisa não tem nada a ver com a outra. aliás me parece que pedir uma revisão é ótimo! mas como vc diz, a solicitação é um assunto menor. o problema é a qualificação do texto. fazer em duas etapas, primeiro a revisão e depois EAD, parece boa em tese, mas imagino se isso vai funcionar. quem vão ser os revisores? isso não é o mesmo que instalar oficialmente um corpo de peer-reviewers? não julgo que possamos bancar isso no estado em que se encontra a comunidade. seria muita pretensão de nossa parte. se não serão peers, serão nós mesmos. já fazemos isso num só lugar. por que temos que abrir um segundo boteco para discutir os mesmos assuntos? rsrsrs fora toda a burocracia adicional que iria gerar. além do mais, essa "nova geração" de editores parece vigorosa o bastante para começar a impor os seus próprios padrões, como prova a dificuldade de corrigirmos os notórios abusos. ou estamos sendo invadidos por aliens ou a wiki está em crise de identidade! kkkk Tetraktys (discussão) 15h57min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Qualquer um pode rever. Agora, esse artigo não pode simplesmente ser candidato enquanto houver problemas pendentes apontados na revisão. Depois de revisto e garantido que não há problemas graves, o processo de votação ficaria também bastante simplificado. Polyethylen (discussão) 16h00min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
a minha eterna questão é essa: num lugar em que a opinião de um semianalfabeto tem exatamente o mesmo peso que a de um que estuda o assunto há vinte anos, haverá salvação para o idealismo e esperança para uma alta qualificação? eu duvido. mas nada impede que experimentemos novas formas de proceder. Tetraktys (discussão) 16h06min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
A questão é precisamente essa: numa revisão um problema não pode ser ignorado. Polyethylen (discussão) 16h18min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
ok, mas por que vc julga que, se qualquer um pode revisar, não iriam se apresentar como revisores essa mesma turminha que nos faz engolir porcarias todo o dia? Tetraktys (discussão) 16h23min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
mas tb não vejo motivo para não tentarmos uma mudança no processo. por que não? pode funcionar melhor Tetraktys (discussão) 16h25min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Mesmo que apareça a mesma turminha, o que duvido, porque é preciso pelo menos escrever uma frase inteira com sentido e isso dá muito trabalho, a revisão só acaba quando há acordo que os defeitos apontados foram sanados. GoEThe (discussão) 16h29min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
E daí que se apresentem? Podem até aparecer 30 indivíduos a afirmar que fizeram uma revisão e não detectaram problemas. Mas se alguém aponta que há duas secções inteiras sem fontes ou que meia dúzia de fontes são wikis sem fiabilidade, o artigo não pode passar para a fase seguinte enquanto isso não for resolvido. Polyethylen (discussão) 16h31min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
bem, se o critério for esse, de uma opinião poder anular a opinião de toda a maioria, eu concordo com a mudança. é pra ontem! porém, essa forma de proceder não vai contra o badalado princípio do consenso? qual será o princípio mais alto aqui? não estamos a subverter algum dos cinco pilares? pergunto se há coerência da proposta com o contexto maior e se isso não é uma "aberração legislativa" rsrsrs Tetraktys (discussão) 16h38min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Hum? Pelo contrário, é muito aproximado do consenso. Um artigo só pode ser proposto quando há consenso que não está em desacordo com nenhuma das políticas e recomendações da wikipédia, do livro de estilo ou da gramática portuguesa. Polyethylen (discussão) 16h41min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Tetratkys, ainda está a ver a situação com voto e anulação. Acho que já tentei explicar-lhe (mas pode ter sido a outra pessoa) que consenso é um processo, uma negociação. Quando se chega a acordo, há consenso. GoEThe (discussão) 16h44min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
mas o que é o consenso? a unanimidade? isso raramente se encontra. a situação, pois, permanece dúbia na maioria dos casos. se 10 dizem que está ok, e 1 diz que não, então o artigo não passa. é isso, não? a opinião do 1 venceu sobre a dos 10. mas se 10 dizem que não está ok, e 1 diz que está, o artigo passa? a opinião do 1 não vence mais a dos 10? está vendo? há dois pesos e duas medidas. consenso é um paradoxo. Tetraktys (discussão) 16h48min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
eu não estou a fim de polemizar conceitos, afinal. já disse que estou disposto a apoiar a mudança. a situação é claramente insatisfatória para todos, não custa experimentar. Tetraktys (discussão) 16h55min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Está a sobre-racionalizar o problema. Se há questões levantadas, seja por 1 ou por 10, e elas podem ser resolvidas, porque há o artigo de ir para a página principal, antes dos problemas serem resolvidos? GoEThe (discussão) 16h57min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
GoEThe, eu já concordei com a mudança rsrs Tetraktys (discussão) 17h03min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Eu já tinha escrito. Deu conflito de edição :P. GoEThe (discussão) 17h15min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
O voto só deveria ser válido para quem tem um certo número de artigos criados e não somente 300 edições no principal. DARIO SEVERI (discussão) 16h30min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Se já estamos a propor um método que não restringe a participação, porque se haveria de optar pela sua proposta? GoEThe (discussão) 16h38min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
@Dario: isso em muitos casos não adiantaria, pois o que não falta por aqui é especialista em criar dezenas de micro-artigos num só dia e editores com vários anos de casa que persistem em práticas pouco recomendáveis que muito editor que se inscreveu há algumas semanas não usaria. --Stegop (discussão) 16h38min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
A proposta de voces e boa mas deve-se tbem restringir a participação. Um artigo só pode ser proposto quando há consenso que não está em desacordo com nenhuma das políticas e recomendações da wikipédia, do livro de estilo ou da gramática portuguesa.DARIO SEVERI (discussão) 16h43min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Dario, ok, mas gostaria que me explicasse as suas razões. GoEThe (discussão) 16h48min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Isto só acontece devido ao Ego de certos editores. Eu não me dou ao trabalho nem de votar nem de propor os artigos para destaque, por mim o bot de avaliação de artigos devia fazer isso automaticamente, acho ridículo certas pessoas por cá andarem-se a vangloriar que destacaram artigo tal e tal como se os artigos fossem deles e não o produto de uma força colaborativa. Com o bot, essa palhaçada acabava de vez. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 17h15min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Esse bot deve ser o Tron se consegue fazer isso tudo. GoEThe (discussão) 17h21min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
  • Prezados oque foi decidido então em relação aos artigos? O apontado pleo Stegop e o At Long Last Leave que tá com a tag "precisa de correção ortográfico-gramatical" e por isso poderiam/deveriam ensejar a interrupção dessa votação à época da marcação. É necessário entrar num concesso para interrupção das votações? já que ambas não então de acordo com os critérios? --Caverna06 (discussão) 17h29min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
  • Acho que implementar uma etapa anterior de revisão é uma boa opção. Uma vez que a redação e verificabilidade são os pontos que mais tem sido criticados recentemente poderiam ser analisados nesta etapa e os outros como leiaute, imagens, conteúdo, etc seguiriam com avaliação comunitária na EAD. Mas isso não muda o problema de falta de editores capacitados a ler tudo que surge na EAD, fundamentar críticas e acompanhar o processo de resolução. Este é um dos gargalos, na minha opinião. Enquanto houver um prazo para conclusão do processo sempre estaremos a correr contra o relógio e não vejo razão para isto. Criar um conteúdo de qualidade não deveria estar alinhado a um processo produtivo que é o que os 30 dias se tornaram. Antigamente, com doze artigos ou menos sendo candidatados o tempo era suficiente mas atualmente com 37 como é possivel um editor minimamente interessado em outras coisas dar sua contribuição e acompanhar tantos processos ao mesmo tempo com o relógio correndo?OTAVIO1981 (discussão) 17h31min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Também não vejo nada contra implementar uma fase anterior de revisão. BelanidiaMsg 17h40min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Já estou a trabalhar na elaboração de uma proposta que vise tornar o processo de revisão condição obrigatória. Acrescentando uma vantagem: permitiria libertar muito do que é proposto para destaque actualmente, já que talvez a maioria não cumpre os requisitos básicos, permitindo atrair mais editores capazes de verificar o conteúdo na fase de votação. Polyethylen (discussão) 17h42min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Não GoEThe não é o Tron é o Rjbot e só faz a avaliação até ao 4, porque certas pessoas acharam que era impossível fazer uma avaliação automática acima desse nível, o que eu acho absurdo, pois se os parâmetros de avaliação são claros, um bot avalia-os até muito melhor do que um usuário que baseia a avaliação em POVs e muitas vezes sem sequer ler o artigo. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 17h51min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Zorglub, o Rjbot avalia parâmetros técnicos extremamente superficiais para atribuir uma qualidade quatro e nem quando o inferno congelar será capaz de substituir uma avaliação humana para o que nós chamamos de artigo destacado.OTAVIO1981 (discussão) 17h55min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Como é que um bot avalia se determinada informação tem nexo e é correcta? Polyethylen (discussão) 17h56min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Pois, pois, e os gajos que são chamados à pedrada e que nem lêem o artigo é que avaliam. É claro que detractores do Rjbot à muitos, pois gostam de continuar a manter as classificações baseadas em POVs. Um artigo é destacado, única e exclusivamente pela sua qualidade "técnica", existem parâmetros exactos para isso, não é pelo se o "conteúdo" é o correcto, mal de nós se um artigo que chega à fase de destacado estiver com conteúdo incorrecto, isso demonstrava uma incapacidade brutal dos editores. Mais, o Bot até pode ser programado para verificar parâmetros dentro das referências, confirmando se as mesmas estão correctas, algo que só para ai 0,0001% dos editores que fazem as avaliações se dão ao trabalho de verificar. Em tudo um Bot é melhor e mais exacto de que um usuário, para avaliar a qualidade de um artigo. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 18h31min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Zorglub, o Rjbot sequer é capaz de distinguir um texto em lingua estrangeira do português tampouco conferir se as fontes são adequadas ao que se propõe a afirmar. Este robô foi utilizado para detectar rapidamente artigos extensos com algumas referência, imagens e sem predefinições de manutenção. Seu objetivo nunca foi substituir uma análise humana. Isto é impossível!OTAVIO1981 (discussão) 18h40min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
O problema é criar um bot pra avaliar um artigo para bom ou destaque, pois até onde eu sei, o artigo tem que ser sobretudo, bem escrito. E aí? Um bot pode fazer isso? Pode, mas quem é que vai se submeter a criar um rôbo com essa inteligência artificial toda? !Silent (discussão) 18h39min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Alguém que consiga programar um bot para isso deve receber o nobel da física, química, da paz e literatura todos juntos. Polyethylen (discussão) 18h43min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Mais valia por esse bot a escrever os artigos, e íamos todos de férias. GoEThe (discussão) 20h59min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Me diverti lendo estas ultimas 7 entradas, tao bom ver velhos amigos em harmonia. DARIO SEVERI (discussão) 13h05min de 7 de setembro de 2012 (UTC)

Critérios mínimos para haver pedido de revisão?Editar

  • Surgiu-me outra questão relativamente importante. Imaginando que haveria um processo de revisão obrigatório, haveria alguns critérios mínimos logo à partida? Ou seja, admitiríamos qualquer coisa, ou seria necessário ter à partida, por exemplo, qualidade 4? (mediante os critérios de qualidade 2,3 e 4 que estão aí algures nas regras) Eu não vejo grande mal em serem propostos para revisão artigos mal redigidos ou com certos problemas até um certo ponto. O processo de revisão não tem que ser para dizer "sim" e "não". Pode ser um processo colaborativo onde se peça ajuda para aprontar e aprimorar determinado artigo para uma votação, chamando à atenção de mais editores. No entanto, acho que tem que haver um limite senão rapidamente aquela secção fica entulhada de artigos de muito baixa qualidade e muito longe de virem a ser destacados. No mínimo, qualidade 4, podendo ter determinadas tags? Polyethylen (discussão) 18h23min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Não acho necessário ter qualidade 4 avaliado pelo robô. O critério mínimo à partida, na minha opinião, é a redação e verificabilidade que são os que tem causado problemas em demasia.OTAVIO1981 (discussão) 18h43min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Mas o processo de revisão serve, entre outros parâmetros, precisamente para rever a redação. Não podemos exigir à partida que seja perfeito sobre esse ponto. Polyethylen (discussão) 18h51min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Ah desculpe. Respondi exatamento o oposto. O critério mínimo é atender todos os outros pontos da EAD, exceto estes que indiquei.OTAVIO1981 (discussão) 19h07min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

(conflito)

Deixa eu entender o processo de revisão. Eu vou lá e proponho um artigo para rever. Se alguém, qualquer um, achar um erro de texto ou um erro de verificabilidade, ele não será aprovado para ir para EAD? Ok, aí se revisa e não há mais nenhum erro. Depois vai para EAD e ... aí faz a votação normal? Na EAD provavelmente não teria votos contra por questão de texto / verificabilidade, só do resto.

