Abrir menu principal

Wikipédia Discussão:Votações

Tempo-limite para requisição de nova votaçãoEditar

O texto seguinte foi movido de: Esplanada propostas Lusitana 10:07, 12 Fevereiro 2007 (UTC)

Assunto: Limitar e estipular um tempo mínimo para que um assunto seja proposto para votação novamente após ter sido efetuada uma votação anterior. Isto evitaria desgastes como nos casos de eternas propostas de adoção de fair-use.

Creio que dois anos é um tempo excelente. Ozymandias 12:34, 23 Janeiro 2007 (UTC)

Tem q prestar atenção aos casos excepcionais. Pode criar votações que o assunto seja maior do que uma votação recentemente (menos tempo do que o decidido aqui) decidida ? Ou quando uma implica a retirada da outra ?
Usando o exemplo do fair-use. Fez-se a votação de parar de carregar imagens aqui, e isso implica a retirada do fair-use.
Mas a votação do fair-use não é mais geral, já que estaria sendo feita as opções ? Seria a adesão ao fair-use, e como seria feita (q tipo de fair-use) e a não adesão (manter o impedimento do carregamento local de imagens ou não manter). A votação anterior pra mim vale mais como uma seção da votação mais geral (fair-use), além de não deixar explícito as consequencias.
Nesses casos, mesmo antes do tempo limite, não seria correto permitir uma nova votação, mais geral ? (embora para o fair-use a próxima votação deve ocorrer só daqui a uns dois anos, pelo rítmo da coisa).
Votações para se saber se vale a pena rediscutir um assunto acho desnecessário e não deveria contar. Isso é feito em discussões (esplanada) e só votar quando se tem propostas concretas. Se não tem propostas concretas a escolher, a opção de não rediscutir (não ao fair-use) fica privilegiada (pois não se sabe as opções do sim ao fair-use).

Rjclaudio msg 13:03, 23 Janeiro 2007 (UTC)

Deve ser 6 meses uma vez que esse prazo já foi estipulado para alguns tipos de votação (de eliminação). Salles Neto   msg 14:00, 26 Janeiro 2007 (UTC)

E para os casos que eu citei ? Onde uma votação mais geral seria impossibilitada por causa de uma votação mais "específica" ? Ou nos casos de votação para se rediscutir uma assunto. Isso é considerado para as contas ? Rjclaudio msg 19:40, 27 Janeiro 2007 (UTC)

texto anterior O texto seguinte foi movido de: Esplanada propostas Lusitana 10:07, 12 Fevereiro 2007 (UTC)

Votação em caso de múltiplas opçõesEditar

O texto seguinte foi movido de: Esplanada propostas Lusitana 10:20, 12 Fevereiro 2007 (UTC)

Aproveitando a Wikipedia:Votações/Restrições à movimentação de páginas para levantar a seguinte questão: não acham que o funcionamento desta votação poderia ser mais dinâmico? As pessoas que são contra qualquer restrição (grupo 1 de votação) são, consequentemente, contra qualquer uma das opções na votação 2 (grupo 2 de votação). Comparando os grupos 1 e 2, se 2 (somatório de suas 3 opções) tem a maioria sobre 1, o grupo 1 passa a ser irrelevante e passamos a olhar apenas para as opções dentro do grupo 2. É uma votação por eliminação. Assim não seria necessário votar duas vezes, ou quem sabe três, quatro vezes. Mesmo que não considerem este método válido para esta votação, poderia ser utilizado em outras, dependendo do contexto, como em casos que existam "sub-votações", quero dizer, uma votação dentro de cada opção de votação ou quando uma opção nega todas as outras (caso da votação acima). Exemplo:

  • Opção A (grupo 1)
    • Opção A.1

X X X

    • Opção A.2

X

  • Opção B (grupo 2)
    • Opção B.1

X

    • Opção B.2

X X

Cada pessoa escolhe entre A.1, A.2, B.1 e B.2. Primeiro faz a votação entre A e B.

Se A vence B, passa a comparar A.1 e A.2. Ganha o que tem a maioria.
Se B vence A, passa a comparar B.1 e B.2. Ganha o que tem a maioria.

No caso, A vence B (4X3) e A.1 vence A.2 (3X1), a opção A.1 é então escolhida. Como o raciocínio é lógico, não vejo motivo para alguém discordar, a não ser que eu tenha esquecido alguma consideração importante... como diz a frase "No, you're not thinking, you're just being logical". É isso, opiniões? Montemor Courrège Faroe msg 23:16, 3 Fevereiro 2007 (UTC).

Usando o exemplo que você citou. Pelo método atual, tem a primeira votação e depois a segunda. Mas quem votou na primeira para não ter restrição vai votar para o menor valor possível para a segunda votação, enquanto os que querem uma restrição ficarão divididos quanto ao prazo.

Assim, se 10 querem restrição e votam 4 para 45 dias, 3 para 15 dias e 3 para 10 dias, e apenas 5 não querem votação e por isso votam o menor tempo possível, 5 dias, então vai ganhar os 5 dias. Ainda que 10 pessoas queiram um prazo maior ou igual a 10 dias, a metade decidiu 5 dias.

Isso fica mais evidente quando tem mais opções. Pode ter 5 votando para o prazo de 5 dias, e 40 votando para 10 ou mais, 4 em 10 dias, 4 em 15 dias, 4 em 20 dias, etc... E ganha os 5, embora 40 queiram um prazo maior. 5 x 40 !!!

Eu acho q tem alguma coisa errada com o sistema atual de votação. Só não sei como arrumar.


Mas sua sugestão deveria ser aplicada caso a caso. Alguns casos quem vota pelo não deveria ter direito a opinar sobre o valor do sim, e vice-versa. Mas em outras situações isso pode ser prejudicial, pelo exemplo que citei acima.

