Zarmanduxt

Zarmanduxt,[1] também conhecida como Zarmandukht[2] (em armênio/arménio: Զարմանդուխտ) foi uma nobre armênia que viveu no século IV que, através do casamento, tornou-se a rainha consorte da Armênia. Em 378, quando já era viúva, foi proclamada rainha reinante junto com o regente Manuel Mamicônio e seus filhos Ársaces III (r. 378–389)[nt 1] e Vologases III (r. 378–386).

Zarmanduxt
Rainha reinante armênia
Reinado 378 - 384
Antecessor(a) Varasdates (rei)
Sucessor(a) Ársaces III (rei)
Vologases III (rei)
Cônjuge Papas
Descendência Ársaces III
Vologases III
Casa Arsácida
Nascimento século IV
Morte século IV
Religião Catolicismo

BiografiaEditar

Zarmanduxt foi uma contemporânea de quatro reis clientes romanos da Armênia: Papas (r. 370–374), Varasdates (r. 374–378) e Ársaces III (r. 378–387) com seu co-rei Vologases III (r. 378–386). Seu casamento ocorreu em data desconhecida durante o reinado de Papas.[2] Os historiadores armênios não fornecem informações sobre o histórico familiar da rainha. Ela deu à luz dois filhos, Ársaces III e Vologases III. Em 378, após a derrubada de Varasdates (r. 374–378), Manuel Mamicônio, o asparapetes (comandante-em-chefe) da família Mamicônio, proclama Zarmanduxt e seus filhos Ársaces III e Vologases III como governantes da Armênia.[7][8]

Manuel deu a Zarmanduxt o título de rainha e recebeu as mais altas honrarias na Armênia devido a sua promoção de estatuto.[9] Em seguida, para se aproximarem da Pérsia, a rainha e o regente enviaram para a corte sassânida vários naxarares levando presentes para Sapor II (r. 309–379) que, em retribuição, enviou o marzobã Surena com 10 000 cavaleiros para defender a Armênia, além de uma coroa, um manto e o emblema dos reis para Zarmanduxt e coroas para Ársaces e Vologases.[10][nt 2] Nada mais se sabe sobre Zarmanduxt, sendo a data de sua morte desconhecida.

Notas

  1. Não há consenso entre as fontes para o fim do reinado de Ársaces III, havendo três datas defendidas: 387,[3] 389[4][5] e 390.[6]
  2. Vahan M. Kurkjian sugere que os presentes tenham sido enviados, em 383, não por Sapor II, mas seu neto Sapor III (r. 383–387).[11]

Referências

BibliografiaEditar

  • Hacikyan, Agop Jack (2000). The Heritage of Armenian Literature: From the Oral Tradition to the Golden Age. Detroit: Wayne State University. ISBN 0-8143-3023-1 
  • Hovannisian, Richard G. (1997). Armenian People from Ancient to Modern Times. vol. I: The Dynastic Periods: From Antiquity to the Fourteenth Century. Nova Iorque: Palgrave Macmillan. ISBN 978-1-4039-6421-2 
  • Lenski, Noel Emmanuel (2002). Failure of Empire: Valens and the Roman State in the Fourth Century A.D. Berkeley e Los Angeles: California University Press. ISBN 978-0-520-23332-4 
  • Topchyan, Aram (2006). Hebrew University Armenian Studies (Book 7). The Problem of the Greek Sources of Movses Xorenac’i’s History of Armenia. Lovaina: Peeters Publishers. ISBN 9042916621