A ideia é q não seja aprovado nenhum AD q tenha erros de texto ou verificabilidade? Se é (parece ser) então pq fazer isso em duas fases? Pq não expandir a regra de anulação de votos? Se alguém, qualquer um, apontar problemas de texto ou de verificabilidade, um artigo não será eleito AD mesmo que tenha 500 votos a favor. Me parece bem mais simples. Instituir quais os critérios q podem interromper uma votação. Que critérios q inviabilizariam o AD? Os mesmos critérios q inviabilizariam o artigo de ser aprovado na fase de revisão. Os critérios seriam os mesmos só q vamos evitar fazer o processo em duas fases. Quem quiser fazer o pedido de revisão pode fazer, mas quem não quiser não vai precisar.

Alias, essa regra de interromper a votação já não existe? Critério 7.8 sobre Verificabilidade: "Infringindo os motivos acima citados, a votação será imediatamente interrompida, pois o artigo precisa ter suas informações facilmente verificáveis, além de estarem corroboradas." E os vários "Infringindo os motivos acima citados e não enquadrado nas exceções abaixo, o proponente terá o tempo de votação para a adequação." tb não são para isso? Se o proponente tem o tempo da votação para resolver o problema, se ele não resolver até acabar está quebrando o critério e ele não devia ser eleito destacado, a letra da regra não foi escrita mas entendo q esse é o espírito qnd diz q tem até o fim da votação para resolver as pendências. Rjclaudio msg 18h55min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Citação: pq fazer isso em duas fases? Há imensas razões, já bastante referidas nesta página. Ainda se está a pensar muito no processo de revisão como uma deliberação, como uma pré-votação com igual função. Não é nada disso. É um processo benéfico que permite detectar o máximo de erros possíveis e libertar o processo de votação de artigos que nitidamente não cumprem os critérios. Além disso, torna as solicitações irrelevantes, permite resolver problemas no artigo de forma muito mais rápida, e permite que a votação em si se foque naquilo que sempre se deveria ter focado: a quantidade/qualidade/exactidão dos conteúdos, deliberando se há ou não omissões que o levem a ser normal, bom ou destacado. E permite ainda chamar à atenção de demais editores para ajudar na tarefa de rever um artigo para se considerar um eventual destaque. Polyethylen (discussão) 19h07min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Cláudio, comentei mais acima justamente que existe possibilidade de anular os votos e embora o texto não seja explícito implica também anular votos a favor sim. Mas a questão de anular votos sempre foi complicada em qualquer processo aqui dentro.OTAVIO1981 (discussão) 19h10min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Eu não sou contra o processo de revisão. Sou contra ele ser uma obrigatoriedade e um pré-requisito para ir para EAD. Como seria o processo, vai precisar ficar no mínimo 2 semanas em revisão para só depois ser aprovado e aí ficar mais 1 mês em EAD? Pra que esse tempo a mais se alguns artigos chegariam preparados para já ir direto para EAD? A regra para o processo de revisão vai falar q basta alguém dizer q tem problema de português não será aprovado no processo de revisão? E se fosse essa mesma regra mas na EAD, falando q se for apontado problemas no texto ele não será eleito? Se consegue a mesma coisa. Tudo que se pode conseguir de bom no processo de revisão se consegue também no processo da EAD. A única coisa de diferente seria q a revisão incentivaria a colaboração para edição, algo q não vejo pq não aconteceria na EAD tb se houvesse essas mesmas regras. Rjclaudio msg 19h20min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Estamos a voltar outra vez ao início. A proposta surge na sequência da polémica que abriu esta discussão em que, consequência da solicitação em massa a editores que não lêem o artigo onde votam, estão a ser destacados artigos verdadeiramente medíocres porque ninguém os revê e os problemas apontados por vários editores, mais do que graves, nunca são corrigidos. Já se chegou à conclusão que é inútil proibir a solicitação, e também já se tinha chegado à conclusão que não faz sentido nenhum anular todos os votos favoráveis só porque alguém encontrou um problema. Para isso mais valia encerrar a votação. Mas para não se estar constantemente a encerrar votações ou a remover votos a torto e a direito, o que seria completamente descabido, é que se propôs a obrigatoriedade da revisão para toda a gente poder listar os problemas que encontra. A revisão pode até durar o tempo que for preciso. Para além de resolver o problema da solicitação. Polyethylen (discussão) 19h31min de 6 de setembro de 2012 (UTC)
Se tiver erro nem precisaria interromper a votação, é só seguir com ela e ir discutindo e se até o final não se resolver as coisas não é eleito AD. Assim não vai ficar interrompendo e abrindo toda hora, vai se discutir durante a votação se o texto está bom ou não. Rjclaudio msg 19h33min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

7 de setembroEditar

Concordo com um sistema de ante-câmara que dê para apontar os defeitos de um artigo candidato e aperfeiçoá-lo e só depois passar para votação, já que as há. Um processo de revisão já há muito devia estar implementado. Lijealso (discussão) 01h06min de 7 de setembro de 2012 (UTC)

@GoEThe(desculpe só responder agora mas meu fuso horario é UTC/GMT +7)

Deve-se implementar uma fase anterior de revisão e a revisão só acabaria quando há acordo que os defeitos apontados foram sanados como Lijealso sugeriu, ... ou seguir o artigo, ir discutindo e se até o final não se resolver as coisas não é eleito AD, sugestão de Rjclaudio.

Mas citando OTAVIO1981, ... isso não muda o problema de falta de editores capacitados a ler tudo que surge na EAD, fundamentar críticas e acompanhar o processo de resolução. Este é um dos gargalos, na minha opinião, atualmente com 37 artigos como é possivel um editor minimamente interessado em outras coisas dar sua contribuição e acompanhar tantos processos ao mesmo tempo.... por isso deveria-se restringir a participação, só poderiam ser indicados para AD, aqueles artigos apresentados por um editor com um certo número de edições, ou sendo no mínimo Autorrevisor, isso evitaria citando um outro editor acima, artigos indicados para AD por semi-analfabetos, e se um editor que se inscreveu há algumas semanas tiver um bom artigo (Stegop) sempre poderá pedir ao seu "tutor" ou algum outro "bom editor" (GoEThe) que indique o artigo criado por ele para AD. -- DARIO SEVERI (discussão) 06h39min de 7 de setembro de 2012 (UTC)

OK, obrigado pela explicação. Assim fico a perceber melhor o seu ponto de vista. GoEThe (discussão) 09h00min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Tenho reparado ao longo do tempo que é frequente receber mensagens de outros usuários para me pedirem para votar num determinado artigo que está proposto para artigo destacado/artigo bom. Acontece que também faço o mesmo e começo a aperceber-me do porquê. A titulo de exemplo acabei agora um artigo (Call of Duty 4: Modern Warfare) e depois de ver se está tudo em conformidade propus à votação de destaque/bom. O artigo deu-me trabalho, pesquisei, corrigi português, analisei links, dead links, referencias, ligações externas, imagens, formatei box, infobox, etc...; ora se eu não convidar as pessoas a votar vejo que passado um tempo o artigo da qual eu perdi tempo e muitos dias para acabar e torná-lo excelente, é digamos, ignorado. Ficamos um pouco, desiludidos. Acaba por se tornar pouco motivante melhorar seja o que fôr aqui na Wiki. Só vota quem quer, é verdade e concordo, mas deveria de haver algo que informasse os usuários que "x" artigo está a votos. Porque se eu convido alguém para votar é porque vejo que dei muito trabalho no artigo e ninguém lhe deu importância nenhuma! O artigo Nathan Drake, também feito por mim, a maior parte dos votantes que lá estão foi porque eu avisei...se não era muito provável estar a zero. E custa um artigo quem tem realmente qualidade ser ignorado. Também reparei já que a maior parte dos votantes, e também a maior parte dos artigos que são propostos, se inclina muito para a musica pop (e para os Simpsons(??)) enquanto que havia de haver uma espécie de equilíbrio para temas a votação. Na minha opinião a conclusão é óbvia! Tem de se mudar o método de votação/escolha!--Edviges (discussão) 08h20min de 7 de setembro de 2012 (UTC)

  Comentário Só não captei direito uma coisa. A idéia é que tenha uma espécie de "banca examinadora" onde os artigos candidatos a destaque seriam colocados para exame se cumpre os critérios para EAD, principalmente no que mais está em falta ali, a qualidade do texto. Somente após o artigo ser escrutinado e dado o ok, ele seria levado à votação. É isso?