Rjclaudio msg 15:43, 4 Fevereiro 2007 (UTC)

Quanto a sua primeira afirmação, bem, há como melhorar a proposta, mas prefiro que os que estão aqui a mais tempo a reformulem. A minha idéia pode não estar tão boa assim, devido ao problema citado, mas creio que possa ser aprimorada aos poucos até ser aceita pela comunidade. Quanto ao seu segundo ponto (o 5 ganhar de 40), a única solução que vejo para isso é, no caso de muitas opções, por exemplo: zero dias (nenhuma das opções), 5 dias, 10, 15, 20, 25, 30, 35, 40, ou 45, poderíamos fazer uma média ponderada e depois aproximamos para qualquer um dos valores. Nesse caso, venceria o eleitor da mediana (adaptei da teoria do eleitor da mediana, ver en:Median voter theory). Acredito que muita gente por aqui não gostaria do uso da matemática nas votações, mas com toda a certeza isso melhoraria o sistema de votação. Montemor Courrège Faroe msg 00:20, 5 Fevereiro 2007 (UTC).
Gostei da media ponderada. Só ficaria um pouco trabalhosa de fazer em alguns casos. Mas é a melhor opção por enquanto. Rjclaudio msg 11:56, 5 Fevereiro 2007 (UTC)

Eu entendi a questão e acho que é válida nalguns casos. Todavia, na votação que está agora ocorrendo, creio que há um erro de interpretação de vossa parte e vocês já perceberam que é um problema a enfrentar. Uma pessoa contra qualquer restrição também deve ter o direito de opinar sobre o prazo a ser aplicado, pois caso a opção pela restrição vença o usuário tem pelo menos a opção de escolher o que ele considera "menos pior". Se a votação ocorre da forma como vocês sugerem, aquele que votou contra acaba tendo que deixar nas mãos de outros o prazo a aplicar, sem poder opinar. Dantadd 15:18, 5 Fevereiro 2007 (UTC)

Se a votação ficar em 15 x 10 vencendo o prazo, na hora de escolher o prazo inevitavelmente quem vai vencer é o de 5 dias, pois os 10 que não querem prazo vão votar pelo menor possível, e os que querem vão se dividir. Claro que isso pode não acontecer, mas é o mais esperado. Por isso acho q a média ponderada ajudaria a encontrar um meio termo. Mesmo que os 10 votassem para 5 dias, e os 15 se dividissem ainda assim o resultado seria a média. Caso contrário as maiores chances são para o não ter.
E seguindo o raciocínio, todas as votações em que se pretende mudar um prazo já determinado terá a tendência a manter o prazo o mais próximo possível do atual, pois os que não querem a mudança votarão no prazo mais próximo e os outros se dividirão. Não refletirá a opinião como um todo. A média ponderada é a melhor. E se fosse aplicada, aí não teria problema nenhum em permitir que os que votaram no não votem pelo prazo.
Rjclaudio msg 15:45, 5 Fevereiro 2007 (UTC)

Bom, a discussão está meio bagunçada. Quero explicitar que estão havendo duas discussões juntas.

  • Uma é a primeira proposta que coloquei, que acredito que possa ser utilizada futuramente, dependendo da situação e deveria haver discussão antes de ser colocada em qualquer futura votação. O Rjclaudio fez um comentário importante. Um usuário que se coloque contra uma proposta (deseja manter o status quo), logicamente seria a favor da proposta menos radical, contabilizando à favor dessa opção de votação.
  • A outra foi a proposta de utilizar média ponderada nas votações (preferível). Nela, venceria uma proposta que não necessariamente representaria uma maioria, mas traria uma sensação de satisfação muito maior para todos os votantes... alguém aqui já leu algo sobre a teoria da escolha pública? O tema praticamente não existe no Brasil (ver en:Public choice theory). Não sei se estou conseguindo explicar. Montemor Courrège Faroe msg 19:31, 5 Fevereiro 2007 (UTC).
Dantadd disse : "Uma pessoa contra qualquer restrição também deve ter o direito de opinar sobre o prazo a ser aplicado, pois caso a opção pela restrição vença o usuário tem pelo menos a opção de escolher o que ele considera "menos pior".
Bem, nesse caso quem votar pela não restrição, mesmo se perder, terá uma chance de votar novamente e decidir o resultado. E o contrário ? Quem votar para ter a restrição e perder não tem como votar no menos pior.
Ou seja, a balança tenderia para quem quer o não, pois teriam duas chances, e o Sim apenas uma. Os que votam para manter só teriam uma chance de decidir o resultado. Teria que ganhar a primeira, e depois ainda ganhar a segunda. Se perdera primeira está fora. Algo que não acontece no caso do Não. Mesmo se perder, ainda pode continuar na luta para decidir o placar.
A proposta pode ser aplicada, mas em q exemplo ? Se a primeira opção for sim/não cai nesse caso que falei. Se for o de aumentar/diminuir um prazo, fica melhor, mas cai na outra q falei antes, tendendo a manter o prazo o mais próximo possível do atual. Em q caso isso poderia ser aplicado ?
Ainda acho melhor a média ponderada. Mas se me der um exemplo em q essa possa ser aplicada, pode-se usar qualquer uma das duas, analizando caso a caso. Rjclaudio msg 20:11, 5 Fevereiro 2007 (UTC)

Comentários sobre a proposta de se implementar votações com o uso de média ponderadaEditar

Para separar as duas coisas, criei esta sub-seção para que discutamos apenas uma das propostas. Montemor Courrège Faroe msg 19:31, 5 Fevereiro 2007 (UTC).

Caso de opções Sim / Não, e prazos. Quem votar pelo não o voto seria computado como Prazo de 0 dias. Como ficaria a média ponderada ? Nos calculos desses votos, eles seriam zerados ?
Media ponderada normal, ou média ponderada com os índices multiplicadores relativos a opção com mais votos ? (fazendo o resultado girar em torno da opção com mais votos).
Rjclaudio msg 20:11, 5 Fevereiro 2007 (UTC)

ResumoEditar

Escrever apenas os resumos : vantagens e desvantegens. Para discussões, usar as seções anteriores.

Problemas atuaisEditar

1. Pode-se atingir um resultado que não reflete a maioria das opiniões. Exemplo : Pode ter 5 votando para o prazo de 5 dias, e 40 votando para 10 ou mais, 4 em 10 dias, 4 em 15 dias, 4 em 20 dias, etc... E ganha os 5, embora 40 queiram um prazo maior. 5 x 40 !!!

2. Inibe a criação de novas opções para prazos : Se existe as opções 10 dias e 20 dias, e a pessoa prefere 14 dias (2 semanas) dificilmente criará essa opção, pois não é usual (prefere-se números redondos, múltiplos de cinco, porque não multiplos de 7, uma semana), e serão poucas pessoas a votar nesta, ficando assim com um voto inútil na decisão final. Com isso um usuário indeciso pelo meio termo precisaria escolher entre um dos lados, não refletindo sua verdadeira opinião.

3. Para o caso de uma opção anular todas as outras, quem votar nesta tem uma nova oportunidade de votar, escolhendo o prazo. A tendência é votar no prazo mais próximo ao atual (com a menor mudança possível), fazendo o resultado tender para a menor alteração. Quem vota pelo não tem duas chances de decidir o resutlado (vence | perde + prazo), quem escolhe pelo sim só tem uma opção (vencer + prazo).


