Abrir menu principal
Zimna wojna
Cartaz do filme
No Brasil Guerra Fria
Em Portugal Cold War - Guerra Fria
Em inglês Cold War
 Polónia ·  França ·
 Reino Unido

2018 •  pb •  85 min 
Direção Paweł Pawlikowski
Produção Tanya Seghatchian
Ewa Puszczynska
Roteiro Paweł Pawlikowski
Janusz Głowacki
Elenco Joanna Kulig
Tomasz Kot
Agata Kulesza
Gênero drama romântico
ficção histórica
Música Marcin Masecki
Cinematografia Łukasz Żal
Edição Jaroslaw Kaminski
Companhia(s) produtora(s) Apocalypso Pictures
BFI Film Fund
Film4
MK2 Productions
Opus Film
Protagonist Pictures
Distribuição Kino Świat
Lançamento  Polónia 8 de junho de 2018
 Estados Unidos 31 de agosto de 2018
 França 24 de outubro de 2018
Idioma polonês · francês · italiano · russo · croata · alemão
Orçamento US$ 4,3 milhões
Receita US$ 12,8 milhões
Site oficial

Zimna wojna (bra: Guerra Fria[1][2]; prt: Cold War - Guerra Fria[3]) é um filme franco-britano-polonês de 2018, dos gêneros drama romântico e ficção histórica, dirigido por Paweł Pawlikowski, com roteiro de Janusz Glowacki e do próprio diretor.[1]

Cold War recebeu aclamação universal da crítica, levando-o a competir ao Palma de Ouro do Festival de Cinema de Cannes de 2018, entre outros.

Índice

SinopseEditar

Ambientado na Guerra Fria, o enredo conta a história de um diretor musical (Tomasz Kot) que se apaixona por uma jovem cantora (Joanna Kullig) e expõe essa história de amor ao longo dos anos.

ElencoEditar

  • Joanna Kulig como Zuzanna "Zula" Lichoń
  • Tomasz Kot como Wiktor Warski
  • Borys Szyc como Lech Kaczmarek
  • Agata Kulesza como Irena Bielecka
  • Jeanne Balibar como Juliette
  • Cédric Kahn como Michel
  • Adam Woronowicz como cônsul
  • Adam Ferency como ministro
  • Adam Szyszkowski como guarda do campo

RecepçãoEditar

Crítica profissionalEditar

No Metacritic, o filme conta com uma pontuação de 91 de 100 pontos, baseada em 32 críticas que indicam aclamação universal.[4] No agregador de avaliações Rotten Tomatoes, o filme tem aprovação de 93% baseada em 116 análises, e média de 8,2/10. Segundo o consenso do site, "Cold War, com uma estética brilhante e erma que combina com a narrativa, o filme não perde nenhum momento em seu curto tempo de exibição, tampouco economiza a ênfase de um impacto emocional misto."[5]

Mark Kermode, do jornal britânico The Observer, escreveu: "Há uma tensão constante entre a concisa e épica narrativa e o confinamento que combina perfeitamente com temas que envolvem a liberdade e o encarceramento."[6] Kenneth Turan, do Los Angeles Times, escreveu: "Imbuído numa temática apaixonada, tempestuosa, assombrosa e segura, esta última obra do roteirista e diretor Pawel Pawlikowski explora, assim como Ida, vencedor do Oscar, o passado da Polônia que resulta numa história emocionante com nuances políticas impecáveis para os dias atuais."[7] Filipe Freitas, da publicação Film Threat, consagrou o filme, dizendo: "Preso na mais profunda melancolia, Cold War não porta ociosidade nem frivolidade em suas cenas, pois tudo é encaixado e fluido na direção imperiosa de Pawlikowski."[8]

Referências

  1. a b «Guerra Fria». Brasil: CinePlayers. Consultado em 6 de abril de 2019 
  2. «Guerra Fria». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 6 de abril de 2019 
  3. «Cold War - Guerra Fria». Portugal: SapoMag. Consultado em 6 de abril de 2019 
  4. «Cold War Reviews». Metacritic. CBS Interactive. Consultado em 29 de dezembro de 2018 
  5. «Cold War (Zimna wojna) (2018)». Rotten Tomatoes. Consultado em 29 de dezembro de 2018 
  6. Mark Kermode (2 de setembro de 2018). «Cold War review - love in a communist climate». The Guardian. Consultado em 9 de janeiro de 2019 
  7. Kenneth Turan (20 de dezembro de 2018). «Review: Pawel Pawlikowski's 'Cold War' is a stunning, white-hot romance». Los Angeles Times. Consultado em 9 de janeiro de 2018 
  8. Filipe Freitas (1 de janeiro de 2019). «Cold War - Film Threat». Film Threat. Consultado em 9 de janeiro de 2019 
  Este artigo sobre um filme do cinema polonês é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.