Se for, parece piada ruim. Se já esta escrutinado aprovado e consensado em suas qualidades pelos mais exigentes, pelos que são capazes de tirar ao menos um 7 em redação (pra não falar no resto dos itens de critérios) votar pra q? Me parece que um consenso na avaliação preliminar já resolve. Repito, votar depois ainda pra que, mais burocracia? Isso é piada ruim... Sds MachoCarioca oi 09h07min de 7 de setembro de 2012 (UTC)

Eu concordo que o processo de revisão seja obrigatório, mas os editores que são ativos nas EADs necessitam vigiar a página de propostas das PRs. Já houve casos que pedidos que ficaram mofando sem participação alguma. O problema da falta de votos não creio que seja por conta dos temas, mas sim dos proponentes e do verbete em si. Vou explicar: Suponhamos que um usuário crie uma votação de destaque onde o verbete tenha uma péssima tradução. Todos votam contra e o processo termina. Com o passar dos meses, ele continua a propor artigos traduzidos para destaque, mas ninguém tem a coragem de votar a favor por conta do histórico do editor nas votações e pela qualidade dos textos apresentados anteriormente. Outro detalhe é que a nossa comunidade necessita urgentemente de mais editores especializados em diversos temas. Vejo constantemente EADs de música com pouca participação de editores, mas não é o tema, há um número suficiente editores ligados à música, se capacitados ou não é outra história. O que está em xeque nas votações muitas vezes não é o tema, mas sim o proponente. Se as votações antigas dele foram bem sucedidas, os editores apoiam com os olhos fechados. Entretanto, se o resultado não foi satisfatório anteriormente, podem crer que o resultado dificilmente será diferente. Fronteira 11h29min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Esqueci de dizer outro detalhe: Eu não sei quanto aos demais editores, mas eu evito ao máximo, por questão de respeito votar contra em EADs de usuários que votaram a favor em votações que eu criei. Quando o verbete está em revisão na PR, eu sinto que tenho uma certa "liberdade" de ser sincero e falar que o verbete está ruim. Mas quando está em votação, eu prefiro me ausentar. Fronteira 11h37min de 7 de setembro de 2012 (UTC)

Eu vou discordar da questão do tema. A meu ver tem tema muito chato, maçante, repetitivo (sempre a mesma droga) ou pouco relevante e isso não dá vontade de votar. Comigo é assim. Provavelmente acontece com outros. A questão do tema devia entrar no debate, verbetes sempre sobre a mesma coisa devem ser evitados. Eu não aguento mais por exemplo os mesmos verbetes chatíssimos sobre as pequenas cidades do interior onde moram os editores, que só sabem fazer isso, mostrando que o interesse no negocio é apenas pessoal. Ou os mesmos verbetes dos mesmos adolescentes em grupinho sobre faixas de musicas de artitas populares teen. Muito pouca gente apresenta ali com mais constância artigos da maior categoria enciclopedica inclusive no tema, um deles é o Tetra, que apesar de colocar muita coisa sobre artes, varia nelas. MachoCarioca oi 11h40min de 7 de setembro de 2012 (UTC) PS Pedidos que ficam mofando devem mofar mesmo, não agradaram. A falta de voto tbém mostra desinteresse especifico.

Realmente concordo contigo, eu me esqueci deste detalhe: Muitas vezes os mesmos editores propõem artigos e mais artigos sobre uma "série específica de TV"... Usando o tema de música por exemplo, vejo que há uma certa carência de diversificar a área. A grande parte das propostas se referem à artistas teen e tirando isso há os verbetes de música cristã que eu proponho ou algo histórico que um editor ou outro apresenta ocasionalmente. É ruim sermos "típicos" nesse quesito, mas também não podemos obrigar a ninguém a melhorar um verbete de interesse da comunidade, pois nós fazemos parte de um projeto colaborativo e creio que eles tentam fazer o melhor no que são "especialistas".Fronteira 11h55min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Também estamos tendo uma enxurrada de discos, bandas e cantores religiosos, gospel e não sei o que, sem qualquer grande imprtancia na musica brasileira de modo geral, coisa setorizada para o publico evangélico ou catolico, numa verdadeira invasão do relações-publicas e presidente do fã clube dessa área aqui, um tal de Tiago Abreu, o mensageiro de um tal Atrás do Trono que tá trazendo uma Arca, ou coisa parecida que ninguem fora disso nunca ouviu falar na vida, ou algo assim rs. MachoCarioca oi 12h01min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Hehehe... Eu escrevo mesmo verbetes sobre música cristã até porque o "segmento" estava abandonado desde 2008, quando o editor mais ativo da área, o Sibelius parou de editar na Wiki. Eu confesso que gosto demais das músicas do Trazendo a Arca, a banda não é de uma qualidade extraordinária de "padrão internacional" para ter verbetes destacados, mas é melhor que artigos sem fontes, parciais, abandonados e cheios de VDA como eram há cerca de um ano e meio atrás. Já melhorei artigo aqui por conta de número de visitantes ou por estar no GP, como o Diante do Trono, mas nunca foi meu forte, hehe. Fronteira 12h10min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Se não for para escrever artigos sobre assuntos que interessam pessoalmente ao editor, como Batalhas ou Missões Espaciais ou certo tipo de Música, ou Bicharada, ou Personagens Históricas, consoante o editor em causa, vai ser "uma seca" ler os artigos. GoEThe (discussão) 12h20min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Só de pensar q já perdemos um bom editor pq insistia em destacar vários artigos de botânica (era isso? bem, algo de biologia) e as pessoas reclamavam q era sempre o mesmo tema. Se tiver mt AD sobre temas teen é ruim, mas se tiver mt AD sobre temas científicos tb é ruim, sempre vai ter alguém para reclamar de algo. Rjclaudio msg 12h38min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Todas as vezes que tocam nesse caso eu fico a pensar o que as nossas palavras causam. Muitos editores reclamam, mas como disse, todos tentam fazer o melhor do que sabem, e querem ter a atenção devida nos verbetes. Eu particularmente muitas vezes me senti estimulado a deixar o projeto por críticas que recebi por conta do tema que edito, mas ainda estou aqui. Fronteira 12h44min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
GoEThe, no meu caso especifico é engano seu, não tenho maior interesse nos assuntos que o Tetra escreve e acho todos muito bons, leio e voto. Não tenho nenhum interesse nos teus sapos e leio e voto. ( e geralmente contra pq é preguiçoso com links vermelhos, mas leio pq é um assunto enciclopedico, apesar de chatissimo pra mim) Não tenho nenhum interesse nos bichos do Burmeister e do Vini e leio e voto. Não precisa ser de assunto que me agrade (os q vc citou, por sinal, cobrem uma boa cota de assuntos gerais, reparou? Cabe uns 500 mil artigos aí) mas precisa ser algo que realmente tenha uma relevancia e uma categoria enciclopédica. Além, evidentemente, de nao ser sempre repetido a mesma coisa. MachoCarioca oi 12h45min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
No caso do Danilo das orquideas, quem reclamava era a turma dos municipios caipiras iguais e inexpressivos que fazem aqui todo santo mes e a turma teen. Eu gostava. Só sugeria q fossem colocados espaçados na lista, pra não ficar repetido o mesma tema. MachoCarioca oi 12h46min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Tiago Abreu, se eu fosse deixar a Wikipedia por criticas recebidas, eu tinha durado aqui um mês. MachoCarioca oi 12h47min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Respondendo a algumas das últimas intervenções: o que o Tiago disse é verdade. A reputação constrói-se. É um mito pensar o contrário. Há editores que trazem uma quantidade absurda de artigos por mês sempre com os mesmos problemas, sempre mal escritos. As pessoas fartam-se e associam um rótulo, descartando à partida novas propostas. Não sei de que é que estavam à espera porque é a coisa mais natural do mundo. O que é estranho é que são os mesmos que se queixam em tudo quanto é discussão de "falta de votantes" para tentar justificar a solicitação em massa que fazem. Por outro lado, esta associação funciona para os dois lados e proponentes com um histórico e reputação séria de análise cuidada dos factos e do texto obtêm confiança da comunidade ao ponto de só exigir uma leitura superficial na fase de votação.
O que aqui está em causa não é a limitação do tema nem a limitação de propostas por mês. Ninguém pode obrigar alguém, por decreto, a escrever sobre determinado tema. Limitar o número de artigos só serviria para ter que pedir a mais alguém que os propusesse. Isso é desviar a atenção daquilo que é o verdadeiro mal. A raiz do problema do número excessivo de votações em simultâneo tem a ver com a facilidade com que os qualquer texto é aprovado, tornando todo o processo extremamente rápido, chegando ao ponto do mesmo proponente "conseguir" propor na mesma semana dois ou três artigos de forma sistemática. A maior parte são traduções mal feitas e realizadas em poucas horas, sem qualquer verificação de factos, sem rever o texto e sem pedir a duas ou três pessoas capazes que revejam o texto. Se houvesse um processo de revisão sério e onde se tornassem inócuas as solicitações estapafúrdias, o proponente tinha que pensar duas vezes. Muito provavelmente deixava de fazer textos "a metro" e teria que passar mais tempo a investigar, a corrigir, a pedir ajuda a outros editores com experiência na área, a pedir revisões. Estas coisas demoram tempo, obviamente. O Renato esteve um ano a trabalhar na civilização minoica antes de o propor para destaque. Isto é um contraste gritante com os editores que propõem dois destaques por semana sem qualidade nenhuma.
Este número ridiculamente alto de artigos propostos em simultâneo, como referiu o Otavio, afasta revisores. É um perfeito paradoxo. Alguns proponentes queixam-se da falta de votantes que é derivada de um problema que eles próprios criaram, ao inserir sistematicamente artigos de fraca qualidade na queue. E o problema depois passa a afectar não só os maus artigos, como também os realmente bons que levam por tabela e sofrem com uma situação a que são completamente alheios.
Já foi referida aí o eventual aumento de tempo que implicaria haver um processo de revisão antes da votação. E eu pergunto? Para quê a pressa toda? De onde surgiu esta necessidade e sofreguidão em ter tudo destacado o mais rapidamente possível? Para quê ter uma queue onde se sabe que mais de metade dos artigos não tem qualquer condição de ser bom ou destaque? Mas alguém corrige os problemas todos num mês, sobretudo quando os comentários saem a conta gotas? Um artigo que cai lá de pára-quedas raramente endireita durante o prazo de votação. Para quê ter que estar a constantemente cancelar votações e obrigar não sei quantas pessoas a ler um artigo que, se houvesse uma pré-selecção na revisão, bastaria uma pessoa para dizer que: "falta isto, isto e aquilo", dando o tempo que o proponente quisesse de melhorar o artigo? Se isso ia "atrasar" a eleição de artigos realmente bons? Claro. E então? Outra vez: qual é a pressa? O que é que é mais prejudicial: um artigo de qualidade ter que esperar um mês e meio em vez de um mês para ser promovido, ou promover-se a torto e a direito textos realmente medíocres que figuram na PP no actual sistema? Polyethylen (discussão) 13h03min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Dá no mesmo, Poly, não muda nada. Os artigos qdo vão pra votação ficam ali um mês mesmo. A promoção vem do tipo de votante mesmo. Maria do Bairro é a cara da Wikipedia, coberto de erros de ortografia, estrutura, ordenação e com 28 votos a favor, um deles do Bad Boy que manda artigo pra destaque feito com tradução automática. Metade não leu e metade não escreve melhor que aquilo, portanto, acha otimo. Não adianta "mais tempo" não. MachoCarioca oi 13h29min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Acho que ainda não percebeu. A ideia não é dar mais tempo. Um processo de revisão pode ser extremamente rápido para artigos que já tenham qualidade, mas para os restantes e que são o problema aqui levantado, não podem fazer parte da lista enquanto não tiverem os problemas básicos resolvidos. Depois a votação serve para debater o conteúdo e se é ou não suficiente, mas não faz sentido nenhum haver votações para debater conteúdo quando as pessoas nem sequer conseguem ler o conteúdo. Polyethylen (discussão) 13h40min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
MachoCarioca, acho que me fiz entender mal, não é ser do interesse do votante, é quem escreve o artigo ter "paixão" sobre o que escreve. E para isso é preciso mais do que saber traduzir (e o google tradutor é que não consegue mesmo transmitir paixão sobre o tema) é preciso estar interessado no tema e ir procurar mais informação. Ou acha que se eu fosse escrever sobre missões espaciais o artigo teria a mesma qualidade do que se fosse escrito por si? Claro que não. GoEThe (discussão) 14h48min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Apesar de em teoria, como o RJ fez notar. se poder fazer a tal revisão com o processo atual, tendo a inclinar-me que a criação de um pré-processo adicional será mais eficaz, nem que seja do ponto de vista psicológico.
(à parte para responder ao Tiago, e um pouco na linha do Poly) Só posso falar por mim — não voto em mais artigos principalmente pelo tempo que requer a avaliação consciente dum artigo e porque grande parte dos temas não me interessam minimamente. A leitura atenta a que chamo "modo de revisão" dum artigo comum, principalmente em EAD, pode tomar-me várias horas. Se o artigo for dum tema que me interesse minimamente, mais cedo ou mais tarde vou acabar por arranjar alento para tal. Para os temas pelos quais não me interesso, naturalmente é mais difícil arranjar alento para os ler. Por outro lado, tenho a sensação que muitos desses artigos são precisamente os pior escritos e, mesmo quando esse não é um problema assim tão grave é usual que pouco mais tenham do que um amontoado de fait divers, notícias soltas e (muitas!) sinopses. Há exceções, evidentemente. Isto tudo junto acentua uma espécie de círculo vicioso para certo tipo de artigos, sobre certos temas mais frívolos e com problemas de redação: apesar de serem os mais necessitados de revisão, são os menos aliciantes para neles se trabalhar.
Como o Poly se queixa tantas vezes, além do trabalho estafante que é rever um artigo, é exasperante ver que a resposta às nossas críticas passam quase sempre por uma correção superficial, do tipo limitar-se a corrigir um tempo verbal na frase indicada, mas mantendo outros erros não indicados, arranjar um site qualquer para evocar que já tem fonte, etc. Ou seja, claramente a postura não é de tentar aproximar-se da excelência, mas apenas ter alguma base para refutar quaisquer argumentos para votar contra. Este é mais um dos componentes do tal círculo vicioso para afastar (bons) revisores de certo tipo de artigos. Diga-se de passagem que, por praticamente não rever certos temas, raramente sinti isso na pele, mas vejo o que se passa com outros com mais paciência para apontar problemas do que eu. --Stegop (discussão) 13h37min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Ok, convencido, façamos o processo de revisão antes. Rjclaudio msg 13h54min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Eu também   Concordo que temos que fazer o processo de revisão antes e que este seja obrigatório. Entretanto, acho que temos que ajustar alguns pontos daquele processo. Daqui a pouco explico melhor isso. Fronteira 14h00min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
Eu confesso já estou farto de musica pop e de municípios não sei de aonde e de episódios dos Simpsons. Nunca mais voto nisso. Nem sequer me dou ao trabalho de abrir o artigo para ler. Há muitos votantes nisso, parece que é uma pequena elite. Ficam cheios de votos. Há ai artistas de musica pop dos teen que devem ter montes artigos "bons". É uma constante e é pena! Não é equilibrado. A questão do tema que se coloca a votação é muito importante e essencial! Quero lutar por uma wiki equilibrada e imparcial. Eu coloco um artigo a votação passado um mês tem 7 votos! --Edviges (discussão) 16h26min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
No primeiro artigo que candidatei só tive 4 votos, isso já é uma indicação de que o artigo precisava de trabalho. Se o artigo for mesmo bom, as pessoas vão ler. GoEThe (discussão) 16h41min de 7 de setembro de 2012 (UTC)
  • Mas que raio...? Lê-se aqui comentários que nem lembram a não-sei-quem... Uma pessoa não vai deixar de trabalhar num determinado artigo só porque pertence a um tema que é bastante explorado nas EAB. Cada um de nós tem um tema de eleição, e não deve sair prejudicado por isso. Mas que raio de forma de pensar é essa? Só porque é um determinado tema, não voto porque não me interessa... Que ridículo! A culpa das solicitações abusivas é totalmente vossa, que maior parte vota conta sem sequer apontar os erros do artigo e auxiliar o proponente a sanar essas mesmas lacunas existentes. Um editor que trabalhe durante dias numa página tem de ser prejudicada porque outro contribuinte utiliza o Google Tradutor para os seus projectos?
    Todos devemos ter o direito de trabalhar nos artigos, e posteriormente candidatá-los para promoção, faz parte do processo, e acima de tudo obter o chamado feedback (voto) que o trabalho mereça. Se for contra, os erros devem ser apontados para que possam ser corrigidos e o artigo cumpra os requisitos para que foi nomeado. Erros todos nós cometemos, somos seres humanos. E   discordo que todas as páginas tenham de passar por um processo de revisão obrigatório, esse sistema apenas deve ser utilizado quando o proponente precisa de outras opiniões e análises ao seu trabalho. VítoR™ Talk That Shit 16h32min de 10 de setembro de 2012 (UTC)