Divisão por gruposEditar

Aplicação : Uma das opções anula as outras.

Desvantagens 

1. Mantém os casos 1 e 2 dos problemas atuais.

2. Grupo 1 : Sim / Não. Grupo 2 : Prazos. -> Cai no caso 3 dos problemas atuais

3. Similar ao anterior, mas sem a possibilidade de votar nas duas opções (prazo do sim, e no não) -> "Retira" o direito de escolher o "menos pior" (será q retira?)

4. Grupo 1 : Diminuir / Manter / Aumentar. Grupo 2 : Prazos. -> Cai no caso 3 dos problemas atuais.

Média ponderadaEditar

Vantagens
  1. Permite atingir um consenso entre todos os votantes. Mesmo que apenas uma pessoa vote em uma opção, ela vai influenciar o resultado do conjunto.
  2. Problema 2 resolvido. Mesmo com apenas 1 voto, uma opção intermediária influenciará um voto
Desvantagens
  1. Dificuldade em definir o intervalo possível e os valores corretos que poderão estar nos itens, sendo relativamente fácil distorcer o resultado propositalmente;
  2. Se as opções forem "livres", ou seja: cada um diz um valor que quiser, ainda assim fica difícil definir o limite máximo e mínimo, para que não haja casos de exageros propositais com intuito de distorcer o resultado final a seu favor.
A discutir
  1. Caso de opções Sim / Não, e prazos. Quem votar pelo não o voto seria computado como Prazo de 0 dias. Como ficaria a média ponderada ? Nos calculos desses votos, eles seriam zerados ?
  2. Media ponderada normal, ou média ponderada com os índices multiplicadores relativos a opção com mais votos ? (fazendo o resultado girar em torno da opção com mais votos).

texto anterior O texto seguinte foi movido de: Esplanada propostas Lusitana 10:20, 12 Fevereiro 2007 (UTC)

Proposta de opções binárias em vários turnosEditar

Cláudio, admiro muito sua iniciativa. Mas, particularmente, acho que a média ponderada não funciona muito bem, pois quando usamos médias diretas, é possível que o resultado tenda a um falso "meio" (definido pelos limites: superior e inferior), ou seja: para quem quiser agir de má fé e manipular uma votação, basta "manipular" as "pontas", ou mesmo as opções disponíveis para distorcer tudo novamente, caindo no mesmo problema.

Eu parei um bom tempo pra pensar nisso e cheguei à conclusão de que a melhor maneira possível, matematicamente falando, para que a verdadeira vontade da comunidade (que é o que buscamos de fato) seja refletida no resultado final, é a de opções binárias em diversos turnos, que funcionaria assim:

  1. Toda votação poderá ter somente duas opções e cada pessoa poderá votar somente numa delas; a característica dos itens é sempre algo como: "X ou maior que X" V.S. "X ou menor que X". Não importando muito qual seja esse X inicial, pois o primeiro turno dará espaço a outros turnos;
  2. A opção escolhida ao final pela maioria deve ser "desmembrada" para um próximo turno, de forma que fique "afunilada", repetindo todo o processo, até chegar num ponto em que seja possível um consenso. Esse ponto pode ser definido formalmente antes da votação começar estipulando um valor mínimo entre a diferença das duas opções (seria variável somente por causa da grandeza envolvida).

Parece meio complicado, mas não é. Como o PARG (ou Gaf, não me lembro) gosta de dizer: desenharei para ficar mais claro:

  • Vamos supor uma votação fictícia que escolheria qual seria o período máximo que um usuário com direito ao voto poderia ficar bloqueado;
  • Vamos supor também que sabemos antecipadamente a real vontade da comunidade, e que ela seja hipoteticamente 15 dias. Porém, existe um grupo de radicais que querem que seja 5 meses e outro grupo de radicais que querem que seja 5 dias, fazendo com que seja muito difícil identificar a uma primeira vista os "15 dias" (suposta "média perfeita" que espelharia de forma mais próxima a real vontade da comunidade como um todo), mesmo porque ninguém sequer propôs explicitamente "15 dias": um quer "10 dias", outro quer "8 dias", outro quer "35 dias" e por aí vai.
  • Suponha que haja 30 pessoas votantes.

Notem que não importa quais são os dois valores de cada turno, pois a cada turno as opções ficam mais precisas, como numa pesquisa binária (para os programadores de plantão). Por esse motivo, supondo que a questão tenha sido "muito mal formulada", começarei com números "absurdos", meio longe da real vontade da comunidade (como muitas vezes acontece na prática - e nem por isso haverá distorção com esse método):

Exemplo muito pessimista

 

Na figura anterior eu chutei valores "totalmente bizarros" nas opções, justamente para mostrar que errar nesse tipo de coisa não faz diferença nesse método, apesar de ter gerado um grande número de turnos. Mas, na figura seguinte, usando ainda a mesma hipótese apresentada, eu coloquei um exemplo de como poderia andar os turnos de maneira mais realista, ou seja: chegar num mesmo resultado final com menos turnos, usando valores melhores nas opções escolhidas:

Exemplo realista/otimista

 

Espero que realmente considerem toda a minha explicação. abraço! Lipe 2OO7 03:51, 16 Fevereiro 2007 (UTC)


Ha, ha, ha, ha... Vamos mudar nosso nome para Votapédia e parar de escrever artigos! FML, essa foi mesmo muito boa... Mschlindwein msg 07:57, 16 Fevereiro 2007 (UTC)
Não precisa ter várias votações. Cada um vota no prazo q quer, e depois com todos os votos faz-se essas divisões. Compara os votos de "3 meses ou mais" com os de "3 meses ou menos". Depois, os de "15 dias ou mais" com os de "15 dias ou menos".
Pra quem vota continuaria a mesma coisa, a única diferença seria pra quem conta os votos. E nem existem tantas votações assim pra mudar para votapédia.
Mas teria q ver se a escolha dos números para a decisão dupla "Mais" ou "Menos" mudaria algum resultado. Fazendo algumas simulações. Vamos pensar melhor... Rjclaudio msg 10:28, 16 Fevereiro 2007 (UTC)

Ha, ha, ha... obrigada FML, agora ri com vontade... Lusitana 11:24, 16 Fevereiro 2007 (UTC)

Desconsiderando as risadas insultuosas de Mschlindwein D​ C​ E​ F e Lusitana D​ C​ E​ F que não querem levar o assunto a sério e não acrescentam em nada ao debate, complemento também que cada turno teria um período menor de tempo dos quais usamos hoje. Além disso, se vocês realmente leram a proposta até o final, veriam que o exemplo realista tem apenas dois turnos. E, geralmente as votações teriam no máximo três ou quatro turnos, apenas para chegar num valor que já seja mais fácil chegar num consenso na base do diálogo.

