Abrir menu principal

Wilfred Agbonavbare

Wilfred "Willy" Agbonavbare (Lagos, 5 de outubro de 1966Alcalá de Henares, 27 de janeiro de 2015) foi um futebolista nigeriano que atuava como goleiro. Disputou a Copa do Mundo FIFA de 1994 como segundo reserva de Peter Rufai.

Agbonavbare
Informações pessoais
Nome completo Wilfred Agbonavbare
Data de nasc. 5 de outubro de 1966
Local de nasc. Lagos, Nigéria
Falecido em 27 de janeiro de 2015 (48 anos)
Local da morte Alcalá de Henares, Espanha
Altura 1,89 m
Apelido Willy
Informações profissionais
Posição Goleiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1983–1989
1990
1990–1995
1995–1997
Nigéria New Nigeria Bank
Nigéria BCC Lions
Espanha Rayo Vallecano
Espanha Écija


177 (0)
23 (0)
Seleção nacional
1983–1995 Flag of Nigeria.svg Nigéria 14 (0)

Índice

CarreiraEditar

Willy, como era conhecido, iniciou sua carreira em 1983, com apenas 16 anos de idade, defendendo o New Nigeria Bank. Ainda fez testes no Abiola Lions e no Brentford antes de assinar com o BCC Lions.

Em apenas uma temporada, despertou o interesse do Rayo Vallecano, que o contratou ainda em 1990. Assim como no Abiola e no Brentford, ele foi recrutado para fazer testes no clube alvirrubro de Madri, e o goleiro, então com 24 anos, convenceu a agremiação a oficializar um contrato.

Sua estreia pelo Rayo em La Liga foi em 5 de setembro de 1992, contra o Valencia. Sua segunda partida teve um gosto amargo, já que ele foi expulso, cedendo a posição a Toni Jiménez, seu reserva imediato no Rayo. Porém, com o apoio do técnico José Antonio Camacho, Willy retomou a vaga.

O goleiro se firmou de vez como titular do Rayo a partir da temporada 1993-94, onde o clube caiu para a Segunda Divisão. Nos últimos anos, Willy viveu um período de instabilidade com os técnicos Marcos Alonso (que assumira o Rayo no meio da temporada 1994-95) e Abel Resino, que chegou a colocá-lo no banco de reservas. Somente com a chegada de Fernando Zambrano, Willy reconquistou novamente a posição de titular. Deixou a equipe em 1996, mesmo ano em que asinou com o Écija, que também atuava na Segunda Divisão espanhola. Ficou apenas um ano no clube, que optou em não renovar o contrato.

De volta à Nigéria, Willy treinava em busca de um novo clube, mas a falta de interesse no goleiro forçaram-no a encerrar a carreira com 31 anos.

SeleçãoEditar

Willy estreou na Seleção Nigeriana de Futebol em 1983, para a disputa do Mundial Sub-20 realizado no México.

Na Copa de 1994, a primeira disputada pelas Super Águias, foi convocado para ser o terceiro goleiro da equipe.

Em 1998, mesmo semi-aposentado, Willy chegou a aparecer na lista de pré-convocados para a Copa da França, tendo esperanças de ser novamente convocado para a terceira opção ao gol. Mas o treinador Bora Milutinović não o convocou[1] - Abiodun Baruwa foi o escolhido.

Homenagens do Rayo Vallecano e morteEditar

Após encerrar a carreira, Willy chegou a trabalhar como treinador de goleiros em equipes amadoras de Madri, e em 2012 foi homenageado pelo Rayo Vallecano, onde atuara em 177 partidas, em um ato anti-racismo promovido pela agremiação.

Nos últimos anos, o ex-goleiro encontrava-se viúvo (sua esposa morreu vitimada por um câncer de mama) e trabalhava como porteiro no aeroporto de Barajas. Em janeiro de 2015, descobriu que tinha câncer, e o Rayo Vallecano realizou nova homenagem, agora com os jogadores mostrando uma faixa onde lia-se "'Fuerza Wilfred" (força, Wilfred) no dia 24. Três dias depois, Willy, que estava internado em um hospital de Alcalá de Henares para tratar o câncer, não resistiu e veio a falecer, aos 48 anos[2].

TítulosEditar

Referências

  1. El Mundo Deportivo (6 de janeiro de 1998). «Falcao no confía en Nigeria». Consultado em 21 de fevereiro de 2010.  (em espanhol)
  2. UOL Esporte (27 de janeiro de 2015). «Goleiro reserva da Nigéria na Copa de 1994 morre aos 48 anos»