Confesso que não consigo perceber porque razão é que se aponta a destaque/bom, artigos que não têm valor nenhum enciclopédico (ex.:[1]/[2]). Não percebo porque é que um simples episódio que dura 30mns possa merecer destaque enciclopédico. Não estou a dizer com isto que o artigo cumpra ou não os critérios para tal, apenas acho que o tema e os artigos que são propostos a votação são na sua grande parte irrelevantes.--Edviges (discussão) 15h22min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Muita gente também acha jogos de computador irrelevantes e sem interesse enciclopédico... Polyethylen (discussão) 15h25min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
E desde quando o processo é para destaque enciclopédico? É um processo de avaliação de qualidade, é para destaque de qualidade, então pouco importa a relevância. Se quer um destaque enciclopédico, veja os artigos de qualidade 6 (AD) que tem importância 4 em algum projeto que vc considera enciclopédico. Rjclaudio msg 15h25min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Está levando isso para o lado pessoal Edviges. Se não houvesse interesse enciclopédico, ainda que mínimo, já teria sido eliminado em PE. Fronteira 15h26min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Concordo com o Rjclaudio. O projeto é voluntário e cada um contribui com os assuntos que mais gostam e qualquer mudança que desestimule isso é maléfica a retenção de editores. Se os artigos são escritos conforme as regras de qualidade previstas, não interessa qual é o assunto. Lembro também que já está prevista a variação dos temas na PP, mesmo que de modo informal.OTAVIO1981 (discussão) 16h09min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
    • Não estou a levar para o lado pessoal não! E também não estou a falar de jogos de computador (?)! Apenas dei minha opinião. OTAVIO1981 disse: "Se os artigos são escritos conforme as regras de qualidade previstas" há artigos aqui na wiki que apesar de serem destaque não cumprem as regras para tal. Pelo menos a julgar por erros (que desconhecia) que apontaram a artigos meus.--Edviges (discussão) 09h07min de 17 de setembro de 2012 (UTC)

Candidatura interrompidaEditar

Por falar nisso, interrompi e encerrei uma dessas votações de cumpadres pra artigo bom.[3] Se a tag colocada no artigo[4] pelo editor Polyethylen[5] não for retirada por ele proprio e o artigo voltar a votação como está, o autor do ato deve ser bloqueado por "subversão do sistema". Sds MachoCarioca oi 22h41min de 6 de setembro de 2012 (UTC)