Assim como o Cláudio acrescentou acima corretamente, com base na quantidade de votos do primeiro turno daria para "chutar" uma média para o segundo turno, fazendo com que se chegue ao valor final de forma mais rápida. O primeiro exemplo que dei, não sei se perceberam, os valores variam de "dias" para "meses" bruscamente de um turno para outro: foi apenas para exemplificar que mesmo no pior dos casos a votação tende a um resultado correto.

Além disso, nosso objetivo é que seja refletida a real vontade da comunidade numa votação, e participa das votações apenas quem quer. Ainda, uma votação desse tipo, em que envolve valores com intensidades diferentes, não é algo tão comum de acontecer. — Essas ironias apenas me levam a crer que realmente não estão interessados em que a real vontade da comunidade seja refletida no resultado final, para que seja possível de alguma forma ainda manipular as votações.

Lipe 2OO7 12:18, 16 Fevereiro 2007 (UTC)

Discordo. É excesso de burocracia. Concordo, no entanto, com votações em no máximo dois turnos (exceto para votações urgentes, como a de insultos - se é isto que se está afinal discutindo...)--g a f msg 22:11, 16 Fevereiro 2007 (UTC)
Então você não entendeu nada ou não deve ter lido até o final, e olha que eu desenhei! Ou ainda talvez não queira mesmo resolver o problema. Geralmente tudo seria resolvido em dois turnos e, algumas vezes em três e outras raras vezes em quatro. Se o tempo da votação for menor, o tempo total dos turnos levariam o mesmo tempo de uma votação normal. Burocracia? Burocracia é a vontade da comunidade não ser realmente refletida no resultado final e toda vez acontecer esse fuzuê toda a bagunça que já estamos acostumados, isso sim é burocracia! Ter que votar uma ou duas vezes a mais para ter certeza absoluta que a real vontade da comunidade será refletida no resultado final não vale a pena?? O_O Think again. Lipe 2OO7 22:57, 16 Fevereiro 2007 (UTC)
Já eu acho que deveríamos votar em 5 turnos com escolhas múltiplas nos turnos pares e simples nos ímpares, e cada usuário podendo votar em mais de uma escolha, mas sem poder repetir o número de escolhas a cada turno; no final dos 60 dias de votação calcula-se a média harmônica de cada turno que, comparada com a média ponderada de todos os turnos, dará o resultado final da votação. Aí sim teremos certeza de que a comunidade não tem mais o que fazer... Mschlindwein msg 23:06, 16 Fevereiro 2007 (UTC)

hahahahaha... muito boa esta proposta!--Nice msg 09:51, 17 Fevereiro 2007 (UTC)

Meu, se não está interessado no assunto ou "tem mais o que fazer", por favor não faça comentários inúteis. Vá procurar o que fazer! Lipe 2OO7 02:56, 17 Fevereiro 2007 (UTC)
Sinceramente, não ter o que fazer é criar uma série de discussões inúteis para saber realmente o que é a "decisão da comunidade", quando todos nós sabemos verificá-la. Mas aqui adoram complicar ao invés de simplificar. Tudo isto só existe pois uma meia dúzia de usuários que não leu as regras da votação de sanção resolveu contestá-la ilegitimamente e ainda por cima defender um usuário que nada mais fez que insultar a comunidade.--g a f msg 03:25, 17 Fevereiro 2007 (UTC)
Epa! Você foi insultado, por algum motivo que não me interessa, não confunda as coisas, se provocou, teve o que pediu. E se você diz "quando todos nós sabemos verificá-la" é porque realmente não leu (ou não entendeu) nada do que o Marcelo, o Cláudio e eu tentamos explicar e que não tem necessariamente a ver com a votação específica do JLCA, pois é uma proposta genérica. E, se diz também com tanta convicção que "todos nós sabemos verificá-la" é porque compactua com os erros apresentados. Lipe 2OO7 05:24, 17 Fevereiro 2007 (UTC)

Francamente parece-me que todas as contribuições devem ser apreciadas sem ironia. Creio que a proposta efectuada será de facto a que talvez possibilite expressar melhor o sentir da comunidade em votações que impliquem quantidades. É manifesto que o método das maiorias relativas até agora usado pode deturpar o sentir da maioria e gera um enorme desperdício de tempo argumentando sobre a justeza das decisões tomadas. Com o método actual, basta que se coloquem 4 opções, por exemplo, 5, 10, 20 ou 30, e haja 2 votos em cada uma das três primeiras e 3 na ultima, e é esta que ganha, quando se torna manifesto que a maioria (neste caso de 2/3!) pretendia um valor inferior a 30. A solução proposta, porque possibilita que quem tinha ideias mais extremas tenha novamente o voto nas novas voltas(ou turnos como lhe chamam no Brasil) permite que essas opiniões não sejam descartadas. Com talvez alguma pequena afinação, como a determinação de qual o intervalo com que se para a "divisão", acho que ficará algo muito mais justo(garantindo-se antes que os burocratas entendam o processo, claro!). António msg 15:54, 17 Fevereiro 2007 (UTC)

AlternativaEditar

O que o Lipe diz faz sentido. O método actual pode levar a resultados distorcidos numa votação, devido à dispersão de votos em alternativas próximas. No entanto a existência de vários turnos pode tornar-se incomportável. A forma mais justa de resolver a questão era cada um votar em todas as alternativas, indicando a ordem de preferência e depois fazia-se uma Contagem de Borda. Mas novamente este método é demasiado pesado e pouco prático. Deixo aqui uma alternativa que julgo ser eficaz e prática.

Consideram-se apenas a metade dos votos mais moderada e faz-se a média aritmética destes.

  • Porque não calcular a média aritmética de todos os votos? Porque a média aritmética é sensível a resultados extremos. Assim se alguém quisesse fazer elevar o resultado da votação bastaria votar numa proposta muito alta (mesmo mais alta do que aquela que realmente gostaria). Com este método um voto demasiado elevado seria considerado extremista e não moderado e não seria considerado para a média.
  • Porque não calcular apenas a mediana dos votos? Porque a mediana pode desviar-se significativamente apenas com um voto.

