Yigal Allon

militar e político israelense

Yigal Alon (em hebraico: יִגְאָל אַלּוֹן; Kfar Tavor, Israel, 10 de outubro de 1918Afula, 29 de fevereiro de 1980) foi um político e militar israelense. Ele serviu por muitos anos como general das forças armadas de Israel. Ele fez parte dos partidos Ahdut HaAvoda e Trabalhista, e chegou a servir como Primeiro-ministro interino. Yigal também foi membro da Knesset e serviu como ministro no governo de Menachem Begin.[1]

Yigal Allon
Nascimento 10 de outubro de 1918
Kfar Tavor
Morte 29 de fevereiro de 1980 (61 anos)
Afula
Sepultamento Genesaré
Cidadania Israel
Cônjuge Ruth Allon
Irmão(s) Moshe Faycovich
Alma mater
  • St Antony's College
  • Kadoorie Agricultural High School
Ocupação político, militar, oficial
Comando Palmach
Causa da morte enfarte agudo do miocárdio

Treinamento e militarEditar

Jigal Allon era membro do Kibutz Ginnossar no Mar da Galiléia e se formou na Escola Agrícola de Kadoorie. Mais tarde, ele estudou na Universidade Hebraica de Jerusalém e no St Antony's College da Universidade de Oxford (1960).

Ele começou sua carreira militar quando jovem no exército subterrâneo sionista Hagana. No verão de 1939, ele se envolveu no assassinato de vários residentes palestinos inocentes de Lubya, Galiléia. Os aldeões foram mortos a tiros em suas casas por uma unidade especial da qual Allon fazia parte em um ato de vingança da Hagana. Um artigo no jornal Davar disse que o ato foi:

“Um assassinato horrível que testemunha que os perpetradores perderam a capacidade de discriminar [os inocentes] e carecem de qualquer sentimento humano. ... A memória dos eventos em Lubya envergonhará para sempre os perpetradores destrutivos, bem como todos os outros atos hediondos que os precederam."[2]

No entanto, os perpetradores não foram identificados em Davar.

Allon serviu no corpo de campo, onde foi promovido a comandante do regimento em 1940. No ano seguinte foi um dos fundadores da unidade de elite do Palmach, de 1943 a 1945 foi seu vice-comandante, e até 1948 seu comandante. Na Segunda Guerra Mundial, ele lutou ao lado do Exército Britânico e participou da campanha Sírio-Libanesa.

Após o estabelecimento do Estado de Israel em 1948, ele se juntou às Forças de Defesa de Israel (Tzahal) como major-general e lutou na Guerra da Independência de Israel. Ele liderou a Operação Jiftach na Galiléia Oriental em abril de 1948. Como comandante e deputado do General David Marcus, ele participou da conquista de Ramla e Lod. Como comandante do comando sul do Tzahal, ele liderou a campanha no Negev. No final de 1949 ele encerrou sua carreira militar.[3]

PolíticaEditar

Jigal Allon aderiu ao partido socialista-sionista Mapam. Quando essa divisão em 1954, ele pertencia à ala moderada que formou o partido Achdut haAwoda-Poalei Tzion, e se tornou seu secretário-geral. Em 1955 foi eleito para o Knesset. Achdut HaAwoda pertencia à aliança de centro-esquerda HaMaʿarach de 1965 e foi absorvido pelo novo partido trabalhista Awoda em 1968. Allon foi membro do parlamento até sua morte em 1980.[3]

Allon ocupou vários cargos ministeriais: Ministro do Trabalho (1961-1968), Ministro da Imigração (1968-1969), Ministro da Educação (1969-1974) e Ministro das Relações Exteriores (1974-1977). Nos governos de Levi Eschkol, Golda Meir e Jitzchak Rabin, ele foi vice-primeiro-ministro de 1968 a 1977,  após a morte de Eschkol em fevereiro de 1969, Allon liderou os negócios do governo por três semanas.

Ele era um oponente político de longa data de Moshe Dajan e um defensor de um compromisso político com os árabes. Com seu plano de paz de novembro de 1967 ("Plano Allon"), ele queria chegar a um acordo com a Jordânia e, em 1979, Allon estava envolvido no tratado de paz com o Egito.

Allon foi enterrado em 3 de março de 1980 em seu local de residência, o Kibutz Ginnossar no Mar da Galiléia.[4] Existe, desde 1987, o Museu e Centro Educacional Yigal Allon.

Trabalhos publicadosEditar

Referências

  1. "Book review, Yigal Allon, Native Son: A Biography" Arquivado em 11 de setembro de 2016, no Wayback Machine.. Página acessada em 8 de março de 2015.
  2. «Assassinations, Terror Attacks and Even Castration – the Hidden Actions of Israel's Pre-state Militia». Haaretz (em inglês). Consultado em 5 de outubro de 2021 
  3. a b Knesset Members; knesset.gov.il
  4. «Taube und Falke unter dem Radar». Israelnetz.com - Berichte und Hintergründe aus Israel und dem Nahen Osten (em alemão). Consultado em 5 de outubro de 2021