Processo de revisãoEditar

Como ficamos no processo de revisão? Podemos discutir os detalhes? Há consenso? Se não tiver consenso, podemos discutir os detalhes e depois colocar para votação, ou primeiro vota e depois discute os detalhes? De todo modo teremos que discutir os detalhes, alguém cria (ou traduz) um esboço das regras para discutirmos em cima? Rjclaudio msg 18h33min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Processo de revisão obrigatório? Nem pensar... VítoR™ Talk That Shit 18h48min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Sim já ouvimos sua opinião. Argumentos? 'Não precisa' não é tem lá tanto peso já que a proposta é para resolver um problema que todos concordam que existe.
Mas mesmo assim, mesmo vc sendo contra, ainda assim temos que discutir a proposta e os detalhes, na pior das hipóteses vai para votação. Então se não quiser discutir os detalhes não participe da discussão dos detalhes. Rjclaudio msg 18h58min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Há consenso óbvio. Ninguém questionou o facto de existir um problema para ser resolvido, e o processo de revisão obrigatório, à semelhança de outras wikis, foi a conclusão lógica a que se chegou. Ninguém propôs mais nenhuma solução para resolver o problema. Apareceu aí uma opinião "não porque não quero" sem explicar nada nem propor propostas de resolução alternativas. Mas isso é irrelevante em consensos, sendo mais do que nítido o sentido para onde aponta o método de resolução apontado por quase todos e havendo até quase unanimidade na opinião dos que participaram. A aplicação é muito simples: a pt.wiki já tem um processo de revisão com toda a documentação. É só uma questão de alterar a documentação do processo de candidatura a destaque, mudando o passo 4 de opcional para obrigatório, e a partir daqui definir que a aceitação de uma candidatura fica dependente de ter passado com sucesso por um período de revisão. Pode-se também definir pequenos ajustes, como o período mínimo para estar em revisão, e se aceitamos qualquer artigo para revisão ou temos também critérios mínimos, como exigir que tenha sido avaliado pelo menos com qualidade 3 ou 4. Polyethylen (discussão) 19h02min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Não, Polyethylen, mais uma vez... Não à consenso, basta uma pessoa discordar para não existir consenso, volto-lhe a repetir o mesmo, um consenso não é uma votação, por isso o Rjclaudio disse bem e de forma clara, se alguém não concorda, discute-se a proposta e os detalhes, e se quando se terminar a discussão ainda existir um desacordo, passa-se a votação, nem que concordem 999 editores e apenas 1 seja contra. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 19h10min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Mas tem alguma coisa de útil para dizer ou já vem atrapalhar outra discussão, como sempre? Num consenso contam-se os argumentos e desconsideram-se opiniões pessoais sem base nenhuma e desprovidas de qualquer argumento. Era o que mais faltava. Houve algum argumento que contestasse a revisão como solução para o problema apontado? Não, pois não? Então os argumentos são mais do que consensuais. É incrível a forma como você e o vitorvalente metem o bedelho em tudo, nunca apresentam quaisquer argumentos, ou se apresentam são as coisas mais descabidas possível, e conseguem empatar as discussões todas com base no "não gosto". E você nem sequer tinha participado na discussão acima, portanto a única coisa que lhe interessa é mesmo desestabilizar. Tem soluções alternativas? Se não tem, esteja calado que já está toda a gente farta de vocês os dois. Polyethylen (discussão) 19h16min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Recuso-me a falar para uma porta. Além do mais a minha opinião sobre o assunto já está exposta de forma clara mais acima, não tenho culpa que não a tenha lido. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 19h20min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Ah sim, desculpe. Esquecemo-nos todos da sua sugestão muito realista de usar o computador mais avançado do mundo para avaliar e corrigir as informações dos artigos. LOLOL. Polyethylen (discussão) 19h23min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
(conflito de edição) Santa paciência... Então agora consenso, tal como descrito em WP:CONSENSO, que é o que nos interessa, é exatamente o mesmo que unanimidade?! Sugiro ao Zorglub que sublinhe mentalmente o "discute-se" que usou acima (que fora da sala de convívio de escola básica ou mesa de café de bairro significa apresentar argumentos). --Stegop (discussão) 19h29min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Pelo contrario caro Stego, em WP:CONSENSO está bem claro que o mesmo se obtém por unanimidade, pois esclarece que existindo discordâncias as mesmas devem ser totalmente eliminadas, logo concordância=unanimidade, discordância=falta de consenso. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 20h58min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
  • Até há bem pouco tempo nem se lembravam que os PR existiam, agora querem torná-los obrigatórios?   Discordo que sejam obrigatórios para nomear um artigo a destaque, até porque a participação da comunidade nestes processos é semelhante ou pior ainda que nos EAB. VítoR™ Talk That Shit 19h31min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Já agora, o PR seria obrigatório para nomeações a AB também? Que ridículo! Em lado nenhum o PR é obrigatório antes de se propor uma página a destaque, e porque haveria de ser aqui? O processo de revisão é dirigido a artigos de alta qualidade que já tenham sido trabalhados extensivamente, muitas vezes como maneira de preparar uma candidatura apenas. Nem sequer é feita por um grupo de especialistas, é um processo totalmente voluntário! PS: Mas quem raio pensa este que é? Segundo a data de registo foi o último a chegar, por isso "quem está mal que se mude"... VítoR™ Talk That Shit 19h40min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
(conflito de edição) Responda se quiser Vitor: i) acha que o processo atual não carece de melhorias? ii) se não carece de melhorias, significa que situações como a que serviu de pretexto ao início desta discussão não são problemáticas? iii) se carece de melhorias, quais são as que você propõe?
PS: E aconselho-o a ter cuidado com essa história de "antiguidade", pois alguém pode lembrar-lhe que a sua postura é a de miúdo imaturo que se acha o máximo por aqui poder tratar adultos como quem trata os coleguinhas de escola. --Stegop (discussão) 19h46min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Só tiros no pé nessa argumentação descabida. O processo de revisão é obrigatório na en.wiki, por exemplo. E é precisamente isso que queremos: preparar candidaturas a destaque. Ninguém disse que era feito por especialistas. Mas estamos todos curiosos por ouvir as suas soluções alternativas para resolver o problema. Quais são? Um bot maluco como o zorglub? Polyethylen (discussão) 19h47min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Stegop, antes que responda as suas questões, ninguém quer saber da sua opinião em relação à minha conduta aqui na Wikipédia. Se tem algo para se queixar, esta não é decerto a página correcta para o fazer. E aqui "a idade não é um posto", eu não sei a sua, você certamente não sabe a minha, e apenas não tem de existir ataques pessoais. Segundo, e agora respondendo, o problema aqui era a solicitação em massa, certo? Isso acontece porque certos editores se limitam a ignorar as candidaturas, ou se limitam a votar contra com comentários como "má tradução". Se o proponente tivesse a par das regras actuais, saberia que esse tipo de intervenções podem ser facilmente anuladas se o editor não indica especificamente os erros para que possam ser corrigidos. Ninguém deve ser proibido de trabalhar num determinado tema, artigo, anexo e candidatá-lo a AB ou AD, existem trinta dias para que os problemas sejam apontados e sanados, basta haver cooperação da parte do proponente e do eleitor. Se o problema é o artigo ser renomeado sem grandes alterações feitas depois de a candidatura ser rejeitada, é isso que passa a ser pedido ao contribuidor, que faça alterações significativas antes de voltar a nomear a página. O PR é apenas um processo voluntário, como uma segunda opinião que pode ou não ser questionada. Na anglófona não é propriamente obrigatório, se o artigo já possuir o estatuto de good article não necessita de passar por um processo de revisão. VítoR™ Talk That Shit 20h00min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Alto. Como é que é? A culpa de haver artigos cheios de erros promovidos é daqueles que apontam os erros? Ahahahahahaha. Frase do mês. Polyethylen (discussão) 20h27min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Quem falou em artigos promovidos? Vou repetir como se você fosse muito lento... Eu disse que o problema da solicitação em massa é devida a pessoas como você que se limitam a votar contra dizendo "má tradução". Sabe tanto quanto eu que essa justificação por si só é inválida, os proponentes é que não estão a par das regras e não sabem como agir. O problema é um artigo ser renomeado em curto espaço de tempo sem grandes alterações? Aconselha-se um PR ou então impõem-se uma certa percentagem de mudança na página para que se possa voltar a candidatar. Mais um conselho, se existem artigos promovidos com erros, sabe onde tem de se dirigir. VítoR™ Talk That Shit 20h35min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Ah bom. Vamos ver se percebemos a sua lógica: como há quem não promova artigos medíocres e cheios de erros, vamos chamar a turminha em peso para votar. Obrigado por nos demonstrar as suas tácticas de recreio de escolinha. É precisamente contra este tipo de mediocridade ética que estamos a lutar. Obrigado por contribuir, já percebemos onde quer chegar e que técnicas de capanga defende. Polyethylen (discussão) 20h39min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Eu não disse que achava bem, não meta palavras na minha boca. Apenas disse que a culpa da existência deste tópico é de pessoas como você, somente isso, não disse que concordava. Não tenho nada contra a que um utilizador peça a outro da mesma área para que também analise o artigo, nada nas regras o impede. Agora discordo completamente que um artigo para ser destacado tenha que passar por um processo de trinta dias em que a taxa de participação da comunidade é inferior à dos processos de escolha em si. VítoR™ Talk That Shit 20h44min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Claro que disse. Está lá acima para todos verem. Já se notou que a maior parte das vezes pensa que está a falar com os coleguinhas de escola ou assim, que não sabem ler e que passado cinco minutos lhes pode dar a volta à cabeça para dizer o contrário. Quando à "participação", ela só não existe porque não há artigos para revisão. A partir do momento em que se torne obrigatória e parte do processo de destaque, passa a haver os mesmos. Mais: pode haver solicitação à vontade que quanto mais pessoas a detectar erros, melhor. E ninguém disse que tinham que ser trinta dias. E se fosse qual era o problema? Há algum calendário para cumprir? Polyethylen (discussão) 20h52min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Só quem tiver o sentido de interpretação medíocre como você é que tira essa conclusão... E deixe lá a escola e os meus colegas, que não são para aqui chamados. O processo de revisão não será obrigatório, porque há alternativas e não unanimidade para tal. A candidatura dispõe de trinta dias para que o artigo seja avaliado, erros apontados e corrigidos. Sessenta dias para que um artigo seja destacado, é um absurdo que só poderia vir dessa cabecinha. VítoR™ Talk That Shit 20h57min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Consenso não é unanimidade. Já toda a gente está farta da sua táctica de empatar discussões, em que debita enjoadamente os mesmos palpites sem lógica só para levar a sua avante e poder sabotar qualquer discussão que não lhe agrade com a expressão lancinante "não há consenso na comunidade". E qual é que é o problema dos sessenta dias se isso ajudar a haver melhores artigos? Consegue arranjar um argumento ou é mais outra tirada do género "está mal porque não gosto"? Polyethylen (discussão) 21h03min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Como sempre está errado, repito o que já afirmei mais acima, em WP:CONSENSO está bem claro que o mesmo se obtém por unanimidade, pois esclarece que existindo discordâncias as mesmas devem ser totalmente eliminadas, logo concordância=unanimidade, discordância=falta de consenso. Quem não gosta paciência, mude as regras. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 21h06min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Toda a gente quem? Não generalize, pois eu também estou farto de si e das suas propostas inúteis que em nada melhoram o sistema actual, mas tenho de estar e levar consigo. Sabe porquê? Porque fazemos parte da mesma comunidade, cujo objectivo é manter a Wikipédia lusófona activa. Porque não grava um CD? Os seus comentários começam a parecer os mesmos de discussão para discussão... Já alguém aqui lhe explicou o que é um consenso, não irei repetir. Só uma pessoa como você é que não vê que sessenta dias para um artigo ser destacado é um processo longo e exaustivo. Isto resulta na desmotivação de maior parte dos contribuidores que apresentam os seus trabalhos no EAD e assim a Wikipédia fica reduzida a si e aos seus. Desculpe, mas isso não vai acontecer. VítoR™ Talk That Shit 21h10min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
  •   Comentário: Já que perguntaram se alguém tem mais uma proposta aí vai: Que tal criarmos um grupo de avaliação? Vou explicar: Será um grupo onde um número ilimitado de editores que querem ficar responsáveis por avaliarem os verbetes, no mínimo 3 e no máximo 11. Tais editores do grupo de avaliação serão escolhidos através de votação da comunidade, e os mais votados farão parte do grupo. Para um artigo ser eleito será necessário o apoio de três avaliadores, e caso algum não apoiar por uma justificativa clara e impossível de resolver em prazo hábil a candidatura é interrompida. Mas caso os erros sejam corrigidos (literalmente), a avaliação contra se torna inválida e permanece até dois dias, quando o avaliador venha reanalisar o artigo e dar o seu novo parecer. Fronteira 21h11min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Finalmente alguém que apresenta uma ideia interessante, a criação de uma espécie de "conselho de arbitragem" para artigos, tem o meu apoio em relação a esta proposta. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 21h24min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Concordo, havia pensado nisso a algum tempo atrás (fiz algumas observações quanto à isso ontem aqui), mas não estou muito afim de abrir propostas. O sistema atual é muito falho, solicitação, birras e por aí vai.Érico Wouters msg 21h34min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Já me tinha lembrado de criar um estatuto para isso há muito tempo, mas isso traz mais inconvenientes do que vantagens. Começa logo pelo método de escolha: como se escolhe? Votação? Em votação não ganha o candidato mais capaz, ganha o candidato mais popular. Está mais do que demonstrado que, sobretudo aqui na pt.wiki, a corrupção é rainha. Não iriam obter o estatuto os que tivessem melhores capacidades de revisão, mas sim os que tivessem piores capacidades de revisão precisamente para poderem passar tudo o que lhes aparecesse à frente. Desculpe Tiago, mas aqui são raras as pessoas que colocam o projeto à frente dos seus interesses pessoais. Aqui a maioria vota onde lhe é mais conveniente para atingir mais facilmente os seus propósitos. Podia-se então pensar uma decisão por consenso que elegesse os candidatos mais capazes. Mas como avaliar a capacidade de rever um texto? Fazendo um exame linguístico? E como se avalia a capacidade para avaliar um tema? Polyethylen (discussão) 21h42min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Não, nada de provas, aqui não é uma escola. A comunidade deve ser soberana em escolher os membros desse grupo, como a maioria dos grupos de usuários aqui. A proposta inicial não prevê criação de estatuto, porque não é algo necessário.Érico Wouters msg 21h48min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
  • Boa a intenção, mas soa a que só um grupo de "iluminados" é que teriam direito a opinião. Também me parece que nesse sistema o problema das solicitações/troca de favores irão acontecer. E se eles não estiverem disponíveis para votar? Depois, este "iluminados" poderiam propor EAD?! -- L'Éclipse [msg] 21h52min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Detalhes do processo de revisãoEditar

Já que as pessoas gostam de sair do foco, deixa a discussão acima para falar da obrigatoriedade ou não do processo revisão. Quero uma discussão para se falar dos detalhes do processo de revisão se este for obrigatório. Favor respeitar os assuntos de cada seção.