Para se perceber melhor a minha proposta aproveito o exemplo do Lipe:

    • Opção 5: 5 votos
    • Opção 10: 4 votos
    • Opção 15: 4 votos
    • Opção 20: 4 votos
    • Opção 25: 4 votos
    • Opção 30: 4 votos
    • Opção 35: 4 votos
    • Opção 40: 4 votos
    • Opção 45: 4 votos
    • Opção 50: 4 votos
    • Opção 55: 4 votos

Resultados:

    • Pelo método actual - Opção 5
    • Pela divisão binária do Lipe - Opção 5
    • Pela média aritmética dos votos moderados: Opção 29 (que era inexistente)
O método funciona assim: Os votos na opção 5, opção 10, dois dos votos na opção 15, 3 votos na opção 45, e os votos nas opções 50 e 55 são considerados extremistas. Ficam os votos moderados 15, 15, 20, 20, 20, 20, 25, 25, 25, 25, 30, 30, 30, 30, 35, 35, 35, 35, 40, 40, 40, 40, 45 cuja média aritmética é 29,3.

Eu penso que neste caso concreto 29 seria uma opção muito mais razoável do 5, ou seja, este proposta parece-me mais justa que as anteriores sem dificultar o processo de votação. Reparem que se alguém que votou na opção 55 se lembrasse de votar numa opção 1000 isso não mudaria o resultado da votação. Salgueiro discussão 09:29, 17 Fevereiro 2007 (UTC)

Eu prefiro a do Lipe. Seria a primeira opção "Mais q 30" ou "Menos q 30". Menos ganharia. E então, "Mais q 15", "Menos q 15", ganhando mais q 15. Por fim fazia 15, 20, 25, 30 e resolvia. Em três turnos.
Não entendi muito bem seu caso. São desconsiderados todos os votos da opção 5 ? Mesmo se tiver 50 votos no 5 ? Ou é um percentual dos votos ??
Rjclaudio msg 11:23, 17 Fevereiro 2007 (UTC)

Creio que ao descartar os votos extremos impede de facto "desvios" significativos, mas isso à custa de desconsiderar totalmente a contribuição de quem votou nesses extremos. A proposta efectuada por Lipe, ao criar uma nova volta(turno) após uma primeira votação, possibilita que quem votou vencido anteriormente, tenha possibilidade de se expressar novamente face às opções existentes. Não entendo como diz que pelo método da divisão binária o resultado seria 5, pelo que entendi daria um valor bem diferente após 4 voltas:

1ª volta:

<=30 - 25 votos
>=30 - 24 votos (Os 4 votantes do 30 votam em ambas as opções)

2ª volta(visto que na anterior "ganhou" o <=30 apura-se o resultado)

<=15 - 13 votos
>=15 - 36 votos (note-se como se reflecte a clara preferência da maioria por um nr.>15)

3ª volta

<=22 - 17 votos
>=22 - 28 votos (nesta altura poderia ser apurado um valor de 25, o mais próximo do ponto médio entre 22 e 30, ou prolongar por uma 4ª volta )

4ª volta (caso se quisesse apurar com maior exatidão)

<=26 - 21 votos
>=26 - 24 votos

O resultado seria 30, admitindo que apenas se aceitava um dos possíveis, ou então 28,5. Note-se que cada utilizador pode votar em ambas as opções se a sua opção for pelo valor central. O que é manifesto é que a "vitória" do 5 pelo método actual é absolutamente deturpadora do sentir dos votantes. António msg 16:23, 17 Fevereiro 2007 (UTC)

O maior problema do caso do Lipe seria ter vários turnos. Isso pode ser melhorado. Ao invés de votar várias vezes, pega-se as opções atuais, e faz a primeira divisão na média. Depois conta os votos q estão maiores e os menores q a opção e vê a melhor. Depois novamente a média, e conta de novo.
Desse modo, pelo exemplo, só seria preciso fazer uma votação. Cada um votava no q prefere. Depois de 4 voltas daria entre 26 e 30. E como 24 pessoas querem mais, então ficaria 30, o valor mais próximo arredondando.
Ou seja, pra quem vota ficaria a mesma. Só mudaria pra quem conta. Essa é a minha sugestão. Reflete a vontade total segundo a sugestão do Lipe, e não cria burocracia votando várias e várias vezes, apenas 1. Só dá mais trabalho pra quem vai contabilizar os votos. Mas isso já seria outra história. Nem tem tantas votações assim. Acho q esse único efeito negativo dá pra aguentar. Rjclaudio msg 17:38, 22 Fevereiro 2007 (UTC)

SilêncioEditar

Deixo esta mensagem só para explicar o meu silêncio sobre este assunto. As mudanças nos processos democráticos não podem ter efeitos retroactivos, sob pena de toda a gente começar a contestar os processos conforme gosta ou não gosta dos resultados. Recuso-me a colaborar nesta discussão enquanto ela puder servir de argumento para questionar decisões recentes da comunidade, como está a acontecer na esplanada. Depois disso, cá estarei. Abraço a todos, Ozalid 16:40, 17 Fevereiro 2007 (UTC).

Permita que discorde da sua posição. Em sanção eu explico porque penso que deve haver lugar a discussão do assunto e a uma eventual revisão da "pena". E acho que, neste debate, a sua opinião ponderada e informada seria bastante útil a todos. António 19:55, 17 Fevereiro 2007 (UTC)

Eu acho q um assunto não deve ser impedido por causa de outro. A idéia é evitar q os mesmos problemas q estão a ocorrer agora se repitam. A votação da sanção foi errada ? Eu pessoalmente acho q foi. Mas foi segundo as regras atuais. Então está "certa". Não tem porque mudar. Agora só melhorar o futuro. Rjclaudio msg 17:34, 22 Fevereiro 2007 (UTC)

Eu gostaria de informar que por protesto estou ausente dessa discussão, mas que ainda acho o método que expus acima o mais justo possível. --Novo Lipe (FML) DC 02:22, 23 Fevereiro 2007 (UTC)

Propostas para mudança em votações de múltipla escolhaEditar

O texto seguinte foi movido de: Esplanada propostas Lusitana 07:35, 8 Março 2007 (UTC)

Pessoal, todos nós sabemos que as votações de múltipla escolha (em especial as que envolvem intensidades) sempre nos causam muitos problemas, até mesmo por ser muito difícil elaborar uma votação dessa forma que seja imparcial; sendo que quase sempre alguma parte é favorecida, as vezes até inconscientemente e causando revoltas (com razão) sobre possíveis resultados manipulados e resultados até surpreendentes (a todos), que não refletem a real vontade da comunidade como um todo.

