Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O político Zé Silva em 2014

José Silva Soares, mais conhecido como Zé Silva (Iturama, 10 de maio de 1963) é um engenheiro agrônomo e político brasileiro.

BiografiaEditar

Natural de Iturama, cidade da Mesorregião do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, Zé Silva nasceu numa comunidade rural, onde viveu toda sua infância e parte da adolescência, estudou em escola da comunidade até se transferir para a cidade já aos 16 anos de idade. Posteriormente cursou engenharia agronômica e se formou pela Universidade Federal de Goiás, período em que iniciou sua militância política no movimento estudantil.

Concluída a faculdade, de volta à terra natal, Zé Silva iniciou sua carreira profissional trabalhando no primeiro projeto de reforma agrária do governo após a ditadura, no Assentamento da Fazenda Barreiro, no município de Limeira do Oeste, também no Pontal do Triângulo.

Zé Silva foi contratado pela Emater-MG para ser o extensionista do assentamento, onde trabalhou por cerca de três anos. Posteriormente, Zé Silva prestou concurso público e tornou-se profissional de carreira da Emater-MG.

Trajetória políticaEditar

Foi Presidente da Emater–MG, de 2003 a 2010. Presidiu a Associação Brasileira das Entidades Públicas de Assistência Técnica e Extensão Rural – ASBRAER, de 2006 a 2010. Organizou e participou com gestores do Sistema de ATER de missões técnicas à França, Itália, Portugal, Algarve, Luxemburgo, Bélgica, Chile, Argentina e Peru.

No Governo Aécio Neves em Minas Gerais (2003/10), além da Presidência da Emater, ocupou as funções de Gerente Estadual do Programa Minas Sem Fome, foi membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Minas Gerais e membro do Conselho Estadual de Política Agrícola. Atuou na equipe que elaborou o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado – PMDI.

Foi eleito deputado federal em 2010, com 110.570 votos. Atuou no Congresso até 2013. Na sequência ocupou no Governo de Minas Gerais, na Gestão de Antônio Anastasia, a Secretaria de estado de Emprego e Trabalho e, no primeiro trimestre de 2014, a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Foi reeleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019), pelo Solidariedade, com 109.925 votos.

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[1] Já no Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[1] Em abril de 2017 foi contrário à Reforma Trabalhista.[1][2] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[1][3]

Referências

  1. a b c d «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». G1. 2 de agosto de 2017. Consultado em 11 de outubro de 2017 
  2. «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Carta Capital. 27 de abril de 2017. Consultado em 18 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 27 de abril de 2017 
  3. «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Carta Capital. 3 de agosto de 2017. Consultado em 18 de setembro de 2017 

Ligações externasEditar