Então, que precisa detalhar no processo de revisão? Prazo mínimo / máximo? Quantidade de usuários dando ok? Qualquer usuário pode avaliar, apenas usuários com direito a voto, apenas autorrevisores? Só será avaliado a escrita ou também a verificabilidade? Um artigo que já passou pelo PR e foi para a EAD mas não foi aprovado, depois de seis meses qnd quer tentar de novo a EAD teria q passar na PR de novo? Rjclaudio msg 19h53min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Talvez esse processo de revisão resolva em parte o problema de termos artigos cheios de problemas básicos e que são votados em massa para destacado devido ao problema central desta discussão: a solicitação - troca de favores. Não sei se concordo é que este processo tenha um prazo extra, ou seja, se acrescente mais dias. Um mês já chega a meu ver, senão torna-se um processo cansativo e demasiado longo. Proponho assim, que todos os artigos propostos a AD passem por duas fases de 15 dias (que dará o mesmo mês), assim: 15 dias de processo de revisão e, se apto, passa a 15 dias de votação. Em todas as tentativas, penso que deverá passar pelas duas fases, até porque em 6 meses um artigo pode ser radicalmente mudado- para pior ou melhor. -- L'Éclipse [msg] 21h05min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
A ideia (pelo menos é o que se aplica na en.wiki) é haver um prazo variável na fase de revisão porque nem todos os artigos são iguais. Há artigos que claramente não precisam de grande revisão e já chegam praticamente destaque, e outros em que dois meses não são suficientes. Depois também há que levar em conta a quantidade de editores dispostos a revê-los. Não se deve estipular um prazo fixo, pelo menos na revisão. Pode-se propor qualquer coisa como: "o proponente pode encerrar o pedido uma/duas semana(s) depois do último comentário. Pode-se pensar em reduzir também o prazo de votação. Assim, para artigos que claramente estão mais do que aptos, o prazo manter-se-ia em 30 dias (15+15, aproximadamente). Depois esse prazo aumentaria consoante os artigos precisassem de revisões mais profundas ou trouxessem mais erros. Há imensos artigos nas EAD em que um mês esteve longe de ser suficiente para corrigir tudo. Polyethylen (discussão) 21h12min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Acho que se não temos editores a ler o artigo e votar não teremos a ler o artigo e analisá-lo criticamente pois isto é muito mais difícil. O hábito sempre foi levar o artigo para a EAD e lá os votantes darem os últimos pitacos para o proponente arrumar daí acho que veio os 30 dias para dar tempo senão votava em 7 dias. O problema conforme disse acima também vem da falta de editores capacitados a apontar tais correções. Não consigo imaginar um processo de revisão aberto onde não surgiriam "revisores" que não leram nada e disseram que está Ok para ir a EAD pois é exatamente o que os votantes paraquedistas fazem. E mesmo que um revisor sério se prontifique a exemplificar os erros de uma redação ruim o proponente se limita a arrumá-los e acha que já está pronto quando na verdade não está e tampouco significa que conseguiu consertar os erros anteriores.OTAVIO1981 (discussão) 21h17min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

e por que em vez de se criar todo um segundo processo, simplesmente deixamos o prazo de votação em aberto? o artigo vai para o trono somente quando estiver tudo devidamente verificado, leve isso quanto tempo levar.

entretanto, como o Otávio observou, a correção dos erros pode se revelar mais difícil do que pensamos. além de os editores poderem fazer remendos superficiais, frequentemente muitas das fontes usadas são impressas, às quais somente quem editou tem acesso. como se verificaria esses trechos além de qualquer dúvida? Tetraktys (discussão) 21h28min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

à uma solução para isso, que eu aqui à tempos propus mas não teve aderentes. A ideia era a criação de uma espécie de domínio especifico para referencias em que seriam colocadas digitalizações das referencias bibliográficas (não dos livros, apensa das páginas em que figuram a referência) e seriam criados links internos para as mesmas. Dessa forma toda a gente teria acesso às referencias que não se encontrassem na net. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 21h35min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Precisamente por isso é que um artigo não pode sair do processo de revisão enquanto não forem corrigidos todos os erros apontados. Os revisores não declaram que o artigo está bem, declaram que não detectaram nada de errado. O facto de uns não detectarem erros, pelos mais diversos motivos (desconhecimento da língua portuguesa, desconhecimento do livro de estilo), não quer dizer que não haja outros que o consigam fazer.
@tetra: Não. O processo de revisão é para os editores se preocuparem apenas com formatações e erros básicos. No processo de votação/escolha é que se devem preocupar com questões de conteúdo e é lá que se deve debater se o artigo está completo ou não para ser destaque, se tem peso indevido, parcialidade, se as fontes são de qualidade e actualizadas, etc. Polyethylen (discussão) 21h34min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Poly, a meu ver, deve mesmo haver prazo e igual para todos. Um processo claro e simplificado. Esses artigos que precisam de mais que um mês, é óbvio que nem deviam estar a candidatar-se a EAD, daí que seriam logo "eliminados" no filtro dos primeiros 15 dias. Restariam os que interessam mesmo. Mas, de facto, a haver prazo surgem depois problemas, tipo, como seria processado esse processo de revisão? Temos de sanar de vez o actual problema das solicitações e ciclos de troca de favores: "voto a favor do teu, depois votas no meu". E seria necessária percentagem (votos?) para passar o PR?... Mas se não houver prazo, pode ser eterno?!... Nada como trocar e conjugar ideias, venham elas! -- L'Éclipse [msg] 21h37min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Tem de existir prazos... E pessoalmente, trinta dias chegam suficientemente para apontar os erros do artigo e o proponente corrigi-los. Caso seja uma óbvia perca de tempo avaliar o artigo, é porque de certeza este não cumpre um dos critérios para a candidatura, logo basta alguém isento e imparcial cancelar com base nos requisitos. VítoR™ Talk That Shit 21h33min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
A sua "visão pessoal" é contrariada por inúmeros casos reais em que trinta dias não chegaram para corrigir erros e os artigos já vinham com qualidade 4. Polyethylen (discussão) 21h36min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Só na sua cabeça é que um artigo legítimo de qualidade 4 pode vir com tantos erros que trinta dias não chegam para os sanar... VítoR™ Talk That Shit 21h57min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

concordo, os prazos muitas vezes são exíguos demais.

Pelo Poder do Z, a ideia solucionaria o problema, mas duvido muito que seja prática. muitas vezes usamos páginas e páginas a cada consulta, ou mesmo um artigo inteiro, ciscando informações dispersas ao longo de um trecho considerável. como arquivar imagens de tudo isso? pior: como exigir que todos os editores agora tenham um equipamento de digitalização de fontes e façam esse registro impecavelmente? impossível. e, cá pra nós, vc acredita que haja alguém de nossos leitores que vá usar esse recurso e fazer a checagem? eu só checo quando analiso para votação. o que leio casualmente jamais verifico. não seria útil esse trabalho todo.Tetraktys (discussão) 21h44min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Mas os prazos têm de existir... é uma questão de bom censo. Um mês parece-me suficiente para a avaliação de um artigo, algo mais demorado torna-se exaustivo e desmotivante. Talvez, os tais 15 dias que servem para os AB serem eleitos caso não hajam erros a apontar, sirvam para o artigo passar por um PR. VítoR™ Talk That Shit 21h57min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Acho que a idéia do Z solucionaria outro problema mas não o da falta de análise crítica por parte dos votantes. O que eu vejo é que num processo de revisão quem apontar erros vai virar "escravo" da proposição tendo que voltar novamente a ler o artigo ficando assim numa sinuca onde ou arruma o artigo por si próprio ou fica esmiuçando várias e várias vezes para o proponente conseguir acertar tudo. Acho que um caminho é flexibilizar a interrupção de candidaturas quando o artigo não cumprir os critérios. Não gosto de números mágicos e pessoalmente preferia o consenso mas sendo prático a realidade que é o projeto atualmente acho que um artigo que tem cinco votos contras em qualquer proporção de a favor poderia ter a candidatura automaticamente interrompida e poderia ser enviado a revisão, por exemplo.OTAVIO1981 (discussão) 22h05min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Vitor, num processo que deve prezar pela qualidade não deve haver motivo para a pressa. Aliás, acho que nenhum processo aqui deveria exigir prazo para conclusão pois isso é forçar os editores a manter um nível de participação extremo e cansativo.OTAVIO1981 (discussão) 22h05min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Mais cansativo é ter uma candidatura aberta mais de trinta dias sem qualquer apreciação por parte da comunidade. Não estão à espera de estabelecer sessenta dias para um artigo ser destacado, certo? Contudo, a ideia de flexibilizar a interrupção de candidaturas parece-me o mais sensato e eu próprio já tinha referido acima que podia ser uma alternativa à obrigatoriedade dos processos de revisão. VítoR™ Talk That Shit 22h14min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

concordo com o Otavio. é extremamente cansativo e aborrecido ter de voltar várias vezes ao mesmo texto, tendo de enfrentar má fé e má vontade de alguns editores. eu já não tenho disposição para isso. se na primeira leitura tem problema, eu listo os defeitos e deixo meu voto contra e não volto mais lá. pelo menos na maior parte das vezes. falando nisso, eu acho que poderíamos parar de aceitar reformas enquanto o artigo está sendo avaliado. isso poderia eliminar parte da chatice das revisões contínuas e o ônus do trabalho ficaria mais com o proponente. aliás, todos já deveriam saber que um artigo só deveria ser proposto se estivesse praticamente perfeito para cada categoria desejada. a simples existência de critérios, que todos deveriam conhecer para poder propor, significa que os ditos critérios devem ser todos atendidos. é abusivo que o processo de votação, que podia ser ágil e sumário, se transforme numa oficina literária bagunçada. talvez os editores relapsos aprendessem rápido que não vai ter moleza e se esforçassem mais rsrsrs Tetraktys (discussão) 22h17min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