Com base nisso, foram surgindo algumas propostas sobre o assunto em: Wikipedia Discussão:Votações#Votação em caso de múltiplas opções. O Rjclaudio D​ C​ E​ F iniciou esse debate, com muita razão, sugerindo uma boa idéia de uma média ponderada. Eu apenas complementei sua idéia, sugerindo a proposta apresentada no próximo parágrafo, que me parece a mais justa possível, pois mesmo com uma média seria ainda possível fazer manipulações.

Por isso, gostaria que dessem atenção à proposta Proposta de opções binárias em vários turnos. Foi uma maneira que pensei em que seja possível que a real vontade da comunidade como um todo seja de fato refletida no resultado final.

Ela se baseia numa idéia simples da computação: a pesquisa binária. A única diferença das votações atuais, é que seriam votações mais curtas com apenas duas opções a se escolher, feitas na maioria dos casos em dois ou três turnos e nos piores casos (que seriam raríssimos) em até quatro ou cinco turnos.

Sei que pode parecer uma burocracia desnecessária a uma primeira leitura, mas não é, pois apesar de em alguns casos termos que votar mais vezes, teremos que escolher apenas entre duas opções de cada vez (não entre um monte como era antes), e temos a imensa vantagem de ter um resultado preciso, fazendo com que não se criem tantas revoltas e a comunidade não fique surpreendida com um resultado injusto.

Seria legal mesmo não criarmos empecilhos e realmente facilitarmos um consenso para que essa proposta vá para frente em tempo de usarmos esse método na votação que está para acontecer sobre as novas porcentagens e prazos da WP:PE. Por favor, peço que não olhem dessa vez para o nome "FML" e já saiam criticando (como de costume já fizeram), mas olhem para a proposta em si e para o grande benefício que ela poderia nos trazer.

Poderíamos inclusive usar o tema da WP:PE para fazer um teste experimental (não ainda oficialmente válido) para "sentirmos" como o método funciona e ver o resultado que daria. Já fiz! Está em Usuário:FML/opiniões/Votação experimental sobre a proposta de votação binária, por favor, peço a todos que participem!

abraço, Lipe 2OO7 23:20, 16 Fevereiro 2007 (UTC)

PS: Peço que façam comentários por lá, e não aqui na Esplanada. Lipe 2OO7 23:44, 16 Fevereiro 2007 (UTC)

texto anterior O texto seguinte foi movido de: Esplanada propostas Lusitana 07:35, 8 Março 2007 (UTC)

Proposta de Alteração da (forma de Votação)Editar

Se possível vejam em: [http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipedia_Discuss%C3%A3o:Vota%C3%A7%C3%B5es/Pol%C3%ADtica_de_bloqueio#Proposta_de_Altera.C3.A7.C3.A3o_da__.28forma_de_Vota.C3.A7.C3.A3o.29 Proposta de Alteração da (forma de Votação)] e digam de vossa justiça. É apenas um exemplo. --João Carvalho deixar mensagem 14:39, 18 Março 2007 (UTC)

Retomada da discussãoEditar

Já que essa discussão ainda consta nas Mudanças Recentes e é realmente relevante, apesar de ter permanecido estacionada por um bom tempo e não ter existido consenso algum, eu peço que todos coloquem a mão na consciência e facilitem o consenso.

Eu fiz um exemplo de votação com a minha proposta, e ela foi terminada em um turno apenas, apesar de poucos participantes. Mas ela só funciona para votações quantitativas e não para todo tipo de votações de múltipla escolha. A minha proposta (que está ilustrada acima nesta mesma página) consiste em aproximações sucessivas, até o resultado final, em que, no melhor dos casos poderia terminar com apenas uma votação. E num caso bastante pessimista poderia ter até umas 3 ou 4 votações.

Quero que leiam a discussão que ocorreu também em: Usuário Discussão:FML/opiniões/Votação experimental sobre a proposta de votação binária.

Pelo menos para votações de múltipla escolha quantitativas temos uma solução bem justa, é só questão de querer usá-la ou não. --Lipe FML 03h42min de 12 de Julho de 2007 (UTC)

Usuário:ReynaldoEditar

Can someone tell me why Usuário:Reynaldo not only deletes my User page, that is of photography I have shot for Wikipedia, but then templates me? Is there not enough to do than to worry about what people have on their user pages? Especially when those User pages are galleries of a person's contributions? I don't get it. --David Shankbone (discussão) 05h25min de 7 de Agosto de 2008 (UTC)

Alguém pode me esplicar o que é que o David Shankbone disse ? Tumnus msg 10h52min de 7 de Agosto de 2008 (UTC)

Caros traduzindo:

Alguém me pode dizer porque é que o Usuário:Reynaldo não só me apaga a minha página de usuário, que detem fotografias que eu tirei para a Wikipedia, mas como também me põe um template (que provêm de Web template)? Não haverão outras preocupações e coisas para fazer para além do que é que as pessoas fazem da sua página de usuário? Especialmente quando essas Páginas de usuário são galerias de fotos de contribuições de uma pessoa? Não percebi. --David Shankbone (discussão) 05h25min de 7 de Agosto de 2008 (UTC)

  Concordo tal como ele também não entendi o porquê tanto do apagar como da inserção do Template referindo e cito: A página de usuário serve para assuntos relacionados à habilidade pessoal do usuário ou a assuntos relacionados ao contexto do usuário na Wikipédia. Obrigado! Julgo que se deveria ser mais produtivo e deixar a cada um a sua apresentação de página de usuário, se virmos um breve perfil deste, veremos que é um excelente jornalista para a Wikipédia e que contribui com inúmeras fotos de celebridades que podem ser utilizadas nos artigos da Wikipédia, sendo esta a sua página tipo nesta Wikipédia e noutras em que este não entende ou não domina a língua, na Wikipédia Inglesa e Hebraica, a sua apresentação é muito melhor daí que também não percebo porque é que se está a perder tempo com estas guerras e pergunto-me a mim mesmo se é desrespeitando (pois o apagar é uma titude extrema) outro usuário que dá tanto ao projecto wikipédia que conseguimos sinceramente ser produtivos?

