Abrir menu principal

Zabelê (Paraíba)

(Redirecionado de Zabelê (PB))
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o município Zabelê (Paraíba). Para ave, veja Zabelê (ave).
Zabelê
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Zabelê
Bandeira
Brasão de armas de Zabelê
Brasão de armas
Hino
Gentílico zabelense[1]
Localização
Localização de Zabelê na Paraíba
Localização de Zabelê na Paraíba
Zabelê está localizado em: Brasil
Zabelê
Localização de Zabelê no Brasil
Mapa de Zabelê
Coordenadas 8° 04' 33" S 37° 05' 52" O
País Brasil
Unidade federativa Paraíba
Região intermediária[2] Campina Grande
Região imediata[2] Monteiro
Municípios limítrofes Monteiro, São Sebastião do Umbuzeiro e estado de Pernambuco
Distância até a capital 270 km
História
Fundação 29 de abril de 1994
Aniversário 29 de abril
Administração
Prefeito(a) Sebastião Dalyson de Lima Neves[3] (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [4] 109,394 km²
População total (IBGE/2010[5]) 2 075 hab.
Densidade 18,97 hab./km²
Clima semiárido
Altitude 632 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[6]) 0,598 baixo
PIB (IBGE/2008[7]) R$ 9 176,498 mil
PIB per capita (IBGE/2008[7]) R$ 4 411,78

Zabelê é um município brasileiro no estado da Paraíba, localizado na Região Geográfica Imediata de Monteiro. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano 2010 sua população foi estimada em 2.075 habitantes. A área territorial é de 109 km².

GeografiaEditar

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005.[8] Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

HistóriaEditar

Zabelê entrou na história do estado no dia 2 de outubro de 1837, quando o Pe. José Gomes Pequeno, vigário da então freguesia Nossa Sra. dos Milagres de São João do Cariri, batizou dois rapazes em terras da então "Fazenda de Zabelê". Dali em diante houve mais batismos, a cada vez que padres passavam por essa fazenda. Contudo, visitas regulares de religiosos começaram somente a partir de 1938, quando surgiu um pequeno povoado naquela fazenda. O nome Zabelê, se deu devido ao fato de haver nessas terras muitas árvores de juazeiros, e no mês de maio seus frutos desprendiam-se das árvores e já no chão serviam de alimento para aves típicas da região, denominadas zabelê, atualmente em extinção. Tais aves gostam muito de andar no chão e voam pouco, além de preferirem lugares úmidos e dormir em arbustos não muito altos.

O perfil dos primeiros habitantes dessas terras era de pessoas foragidas da justiça, a exemplo do Coronel José Raposo, que fugiu de Vila Tinto, por lá ter cometido um homicídio. Os foragidos da lei acorriam para Zabelê, pois se tratava de uma região despovoada e com densa vegetação de caatinga, sobretudo juazeiros. Coronel José Raposo foi o proprietario da Fazenda Zabelê. Segundo relatos do Sr. Antônio Anastácio, Manoel Vidal chegou a ver um antigo documento da Fazenda Zabelê que tinha um perímetro compreendido entre o serrote da Catarina (propriedade de Adilson Costa) e o sítio Tanques e seguia sob a divisão das águas até encontrar o serrote das batateiras, ao pé da Serra do Fogo, fazendo limite com as terras do Capitão João José, voltando para o sentido sul até chegar aonde hoje é a caixa que abastece a cidade, seguindo em linha reta no sentido poente ao Serrote da Catarina.

Em 1855, um surto de cólera assolou o estado e a comunidade de Zabelê contabilizou muitos mortos, que eram enterradas em Santa Clara, pois lá havia um cemitério destinado a familia do Cap. João José e depois aos mortos da cólera. Segundo histórias populares, não dava tempo para esperar atendimento médico, e ao menor sinal de falecimentos, as pessoas eram enterradas. Inclusive, conta-se que certo dia, em meio a uma forte chuva, populares não concluíram o sepultamento de mais uma vítima de cólera e deixaram a sepultura aberta com o corpo, que após ser molhado pela chuva restabeleceu-se e levantou-se de sua sepultura, pois ainda não tinha morrido de fato. Esse fato nunca foi confirmado pelos mais velhos do sítio St. Clara.

Referências

  1. Editores do Aulete (2007). «Verbete: zabelense». iDicionário Caldas Aulete. Consultado em 1 de maio de 2013 [ligação inativa]
  2. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. Portal Eleições 2016. «Resultado das Eleições: Zabelê-PB». Consultado em 6 de janeiro de 2017 
  4. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  5. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. Arquivado do original em 3 de outubro de 2009 
  7. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  8. Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro Arquivado em 15 de julho de 2010, no Wayback Machine..

Ligações externasEditar