PS e acho ótima a ideia de dar mais peso aos votos negativos bem documentados. até mesmo se apenas um voto negativo trouxesse à luz problemas extensos, deveria bastar para interromper a candidatura Tetraktys (discussão) 22h23min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Acredito também que incentivaria o uso do processo de revisão que sempre existiu mas nunca foi muito bem utilizado. Se não consideraremos mais correções durante a votação, o proponente teria duas opções: ou conserta o erro, assumindo que pqeueons eorrs spmere vão existir, ou vota logo contra esmiuçando em exemplos o que ver de errado.OTAVIO1981 (discussão) 22h31min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Como assim mais peso aos votos negativos bem documentados? que votos são esses? Quem os determina como melhores que os outros?! Mais que concordo em não haver reformas durante a votação, mas continuo a não ver forma mais clara e simples do que: Fase 1: 15 dias em Revisão. Passou? Fase 2: 15 dias em Votação. Mas, continua a haver o problema de como se determina e conclui que passou na revisão, (com comentários? votação? percentagem?...) e vai persistir o que você disse, apontar erros e não voltar mais.-- L'Éclipse [msg] 22h32min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Esta ideia das fases também não está mal pensada... Sendo que a primeira fase seria por consenso, uma vez que é o método utilizado pelo PR. O eleitor durante a votação tem um prazo para rever o seu voto e analisar se os erros apontados foram corrigidos, logo aqui também não poderia ser por menos. Tem de existir cooperação. VítoR™ Talk That Shit 22h42min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Certo, no prazo de Revisão fazer-se assim: os editores apontam apenas erros. O proponente corrige os erros. Para prevenir que os erros não sejam corrigidos só superficialmente, quem os apontou deve voltar e dizer se acha que o problema está sanado. Se não voltar, o problema fica sanado como foi corrigido, ou seja, sem essa segunda revisão, pois o proponente não tem culpa se o editor aponta erro e depois não volta. Se todos estão de acordo que os erros apontados foram corrigidos, passa à votação. Pode à partida parecer confuso, mas vai simplificar e resolver conflitos e problemas. -- L'Éclipse [msg] 22h59min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Sim, parece-me uma boa solução. Até porque o proponente pode deixar um comentário na página de discussão do utilizador que apontou os erros, como uma espécie de chamada de atenção. Até porque os participantes do PR também devem opinar no processo de votação. VítoR™ Talk That Shit 23h05min de 14 de setembro de 2012 (UTC)
Apenas uma nota em relação a haver prazo, pois alguns falam em não haver necessidade de prazo. Como eu digo aqui acima, há a possibilidade de um editor apontar um erro e não voltar mais. Aliás, o Tetraktys aí em cima diz que actualmente faz qualquer coisa tipo isso. Isso empataria para sempre a revisão, nunca podendo avançar porque um editor não voltou mais. Acima já referi como agir caso não volte. -- L'Éclipse [msg] 23h30min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

eu parto do pressuposto de que o proponente deve propor um artigo que atenda aos requisitos. e não nos dar um esboço cheio de erros crassos e primários, como referências falsas e pesquisa inédita, como se tem visto tão amiúde, como que pedindo ajuda uma esmolinha pelamordedeus e depois mordendo a mão que alimenta ou simplesmente dando uma de louco ignorando críticas documentadas com as próprias fontes oferecidas. às vezes eu volto, mas nas últimas não adiantou nada. tenho mais o que fazer do que ficar ensinando gente que não quer aprender. Tetraktys (discussão) 23h45min de 14 de setembro de 2012 (UTC)

Como nem tudo é linear e como deveria ser, é que surgiu uma necessidade de resolução, que estamos a debater e que é a Revisão, certo? -- L'Éclipse [msg] 00h07min de 15 de setembro de 2012 (UTC)

Esclarecendo melhor o que é a revisão no contexto de EADEditar

Têm surgido algumas dúvidas que mostram que ainda não há uma ideia bem definida do que seria este processo de revisão no contexto de escolha de artigos em destaque. Vou tentar esclarecer, usando o caso do que se passa na en.wiki, para se ter uma ideia melhor daquilo que se pretende, dissipar dúvidas e podermos seguir em frente.

Antes de tudo, é preciso dissipar a ideia de que é uma votação, um consenso ou qualquer tipo de aprovação. Não é. Não há "resolução final" nem ninguém tem de encerrar nada com contagem de votos ou análise de argumentos. Quem suspende a candidatura é o proponente quando achar que os problemas forem sanados e não houver mais problemas em aberto. A única votação/escolha ocorre na fase seguinte, que é o actual processo, onde aí sim se pode votar, se pode fazer considerações finais sobre fiabilidade de fontes, sobre rigor das informações, onde se pode decidir se tem ou não uma ampla cobertura do tema para ser AB/AD.

O processo de revisão serve simplesmente para aconselhamento, para colocar o artigo ao escrutínio de todos os editores, que indicam ao(s) proponente(s) quais os pontos a serem corrigidos. É sobretudo um aconselhamento. Mas esta revisão vai incidir sobretudo a nível de redacção, formatação e adequação aos parâmetros do livro de estilo. Pode-se chamar à atenção para um ou outro aspecto relativos ao conteúdo e à fiabilidade de fontes a nível de aconselhamento, mas o conteúdo é para ser discutido na fase seguinte. Aliás, o processo de revisão pode ser usado por qualquer pessoa, mesmo que não pretenda depois levar o artigo a destaque.

No entanto, para aceitar uma proposta para destaque, exige-se que o artigo tenha estado pelo menos duas semanas aberto na revisão e que não haja comentários ou oposição durante uma semana até se poder fechar. Isto parece estar a ser confuso. Vamos dar alguns exemplos de várias situações possíveis, considerando como valores uma permanência mínima de duas semanas e encerramento uma semana após a última concordância do revisor:

  • Proponente A abre um processo de revisão e explica "Aumentei o conteúdo, gostaria que fizessem uma revisão sobretudo na área da redacção e não tenho a certeza se a estrutura dos parágrafos é a melhor". Revisor 1 lê o artigo e no quarto dia refere, por exemplo: "A estrutura parece-me correcta, mas as fontes devem ser formatadas consoante o LE". O proponente vai então corrigir e ao quinto dia comunica: "Já corrigi todos os problemas apontados, peço uma releitura". Revisor 1 ao sétimo dia escreve: "Não tenho mais nada a objectar". Passado mais uma semana desde este último comentário não há mais ninguém a comentar. É encerrado o processo de revisão e o proponente pode abrir uma proposta de EAD. O processo demorou duas semanas.
  • Proponente B abre um processo de revisão e explica: "Não tenho muita experiência e gostava de mais opiniões sobre se está apto". Revisor 2 revê o artigo e ao quinto dia coloca a avaliação: "Imensos erros ortográficos, há informação na secção Y que não está nas fontes, secção Z está sem qualquer fonte, desambiguações" Proponente B não faz nem correcções nem perguntas, encerra a revisão passado algumas horas do comentário do revisor 2 e abre uma proposta de EAD. A proposta é inválida e vai ser encerrada: nem os problemas do processo de revisão foram solucionados, nem o proponente deixou passar uma semana desde o último comentário.
  • Proponente C abre um processo de revisão. Ninguém detecta nada durante duas semanas. Pode encerrar e abrir uma proposta de EAD.
  • Proponente D abre um processo de revisão. Ninguém comenta, mas o proponente fecha o processo passado apenas cinco dias (em vez de duas semanas que é o mínimo). Não pode abrir uma proposta de EAD porque deveria ter ficado no mínimo duas semanas aberto ininterruptamente.
  • Proponente E abre um processo de revisão. Revisor 3 analisa e escreve ao terceiro dia: "As fontes não estão formatadas consoante o LE". Proponente corrige e avisa "Já corrigi, há mais alguma questão?" Revisor 3 não comenta mais, nem que sim nem que não. Considera-se aprovação tácita e pode ser encerrado sete dias depois desse último comentário.
  • Proponente F abre um processo. Revisor 4 comenta ao terceiro dia: "faltam fontes na secção 3. Proponente ao quarto dia esclarece: "já corrigi" e revisor concorda passado umas horas. Ao décimo dia aparece o revisor 5 que comenta: "essas fontes não corroboram nada do que está no texto". Proponente volta a corrigir e declara "já está, desta vez penso que está ok". A partir daí o calendário faz reset e só passado uma semana sem comentários é que pode ir para EAD.

Isto são obviamente exemplos e tive que abreviar o que cada comentador escreve. O que interessa é perceber a dinâmica do calendário. Se escolhermos um prazo de duas semanas de mínimo e uma semana depois do último comentário, se o proponente quiser levar para EAD tem que respeitar esses prazos. Isto está feito para evitar abusos dos dois lados. Nem o proponente pode fechar com prazos ridículos que impeçam a leitura adequada, nem pode um pedido ficar eternamente para revisão quando o revisor não faz qualquer comentário no prazo de uma semana.

Note-se também que o proponente pode cancelar a qualquer momento o processo. Embora se não estiver lá o tempo mínimo não possa ser proposto para destaque, ele pode achar que depois dos comentários vai precisar de dois ou três meses para corrigir. Aí retira imediatamente, corrige quando tiver tempo, e mais tarde volta ao processo de revisão. Além disso, o proponente é livre para deixar o processo aberto o tempo que quiser. Ele pode achar que só dois ou três revisores não foram suficientes e pode decidir manter aberto mesmo passado uma semana do último comentário se ainda tiver dúvidas que vá ser eleito para AD como está. No entanto não podemos deixar processos abertos ad eternum e sugeria que fosse obrigatoriamente encerrado passado um mês do último comentário.

O que temos para discutir são pequenos ajustes e refinamentos. Alguns são repescados do Rj mas que ficaram sem resposta. Por exemplo:

  1. É suficiente o tempo de duas semanas / uma semana? Eu acho que não. Há poucos revisores e isto seria sobrecarregar demais as avaliações, obrigando os revisores a desdobrar-se em tarefas e a ter que reler o artigo por completo cada vez que há um comentário. Eu apontava para um período de 2 / 2 semanas. Note-se que isto não é igual a quatro semanas. Se o artigo receber os comentários logo no primeiro dia e mais ninguém comentar, ele é encerrado passado duas semanas.
  2. Toda a gente pode ser revisor? Eu acho que sim no sentido de não haver um grupo restrito, mas exigiria o estatuto de autorrevisor, já que quem avalia deve pelo menos conhecer as regras do projeto para avaliar. Isto não significa que os outros estejam impedidos de comentar, mas acho que o proponente só deveria estar vinculado a corrigir aquilo que um autorrevisor apontasse. Caso contrário, estamos a abrir a possibilidade a qualquer novato com dez ou vinte edições vir aqui exigir as coisas mais descabidas, levando a longos e improdutivos debates e a nunca se fechar o processo.
  3. Que padrões mínimos devem existir? Aceitamos qualquer lixo ou podemos implementar um método de speedy close perante certos critérios? O que fazemos quando aparece um novato com um esboço cheio de tags de wikificação e falta de fontes? Não deveríamos exigir qualidade 3 ou 4, no mínimo?
  4. Qual o mínimo de revisores? Um artigo que esteja duas semanas aberto mas sem qualquer revisor ter declarado nada, é elegível para ir a AB? (Penso que na en.wiki deve haver pelo menos dois, vou confirmar)
  5. Devemos implementar um número máximo de processos de revisão em simultâneo que cada editor pode abrir? Na en.wiki cada editor só pode ter no máximo um processo aberto e isto deve-se provavelmente à enchente que devem sofrer caso não fosse assim. Eu apoio. E reparem que estamos a falar de um universo onde há pelo menos cinquenta vezes mais editores activos. Eu apoio isto. Isto permite a cada editor poder ter dois artigos em destaque por mês, o que é mais do que suficiente. Mesmo que peça a outra pessoa para abrir, eu não vejo grande mal. É da forma que incentiva algum trabalho de grupo e espírito comunitário. Acho que sem um máximo, logo no primeiro mês ia ser impossível lidar com tanto processo. As pessoas têm que se mentalizar de uma vez por todas que não é só a perspectiva do proponente que deve ser levada em conta, mas também de quem revê. Um artigo em destaque é um trabalho de conjunto, não é um trabalho unicamente do proponente. Numa comunidade e tem que haver equilíbrio. A completa desproporção entre propostas e análises da situação actual é o que tem levado a que haja vários artigos que nem sequer recebem votos/comentários.
  6. Quando um artigo passa com sucesso pela revisão, mas é reprovado em EAD, deve passar de novo pela revisão? Eu acho que sim. Se ele foi reprovado é porque o conteúdo não estava bom. O que significa que para nova candidatura deve ter conteúdo novo/diferente, logo há partes de texto completamente refeitas para voltar a analisar. Polyethylen (discussão) 02h04min de 15 de setembro de 2012 (UTC)
Vou só acrescentar mais uma coisa importante para perceber como este processo é vinculativo, mas não pode de todo ser visto como uma segunda votação/consenso. Por exemplo, vamos imaginar que continua a aparecer um artigo cheio de erros e sem fontes em EAD, mesmo depois de estar aberto em revisão por duas semanas. O link para a página do processo de revisão está lá no topo. Um editor antes de votar vai lá ver. Quando desconfia que o processo não foi bem concluído, que houve violações grosseiras ou que houve irregularidades, é aí que pode votar afirmando "desculpe, mas o processo de revisão foi muito débil e quem avaliou deixou escapar violações grosseiras dos critérios como tal, tal e tal". Portanto, é de todo o interesse do proponente deixar o processo aberto o máximo de tempo e não se furtar a avaliações. Mas a verdadeira votação ocorre na escolha de EAD. Na en.wiki há um grupo de cinco pessoas que avaliam isto. Quando vêm que não houve revisão suficiente, mandam-no de volta para a revisão. Acho que não precisamos de tanto e podemos deixar a questão para a votação.Polyethylen (discussão) 02h49min de 15 de setembro de 2012 (UTC)

Pelo que entendi da sua ideia, se um único revisor cismar com alguma coisa e haja uma discordancia entre ele e o proponente sobre aquilo, o artigo não pode ser levado à votação?