Geosapiens Sente-se aí com a Eva e depois escreva... 19h30min de 9 de Agosto de 2008 (GMT\Lisboa)

Geosapiens, obrigado pela tradução. Mas verifiquei que não foi o Reynaldo que apagou a página dele. Vou avisar aos autores da façanha. Tumnus msg 11h16min de 11 de Agosto de 2008 (UTC)

Revisão do artigo pelas normas do Acordo Ortográfico de 1990Editar

Em conformidade com a deliberação da comunidade, segundo a qual, a partir do primeiro dia de 2009, as normas do Acordo Ortográfico de 1990 devem passar a ser utilizadas nas páginas oficiais da WP-pt — menus, políticas, recomendações, resolução de problemas, guias de ajuda, FAQ e glossário —, assim como na página principal e nos títulos de todos os artigos, procedi à devida revisão ortográfica deste artigo. Cumprimentos e votos de Bom Ano de 2009, Manuel de Sousa (discussão) 00h13min de 3 de Janeiro de 2009 (UTC)

Reforma das votações

Preâmbulo: a wikipédia portuguesa é a única, ou das raras, em que se usa e abusa de um sistema de votação para decisões comunitárias. Até temos uma política exclusiva para isso. Isto fere um dos princípios básicos do projeto, que é a tomada de decisões por consenso e que é o método adoptado por todas as outras wikipédias. Nos restantes projetos, mesmo quando se fazem votações informais, tenta-se extrair daí um consenso aproximado ou, pelo menos, uma maioria significativa e expressiva que garanta que determinada opção é o desejo de grande parte da comunidade.

Este abuso nas votações tem vários e graves problemas:

  • Mau ambiente: como grande parte do que é aprovado é do desagrado de metade da comunidade, a comunidade estará sempre dividida e em guerra constante, abrindo-se constantemente debates sobre a mesma coisa. Se tivesse sido aplicada uma solução de compromisso que levasse em conta as preocupações de todos, ainda que as pessoas não se revissem totalmente nela, ao menos não estariam em guerra constante e prontas a voltar a debater o que já foi debatido. Paz na wikipédia.
  • Falta de estímulo para usar a lógica. Isto está directamente relacionado com o ponto anterior. Como já se entra nas discussões a prever uma votação inevitável, o estímulo para contribuir de forma positiva é zero. Toda a gente sabe que nem vale a pena argumentar, rebater ou tentar um compromisso, então usa-se as discussões para fait-divers, desentendimentos, lavagem de roupa suja, etc. As discussões tornaram-se um mero aborrecimento e empecilho antes da votação. Ninguém se importa de não contribuir construtivamente porque assume à partida que nada vai sair dali, e então tenta tumultuar tudo ao máximo com nonsense para ver se há desacordo rapidamente para passar à votação. Se aquele fosse o último passo e as pessoas vissem que teriam mesmo que resolver ali o problema, seriam mais cooperantes caso estivessem interessadas em incluir as suas preocupações no debate.
  • São quase sempre fraudulentas. Uma votação nunca corresponde ao real desejo da comunidade. Desengane-se quem pensa que o problema está só nos socks. Isso é um problema mínimo. Uma votação é ganha por quem consegue convocar mais gente. O que cria um problema adicional: não só as decisões não correspondem aos desejos da ampla maioria, o que já por si é grave, como muitas vezes a maioria chega ao cúmulo de ter de se conformar com decisões que são tomadas por uma minoria residual, cujo único mérito foi ser mais ágil na comunicação em redes sociais e querer votar sempre por amizade.

No entanto, isto não é assim tão linear e, como é sabido, as discussões não estão imunes a serem proteladas e, a determinado ponto, vai ser sempre necessária qualquer forma de contagem de posições de modo a que uma minoria residual não tenha o poder de empatar por completo aquilo que a comunidade pensa ser urgente existir, e não se pode estar um ano a debater infinitamente a questão. O que é questionável é como é feito actualmente esse processo.

Proposta: proponho um sistema baseado em parte no requests for comment. Para entender melhor o processo dou um exemplo sequencial.

  1. É feita uma proposta na esplanada, tal como até aqui.
  2. Se houver consenso ou se se chegar a um compromisso é aprovada, tal como até aqui.
  3. Quando as opiniões divergem deve-se distinguir três situações:
    1. quando há um consenso aproximado entre os intervenientes que existe um problema que deve ser resolvido, e ao mesmo tempo existe um consenso aproximado de que a única solução apresentada também é viável. Neste caso propõe-se uma votação, que é feita se existir um consenso aproximado para a sua realização. Se também houver consenso aproximado na votação para a implementação, considera-se como bem sucedida.
    2. quando há um consenso aproximado entre os intervenientes de que existe um problema que deve ser resolvido, ou não foi refutado, mas há divergências e várias propostas alternativas quanto ao melhor método para o resolver. Neste caso deve ser proposta uma votação, e haver consenso aproximado para a sua realização. Na votação devem constar apenas as propostas de resolução que obtiveram apoio expressivo de parte dos intervenientes. Se uma das formas de resolução obtiver pelo menos 2/3 dos votos, é aplicada. Se nenhuma obtiver a maioria qualificada, encerra-se como não consensual ou tenta-se novo compromisso.
    3. quando não existe consenso aproximado entre os intervenientes que haja um problema que precise de ser resolvido, ou o problema inicial foi refutado, ou concordam que existe um problema a resolver mas só foi apresentada uma opção de solução que não teve uma maioria de apoio e ninguém apresentou alternativas. Neste caso a discussão é encerrada como não consensual.

Quando falo em consenso aproximado, estou a falar de aproximadamente 3/4 dos intervenientes. Obviamente, isto só se aplica às questões do domínio wikipédia. As questões editoriais, as eleições para cargos, PEs e, para já, EAB/D não são afectadas por esta proposta. A proposta radical seria eliminar por completo as votações para estes casos, como todas as outras wikis o fazem, mas vamos começar com passos pequenos. Até porque para isso acontecer teria de haver uma estrutura que tivesse mão e fizesse valer as políticas de consenso, abuso do espaço público, abuso da wiki para provar um ponto de vista e subversão do sistema, que aqui não existe. Polyethylen (discussão) 03h52min de 28 de março de 2013 (UTC)

  Discordo Infelizmente, querer resolver tudo aqui por consenso é simplesmente paralisar a Wikipedia. Praticamente mais nada será resolvido e o projeto emperrará. Não funciona e nunca funcionou para nós, por temperamento, é só ver o que acontece nas PEs, a percentagem do que é consensado e do que tem que ir pra votação. Mas ali é o de menos é até uma coisa simples, um mesmo assunto, imagina assuntos diferentes ao mesmo tempo. Paz, só com votação, vale o escrito. Até porque o tal consenso é extremamente sectário. Deixa as decisões na mão de uma dúzia mais articulada e os menos, ou aqueles que simplesmente não gostam de ficar se envolvendo em discussões, ficam à margem do processo simples de dizer tudo que pensa sobre um determinado assunto simplesmente colocando sua assinatura numa proposta, discordando ou concordando. A votação é bem mais democrática. Uma coisa é tentar um consenso primeiro e não conseguindo, ir à votação. Outra é simplesmente ter que resolver tudo por consenso e não ter mais votação. Pára tudo.MachoCarioca oi 04h15min de 28 de março de 2013 (UTC)

Por isso é que referi começar com passos pequenos. Em termos práticos isto não quer dizer que as votações vão parar de existir. Vão é passar a ser usadas em casos onde há realmente necessidade delas, em vez do abuso que se verifica hoje em dia sem regra de abrir votação por tudo e por nada. Ou seja, vão passar a existir votações apenas para os casos onde grande parte da comunidade realmente concorda que há um problema a ser resolvido, mas não há consenso entre as várias propostas apresentadas para o resolver. Assim, ao menos há garantia que se está a usar a votação para resolver um problema que que a comunidade considera um problema. Polyethylen (discussão) 04h25min de 28 de março de 2013 (UTC)

  Pergunta Poly. Uma das políticas vigilantes atuais do projeto é o Direito ao voto em processos de Escolha de Artigos para Destaque (EAD), no qual é você é muito ativo por aqui. O Direito ao voto, no caso de EADs impede que uma imensa quantidade de usuários participem de tal processo, assim impedindo o "fanatismo" de usuários que só querem que a página possua a "glória do destaque", por isso fazendo que suas edições não sejam aceitas até que ele possua esse direito de voto. Minha pergunta Poly, é que caso tal proposta seja aprovada é se tudo quanto é usuário por ai terá um direito de dar sua opinião em consenso livremente? Eu imagino que muitos usuários "fanáticos por destaque", e que, de acordo com as políticas atuais, não tem direito ao voto em EADs. Como fica essa questão, o EAD seria como uma PE? Não importa se o usuário é o não experiente poderá opinar e talvez fazer de EADs uma "piada parcial"? Como resolver isso? --Zoldyick (discussão) 04h40min de 28 de março de 2013 (UTC)

Citação: isto só se aplica às questões do domínio wikipédia. As questões editoriais, as eleições para cargos, PEs e, para já, EAB/D não são afectadas por esta proposta. Polyethylen (discussão) 04h42min de 28 de março de 2013 (UTC)

Ok... --Zoldyick (discussão) 04h50min de 28 de março de 2013 (UTC)

As regras da EAD são específicas para esse fim e não podem ser usadas como amostra do que deve ser feito no projeto todo. Permitem todo tipo de fraude, parcialismo, conluio entre amigos com suas anulações de votos e intervenções em conflito de interesse dos proponentes que sofrem de egolatria, além de ser totalmente fora do escopo do projeto, cujo objetivo é o trabalho comunitário e sempre aberto ao desenvolvimento do conteudo. Se as regras do EAD fossem simplesmente abolidas, seria um avanço para o projeto. Também não vejo problemas nas votações em si mas nos editores que tentam fraudá-las ou sabotá-las de todas as maneiras mas isso é mais um problema deles do que do sistema. E o próprio sistema já tem o remédio para os desvios nas decisões que é o quinto pilar, ou seja, qualquer erro provocado ou involuntário nas decisões causará grandes danos mas será reversível e poderá ter o efeito reduzido caso simplesmente não seja aplicável pela comunidade.--Arthemius x (discussão) 10h47min de 28 de março de 2013 (UTC)

@Poly: Alguém precisa, antes, fazer uma análise do que se ganhou e o que se perdeu ao trocar a eliminação por votação pela eliminação por consenso. Imagino (mas não posso provar) que o único efeito prático foi que vários artigos foram eliminados com base em uma opinião (por acaso, quase sempre a minha) e que seriam mantidos por falta de quórum. De resto, imagino que o tempo consumido nos consensos foi absurdamente alto, geraram-se várias discussões inúteis, e quase nada foi feito para melhorar os artigos postos no estaleiro (aka WP:PE), o que mais se viu foram trollagens do tipo tem fontes nos interwikis sem que as tais fontes aparecessem nos artigos. Albmont (discussão) 12h16min de 28 de março de 2013 (UTC)
Citação: isto só se aplica às questões do domínio wikipédia. As questões editoriais, as eleições para cargos, PEs e, para já, EAB/D não são afectadas por esta proposta. Polyethylen (discussão) 12h56min de 28 de março de 2013 (UTC)
Eu entendi que não era para alterar PE. O problema é que esta proposta é no sentido de aumentar as decisões por consenso, mas sem haver, antes, uma avaliação adequada de como foi a última decisão que passou de votação para consenso. Na minha opinião, consenso sem prazo é nonsense, haja visto que a desgraça da Central de Fusões tem fusões sendo "discutidas" há um ano, e nenhuma decisão é tomada. E, desde que as PEs passaram para consenso, ninguém mais tem conseguido fechar as PEs, tem PEs que vão fazer um mês sem serem encerradas ou encaminhadas para votação. Albmont (discussão) 13h00min de 28 de março de 2013 (UTC)
As situações não são comparáveis. O problema que refere é a falta de interesse em encerrar as discussões. Mas isso é um problema de falta de gente que afecta todo o projecto, e não do método em si. Está a usar como comparação casos onde há dez novas discussões por dia e que facilmente se acumulam às dezenas por falta de interesse, enquanto que os casos aqui referidos acontecem muito esporadicamente. Por exemplo, se as fusões também fossem por votação, o que é que isso mudaria em termos de discussões acumuladas? Praticamente nada. O problema é fazer a fusão. Da mesma forma, há propostas com consenso claro, que nem precisam de votação, que nunca chegam a ser aplicadas por falta de interesse.
Além disso, esta questão dos empates está prevista e continuam a haver votações. O que acontece é que passam a existir apenas quando uma maioria muito expressiva verifica que é a única opção para resolver um problema que concordam que existe, mas estão indecisos sobre a melhor forma de o resolver. Polyethylen (discussão) 13h40min de 28 de março de 2013 (UTC)
Discussões forçadas para atender interesse apenas do proponente ou de um ou outro que apóia, deveriam ser simplesmente arquivadas ou canceladas. Não vejo porque fundir por fundir ou eliminar por eliminar para agradar alguns.--Arthemius x (discussão) 16h06min de 28 de março de 2013 (UTC)

Não opino sobre a proposta, mas achei interessante seu ponto de vista sobre as votações gerarem mau ambiente e falta de estímulo ao uso do raciocínio. Sobre as fraudes não é novidade.--Mister Sanderson (discussão) 00h48min de 29 de março de 2013 (UTC)

Voltar à página de projeto "Votações".