Outra coisa, creio que há uma diferença entre livro de estilo e regras de EAD, são coisas diferentes. No caso, as duas foram feitas majoritariamente por quem escreve mal, não tem muita intimidade com o assunto "construir texto", tem muita "cópia" da outra Wiki (na incapacidade de fazerem um Livro de Estilo lusófono) especialmente o tal LE. Há uma grande preocupação até com a cara que uma referência (que é pé de página no artigo) deve ter, e muito pouca com que realmente importa e é o consultado pelo leitor, a redação, o conteúdo, a estrutura e o acabamento visual dele. A maioria dos artigos levados a EAD, não passa nem do item 1 das regras (qualidade do texto) mas a grande maioria dos comentários que se lê é sobre as regras 2, 3, 4, 5 etc. Quando o assunto é tradução então, sobra 1 em 5.

Um artigo escrito por um semianalfabeto, como muitos dos bons e destacados aqui, votados como bons e destacados por outros semianalfabetos, tem muito mais chance de ser destacado, do que um verbete que tenha uma deficiencia técnica de referência, por exemplo, algo totalmente desimportante para o leitor da Wikipedia, comparando-se o texto e o assunto. Há tbém um outro problema, que é a falta de conhecimento de assunto do que se lê, qdo ele é algo muito específico em uma determinada área do conhecimento. Temos votantes que entendem tanto - na verdade são especialistas - seja da ultima single da Britney Spears ou de um rapeiro, quanto de câncer de pulmão ou arte da Galícia, assuntos muito específicos. Geralmente, são os mais ignorantes em tudo. Preocupa-se muito apenas com ortografia e pouco com o conteúdo (que é diferente de redação). Ou seja, a maior barbaridade bem escrita tem mais chances de ser AD do que um texto muito bom sobre um assunto com um erro lá outro cá. Em principio, estou apenas divagando aqui, entendam como uma divagação em torno do que ando lendo nesse tema.

Também entendam semianalfabeto num contexto enciclopédico: incapacidade total de escrever um texto com mais de cinco parágrafos, escorreito, bem estruturado, sem erros de ortografia ou concordância e dinâmico, proporcionando boa e agradável leitura para adultos com curso universitario (esse é o meu padrão de enciclopedia) ou adolescentes de curso secundário reconhecidamente Cdfs (só os Cdf). E capaz de receber um 8 do professor de Redação. Apesar de que há alguns que são semianalfabetos mesmo no entendimento literal da palavra. nos meus seis anos de Wiki, o que tenho a dizer é: não existem nem dez editores neste projeto inteiro, entre os que se interessam em fazer artigos para destaque,(há gente que escreve bem, coloca bens as ideias, mas escreve curto e faz artigos também curtos, sem interesse em destaques) capazes de fazê-lo por deficiência de escrita. Sds MachoCarioca oi 02h54min de 15 de setembro de 2012 (UTC)

@Poly, 1)Me parece razoável o período de 2 semanas e está mais ou menos em proximidade com uma proposta acima do L'Éclipse, acho, de 15 dias de revisão + 15 votação. Fico na dúvida se o processo de votação poderia ser reduzido. 2)Sendo o estatuto de autorrevisor praticamente o "café com leite" do projeto, não me oponho que seja o mínimo exigido e os comentários sejam abertos a todos.3)O mínimo a exigir é o já previsto para AD ou AB. Não acho necessário alinhar a escala de qualidade. Claramente um artigo cheio de tags ou mal escrito seria recusado mesmo tendo um robo ou leitor desavisado avaliado como 4. 5)Totalmente de acordo com a idéia. É preciso um compromisso do revisor de efetivamente ler e ajudar o proponente num processo verdadeiramente colaborativo. Daí é inviável acreditar que algum editor seja capaz de revisar 5 a seis artigos de uma vez. 6)Sim, claro que deve passar. não ficou claro no seu texto se esta revisão seria obrigatória. será? Aos revisores que tem um artigo por si avaliado reprovado na etapa seguinte fica o "alerta" de serem mais rigorosos em oportunidades futuras.OTAVIO1981 (discussão) 19h07min de 15 de setembro de 2012 (UTC)

@Poly

  1. Concordo com 2 semanas (+1 semana desde o último comentário), dá tempo suficiente para se avaliar o artigo e lida com os riscos do processo ficar parado. Tb não sei se o prazo da votação em si deve ser reduzido. Não acho que a dificuldade de se avaliar a escrita seja o único motivo para algumas EADs não terem sequer sete votos, então reduzir o prazo pode deixar ainda mais difícil conseguir esses votos (e pode piorar as solicitações). Eu manteria o prazo de 1 mês ao menos no início, depois qnd tivermos mais experiência no processo e ver como está o nivel de participação na votação podemos diminuir o tempo.
  2. Concordo. Serão poucas as pessoas sem o estatuto que terão críticas fundamentadas para impedir a aprovação do artigo, mas existindo provavelmente um autorrevisor vai concordar com as críticas, e provavelmente em pouco tempo o usuário já terá o estatuto. Só se pode avaliar se o artigo cumpre com as nossas políticas se o usuário conhece as políticas, e só vai conhecer se for autorrevisor.
  3. Com o Otavio. Os requisitos mínimos para ir pra votação da EAD parecem suficientes, já que não há lá mts votações indevidas (e existindo deviam ser canceladas). Se seguirmos os requisitos da EAD e, principalmente, aplicá-los (alguém tomar a frente em um caso e cancelar / recusar) já está bom. O resto é (torcer pelo) bom senso.
  4. Bom precisar de pelo menos 1 ou 2 apoios de autorrevisores, contanto que não seja um usuário mt envolvido com o artigo. Arrisco q 1 bastaria (confiando que vá fazer uma análise boa do artigo), mas podemos ficar com 2 tb.
  5. Um processo por vez está bom. Se o usuário estiver disposto a corrigir eventuais problemas no artigo é bom que ele possa dar atenção a apenas um artigo por vez. E não há pq ter pressa para se destacar tudo ao mesmo tempo. Vendo pelo lado dos que avaliam os artigos é melhor haver algum limite mesmo, já era difícil com tantos artigos nas EADs e era apenas votar, agora no PdR q é consenso e precisa explicar, argumentar e discutir, vai ficar mais difícil ainda sem um limite.
  6. Concordo, serão mt raros os casos reprovados na EAD que não levem a uma alteração não desprezível do texto. Melhor passar de novo pelo PdR.

Só não ficou mt claro o que seria avaliado. A escrita e a aplicação do Livro de estilo, é só isso que seria motivo para impedir a aprovação? O resto seria apenas comentários livres / aconselhamentos, que o proponente pode ou não aplicar no momento (ele pode deixar para aplicar depois, ou achar q não precisa), isso? Isso inclui WP:V?

No segundo exemplo na análise aparece "há informação na secção Y que não está nas fontes, secção Z está sem qualquer fonte", se isso acontecer iria impedir a aprovação? Não está totalmente claro nas nossas políticas o que precisa (obrigatoriamente) ter fontes, então alguém pode achar essencial q a informação X tenha fonte enquanto outra pessoa ache q é dispensável, poderia surgir mts casos de dupla interpretação (tem gente q reclama q tem pouca fonte, e depois vem alguém reclamar q tem excesso de fonte atrapalhando a leitura do texto), então melhor deixar isso pra votação não? Alguns casos específicos (como, toda estatística precisa ter fontes) poderia se exigir, mas como não temos nenhuma regra q diga "todo x precisa necessariamente de fonte" (podia ter uma lista dessas, mesmo q pequena, ao menos serviria de exemplos) não daria para aplicar. Rjclaudio msg 17h29min de 19 de setembro de 2012 (UTC)

Tradicionalmente, os critérios que ainda são avaliados de modo subjetivo na EAD são o leiaute (embora a maioria observe as mesmas coisas) e links vermelhos. Acho que inclusive se a proposta firmada for de 1 revisor por artigo dava para testar fazer por consenso a discussão de modo que ao término o revisor deixe claro o que ainda não está bom e encerre.OTAVIO1981 (discussão) 18h09min de 19 de setembro de 2012 (UTC)
Não acompanho as EADs, mas se não há problemas de subjetividade no critério de verificabilidade então isso pode ser visto tb no processo de revisão. Ficaria só conteúdo, leiaute e links vermelhos para a votação? Rjclaudio msg 02h51min de 20 de setembro de 2012 (UTC)
Não há limite nem selecção de revisores. Podem participar os que quiserem. Aliás, o processo não é só um "atestado" para ir para EAD. O verdadeiro espírito do processo de revisão é juntar uma série de editores à volta de um artigo para o melhorar. O artigo não tem que vir pronto para EAD. Pode ser um artigo de qualidade 4 e o proponente dizer "Isto tem potencial para destaque, falta X e Y e uma revisão do texto. Alguém interessado em melhorar e acabar o que falta durante as próximas semanas?" E aí juntam-se os que adicionam conteúdo, com os que revêm conteúdo e com os que apontam o que ainda está em falta ou que tem que ser corrigido. No fundo, é isso que acontece já nas votações de muitos textos que vão para EAD. Só que deixa de existir a pressão para votar em determinado prazo, ter que melgar as pessoas para mudar de voto e os dramas constantes que aquilo envolve.
A compartimentação em excesso também é prejudicial. Pode-se orientar, mas não proibir. Em princípio, na votação deviam-se levantar problemas do género de "essa publicação nas fontes de 2004 já foi revista pelo artigo X que saiu em 2011, e a comunidade científica considera o conceito ultrapassado". Enquanto que no processo de revisão se devem observar coisas mais básicas: "este site é uma wiki sem fiabilidade" ou "as fontes não estão formatadas". Mas isso não quer dizer que não se possa chamar à atenção para ambas as coisas em ambas as situações. Da mesma forma, o processo de revisão apresenta alguma garantia, mas não é taxativo. Se um votante vê que a revisão foi mal feita ou que houve vícios processuais, tem todo o direito de argumentar que não considera a revisão credível por este e aquele motivos. Polyethylen (discussão) 03h55min de 20 de setembro de 2012 (UTC)